Política

Membros do Congresso Norte Americano visitam São Tomé

A delegação do Congresso dos Estados Unidos de América que chegou hoje a São Tomé, veio de Libreville-Gabão, onde funciona a embaixada dos EUA para São Tomé e Príncipe. Pretende avaliar o clima de negócios tanto no Gabão como em São Tomé e Príncipe, e compreender desta forma como funciona o comércio internacional nos dois países.

A partir de Libreville, o Téla Nón apurou que a delegação do Congresso dos Estados Unidos, vai avaliar também a execução dos projectos de desenvolvimento financiados pelo Governo norte-americano tanto no Gabão como em São Tomé e Príncipe.

Fundos norte americanos, financiaram a partir de 2008, projectos de reforma do sistema fiscal e aduaneiro são-tomense, exactamente com vista a melhoria do ambiente de negócios no arquipélago.

Agora a delegação do Congresso dos Estados Unidos, deverá verificar in loco, o avanço ou o impacto do projecto na melhoria do ambiente de negócios no país. Ambiente saudável para negócios, é uma das condições exigidas no quadro do programa Millenium Challenger, para que São Tomé e Príncipe, possa ter acesso aos fundos deste programa de financiamento norte americano aos países mais pobres de África.

Abel Veiga

    12 comentários

12 comentários

  1. Brigadero

    10 de Outubro de 2012 as 13:43

    Navio gigante no mar de São Tomé??? Mas o que fazem estes barcos estranho na nossa costa????? O quê de concreto está realmente dentro desses navios????? Qual é o objectivo destes barcos gigante??? Deveria ser investigada por autoridade competente.
    Povo de são Tomé e príncipe abre os olhos por favor…

  2. Lede di alame ça ua

    10 de Outubro de 2012 as 14:05

    Se os nossos dirigentes, nao abrirem os olhos, mais cedo ou mais tarde, os americanos vao retaliar o nosso povo como fazem em varios paises, inclusiveo iraque, devido a ganancia e a fome ensaciavel dos americanos pelo petroleo, e claro que ja estao comecando, so nao percebe quem nao quer….

  3. Eliseu Neto Vaz

    10 de Outubro de 2012 as 14:15

    OH LEDE DI ALAME CA UA, talvex que nao entendes muito bem de politica…STP so tem que agradecer por isso…em qualquer lado do mundo tem que haver um lider….o que querias? se nao faz se cooperacao é porque o governo nao ta a trabalhar, e se faz, temos que abrir os olhos…eu acho que é melhor tu ficares calado, qd nao tenha nada pra falar…por causa disto é que o pais ta como esta…so críticas e mais nadas…e por vezes , criticas de pessoas incopetente que nunca mostraram trabalho…bem haja

  4. Bodon Kulu

    10 de Outubro de 2012 as 14:45

    Ah ah ah, Americanos atacar STP? Os Americanos sabem que em STP não há espaço suficiente para disparar certas armas, a não ser um duelo de pistolas à moda antiga. E na eventualidade de ser necessário nem sequer precisam de cá vir.
    Fui.

  5. Bodon Kulu

    10 de Outubro de 2012 as 15:08

    Barco gigante? Deve ser para apanhar corvina gigante, bonito gigante, pargo gigante etc, etc, pois acontece que o nosso mar é fértil nalgumas espécies gigantes, se é que a frota de pesca Francesa e Europeia ainda deixou algum.E ainda por cima pagam-nos uma bagatela pelo acordo.
    Temos e devemos rever esses acordos e sobretudo, negociar um periodo de pousio, senão os tipos “delapidam” o nosso mar enquanto o diabo esfrega um olho. E olha que o mar não só peixe e mariscos, até corta-me o coração só de pensar nisto.
    É nestas coisas que devemos estar atentos e nunca nos ataques armados.

  6. Deixa governo trabalhar

    10 de Outubro de 2012 as 15:20

    Deixa governo trabalhar

  7. Adler Santiago

    10 de Outubro de 2012 as 19:46

    Penso que quem deve responder a questão dos Barcos Gigantes é o Ministério da Defesa, porque é o Órgão que trata de segurança do País.

  8. Altino Mendes Saramago

    11 de Outubro de 2012 as 7:07

    Os bandidos estao com medo da forma como o actual Governo vem agindo. O País especilizou-se nos últimos anos em escândalos e fraudes, mas isso não tem acontecido com o Governo do PT.
    O Jorge Amado devia ter vergonha. Já demitido do cargo de Embaixador tentou enganar o Estado. Peçam que ele explique porque quis trazer contentores de camisolas? Para campanha? Ou para venda?

  9. st

    11 de Outubro de 2012 as 9:11

    Adler Santiago, já faz tempo ki este navio gigante está no mar de são tomé e não ouve alguém do governo para explicar o povo santomense, precisamos de esclarecimento quanto ao navios gigante ki está na costa do mar stp.
    que DEUS nos abençoes deste mal

  10. vamos lá

    11 de Outubro de 2012 as 9:14

    O maior partido da oposição são-tomense acusa o governo de Patrice
    Trovoada de “má gestão e de ocultar as contas do Estado”, denunciando
    a assinatura de acordos de cooperação bilateral sem o consentimento
    dos órgãos de soberania.

    O comunicado lido por Américo Barros indica que a assinatura do acordo
    com a Geórgia terá envolvido supostamente contrapartidas financeiras
    que a autoridade financeira do país desconhece.

    Os sociais-democratas acusam ainda o governo de Patrice Trovoada de
    “facilitar os seus amigos estrangeiros nos negócios”, citando como
    exemplo uma lota construída na marginal da capital país pela República
    de Taiwan que foi transformada em supermercado a favor de um grupo de
    investidores gaboneses.

  11. santola

    11 de Outubro de 2012 as 9:16

    não sabemos em que ponte o país vai chegar
    só Deus é que sabe aonde chegaremos…..

  12. Kebla

    11 de Outubro de 2012 as 10:56

    Ainda bem que mesmo vendendo o País, felizmente ele continuará no mesmo sítio. Assim sendo o Povo, poderá recuperá-lo quando e bem entender. Até lá, enquanto o Povo continuar satisfeito e feliz, os chicos espertos vão roubando perpetuando mais miseria. Um dia os santomenses hão-de acordar como os Egípcios, Líbios e agora os Sírios e recuperarem o Pais. Até lá …….Será amanhã ou daqui a quinhentos anos….. Costuma-se dizer: seja positivo, mantém a esperança. Ok…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo