Militares e Polícias são-tomenses regressam às academias Russas

A partir do próximo ano, oficiais das forças armadas de São Tomé e Príncipe, voltam a ser formados na Rússia. O Governo são-tomense solicitou apoio russo para treinar oficiais do exército e da guarda costeira. Já neste ano 3 agentes da Polícia Nacional, seguiram para formação superior na academia de polícia da Rússia.

Até 1990 a maior parte, ou mesmo todos os oficiais superiores, das forças armadas são-tomenses, recebiam formação militar nas academias da Rússia ou das antigas Repúblicas Soviéticas. Cuba era outra escola militar, que preparava os oficiais inferiores. Angola também recebia na década de 80,muitos militares são-tomenses para formação de sargentos.

Depois de vários anos de letargia na cooperação com São Tomé e Príncipe a nível da Defesa e Segurança, a Rússia que garantiu quase todo o material bélico que as forças armadas são-tomenses utilizam até os dias de hoje, vai retomar as acções de cooperação no domínio militar.

O Embaixador  Serguey Menáchev anunciou que o Governo são-tomense solicitou ao seu país, apoio para formação de quadros militares, sobretudo oficiais superiores.  Assegurou que as autoridades de Moscovo estão a preparar um plano de acção para dar resposta a soliciatão são-tomense, já a partir do próximo ano.  «Já no próximo ano esperamos formar os oficiais superiores do Exército e da Guarda Costeira são-tomenses», precisou.

A nível do sector de segurança e ordem pública, as acções de formação já começaram. «Neste momento estão na Rússia 3 quadros da Polícia Nacional são-tomense, que estão a ser formados nas escolas russas e vão voltar a São Tomé e Príncipe dentro de 5 anos como oficiais superiores de Polícia», detalhou.

No balanço da cooperação entre os dois países no sector da formação, o diplomata russo que termina a sua missão de 4 anos como embaixador da Rússia em São Tomé e Príncipe, com residência em Angola, recordou que no tempo da ex-União Soviétivca, o seu país formou em parceria com outras repúblicas soviéticas, mais de 300 são-tomenses em vários domínios. «Estes quadros estão aqui no país e ocupam cargos importantes tanto a nível económico como a nível político», realçou.

O desmoronamento da União Soviética trouxe letargia na cooperação bilateral, mas a partir de 2009 foi retomada com ênfase para a formação de quadros. Serguey Menáchev disse que actualmente cerca de 20 são-tomenses estudam na Rússia. « É um numero modesto, mas esperamos intensificar nos próximos anos».

Abel Veiga

  1. img
    nora Responder

    MUITO BEM, CERTAMENTE MAIS UMA ACÇÃO DO CAMARADA PINTO DA COSTA. É IMPORTANTE VOLTAR A OLHAR A ANTIGAS COOPERAÇÕES E AMIGOS DE LONGA DATA.

    MUITO BEM PAI GRANDE…

    • img
      Sérgio Lemos Responder

      Nora, o que é que o camarada Pinto da Costa tem a ver com esta informação? No início da noticia lê-se: O Governo são-tomense solicitou apoio russo para treinar oficiais do exército e da guarda costeira. E mais à frente lê-se ainda: O Embaixador Serguey Menáchev anunciou que o Governo são-tomense solicitou ao seu país, apoio para formação de quadros militares, sobretudo oficiais superiores. Ora, depois de ler isto, como é possível vir meter o nome do camarada Pinto da Costa nisto? Qual é a sua intenção?

  2. img
    Revoltado Com Partido que Votei Responder

    Patrice está perdido… Mandou Américo Ramos para Correia do Norte um país ditatorial para ir a procura de dinheiro. Patrice és a minha decepção. Estou triste.
    Agora inventou orçamento do cidadão, porquê?
    Porque teme o chumbo do orçamento, logo se a oposição chumbar OGE ele vai dizer ao povo que, o orçamento que povo fez, os deputados chumbaram.
    Patrice maldita foi a hora que sai da minha casa para votar em si e a tua empresa ADI!

    Com ADI só um grupo de 10 gajos mt bem identificados é que estão a comer e a lamber os dedos.

    Um país como STP vai se meter com Correia do Norte?

  3. img
    observador Responder

    pois, quando um nao tem como ser chulado(europa)salta para outro. ate quando?

  4. img
    luisó Responder

    Má ideia…
    Os países de leste e as suas academias militares ou policiais não têm nada de democratas. Os métodos de ensino só servem para esses países próprios e os seus costumes e que eu saiba as leis criminais são completamente diferentes dos códigos e leis de STP.
    Enfim…

  5. img
    Ariete Responder

    recentimente formarao 61 militares 30 oficias e 31 para quadro permanente oque si viu na sermonia tristesa no rosto deles recebem deploma sem ser promovido depos `e mandado a feria a forsa alegando que portugal nao eviou patente esto `e uma bricadeira com pai de familha s.tome esta indo pra fondo de posso ate Forsa Armada aque da isso `e mesturar forsa com politica pensei com criacao de Estado maior as coisa ia mudar depos quer manda coitado pra russia depos pra vir fica a deus darra como aconteceu com muitos formados na academia russa que hoje `e civil…

  6. img
    Lede di alame ça ua Responder

    Muito bem dito camarada NORA, so quem nao sabe o que a russia fez para o povo santomense, filhos de pobres que estudaram a custo zero, e qua nao concorda com essa iniciativa de reatar lecos de longa data, VIVA cooperacao RUSSIA/STP

  7. img
    Cobra Responder

    Vendo a cara desses gajos,todos cheios de “cordas” no corpo fez-me lembrar o dia de Carnaval. Aposto que eu que nunca fui a tropa entendo mais de assuntos militares do que eles.

  8. img
    Barão de Água-Ize Responder

    País desorientado; Governo desorientado; Presidente com saudades? Saudades do comunismo?
    Rússia? Mas o que é que este País tem a ver com STP? Porque não o Brasil ou Angola, pois há politicos quanndo se fala de Portugal ficam com comichão. Porque não Coreia do Norte ou Vietnam? País desorientado!

  9. img
    Santosku Responder

    caros eleitores! Alguém que diz que a União Soviética hoje Russia não fez nada para STP creio ter nascido depois de 1990 e daí para frente. Após independência Russia, Polónia, Cuba e outros Paises de orientação socialista é que estavam mais abertos para nos ajudar a formar quadros que hoje muitos deles trabalham em São Tomé e Principe em diversas areas de saber. Podemos contar os filhos de STP que estudaram nos Países de orientação capitalista e quantos estão em STP a dar a sua contribuição pra o desenvolvimento do nosso Pais. Não fala o que não sabe e quando é assim melhor é perguntar.

Deixe um comentario

*