Banco russo prepara montagem financeira para construção de Porto em águas profundas em Fernão Dias

A obra que desde 2008 nunca arrancou, deverá contar com financiamentos do banco russo VTB. Garantia do embaixador da Rússia em entrevista exclusiva ao Téla Nón. Serguey Nenáchev(na foto), explicou que o investimento privado russo, vai transformar o projecto até agora dominado pela companhia francesa CMA – CGM, num consórcio multinacional.

O projecto de construção do porto em águas profundas, na zona de Fernão Dias está avaliado em 500 milhões de dólares. Desde 2008 que o Estado são-tomense, assinou acordo com a empresa Terminal Link-STP, filial da francesa CMA-CGM, para construção do porto. Terrenos da zona de Fernão Dias foram adjudicados para o efeito.

As obras que deveriam iniciar em 2009, estão adiadas sine die. A crise financeira interacional que começou em 2008, afectou bastante as finanças da CMA-CGM, a terceiro maior armador mundial de transporte de contentores. O Primeiro Ministro Patrice Trovoada, decidiu apoiar a CMA-CGM na angariação de fundos para realizar o projecto. Patrice Trovoada, que visitou a Rússia ainda este ano, bateu as portas do segundo maior banco daquele país em busca de financiamentos, o VTB.

O embaixador Serguey Nenáchev, disse ao Téla Nón que a montagem financeira que está a ser preparada na Rússia, deverá tirar a companhia francesa o domínio exclusivo sobre o projecto.   «É um porto que incialmente foi concebido pela empresa francesa CMA CGM. Acho que doravante o porto será construído na base de um consórcio. É verdade que a companhia francesa queria construir um porto exclusivamente para si, mas pelo que sei a referida companhia não tem meios financeiros suficientes para realizar este projecto», declarou.

Na entrevista, o diplomata russo, explicou que com a entrada do capital privado russo, «este projecto não pertencerá mais exclusivamente a CMA CGM. Passará a pertencer ao consórcio formado pelas companhias que participarão no projecto», frisou.

Serguey Nenáchev, acrescentou que o VTB é um banco estatal. A parte russa não tem qualquer tipo de contacto com a companhia francesa CMA – CGM. Os contactos com vista ao financiamento do projecto são feitos directamente com o Governo são-tomense. «Quero deixar claro que não temos qualquer negociação directa com a companhia Francesa. Temos contactos directos com o Governo são-tomense. Esta proposta de participação no financiamento deste porto, foi redigida aos bancos russos pelo governo são-tomense, e nesta altura os bancos russos estudam a possibilidade de financiar o projecto», frisou.

Porque o banco VTB é do Estado russo, o Governo do Presidente Vladimir Putin, está empenhado nas acções com vista a execução do projecto do porto em águas profundas em Fernão Dias. «O Governo russo está preparado para desenvolver esta cooperação em termos de investimentos. Por isso o Estado russo vai apoiar as acções deste banco aqui em São Tomé», sublinhou, Seguey Menáchev.

As autoridades russas admitem a possibilidade de o VTB abrir uma filial no mercado financeiro são-tomense. Para tal basta apenas que se materializem as propostas de financiamento do projecto do porto em águas profundas, e as negociações com vista a exploração de petróleo pela companhia russa Gazpron, tanto nas águas territoriais são-tomenses como na zona de desenvolvimento conjunto com a Nigéria. «Se conseguirmos acordo no domínio de desenvolvimento do projecto de porto em águas profundas e sobre a exploração de hidrocarbonetos, o banco VTB terá mesmo que se instalar aqui em São Tomé», assegurou o embaixador.

Nas próximas edições serão detalhados outros aspectos da entrevista de Serguey Menáchev  no término da sua missão de 4 anos, como embaixador da Rússia em São Tomé e Príncipe, com residência em Angola. O investimento privado russo para São Tomé e Príncipe é um dos assuntos de realce.

Abel Veiga

  1. img
    A chave Responder

    Entao tem que fazer uma nova estrada para o gran transito dos camioes.

  2. img
    Baga Tela Responder

    “Se conseguirmos acordo no domínio de desenvolvimento do projecto de porto em águas profundas e sobre a exploração de hidrocarbonetos, o banco VTB terá mesmo que se instalar aqui em São Tomé”.
    Pelo que vejo esta deverá ser uma estratégia para abertura de banco russo em STP. Mas de qualquer modo e como disse Santo Tomé, ver para crer.
    Porque será que em tão pouco tempo abriu-se tantos bancos em STP?
    Será que temos assim tanto dinheiro ou STP é uma auténtica fábrica virtual do mesmo?

  3. img
    EVN Responder

    ESPERO QUE ESSA NOTÍCIA NÃO SEJA SÓ PARA CAMUFLAR
    A QUESTÃO DOS ÚLTIMOS DIAS SOFRE OS NAVIOS PERMANECIDOS NOS PORTOS DE SÃO TOME E PRINCIPE…

  4. img
    EVN Responder

    ESPERO QUE ESSA NOTÍCIA NÃO SEJA SÓ PARA CAMUFLAR
    A QUESTÃO DOS ÚLTIMOS DIAS SOBRE OS NAVIOS PERMANECIDOS NOS PORTOS DE SÃO TOME E PRINCIPE…

  5. img
    Narod Responder

    Tavarish passôl!
    Pajalusta,lutsh s Patrice Trovoad ni sviatza.Mi ujé stolka stradaem na stranié.On takôi balshôi mafioznii.A éta budiet vliat na nasha atnoshenia s rossia.
    Mi prôssim.

  6. img
    Madalena Responder

    spaci ba caraxó

  7. img
    Nando Responder

    Tudo isso é mentira. Não acredito em mais projectos que vem de S.Tomé. Preciso ver notícias de crescimento de angola e Cabo Verde.No meu país só há bandidos e traidores.

  8. img
    Lede di alame ça ua Responder

    Finalmente… e e de louvar a cooperacao com a russia, DEUS ABENCOE STP

  9. img
    Revoltado Com Partido que Votei Responder

    «Quero deixar claro que não temos qualquer negociação directa com a companhia Francesa. Temos contactos directos com o Governo são-tomense. Esta proposta de participação no financiamento deste porto, foi redigida aos bancos russos pelo governo são-tomense, e nesta altura os bancos russos estudam a possibilidade de financiar o projecto» Como vê ainda está em estudo, francamente Patrice, você me decepcionou, tanto discurso, tantas viagens, poça…. Credo

    Já agora Patrice, Américo Ramos, Ministro das Finanças e da Cooperação Internacional, o que foi ele fazer a Correia do Norte?

    Que eu saiba aquele regime está visto pela comunidade internacional como sendo, uns dos mais tirado regime do mundo!

    Você agora está a fazer alianças com ditadores?

  10. img
    Francisca CL Responder

    Só temos “ meios” projetos. Espero que daqui a uns anos o resultado não seja um “Porco de Nádegas Profundas”.

  11. img
    Barão de Água-Ize Responder

    A acção da Rússia em STP é tão importante,que não sabia que estes ex-comunistas têm cá embaixada.
    Por que é que o tal Banco ainda não iniciou as suas actividades financeiras em STP? Mistérios…….

  12. img
    Filipe Samba Responder

    Rosneft vai unir Moçambique e Zimbábue

    Kommersant
    Petrolífera russa examina a possibilidade de construção de oleoduto com 700 km de extensão.

    A Rosneft está negociando a construção de um oleoduto do porto de Beira, em Moçambique, até o Zimbábue, com a instalação de um grande depósito em Harare, informou à agência ITAR-TASS o assessor do presidente da petrolífera, Roman Trotsienko.
    “Os documentos legais, o acordo para criação de uma joint venture e todas as autorizações necessárias para abertura do oleoduto estarão prontos até o final do ano”, disse Trotsienko.

    O projeto é bastante complexo do ponto de vista jurídico, pois haverá necessidade de realizar um acordo intergovernamental envolvendo seis nações.
    Ainda assim, Trotsienko acredita que a participação da Rosneft no projeto de construção do oleoduto é necessária por causa da sobrecarga da infraestrutura existente. O projeto também permitirá à petrolífera russa abrir um novo mercado para seus derivados do petróleo.
    “Já temos a permissão de Moçambique”, disse Trotsienko. Neste país, a Rosneft será a única proprietária do oleoduto; já no Zimbábue, uma parte pertencerá a uma joint venture.
    O custo da primeira etapa, que prevê apenas a instalação da tubulação, ficará em torno de 700 milhões de dólares. O investimento será garantido pela Agência Russa de Seguro de Créditos e Investimentos para Exportação.
    Trotsienko visitou a África do Sul, Zimbábue e Moçambique, como integrante da delegação oficial do ministro da Indústria e do Comércio, Denis Manturov, que negociou a ampliação da presença de empresas russas na África.
    A expectativa é que o trabalho de criação de uma comissão intergovernamental russo-zimbabuana seja retomado.
    Por enquanto, a Rosneft tem apenas um ativo na África. Na joint venture com a “Stroitransgaz” e com a estatal Sonatrach, está sendo feita a prospecção geológica de blocos na Argélia.
    16/10/2012

  13. img
    banana Responder

    Projecto fantóxico nunca mais acontecerá só mentira. já conhecemos a chaga

  14. img
    o mundo real Responder

    Parabéns Governo.

    Espero que consigam materializar esse Porto de Águas Profundas.

    Eu estou na Europa e quero voltar ao meu país para trabalhar e trabalhar va sério e assim dar a minha contribuição para esse nosso país.

    Força Governo de Patrice e presidente Pinto da Costa.

  15. img
    maria chora muito Responder

    Vocês sabem como se diz flasÓOOOOO em Russo.

  16. img
    Jose Sousa Responder

    Caros Compatriotas
    E preciso quebrar de uma vez por toda o monopolio do negocio de Petroleo nas maos dos EUA e passar a passar a adopcao de uma postura de politica economica mais dissiminda com outras potencias, particularmente a Russia e a China para evitar especulacao ou corrupcao de certas Empresas-Multinacionais que limitaram-se ao vicio de joguetes com os Santomenses pelo facto de nao termos quadros com experiencias ao seu nivel; o que tem nos limitados apenas a negociatas aos baratos.

    Obrigado pela atencao.

    Jose Manuel

Deixe um comentario

*