Política

Parlamento aprovou programa do 15º Governo Constitucional

Organização do Estado e Fortalecimento da Democracia é um dos pilares do Programa do Governo, que segundo o Primeiro ministro Gabriel Costa, pretende dignificar o Estado são-tomense.

Com 5 eixos, o Programa do Governo, foi debatido e analisado aos pormenores na sessão plenária da passada quinta – feira. A maioria parlamentar que sustenta o Governo aprovou o documento orientador da política do executivo para os próximos 18 meses.

Organização do Estado e Fortalecimento da Democracia, é um dos pilares do programa. «Entendemos que devemos organizar o nosso Estado. Isto pressupõe uma justiça que funcione. Que funcione virada para o cidadão, para resolução dos problemas do cidadão. Implica um olhar sereno para a questão da administração do nosso estado», declarou o primeiro ministro Gabriel Costa.

O Governo defende uma administração pública mais próxima do cidadão, que segue princípios de rigor e transparência na gestão da administração central do Estado e «um combate sem tréguas a impunidade e sobretudo a corrupção que infelizmente ainda graça no nosso país», referiu o Chefe do Governo.

Valorização do Homem, é outro eixo importante em que o executivo dá atenção particular aos sectores da educação e saúde. «Temos algumas conquistas, o controlo do paludismo no país. Se não prosseguirmos nesta senda de combate ao paludismo todo o esforço feito até agora poderá ser inglório. A questão da educação é crucial, não há desenvolvimento se toda a nossa política não estiver alicerçada na formação do homem. No combate a uma onda crescente de desemprego que continua a subsistir no nosso país. Implica organização do sector privado para criar riqueza e distribuí-la. Uma política de inclusiva», pontuou, Gabriel Costa.

A Nível da política externa, o Governo de maioria parlamentar, pretende alterar o posicionamento nacional. «Não uma política de braços estendidos. Temos que contar com as nossas próprias forças. Dizer que temos que tomar em mão os nossos destinos e toda ajuda que recebemos do exterior não será se não um complemento para o esforço de desenvolvimento», sublinhou.

“São Tomé e Príncipe virado para o futuro”, é outra proposta do programa do Governo. Segundo o Primeiro Ministro, este eixo implica a realização de um plano de desenvolvimento em que «possamos transformar as nossas potencialidades em riqueza para os cidadãos. Temos uma posição geoestratégica em que a prestação de serviços no Golfo da Guiné seja uma realidade, que STP seja uma praça financeira de renome», reforçou.

O executivo tem luz verde do parlamento para executar o programa de governação. Nos próximos dias, será a vez de Gabriel Costa, apresentar aos deputados o Orçamento Geral do Estado para 2013 e as grandes opções do plano.

Abel Veiga

    7 comentários

7 comentários

  1. Cassuma - .Sofredor......F-G

    7 de Janeiro de 2013 as 8:36

    O ADI é igual ao tubarão que come seu filho, e outros peixes; é igual ao crocodilo que mata e come tudo que aparecer à sua frente mas neste momento está com lágrimas de tubarão ou de crocodilo meu povo ñ cai nessa do ADI diga sim para esclarecer o presente governo questões coerentes sobre caso dos Barcos,Super Mercado,Kzovu e mais negócios de carácter pessoais em nome do Estado e deixar de usar Carro de Estado e pedir passaporte Diplomático e ainda dizendo que ñ conhece este Governo? É claro que ADI ñ conhece este governo pork tem este governo ñ é governo de abrir dentes quando vem de algum país com investimento pessoais mas sim é um Governo que com 18 meses pensa já em breve naquilo que é garantir em pleno séc XXI as necessidades básicas do povo como Energia, Água-Potável, Alimentação, Estradas foram palavra do 1º ministro e Chefe do Governo”Gabriel Costa” Neste preâmbulo quero me desejar ao Presidente da Republica e votos de um seguimento coerente diante da constituição para um futuro brilhante para S.T.P e dar uma atenção ao Governo e Director da EMAE sobre a zona de Cassuma que carece de Energia como prioridade sendo que nunca vimos um Deputado ao defender a zona de Cassuma e eu quer dizer que a mãe de um dia é menos classificativo do que quem cria durante bébé até 18 anos ou mais. Embora que os Deputados são defensores do povo mas são eleitos por Distritos onde a população ñ conhece a lógica de quem o representa eu quer lançar um apelo ao Pires Neto-deputado- MDFM gostei da sua intervenção mas existe um proverbio lindo que diz assim “vijam bô sá lumón bô punda xi subá esca qui ê cá fixa zanélá da bô” Cassuma é visinho de Otótó es do MDFM o deputado pesso que tb digas algumas necessidades que carece a população de Cassuma prioritariamente ENERGIA que é uma necessidade básica que em pleno séc XXI ñ deve ser novidade mas sim o exemplo de que o país desde a sua Independência houve transformação. Pensávamos que os membros de conselhos nacionais e coordenadores tivessem feitos pressões aos deputados do anterior governo que garantiu a Energia à população de Cassuma diante do Patrice Trovoada apenas foi conversas bonitas e dentes abertos. Sendo eu militante do desenvolvimento de Cassuma quer por direito que me dá a constituição no contexto deste governo levar luz verde energia para minha localidade “Cassuma” perto de Otótó, Antonio Soares que dista 300 metros com cerca de 200 eleitores cerca de 40 casas onde na cidade tem consequências de êxodo rural devido como prioridade energia que ñ existe em Cassuma embora outras necessidades como ter informações sobre Televisão, porque mesmo custo com pilhas para rádio é trabalho de água com cesto em pleno séc XXI.

  2. Casca Pau 3

    7 de Janeiro de 2013 as 8:49

    Concordo plenamente com o programa apresentado pelo PM. Espero que implemente mecanismos concretos e viaveis para a sua execuçao.
    Um bem haja para todos aqueles que efetivamente quer ver STP nos carris de crescimento e desenvolvimento.

  3. Petroleum

    7 de Janeiro de 2013 as 9:23

    Programa de governação para 18 meses ?

    Deveria ser um Programa de gestão para 18 meses.

    Onde está o Cavalo para vir dizer ao 15º Governo que é tecnicamente impossível a organização e realização dos Jogos da Lusofonia ? ou será que este Governo vai fazer um Fisco ?

  4. Petroleum

    7 de Janeiro de 2013 as 9:24

    Programa de governação para 18 meses ?

    Deveria ser um Programa de gestão para 18 meses.

    Onde está o Cavalo para vir dizer ao 15º Governo que é tecnicamente impossível a organização e realização dos Jogos da Lusofonia ? ou será que este Governo vai fazer um Fiasco ?

  5. concozuco

    7 de Janeiro de 2013 as 16:14

    «Entendemos que devemos organizar o nosso Estado. Isto pressupõe uma justiça que funcione. Que funcione virada para o cidadão, para resolução dos problemas do cidadão. Implica um olhar sereno para a questão da administração do nosso estado», declarou o primeiro ministro Gabriel Costa. Blá… Blá… Blá…

  6. Martelo da Justiça

    7 de Janeiro de 2013 as 17:36

    Refiro-me ao primeiro comentário desre artigo do “Cassuma…”.Penso que essa forma de escrever o nosso português não devia ser aceite pelo Téla Nón. Deve haver a preocupação não só no conteúdo dos comentários mas também na escrita.Na verdade, esse é também um palco de aprendizagem de todos nós.

  7. Bernardino Monteiro

    13 de Janeiro de 2013 as 11:19

    O programa apresentado e bom e exelente,agora e preciso uniao dialogo trabalho disciplina e ordem e preciso uma politica social credivel e sustentavel,eu acredito no meu stp melhor nao tardara,havemos de encontrar solucoes e mecanismo nada e eterno e impossivel somos todos capazes,e preciso colaboracao de todos,temos que ser um por todos todos por um, eu quero que a menos que os nossos filhos e netos usufruiram de stp desenvolvido

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo