Governo vai responsabilizar as empresas que não cumprem com os prazos de execução das obras

Na sequência das visitas efectuadas pelo ministro das Obras Públicas  a diversas obras  de carácter  publico, Osvaldo Abreu, garantiu que o governo vai responsabilizar as empresas que não cumprem com os prazos  de execução das obras. O ministro fez tais declarações, quando visitava as obras de requalificação do aeroporto internacional  de São Tomé e Príncipe. 

Sete meses era o prazo estabelecido pela empresa Mota-Engil e demais associadas para a entrega das obras  de reabilitação e requalificação do aeroporto internacional  de São Tomé e Príncipe. O que foi apurado é que já passa um mês do prazo estabelecido e a executora da obra  não tem uma previsão do termino da obra.« As obras deviam  ser  entregues segundo me foi informado  em Dezembro, e nós temos uma situação que não se sabe quando  é que será entregue  a obra. Me foi dito que talvez  no Mês de Maio nós teríamos uma parte da obra. Uma obra que  foi prevista para ser entregue em sete meses  e neste momento não há certeza  de quando poder-se-á executar cabalmente a obra. Temos situações que foram narradas de três empresas  com responsabilidades diferentes  em termos de equipamentos, mais não parece que haja uma coordenação entre todas elas para que numa só voz  encontremos um interlocutor » frisou Osvaldo Abreu  Ministro de obras Públicas ,Infraestruturas Recursos Naturais e Meio Ambiente.

O titular da pasta das Obras Públicas  Osvaldo Abreu quer saber de quem é a responsabilidade para que os utentes tenham  um aeroporto internacional  do pais em pleno Funcionamento.« Estamos a falar meus senhores do aeroporto internacional  da republica democrática de São Tomé e Príncipe apesar de pequeno ,apesar  de pobre mais é o nosso aeroporto  e com alguma dignidade temos que responder  as nossa responsabilidades receber as pessoas com essa responsabilidade e essa dignidade , neste momento isto esta em risco esta em crise . Portanto chamar a responsabilidade a quem ? As empresas , as instituições a fiscalização ao financiador  é muita responsabilidade .Nós  temos que  entregar a população o trabalho , a obra. Isto não pode acontecer» alertou Osvaldo Abreu.

Osvaldo Abreu garante ainda que já esta munido de informações  e que posteriormente o governo  reunir-se-a com especialistas  nacionais e estrangeiros para começar a implementação de prazos na execução das obras.

Sonia Lopes

  1. img
    ECAS Responder

    Já era sem tempo! Temos que definir em que tipo país estamos de uma vez por todas. Temos que arrancar ñ importas os 37anos, mas que comecemos. E sejam responsabilizados todos, os fiscais entre outros. Temos vindo a disperdiçar MUITOS DOS POUCOS recursos que nosso Estado tem em obras sem nenhuma qualidade, etc, etc… Enfim, isso frusta qualquer cidadão! Estamos obervando, Senhor Ministro das Obras Pública, bem como a atuação de todo elenco governamental.

    • img
      Nação Santomense Responder

      É logico o seu comentário quero salientar que fazer contrato com Mota Engil ou outra empresa portuguesa é deitar o dinheiero no lixo é a cultura dessas empresas.

      Prolongar o tempo da comncepção das obras para exigirem mais denheiro, isto é o exemplo que feixaram as portas em portugal,sugaram toda economia do seu país agora estão a deistruir os outro.

      Ppor isso é necessário difinir os decreto Leis, de forte penalização ao favor do Estado para evitar o dito derrapagem, que costitui o robo do dinheiro público.

      STP deve procurar outro parceiro de construção, os Chineses são muito bons na construção o caso do Palácio dos congressos é o exemplo

      .Temos que abrir os olhos acabar com essas gatunagens, nós estamos a ser teimoso, apostar nas mesmas pessoas que nos dá dinheiro emprestado, e coloca os seus trbalhadores para sacar tudo de volta e depois diz que estamos a dever muito dinheiro.

      O antigo Hospital Agostinho Neto é outro exemplo de reparação de construções velha, é perda do dinheiro, mas pelo menos que fique feito algo de mudança.

      Cria-se um projetop com ambição de novas contruções para longo praso, os santomense estão a preparar para regressar ao seu país, força Srº Ministro
      aplique multa compensatória pelo atraso , doa a quem doer…

  2. img
    Vane Responder

    “Falta de gestão e respeito ao país chamado São Tomé e Príncipe”
    Obras de reforma e revitalização devem ser seguidas de projetos, prazos e pagamentos conforme a entrega dos serviços, isso tudo dentro de padrões de segurança, gestão de pessoas com as devidas ferramentas para se trabalhar e entre outros aspectos que um profissional de engenharia civil, arquiteto, administrador, técnicos e outros podem fornecer contribuição intelectual e operacional para isso.
    Eu que nem sou especialista em aeroportos vejo q tudo pode ser melhor, imagine uma pessoa com conhecimento cabal sobre isso…é de causar indignação e ao mesmo tempo de parar para pensar será que realmente STP tem líderes políticos inteligentes?

    Para trilhar fica a dica:

    Orçamento;
    Projeto;
    Formas de pagamento;
    Prazo;
    Responsabilidade;
    Acompanhamento da obra;
    Transparência e informação para a população;

    Vale lembrar que em ST só tem uma porta de entrada aeroportuária e o governo não consegue adminsitrar imagine se fosse um Brasil da vida…

    Desperta STP!!!!

  3. img
    ZÉMACÚLÚ Responder

    Esse aeroporto é uma vergonha pra nosso pais. Sinceramente me admira como os nossos dirigentes políticos, que viajam tanto pelo mundo a fora conseguem encarar a chegada um aeroporto desse tipo. Um cartão-de-visita!
    Recentemente de regresso a São Tomé, logo que sai da porta do avião foi uma tristeza encontrar um aeroporto assim, que se diz Internacional com esse aspeto. Sem casa de banho sala de desembarque sem condições etc. Eu se fosse um dirigente de São Tomé, teria VERGONHA EM CONVIDAR OS MEUS HOMÓLOGOS A VISITAREM O MEU PAÍS, porque ISSO NÃO É UM AEROPORTO!!!

  4. img
    falei Responder

    Entao, o que se passa com a CAIXA DE FÓSFOROS, nacional??

    jajjajjajajjajja.

    Deviam fazer algo de jeito, apenas puseram ali uns metais por fora e já dizem que remodelaram o aeroporto???

    Franca mente!

  5. img
    Paparazzi Responder

    Ja nao era sem tempo este espirito de deixar andar as coisas e ninguem pedir contas e prazo.eu tb quero saber quando e que teremos um aeroporto de verdade

  6. img
    Lupuye Responder

    Ja nao era sem tempo. Obras inacabadas, obras que levam um seculo para terminar, obras acabadas com baixa qualidade…isso tem que acabar. Essas empresas recebem um balurdio e ainda so completam as obras quando muito bem entenderem. Tem que retificar isso. MULTA-OS.

  7. img
    Lupuye Responder

    Sonia, Sonia, Sonia. Ha uma grande diferenca entre MAS e MAIS. Aconselhar-te-ia a consultar o PLIBERAM DA LINGUA PORTUGUESA ou um outro dicionario qualquer para saberes quando usar uma ou outra palavra. Conselho de um amigo leitor.

  8. img
    Paracetamol 500mg Responder

    Muito bem, quem quer vir fazer dinheiro nas Africas, tem que vir com competências e boa gestão.
    Não é vir ganhar dinheiro facilmente e rapidamente. Peça responsabilidades sim.

  9. img
    Quase lá Responder

    Ora viva.
    Muito me espantava a não responsabilização que se verifica na nossa terra relativamente aos prazos e qualidade das obras e outros serviços.

    - Quanta obras começadas e não terminadas ou com prazos excessivamente dilatados!?
    - Quanta obras mal executadas exigindo novas remodelações com dinheiro que devia ser canalisado para outros fins!?

    Muito bom foi ler as palavras frisadas pelo Osvaldo Abreu Ministro de obras Públicas, Infraestruturas Recursos Naturais e Meio Ambiente, respeitante a esse assunto.

    Melhor será quando virmos essas palavras serem praticadas sem olhar a quem.

    Maravilhosos serão os dias em as obras com qualidades passarem a ser entregues dentro de prazos aceitáveis para melhor servir o povo.

    Força Sr. Ministro, Osvaldo Abreu.

  10. img
    Barão de Água Ize Responder

    Triste é constatar que Presidentes e Ministros de STP aceitaram inaugurar instalações como as do aeroporto e outras, como as instalações sanitárias junto aos mercados, que são um insulto à população pela sua má qualidade e projecto.
    Politico digno desse nome, recusar-se-ia a inaugurar e daria prazos para correção dos defeitos.
    Sorriram todos e até meteu música.

  11. img
    eng Bernardino Monteiro Responder

    um pais em que a justiça e arbritario,nao havera medidas crediveis,onde a justiça nao e para todos, um pais que nao respeita as suas constituicao, nao respeta as legilacao, nada conclui,existem abusos ao estado social,

  12. img
    Argenezio Antonio Vaz Responder

    STP vai receber esse aeroporto com festas e diversos discursos. Uma vergonha. Então aquando do partido unico, com o Pinto, apoiamos Angola, o quê é que ganhamos?
    O aeroporto, digno desse nome foi construido em Cabo Verde. E nos por ca, aquela dita ampliação. Nada irão fazer. Os nossos diregentes não gostam de STP.
    Mas voltando para as obras e projectos, eu gostaria que o Governo pedisse a responsabilidade as empresas e aqueles que assinan e seguem os ditos projectos. O Ministro visitou Guegue, o que foi dito na comunicação sosial? Nada. porquê?
    Por ca acho que nada vai ser feito, pois não são as empresas responsaveis, mas sim os politicos que assinaram esses contratos, esses é que deveriam ser chamados. por essa razão não vejo o Bidão e outros a falarem…

  13. img
    Diasporano.CV Responder

    Se não é desinformação do jornalista, acho absurdo o ministro do sector responsável pela adjudicação não conhecer o responsável.
    Afinal, a obra foi adjudica a quem?
    ????

  14. img
    ANCA Responder

    Se a nível político jamais se cumprem prazos como é que queremos que a nível social, cultural, económico e financeiro se possa cumprir.

    Andamos a apanhar a água com os cestos.

    Se povo mandata os governos e eles jamais cumprem os prazos pela qual forma mandatados, como queremos enquanto País(Território, Mar, População), sermos respeitados, que os investidores cumpram prazos, que os financiadosres cumpram prazos, que as intitiuções de Estado, cumpram prazos, que a sociedade cívil cumpra prazos, que os cidadãos SãoTomenses, cumpram e respeitem prazos?

    Anda tudo cacharambado.

    Cacharamba só, ussúa só, pápa não faz outro coisa não é, ussúa só.

    A nível, político, social, cultural, desportivo, ambiental, económico e finamceiro.

    Mas, pápa cú mama toma juízo ê, deixa vida cacharamba, ponha tudo isso coisa ni chão ê, pá amanhã, issos filhos venha olhare pá vocês ê,…

    Cacharamba só…

    É uma questão de Sentido e Organização de Estado, do País(Território, Mar, População)

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençõe São Tomé e Príncipe

  15. img
    Cabojura Responder

    Gostei da matéria e principalmente do assunto. Já é tempo de começarmos a chamar responsabilidades à coisa pública. O outro exemplo que merece atenção é o mercado Côco Coco. Como pode uma infra-estrutura daquela durar apenas 5 anos? Só pode ser mal feita.
    Chamo atenção, como estudante de jornalismo, à Sónia em relação aos erros básicos, como vírgulas e acentos. sabemos que a falta ou excesso de um deles, pode sentido da fraze.

  16. img
    budo-budo Responder

    A primeira impresao do pais que vamos vizitar é o aeroporto pois é a entrada da casa por isso deve ser bem arrumada e limpa desta vez pintem o nosso aeroporto por favor

  17. img
    osvaldo pereira Responder

    em situações normais sr ministro esta obra não poderia durar mais que 6 meses,mas ja vi que todos brincam conosco em SÃO TOMÉ,perguntem aos responsaveis da MOTA-ENGIL o que acontece quando não cumprem os prazos em ANGOLA,,,

  18. img
    Carlosceita Responder

    Isso só acontece num pais de faz de conta onde os prazos as fiscalizações não existem. É necessário mudar a mentalidade do homem africano e saotomense em particular de que só se consegue ter um pais desenvolvido com exigência rigor disciplina organização trabalho árduo onde a palavra dada os prazos e compromissos devem ser escrupulosamente cumpridas e o contrario delas deve haver o apuramento de responsabilidade e penalizações severas.
    A Europa EUA o Japao e a China estão avançados do que nós não por disporem de recursos naturais mas por adoptares essas regras tao elementares como a disciplina trabalho organização compromisso etc.

  19. img
    motafaz Responder

    o ministro só afirmou que é muita responsabilidade.AGORA DEVE-SE PERGUNTAR O MINISTRO, O SENHOR CONSULTOU OS DOSSIERS VDAS OBRAS VISITADAS? PARECE A PRIMEIRA VISTA QUE NÃO. ATÉ PORQUE O RAPAZ PARECIA DESORIENTADO, CANDOGUEIRO DE XINTRA SEM CAPACETE OBRIGATÓRIO PARA VISITA AS OBRAS, ENFIM, FALTA-ME TEMPO E CONCENTRAÇÃO, AINDA VAI A TEMPO…

  20. img
    Biboss Responder

    Enquanto os dirigentes Saotomense, não ganharem juizo, e deixarem de roubar,saõ tomé, nunca alcançara grandes patamares ao nivel africano.Credo, até parece um País de brinquedo, onde as leis saõ feitas a lápis e cada um chega com uma borracha e retifica ao seu favor. Tenho dito.

  21. img
    Carlitos Responder

    Este é somente um show off. Nada irá alterar a obra é pertença da Sonangol.

    Litos

  22. img
    gen daqui Responder

    Xê! Tela Non não tem revisor? Mais ou mas? vírgulas são comidas, pontos são atirados a Deus dará… Então? Vamos lá a ver isso, porque, parecendo que não, isso desvia a atenção do leitor.

  23. img
    Fernando Spencer Responder

    Senhor Ministro,
    Quem deu autorização ao Senhor Navalhada de construir o clube nautico? Mande-o apresentar o estudo do impacto ambiental? Que consequencias a obra que é feita de estrutura permanente (blocos) irão ter nas praias e no aeroporto de STP? Como sabem o aeroporto está muito próximo e o desvio dos ventos e areia causado pela estrutura permanente irão ter um impacto.

Deixe um comentario

*