Amândio Pinheiro está desesperado com o Tribunal Constitucional

Desde 23 de Agosto do ano passado, que o cidadão Amândio Pinheiro, recorreu ao Supremo Tribunal de Justiça enquanto Tribunal Constitucional, para dirimir o conflito em torno da perda do seu mandato como deputado. Sem qualquer resposta do Tribunal Constitucional o cidadão, chamou a imprensa para protestar.

Tudo está relacionado com uma longa polémica que se despoletou na Assembleia Nacional, em torno do seu mandato como deputado integrante da bancada do partido PCD. Amândio Pinheiro, como é mais conhecido no país, pediu a mesa da Assembleia Nacional, que passasse a condição de independente. Mas na mesma altura, o seu partido PCD, depositou na mesa da Assembleia Nacional, uma carta subscrita pelo próprio deputado, em que este renunciava o seu mandato.

Mais tarde em plenário a maioria parlamentar, votou a favor da renúncia do mandato do deputado Amândio Pinheiro. Este recorreu ao Supremo Tribunal de Justiça, na qualidade de Tribunal Constitucional em busca de justiça. Isso aconteceu desde 23 de Agosto de 2012. «De 23 Agosto até hoje, já está a caminho de 1 ano em que o Tribunal Constitucional nada pronunciou nem tão pouco deu uma resposta, contrariando assim o meu direito de ver o caso resolvido», referiu o cidadão Amândio Pinheiro, tendo feito recordar que recentemente o Tribunal Constitucional, decidiu em tempo record sobre processos que lhe foram solicitados, nomeadamente o caso da nomeação do novo Presidente da Assembleia Nacional.

«Pelo que sei, julgo também ser do conhecimento público, que o Tribunal Constitucional tirando o meu caso, não tem em mãos mais nenhum processo, daí que não se pode falar de excesso de trabalho. Gostaria de expressar aqui a minha incompreensão, perante a omissão do Tribunal Constitucional em dar resposta ao processo», reclamou.

O cidadão afirmou ainda que já fez várias solicitações junto a secretaria do Tribunal Constitucional, mas sem sucesso. «Se não mereço a razão no processo, deve-se pronunciar, se eu mereço que se pronuncie, o que quero é que o tribunal se pronuncie sobre o caso», reforçou.

Abel Veiga

  1. img
    MLSTPENSES Responder

    O tribunal constitucional deve justificar com o trabalho, a BUFUFA (que é muito dinheiro) que eles recebem dos nossos Impostos.

    Por outro lado, pensei que o jornalista Abel Veiga estivesse de férias, desde que entrou o novo governo.

    Tem acontecido muitas notícias que não têm sido apresentadas pelo o nosso Jornal Tela-Nón.

    A prova disso é a aberração e palhaçada da decisão do dito Ministro da juventude e Desportos que, reconheceu não ter capacidades para realizar um evento que para o qual já havia o engajamento do Estado.

    Demonstrou não ser capaz de levar adiante esse benéfico desafio para o nosso país.

    Fazendo palhaças da TV.

    Precisamos do nosso jornal TELA-NÓN activo e Forte como sempre foi.

    • img
      JB Responder

      Senhor Abel e demais jornalistas, o direito de informar deve ser feito com rigor e nao com o contraditorio e deturpacao dos factos. tanto o senhor como o outro jornalista de um outro jornal online que sinceramente custa-me entender como alguem que foi destituido de um determinado cargo,continua a ter o mesmo titulo. Um tal jornalista no seu artigo escreve que ” O deputado Amandio Pinheiro”. Meu senhor o senhor Amandio Pinheiro nesse momento pelo que sei e um cidadao,talvez empresario ou uma outra coisa qualquer mas nao deputado.
      Outra coisa e que tanto o senhor Abel Viegas como o outro jornalista, escreveram que o senhor Amandio pediu para passar a condicao de independente. Os senhores nesta materia nao estao a informar com verdade e o senhor Abel deveria antes consultar os seus arquivos e facilmente notaria que esta em contradicao o o que havia escrito/informado em janeiro de 2012.
      Pelo que sabe e que despoletou toda a polemica,foi que o senhor Amandio Pinheiro havia entregue ao seu grupo parlamentar uma carta pedido a sua renuncia ao cargo de deputado por motivos pessoais. A questao da sua passagem a condicao de independente nao foi da sua iniciativa senao que uma imposicao do senhor Evaristo de Carvalho, presidente da Assembleia na altura. A polemica ganhou as suas dimensoes porque se entendeu que nao era da competencia do senhor Evaristo propor,ordenar ou impor qualquer que seja o deputado a condicao de passagem a independente. E o grupo parlamentar do partido a que o senhor Amandio fazia ou faz parte entendeu e sempre defendeu que o que deveria prevalescer seria carta de renuncia a que o referido deputado havia submetido ao seu grupo parlamentar e nao e nunca uma decisao,despacho ou imposicao do senhoe Evaristo. E desta forma se procederam os demarches que concluiram com a votacao positiva ao pedido de renuncia.Convem recordar que o senhor Evaristo ao perceber talvez do seu erro em ter determinado/decidido algo fora da sua competencia,voltou atras,limpou as suas e decidiu pela suspensao do senhor Amandio Pinheiro das funcoes de deputado.

      Senhor Abel na altura informou tudo isso e custa-me agora acreditar ou aceitar que o senhor agora venha publicar que o senhor Amandio havia pedido a passagem a condicao de independente.

      Aqui fica a noticia de janeiro/2012
      Polémica na Assembleia Nacional
      30 Janeiro 201236 Comentarios
      Amândio Pinheiro deputado do PCD assinou uma carta de renúncia do seu mandato. O Presidente da Assembleia Nacional(na foto) recebeu a carta de renúncia, mas num despacho datado de 16 de Janeiro, Evaristo de Carvalho, decidiu revogar a renúncia do mandato e ordenou que o deputado em causa passasse a condição de independente.

      Na leitura do regimento da Assembleia Nacional, mais concretamente nas competências do Presidente da Assembleia Nacional, não se encontra qualquer ponto que atribui competências ao Presidente do Parlamento, para ordenar que um deputado passe a condição de independente, ainda mais, após a sua investidura como membro integrante de uma bancada parlamentar.

      Na leitura do regimento, o Téla Nón, viu escrito que só o grupo parlamentar pode, «remeter a condição de independente o membro que reiterada e persistentemente não acate as suas orientações», diz o ponto 3 do artigo 22 do regimento que se refere aos poderes e direitos dos grupos parlamentares.

      Talvez por receio de fugas e deserções, que já ocorreram no passado em diversas bancadas parlamentares, os partidos dominantes que formam a Assembleia Nacional, criaram um mecanismo legal no regimento da Assembleia Nacional, em que o deputado que quer ser independente deve declarar tal intenção, antes da constituição dos grupos parlamentares. Depois de integrar o grupo parlamentar, fica praticamente impossibilitado de fazê-lo.

      O artigo vigésimo do regimento do parlamento é o único ponto que fala sobre os deputados independentes e confirma tal mecanismo criado para evitar fugas e deserções nos grupos parlamentares. «Os deputados que não integrem qualquer grupo parlamentar comunicarão o facto ao Presidente da Assembleia Nacional e exercem o seu mandato como independentes», diz o articulado do regimento.

      O deputado da bancada parlamentar do PCD, Sebastião Lopes Pinheiro, mais conhecido por Amândio Pinheiro, que se destacou em 2011, quando numa sessão parlamentar de votação do OGE para 2012, desapareceu da sala, está no centro da polémica que se abre na Assembleia Nacional, sobre a constituição de deputados independentes e a renúncia do mandato, a luz do regimento.

      Documentos recolhidos pelo Téla Nón, no parlamento indicam que no dia 6 de Dezembro de 2011, a liderança do partido PCD, fez chegar às mãos do Presidente do Parlamento Evarito Carvalho, uma declaração de renúncia do mandato de Sebastião Lopes Pinheiro. A carta de renúncia é assinada pelo deputado Sebastião Lopes Pinheiro e reconhecida em cartório notarial de São Tomé.

      Na carta de renúncia, Sebastião Lopes Pinheiro diz que «nos termos do artigo 7º do Estatuto dos Deputados, renuncia o seu mandato a essa Assembleia, por motivos pessoais», lê-se na carta de renúncia com assinatura reconhecida.

      E o tal artigo 7º referenciado pelo deputado Pinheiro, diz textualmente o seguinte : Ponto 1 – os deputados podem renunciar ao mandato mediante declaração escrita apresentada pessoalmente ao Presidente da Assembleia Nacional, ou através do grupo parlamentar ou do órgão próprio do seu partido. Nestes dois últimos casos com assinatura reconhecida notarialmente».

      O ponto 3 do referido artigo, diz que «a renúncia torna-se efectiva após o anúncio em plenária pela mesa da assembleia sem prejuízo de sua posterior publicação no diário da Assembleia Nacional».

      No entanto um dia antes do Presidente da Assembleia Nacional, receber a carta de renúncia, o deputado Sebastião Lopes Pinheiro, depositou no gabinete de Evaristo de Carvalho, uma carta com data de 5 de Dezembro de 2011, onde diz que «reitera a minha fidelidade aos princípios e ideais do PCD e manifestar a minha efectividade e permanência como membro e militante do PCD».

      Amândio Pinheiro acrescenta na carta que «apenas os documentos devidamente assinados e datados pelas minhas próprias mãos e pessoalmente remetidos a esta Assembleia são válidos, com exclusão de todos e quaisquer outros documentos ou afirmações verbais relativos ao meu mandato, ou a minha qualidade de deputado, que reputo nulos e de nenhum efeito».

      O deputado do PCD recorreu também a alguns articulados da Constituição Política para defender a sua posição, nomeadamente o artigo 35º, que diz «ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma Associação nem coagido por qualquer meio a permanecer nela».

      Perante a controvérsia, o Presidente da Assembleia Nacional, tomou posição no passado dia 24 de Janeiro. Evaristo de Carvalho recorreu a constituição política para decidir sobre a controvérsia. O regimento da Assembleia Nacional e os Estatutos dos Deputados terão sido ignorados.

      Evaristo de Carvalho também realçou o artigo 35 da constituição política, mais concretamente o seu ponto 3. O mesmo argumento apresentado por Sebastião Lopes Pinheiro. «Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação, nem coagido por qualquer meio a permanecer nela».

      O Presidente do Parlamento, citou por outro lado, a lei dos partidos políticos, «Ninguém pode ser obrigado a ser associado, ou militante de um partido, nem coagido por qualquer meio a permanecer nele. Ninguém pode ser privado do exercício de qualquer direito civil, profissional ou político por estar ou deixar de estar inscrito em algum partido legalmente reconhecido», refere o despacho de Evaristo Carvalho.

      Com estes argumentos, o Presidente da Assembleia Nacional, chegou a conclusão que «o deputado pode pertencer ao grupo parlamentar do seu partido e desintegrar-se dele quando assim o entender».

      Evaristo Carvalho, esclarece também que a renuncia é assim de natureza pessoal e livremente apresentada. Talvez sem onde pegar no regimento da Assembleia Nacional, para sustentar a sua decisão, em relação a renúncia de mandato que deu entrada no parlamento, o Presidente da Assembleia Nacional, citou os argumentos de Gomes Canotilho e Vital Moreira, sobre a constituição da República de Portugal.

      Nos comentários das duas personalidades portuguesas citadas por Evaristo Carvalho no seu despacho, é dito que a decisão de renúncia deve ser pessoal e livre « importa impedir práticas que colocam o deputado à mercê do partido, designadamente através de declarações de renúncias passadas sem data e entregues ao partido no início do mandato como penhor da sua fidelidade. Por isso a lei exige que a declaração seja apresentada pessoalmente ou com assinatura reconhecida»,fim de citação das personalidades portuguesas a que o Presidente do parlamento recorreu para justificar a sua decisão de passar o deputado Amândio Pinheiro à condição de independente.

      A polémica está aberta.

      Abel Veiga

    • img
      Mana Responder

      Eu também ouvi (Ultima Hora):

      O MLSTP e PCD pretendem aprovar uma lei ainda neste fevereiro para impedir ADI de participar nas próximas eleições legislativas.

      Mentores da Iniciativa: Alcino Pinto, Elsa Pinto, Rafael Branco, Guilherme Otaviano, Delfin Neves, Arzemiro dos Prazeres e Xavier Mendes.

      Primeira medida da estratégia. Cortar salários aos deputados do ADI (Jó foi feito, ontem).

      É o país que temos. Se isso acontecer!… Mer.a muito é é…

      • img
        Armindo Responder

        Estamos de acordo que cortem salario. Quem nao presta serviço nao aufere. Eles nao precisam, ja receberam muto do KOsovo.

        No periodo da quadra festiva Patrice os deus 25000 dolares cada um. Reparem bem na cidade Eis Ministro tem carro novo que Patrice deu. Patrice comprou casa em Algarve, Vila nova adjudicou cabo submarino a uma empresa sem concurso, comprou apartamentos em Lisboa. Querem mais! Chega

  2. img
    homem de negocios Responder

    Olá Amandiooo,
    Você se deu mal,queria se vender para adi.

    • img
      santomense Responder

      nao te atrepalhe da conversa, o assunto aqui e do nosso jornal te non que nao passa as noticias reais desde que entrou o novo governo.
      o Abel tem que explicar ao povo poque de nao realizacao dos jogos da palop/ UMA GRANDE OPPORTUNIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO PARA O PAIS/.

    • img
      Abençoado Responder

      Gostando ou não gostando do Amandio, achando ou não que ele esta a se vender, uma coisa é certa. Todo esse processo nos leva a uma verdade crua e dura! Em STP não existe justiça mais sim Injustiça, o nosso Tribunal Contitucional não é constitucional mais sim Inconstitucional, os nossos Juizos são professionais desprovidos de qualquer ética, não respeitam a lei, passam por cima, só para defender os seus bolsos. Estão a se enrequecer a custa de sofrimentos do povo. Estão a matar a nossa nação.

      Ainda é tempo de se corrigirem. Sejam dignos, voçes não devem julgar com o coração, só estão lá para dizerem a lei e fazer com que todos cumprei a lei do país. Jã basta a figura triste que estão a fazer a nível internacional. A salvação deste país, lindo e maravilhoso está nas vossas mãos. Pelo amor de DEUS não destrua a vossa terra. Olhem-se no espelho e despertam, deixem de nos fazer a risada de tofo palop’s.

    • img
      Mentira tem as pernas curtas Responder

      Força Amandio! Não desistas! Estás no caminho certo.
      Os nosso tribunais não vão se fazer passar de palhaços de novo! Não têm outra saída.

      Os assaltantes do poder estão a tremer, quase vão fazer na cueca!

      vamos expulsar esses assaltantes do poder, e quebrar a maquinaçãso de Sr. Pinto está a prepara tanto para o ADI, como para o MLSTP, PCD e MDFM, não estes não para pinto são mortos vivos.

  3. img
    geraçao esperança Responder

    Vem!Nós estamos necessitando de pessoas com o perfil do Companheiro Amândio para trabalhar na nossa plantação.
    Final de contas companheiro nos deu geito também-reconhecemos.

  4. img
    POVODIZ Responder

    Caro Camarada, Amândio Pinheiro. Infelizmente este é o País que temos onde as Leis funcionam de uma única forma,ao benefício dos próprios Juízes ou em benefício das pessoas e ou do seu partido.De facto T.C, reconheceu com brevidade o novo Presidente a Assembleia Nacional.Isto é a prova real de que a justiça está mais para lá do que para cá.

    Mas encorajo o senhor a não baixar os braços perante os seus direitos legitimamente concedido pelo povo.

    Pelo que o seu mandato como deputado à assembleia nacional seja restituído.

    A justiça em STP é e esta cada vez mais cega e injusta. Somos um país democrático,o povo merece Paz,liberdade e justiça. “Somos todos primos”? não parece. parece-me mais que “somos todos sanguessuga” hoje somos primos e amanha se o outro passar para um lado qualquer da fita, deixa de ser primo,passando a ser inimigos e odiado pelos seus primos.Isto é mau e muito mau.Nós não somos assim…mas tornamos, por causa do orgulho,inveja e ódio .Temos que deixar de nos prejudicar uns aos outros. Copiemos os bons exemplos dos nossos meios irmãos da terra C.Verde:

    Haja justiça,FORÇA Amandio Pinheiro.

    • img
      nada Responder

      A justiça em STP é e esta cada vez mais cega… Será?

  5. img
    bom só... Responder

    Olha para cara desse Amandio Pineiro hihihihihihi cara de malandro. Só que desta vez se deu mal, arrumou em esperto e a esperteza lhe traiu. Da mesma forma que o mandato do Deputado é do deputado ele não deve ser vendido para outro partido como quis fazer o Amandio Pinheiro. Os traidores devem ser eliminados do parlamento. Amandio candidata-se p’ra ano, que esse ano ja não dá.

  6. img
    Barão de Água Ize Responder

    A demora do tribunal não é mais que a imagem da pobreza, da indigência da justiça em STP, aliás reflexo da probreza do País.Para quando uma nova Independência para STP entrar no futuro?

  7. img
    Ancrajoty Responder

    Amigo Amandio, fora do Parlamento. e’ melhor
    para ti e para o Povo saotomense. A tua reentrada
    so viria acrescentar mais um sanguessuga neste pobre edificio.

  8. img
    Obama Responder

    O Sr. Amandio Pinheiro foi eleito deputado pelo partido PCD e como tal assinou um papel em branco onde previamente ja renunciava o seu lugar, estratégia essa usada por todos os outros partidos políticos em Sao Tomé e Príncipe. Agora, a verdade é que, o mandato de facto é do deputado e não do partido e julgo que sobre isso não há e deveria haver duvidas.
    Este processo é bem mais antif+go do q o recurso apresentado pelo partido ADI em n reconhecer o novo Governo, caso q foi já julgado pelo Tribunal Superior Administrativo e pelo Tribunal Constitucional.
    N se percebe de facto o porque de tanto tempo que esse mesmo processo se arrasta há ja tanto tempo sem que haja uma decisão, seja ela qual for.
    A nossa Justiça está pobre, corrupta e suja. Esperemos nós q o Sr. Gabriel Costa, enquanto Bastonário, sempre criticou, faça algo para mudar a cara da nossa Justiça, juntamente claro com a colaboração de outros Orgãos de Soberania.
    Precisamos urgentemente de uma Justiça q defenda os interesses dos cidadãos e q se guie pelo direito e n pela politica e interesses individuais.
    Um bem haja ao povo de Sao Tomé e Príncipe.

  9. img
    manga Responder

    O DEputado Amandio Penheiro sempre usou os partidos para viver a vida e fazer negocio. Amandio é um prostituto e candongueiro politico.

    • img
      Tito Responder

      Só Amandio. Todo o PCD esqueceu a sua ideologia e só esta a rolar para o dinheiro. Estão a se prostituir para o MLSTP e agora para Pinto só devido o dinheiro de Angola.
      Mesmo assim, deve-se dar ao Cesar o que é de Cesar.
      Não a dúvida que o mandato é do deputado. Todos sabem disso, só que os nosso tribunais estão a serviço de um grupo e não do povo e do estado santomense que todos fazemos parte e que lhes paga um dinheirão para nada fazer, ou melhor para prejudicar o proprio Estado em benecios pessoais. Portando se estivermos a definir prostituição como acto de se vender a sua conciencia, ideologia, país, professionalismo, então, meus caros STP é a republica dos prostitutos: politicos,juizes, policias, funcionarios, P…

    • img
      Abençoado Responder

      Esse silencio do Tribunal Contitucional e dos nossos honrados Juizes, só confirma que o assalto ao poder ocorrido contra o ADI, estava a ser cogitado a muito e muito tempo.
      Agora os nosso honrados Juizes estão entre espada e parrede. Têm que se pronunciar. Vão confirmar que são mesmo maus profissionais? Juizes de causa propria? Ou vão tentar salvar o resto que ficou do orgulho deles perante a comunidade nacional e internacional.
      Agora já não da para se calarem. Que pena, que vergonha!!!
      Os nossos Juizos deve ter conciencia, que são a causa de tudo do mal que acontece no nosso país,pois se a justiça funcionasse corretamente, todos os outros setores estariam afinados como uma viola.

    • img
      Tito Responder

      Não só Amandio! Todo o PCD que está a se prostituir para o MLSTP e o Pinto devido a bufufa que vem de A., o Telanon que está a censurar todo o comentário a favor de Amandio e que se prostitui para o Delfin, Pinto e outro mais, esquecendo a deontologia jornalistica, os nossos juizes que esqueceram a ética professional e está a se prostituir para os ladrões de colorino branco e os assaltantes do poder, os politicos que estão a vender STP para países estrangeiros em troca de banhos, e povo todo que se deixar compara com o banho vendendo o seu futuro e o futuro dos seus filhos. STP – Somos Todos Prostitutos! Infelizmente estamos a vender a nossa conciencia.

  10. img
    joven de 90 anos Responder

    amandio bo so cu bila axi, estas a colher o que plantaste,enganou aurelio martins agora pede justiça.

  11. img
    rancataco Responder

    saio mal ao pinheiro , kikii ….

    • img
      Amo a minha terra Responder

      Saio mal ao Amandio! Não sei ainda, a ver vamos. A bola está nas mãos dos nosso Juizes.
      Agora que saio mal aos nossos tribunais e aos dignissimos senhores Juizes, não tenho duvida nenhuma.Não poderão mais fugir! O que vão dizer agora?

      Que o mandato não pertence ao deputado? O pai da nossa constituição já disse o contrario? Será que terão a osadia de o contrariar? Com os nossos Juizes tudo é possivel.O que podem alegar doutro para não dar razão a Amandio?

      Que foi um acto politico, votado na plenaria legalmente constituida?

      Que é constitucional?

      Vamos ver qual papel de palhaço os nosso “virtuosos” Juizes do tribunal constitucional vão nos apresentiar.

      Esperemos o proximo capitulo: tribulal constitucional e a inconstitucionalidade santomense.

    • img
      Amo a minha terra Responder

      Hêm hêm ? Pinto da Costa, Gabriel Costa, Alcino Pinto … estão com medo!

      AHHHHHHHHHHH AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

  12. img
    N.C Responder

    Desde quando existe Justica nesse pais?Os juizes,julgam de acordo a lei dos mais fortes e poderosos.Nesse caso o Sr parece ser menos forte.Com 2 pesos e 2 medidas safa se quem tem mais poder e influencias

  13. img
    Paparazzi Responder

    Tudo truque sr pinheiro evita palhacada o sr lembra se quando foi apresentado como dessidente pelo sr aurelio martins deixa de palhacadas ok

    • img
      Armindo Responder

      Amandio é um imcopetente bem como os que com ele sentam e montam maquiavelices os amigos dele uns ja estao em casa outros irao. Essa malta so devia vender peixe grelhado.

  14. img
    bengui docxi Responder

    Coitado……………Já nao tem lugar para chupar$$$$$$$$$$$$.Olha,manda o gajo a Sao Joao Vargem a limpar essaa ervas daninhas e gratis.

  15. img
    João Rodrigues Serôdio Responder

    Histórias de Alecrim e Manjerona.É bem demonstrativo da qualidade e sentido de responsabilidade dos políticos Santomenses.Se queria continuar como Deputado Independente, o normal seria ter abandonado o Partido pelo qual tinha sido eleito e cujo rumo ou orientação seguida pelo Partido não estavam a ser correctos conforme a sua consciência,e na mesma altura informar e dar conhecimento à Mesa da Assembleia que a partir dessa data passaria ser Deputado Independente.Se o seu Partido na altura, depositou na Mesa da Assembleia uma carta subscrita pelo próprio,em que renunciava ao seu mandato,quiz dizer preto no branco que não seria mais Deputado com assento na Assembleia.Agir por oportunismo ou conveniência é apanágio de políticos sem escrúpulos.O mais grave disto tudo, é que desconhecem as Leis Gerais do País e invocam o Tribunal Constitucional para tudo e para nada.Enquanto continuar-mos assim,este País não sairá da cepa torta.

  16. img
    INCOMODADO COM ISTO Responder

    É ISTO DÁ EM SER TROCA-TINTA, VAMOS VER SE O TRIBUNAL PRONUNCIA LA PRO FINAL DA LEGESLATURA, AINDA ESTÁ A TEMPO.

  17. img
    Meninos Eu Vi Responder

    Ultima Hora:

    O MLSTP e PCD pretendem aprovar uma lei ainda neste fevereiro para impedir ADI de participar nas próximas eleições legislativas.

    Mentores da Iniciativa: Alcino Pinto, Elsa Pinto, Rafael Branco, Guilherme Otaviano, Delfin Neves, Arzemiro dos Prazeres e Xavier Mendes.

    Primeira medida da estratégia. Cortar salários aos deputados do ADI (Jó foi feito, ontem).

    É o país que temos. Se isso acontecer!… Mer.a muito é é…

  18. img
    brincadeira Responder

    Estes gajos tipo Amândio têm mania que são muito esperto e aí está o resultado de esperteza. Amândio fica a espera, vaizs ganhar muito!

  19. img
    Meninos Eu Vi Responder

    Abel deixa de censura e publica o meu comentário.

    Preste o serviço à nação. Ou você também faz parte da estratégia. Se também fazes parte da estratégia quando o bicho pegar, Humm… Mer.a muito

  20. img
    Féde ká Dóxi Responder

    Amândio, a tua vida acabou. Agora estás aflito, porque já não tens as imunidades parlamentares, o passaporte diplomático e os cumbús que o papá Patrice te dava para venderes o PCD, como vendeste na outrora o MLSTP.
    Agora tyoma o fruto da traição.
    A arma que criaste para matar o Francisco Rita é que te matou. Toma que
    é teu. “Gigula messo” Abre o ôlho.
    Prepara para nova legislatura no ADI, porque nem o MLSDTP nem o PCD te quer. E lembra que tens que ser o cabeça de lista, de contrário não serás eleito. Vais para o suplente, isto é.
    Porque aí há muitos vampiros também. Podes crer.
    Nem o Aurélio Martins te quer mais.
    êh pá!!!!!
    Perdes o Delfim, perdes o Aurélio Martins. e agora?. Não ganhas o Patrice e tens ainda um na manga. O FGradique.

  21. img
    Féde ká Dóxi Responder

    Correcção:
    Perdes o Delfim, Perdes o Aurélio! E agora?
    Não, ganhas o Patrice e tens na manga o Fradique.

  22. img
    Floga Responder

    Amândio aua ué. Chora só. Amândio ainda há um para tu tentares safar com ele, Pinto da Costa. Mentira não safas nada.Com Pinto da Costa nunca vais safar. O Pinto não quer corruptos e lambebotas ao pé dele. Bô molê só. Pena muntu ê, Amandio.

  23. img
    Quatela Responder

    Minha gente aquilo que estão a fazer com este povo so pode ser brincadeira. O Professor constitucionalista ja deu resposta a todo o problema relacioando com a nossa politica, eu acho como pai da dicta constituição temos que dar razão ao mesmo.

  24. img
    voz de povo Responder

    os juizes de tribunal constitucional quase não tem processo quando os tem não decidem. o que é isto? uma vergonha. Esse tribunal devia acabar, não tem decidido nada de jeito mesmo. São esses os conselheiros de STP.

  25. img
    Dlima Responder

    So digo isto: Este jornal prova mais uma vez que é jornal de um partido político. É lamentável o título desta nótícial. Não que esteja de acordo com as atitudes malabaristas deste Sr mas, é de lamentar a forma como este jornal trata as pessoas que não são do seu partido.

    Oh Abel, aprenda sff a prestar serviços ao País e não ao seu partido.

    Publiquem sff.

  26. img
    entre.nos.SANTOMENSES Responder

    Amandio, voce nao resolve problema do Bloco Operatorio do Hospital do Principe?
    DEVOLVE os 500 mil euros,

Deixe um comentario

*