Pinto da Costa mandou Patrice Trovoada fugir de STP

Com mais ou menos cristianismo que nos foi imposto a nascença pela bendita água do baptismo, ainda mantem nos nossos hábitos a Santa Semana, mesmo por vezes, sem marcamos a fronteira entre a igreja e a tradição. Ainda assim, preferimos assistir primeiro ao passar da Páscoa e, só depois trazermos ao baile os salvadores da Pátria, para termos a cruz do sacrifício mais dimensionado na análise das suas recentes entrevistas aos são-tomenses e a opinião pública internacional através da RDP África.

Comecemos por Patrice Trovoada, 51 anos feito no dia 21 de Março, Primeiro-Ministro deposto por cálculo aritmético, em antecipar os resultados eleitorais de maioria eleitoral ao favor do seu partido, a Acção Democrática Independente, nublando o xadrez político em São Tomé e Príncipe. Entremos nós no guião da puíta sem extrapolar o rifão do Presidente da Acção Democrática Independente.

Em relação aos carris da democracia em São Tomé e Príncipe, Patrice Trovoada descreveu o risco. O sistema que o Pinto da Costa está a querer impor a São Tomé e Príncipe, é um sistema que nós já vimos em São Tomé e Príncipe. Eu saí no dia 16 de Dezembro com a minha família, tudo que foi feito para me impedir de sair do país já era anunciador das intenções desse Governo em relação a minha pessoa.

Como assim? Não será diversões para distrair aos são-tomenses após o falhanço do caos? Eu tenho colaboradores que foram ouvidos ilegalmente pelo Ministério da Defesa e da Segurança com acusações de que estariam a preparar assassinatos, golpes de estado, etc.

E porque terá deixado órfão o povo pequeno sem Natal molhado nem Páscoa quente e entregue a sua sorte ao Pinto da Costa? É evidente que o clima em São Tomé e Príncipe não é muito convidativo para eu poder exercer as minhas actividades políticas de uma maneira serena e com todas as garantias. O presidente Pinto da Costa quando recusou os nomes do ADI para formar o Governo, constitucionalmente cabia ao ADI formar o Governo, porque nós é que vencemos as eleições, ele disse-me o seguinte: ele disse-me que eu tinha que me afastar, eu tinha que me afastar, eu tinha tempo, daí que, eu não percebo qual é essa saudade que faz com que agora querem que eu regresso ao país.

Patrice Trovoada pôs os pés na estrada antes que se fizesse tarde e entendeu que afastar seria fugir das ilhas. Qual o receio? O primeiro receio é que a população são-tomense tem demonstrado grande apoio ao ADI e grande apoio àquilo que foi a nossa governação. Daí que, há um receio político em relação ao Patrice Trovoada. O segundo receio, é que Patrice Trovoada e o ADI estando, digamos, livre ao nível de acção política, possamos de facto devido a má governação que temos assistido, granjear ainda mais apoio quer interno quer externo para forçar esse Governo a uma eleição antecipada. Então é preciso, é preciso encontrar uma maneira de neutralizar Patrice Trovoada.

Em São Tomé e Príncipe, regressou-se ao período anterior ao dia 22 de Agosto de 1990? Volto ainda a relembrar ao triste episódio da declaração de um deputado do MDFM a dizer que quando os jornalistas criticam o Governo é melhor eles irem passar alguns dias na cadeia. Por isso, nós não estamos realmente a presenciar um Estado de Direito Democrático, tamos sim senhor, num país que tá com uma deriva autoritária em que os autores são os mesmos do regime único, Pinto da Costa e o sô Ministro da Defesa, que tem um passado também muito conhecido pelos são-tomenses quer ao serviço de Pinto da Costa, quer ao serviço de Fradique Menezes.

Então! Não acalma aos simpatizantes de ADI e ao povo pequeno com uma provável data do seu regresso ao país? Exilou-se de forma voluntária, preferindo comandar o partido a distância? Essas pessoas (Pinto da Costa e Óscar Sousa) de facto, não têm um currículo democrático tolerante que faz com que eu me sinto completamente a vontade para regressar, de momento, a São Tomé e Príncipe.

Não acha que os 26 deputados do seu partido com os salários e as mordomias que recebem do Estado estão a delapidar de forma escandalosa aos são-tomenses? Não lhe preocupa que a moda pegue, especialmente, nos funcionários públicos, num país bastante conotado de pouca produtividade? Há evidentemente evolução. O partido tem a sua estratégia, houve essa posição que foi assumida que tem demonstrado também a inviabilidade ao nível do funcionamento normal das instituições (…) Só mais cego, é quem não quer ver (…) Daí que ADI tomou essa posição, essa posição correspondeu a um momento particular. Há vários momentos e em função dos momentos ADI irá ajustar o seu posicionamento político.

Afinal! Para quando o regresso dos seus deputados ao debate parlamentar? ADI regressará no momento oportuno ao debate parlamentar, a tribuna do parlamento, porque o parlamento é nossa casa e nós somos o partido maioritário. (Palmas e agradecimentos dos são-tomenses)

Patrice Trovoada tem uma bomba pronta a explodir no palácio presidencial, mas como homem de Estado ainda está a programar o relógio. Afinal, ainda poupa ao seu rival de 75, 76 anos? Quem faltou a lealdade não só a lealdade institucional mas a lealdade aos são-tomenses, é o Pinto da Costa. Em todos os dossiers eu sempre fui leal. E como eu digo, eu tenho que ponderar muito, porque são assuntos do Estado, não é, e eu sou um homem do Estado com responsabilidade, mas eu estou a ponderar, porque eu não posso deixar o sô Pinto da Costa usar e abusar dessas mentiras.

Não acredita que o seu discurso contra Pinto da Costa, já é repetitivo, cansativo e demonstra um partido muito amarrado ao passado. Não retirou ilações de apenas num ano o eleitorado jovem mudar a direcção dos votos ao favor de Pinto da Costa? A ADI e em especial o seu Secretário-Geral, Levy Nazaré, eventualmente, devido a promessa de caos têm sido selváticos nas suas intervenções contra o Chefe de Estado, nada abonatório no respeito e na convivência democrática. Não reconhece a vitória eleitoral de Pinto da Costa? Senhor Pinto da Costa foi eleito de novo Presidente em 2011. Eu respeito essa eleição. Foi uma eleição legal. Eu respeito as pessoas que votaram pelo Pinto da Costa. Mas eu quero dizer também que em 2010 os são-tomenses também votaram para o ADI, para o ADI governar o país com uma campanha com um rosto de Primeiro-Ministro que era Patrice Trovoada. Daí que eu também peço Pinto da Costa o mínimo de respeito.

Patrice Trovoada já afirmou no Parlamento de que gosta de viajar e é acusado pelos seus críticos de ter governado o país durante trinta meses a partir do estrangeiro. Continua a viajar pelas Américas, Ásia, África e Europa. São as simpatias granjeadas que têm custeado as suas viagens? Eu continuo a viajar sem o dinheiro do Estado, como eu digo, sabe a promoção da imagem do país é fundamental. As pessoas têm que saber onde é que está São Tomé e Príncipe, quê que São Tomé e Príncipe tem a dar ao mundo. E a política de mão estendida, de pedinte, já não resulta. (…) Eu continuo a viajar. E sabe. Eu fiz as contas. Eu acho que, enfim, Natal já passou, eu espero que o próximo Natal Gabriel Costa não seja Primeiro-Ministro, mas eu vou-lhe oferecer uma máquina de calcular, para ele perceber que as minhas viagens, per capita, quer dizer, custaram uma ninharia. Uma ninharia. As viagens do Patrice Trovoada, Primeiro-Ministro, custaram ao Estado em média cada viagem qualquer coisa como seis mil euros.

Nessas viagens, teve encontros com dirigentes políticos, homens de negócios e responsáveis de organismos internacionais, e na hospitalidade à santomense, também recebeu individualidades do mundo da política e de negócios em São Tomé e Príncipe. Que benefício para o povo são-tomense? Essas viagens tiveram resultados. Se nós olharmos para tudo aquilo que foi dito em relação aos organismos internacionais tiveram resultados. Se nós olharmos, de facto, o interesse dos investidores, tiveram resultados. Se vamos olhar as estatísticas, quantas empresas estrangeiras visitaram São Tomé e Príncipe? Hum! Quantas delegações visitaram São Tomé e Príncipe?

Uma curta e sentida viagem de homenagem num salto a Vila Mulata. O precioso relógio de forma acidental e brutal na última segunda-feira da Semana Santa, dia 25 de Março último, parou a vida ao prossôr Felisberto Baptista de Sousa, meu amigo pessoal, professor da minha era primária, meu responsável directivo na caminhada profissional e meu presidente na participação cívica das ilhas e em especial de Mé-Zóchi. Expresso aqui, à família e aos familiares enlutados e de forma particular ao filho, colega Celso Boa Morte, os meus sentimentos de pesar.

Bá! Voltemos a cantiga, também sem cambalhotar o rifão, agora no guião da rumba de Gabriel Costa, fundador de ADI, Acção Democrática Independente, Primeiro-Ministro do XV Governo constitucional de São Tomé e Príncipe, 18º executivo desde 20 de Janeiro de 1991.

O Orçamento Geral do Estado para 2013 está orçado em 157 milhões de dólares, cerca de um milhão de dólares para cada são-tomense e um crescimento de 30% em relação ao ano anterior. Onde Gabriel Costa pretende encontrar as fontes de financiamento? É verdade que há um crescimento do nosso Orçamento Geral do Estado. Um crescimento prudente no meu entender, realista, para satisfazer, portanto, as exigências que decorrem da situação que o país se confronta. Mormente ao nível social, questão da redução da pobreza, a questão da formação, a questão da saúde, portanto, este nosso orçamento tem uma forte componente social para debelar os graves problemas com que se confrontam as populações do nosso território. É certo que perante uma crise económica uma crise financeira mundial, a mobilização de recursos para poder sustentar, digamos assim, este orçamento não é tarefa fácil.

Então! Vai ficar sentado nas ilhas a espera que o pão lhe caía do céu? Não vai, lá fora, vender a imagem do país? Estamos convencidos, de que com alguma acutilância ao nível da nossa diplomacia, com um exemplo claro de quem, de um Estado que pretende exactamente reduzir a sua dependência do exterior fazendo a contenção de despesas adoptando algumas medidas claras de contenção de despesas (…) Conseguiremos, pois bem como dizia, mobilizar os parceiros para que esse apoio ao nosso orçamento se faça em condições satisfatórias. Há duas possibilidades, não é? Através de dom ou através de créditos.

Continua adiado sine die a ida de Pinto da Costa a Angola. Tudo o que se diz não passa de especulações. Angola receberá o senhor Presidente da República, Manuel Pinto da Costa, não há qualquer nebulosa relativamente ao relacionamento entre os dois chefes de Estados, entre os dois Estados. Portanto, volto a dizer que, brevemente essa visita far-se-á e vocês terão conhecimento.

Um milhão de dólares que o país recebe da Nigéria através do petróleo, não é para todos os são-tomenses. Com o seu Governo, os benefícios do petróleo chegarão a mesa de todos os são-tomenses ou nem por isso? Nós renegociamos com a entidade, com o operador económico que já teve contactos com o anterior Governo e portanto ao invés de ser trinta cêntimos por barril, ascendemos, conseguimos ascender até um dólar por barril, o que naturalmente eleva o montante para uma quantia que é superior a um milhão de dólares, graças portanto, a esta renegociação feita com os operadores. (Sorriso dos são-tomenses)

O comércio, as construções e a vida pública pararam desde a tomada de posse do seu Governo. Que sinais de viabilidade o XV Governo, oferece aos são-tomenses? Nós dissemos que a situação financeira do país era crítica, era do conhecimento de toda gente que os salários do mês de Dezembro não seriam pagos atempadamente se o Governo, o XV Governo não fizesse esforços adicionais para arrecadar o máximo de receitas (…) Dois salários (Dezembro e subsídio de Natal), nós conseguimos pagar, conseguimos pagar o salário do mês de Janeiro, conseguimos pagar o salário do mês de Fevereiro e vamos continuar a pagar (…) Não se pode imputar a um Governo que tinha apenas alguns dias de existência.

Sobre a actividade comercial, os operadores queixam-se amargamente de falta de uma mãozinha do Estado para fomentar a actividade económica. Assistiu-se a uma espécie de atrofia dos operadores económicos, sobretudo ao nível do comércio. (…) Nós o que fizemos ao chegarmos foi em primeiro lugar dizer ao sector privado, que o Estado estava preocupado com a sua situação e que na nossa agenda de prioridades iriamos fazer tudo para mobilizar sobretudo fundos no exterior para injectar na economia de forma que, enfim, esse sector conseguisse um fôlego para as suas actividades. (…) Nós não temos um banco de fomento em São Tomé e Príncipe, onde as pessoas possam ir buscar dinheiro para injectar na economia a taxas de juros que sejam satisfatórias.

E daí? Já tivemos a Caixa Popular no período inaugural da democracia, da qual muitos barões da praça não devolveram os empréstimos contraídos ao Estado. Nós estamos seriamente a equacionar a possibilidade, efectivamente, de termos aqui em São Tomé e Príncipe um banco de fomento como elemento motor para permitir ao sector privado obter créditos que sejam, portanto, a taxa de juro mais satisfatória.

Sem a estabilidade política reclamada pela ADI e a crise financeira internacional, como manter a paz social nas ilhas? Nós elegemos o diálogo social como premissa no relacionamento com os sindicatos, o patronato, por forma, que haja efectivamente a paz social de que o país carece para poder assentar políticas que nos permitam atingir patamares de desenvolvimento. Nós dissemos aos sindicatos, as centrais sindicais que íamos satisfazer as reivindicações, que eram constantes dos compromissos acordados com o anterior Governo. (…) Nós, iriamos ter uma atitude de contenção de despesas, de redução drástica das despesas de funcionamento do Estado como forma de poder fazer poupanças e essas poupanças serviriam para nós atendermos as preocupações mais gritantes do sector social.

Uma delegação do Fundo Monetário Internacional esteve recentemente em São Tomé e Príncipe e, aplaudiu a gestão de 2012 do anterior Governo. Ao final, as políticas macroeconómicas dos jovens ministros de ADI não deixaram o país em maus lençóis? Entendo que nós estamos na boa via. Nós dissemos que tudo aquilo que foi feito de bom, repito, que foi de bom, nós não fazemos tábua rasa, sobretudo, aquilo que foi feito no passado quer deste Governo quer do anterior, governo que precedeu o anterior Governo.

O seu antecessor disse que Gabriel Costa não iria resistir a testa do XV Governo até Natal. Prometeu oferecer-lhe uma máquina calculadora para contabilizar os seus gastos em seis mil dólares por cada viagem ao exterior na venda de imagem do país com ganhos obtidos para São Tomé e Príncipe. Resistindo ou não até as eleições legislativas de Julho de 2014, usaria a máquina calculadora para esclarecer ao branqueamento de capitais? Sabe que nós temos mecanismos legais no país para detecção e alerta dos organismos competentes sobre a proveniência duvidosa de fundos que são depositados nas instituições bancárias (…) Não é nenhuma invenção de Primeiro-Ministro Gabriel Costa. É uma determinação do Governo no sentido de poder evitar que haja proliferação desse tipo de actividades no nosso território.

Vai mandar cortar as emissões da RDP e da RTP Africa em São Tomé e Príncipe? É absurdo. Eu acho que seria uma coisa de loucos. (…) Quer que eu lhe diga? Na minha opinião, muito modestamente, dos melhores instrumentos de cooperação que se conseguiu ao nível de Portugal com os nossos países, situa-se exactamente a esse nível, portanto, desses órgãos de comunicação social.

O deputado Pires Neto, do MDFM, mandou calar aos jornalistas que dificultam a vida do seu Governo, enviando-os a cadeia donde sairiam mais mansinhos. Gabriel Costa comunga dessa intervenção vinda da casa parlamentar? Os jornalistas são-tomenses sabem que, o qual eu tenho encorajado a prática de um verdadeiro jornalismo em São Tomé e Príncipe. (…) Nós estamos empenhados em fazer com que os órgãos de comunicação social estatal, os outros órgãos de imprensa que operam no nosso país possam fazê-lo de forma livre, isenta e imparcial, sem constrangimento.

No dia 3 de Novembro próximo São Tomé e Príncipe voltará ao centro das atenções dos cientistas, académicos, turistas e curiosos mundiais. Há 93 anos, a teoria da relatividade do físico e matemático alemão Albert Einstein foi comprovada na roça Sundy, Príncipe, no dia 29 de Maio de 1919, pelo astrónomo inglês Arthur Eddington, através do eclipse total do Sol. Este espectáculo da Natureza volta a acontecer nas ilhas e, desta vez, com melhor observação em São Tomé. Remate final. Gabriel Costa para acalmar Patrice Trovoada, já o terá convidado a assistir a este fenómeno da Natureza a ocorrer nas ilhas do centro do Mundo? Eu diria para finalizar que nós não estamos perdidos. (…) Ninguém está interdito de vir para a República Democrática de São Tomé e Príncipe. Nem entrar ou sair dela.

Para os barómetros, qual das duas individualidades com cumplicidade repetitiva de Primeiro-Ministro de Governos da democracia de São Tomé e Príncipe ganhou, qual perdeu?

Patrice Trovoada saiu bem, enquanto líder partidário. Concentrou-se no Pinto da Costa, o seu alvo preferido desde a campanha presidencial. Falou de dentro do partido para fora, numa tentativa de conquistar os votos para o próximo embate eleitoral. Foi kumba lóda! Calhou, calhou! Piscou olho ao PCD, não tecendo uma só crítica em direcção ao antigo aliado das Forças de Mudança, atitude que deveria ter tido em conta aquando da vitória eleitoral em 2010 para um entendimento parlamentar que pudesse dar base sustentável ao XIV Governo constitucional. Distraiu-se e apenas preocupou-se com quem ganhou é que governa e, não se queixou da oposição que deixou trabalhar, mais de dois anos, o seu Governo.

Enquanto isso, no direito ao contraditório e, ao contrário do que a opinião pública ansiava dos ataques sucessivos a gestão do XIV Governo, que vem sendo a marca dos seus discursos, Gabriel Costa, internacionalizou a rumba e nem passou cartas as cantigas do seu antecessor, preferindo namorar os tradicionais parceiros de cooperação e dirigir aos são-tomenses para acreditarem na execução orçamental e num futuro de políticas direccionadas ao bem-estar de todos.

Numa análise politicamente correcta, o antigo Primeiro-Ministro, Patrice Trovoada, ocupou-se da política partidária e Gabriel Costa, o actual chefe do Governo direccionou-se a política executiva. Daí! O que espera o povo são-tomense? Banho para breve ou não?

O povo deve eleger o trabalho como o estandarte económico caso não pretenda continuar a encher barriga com as palavras requentadas dos políticos e o livre pensamento da democracia minada de crises cíclicas.

José Maria Cardoso

02.04.2013

  1. img
    loqueto iambongo Responder

    queremos é trabalho sério e evidências como o país está a desenvolver.
    Nada de muitas conversas e futurologias demedidas.
    Coisas concretas.
    Porque para discursos e conversas fiadas, não faltará gente para isso.
    Trabalho.

    • img
      telâ bô sã búa Responder

      sim Sr. o que importa nessa hora e trabalho com dignidade e ordem, nada de abusar do poder, deixem de conversa fiada vamos trabalhar…..

  2. img
    Povopede Responder

    TELANOM, DEIXA DR.PATRICE TROVOADA EM PAZ!

    VOCÊS SABEM PERFEITAMENTE QUE PINTO COSTA E OSCARITO.SÃO PEIXE PODRE DESSE PAÍS,NUNCA ,NUNCA MAS NUNCA SÃO DIGNOS DOS CARGOS POLITICO QUE TÊM.É CLARO QUE ELES QUERIAM PÔR O PATRICIO TROVOADA ATRÁS DAS GRADES. ENQUANTO QUE OS QUE ,ROUBARAM ,BRANQUEARAM,DELAPIDARAM O BEM DO POVO ADAM A SOLTO E CONTINUAM A CHEFIAR.CORRUPTOS

  3. img
    P. T Responder

    TAMBÉM NO MEU ENTENDER ACHO QUE O MEU SUCESSOR SAIU MUITO BEM. FALOU DO PAÍS E REAIS PROBLEMAS A MELHORAR.

    ENQUANTO EU TINHA QUE FALAR DO PRESIDENTE PINTO DA COSTA QUE É O MEU ALVO A ABATER. MAS COMO ELE É PAI GRANDE NÃO VAI SER MUITO FACÍL ABATE-LO, MESMO COM VÁRIAS TENTATIVAS FALHADAS, IREI ARMAR UM CERCO A ELE.

    MAS, ESTOU COM MUITO MEDO DE VOLTAR A STP.

  4. img
    Eusebio Neto Responder

    E boa esta reflexao do Jose Maria e seria muito melhor se os visados se dessem a humildade e honestidade de reagir. Na verdade ha coisas importantes exigem respostas urgentes. Por exemplo, acusar os mandatos dos srs. Pinto da Costa e Fradique de Menezes como aqueles que violaaram os principios de estado democratico, e tentar tapar o sol com a peneira. Afinal, o que aconteceu com os governos de Daniel Daio e Norberto Costa Alegre? Quem foi o mentor e executor das suas quedas? Nem preciso responder porque todos nos sabemos e porque? Tambem pareceu-me muito grave o sr. ex-Primeiro Ministro considerar pouco ou nada os 6.000 Euros que custou cada uma das suas “n” viagens. Quantas ele fez durante o seu reinado? E mais, quanto proveito essas viagens do PT trouxeram para o povo santomense? Para concluir, perguntar ao PT se, sendo ele um antigo chefe do governo, seria possivel ele se ausentar do pais caso o Presente da Republica e os titulares de organismos competentes tivessem decidido em impedir a sua saida? Sejemos francos e responsaveis, o Patrice Trovoada nunca viveu em S. Tome enquando nao fosse filho de Chefe do Estado ou dirigente do Estado. Admira-me essa agorrancia desmedida que ele continua a nurrir. Alias foi essa teimosia propositada que levou ao derrube constitucional do governo minoritario que ele liderava. Na altura ele fingia nao entender que, nao a naioria a ADI, o povo deixava transparecer que queria ser governo por uma equipa constituida por que um unico partido. Ou seja, que Patrice Trovoada se associasse a uma outra forca politica, seja na constituicao do governo ou no Parlamento. Como ele atrevidamente desrespeitou e desvalorizou a decisao do povo, hoje ele e o seu partido estao na oposicao. A luta continua e o povo santomense sempre vencera. Nao podemos esquecer que o Povo e que poe e o Povo e que tira. PT, volte e lute para demonstrar que na verdade amas esse povo. Ninguem vai te matar!

    • img
      P. T Responder

      EPA TENHO AINDA MUITO MEDO! SEI QUE AS PESSOAS JÁ SBEM O QUE EU E O MEU GOVERNO FIZEMOS. MELHOR MESMO É CONTINUAR AÍ REFUGIADO. QUANDO CONSEGUIRMOS INIQUILAR O PINTO DA COSTA AÍ SIM REGRESSAREI.

  5. img
    Ka-li-tassondú Responder

    Patrice trovoada Crese e depois aparece!!!!!!
    Aprenda a fazer política ..
    Se cada viagem do senhor patrice custou au estado 6mil euros, vamos mutiplicar por 50 ou mais viagens, custou au cofre do estado qualquer coisa como 130 mil euros. Para uma ilha pequena e pobre como nossa daria-nos um jeito mt grande em compras de medicamentos, ou pagaria as bolsas em atraso( estudantes )…..
    Só sei que em relação au patrice trovoada é tipo noa ha comentários ……
    Um abraço a tds santolas

    • img
      l Responder

      6000X50=300000 e nao 130 mil. Apenas para alertar, pois a tabuada ainda existe.

  6. img
    rapaz de riboque Responder

    que gentinha é essa nunca maais a paz nem estabelidade nesta terra com mentalizações destas só vivem para ambiçao e mais nada que vergonha uma terra tão pequena com tanta carência os poderosos só pensão no seu bém estar estamos a afundar cada vez mais com esses politicos que temos o Pinto da Costa ja esteve no poder voltou com a mesma mentalização mas ele não tem culpa o povo é o maior culpado cada um tem aquilo que merece em relação ao Patrice não tem qualidades sera que nnhuma mulher nesta terra foi capaz de dar a luz um homem que possa governar esta terra com maaior respeito pelo povo.

  7. img
    zeme Almeida Responder

    O senhor P.T,deve ser um grande palhaco que quer usar e abusar do bom nome dE outrem.Desde que a democracia foi instalada neste S.Tome e Principe,eu nunca vi um primeiro ministro ser abusado de forma continua como estao a fazer com o Patrice Trovoada.Somos Santomenses de origem como?Por ter nascido em S.Tome?O povo santomense vem de varias racas é por isso que somos assim e com ideias contrarias de querermos matar uns aos outros por causa do poder e bem estar é que posso classificar muitos deste PAIS.Gentes ingratas,orgulhosas sao os feitios do nosso povo.As vezes devo concordar com o deputado Pires Neto que diz que alguns jornalistas que falharem devem ir parar a cadeia.Ele deve ter as suas razoes para dizer isto.As informacoes devem ser claras sem deturpacoes como muitos jornalista vem fazendo em servico de algumas forcas politicas.Nao concordo com as perguntas feitas pelo Jornal Tela-Non em relacao as resposta do Patrice Trovoada,porque estao totalmente contrarias.Pergunto,porque voces fazem isto?Os jornalistas da RDP fizeram uma reportagem e com perguntas claras e voces fazem contrarias,porque?Eu segui de perto e com atecao as noticias da RDP as perguntas sao totalmente contraria.Sendo voces jornalista alguem que venha dizer algo que voces nao disseram ficarao satisfeitos?Isto me entreste com a forma como alguns jornalistas vem fazendo o jornal em STP.Sei que o meu comentario nao é do vosso agrado e vai ser censurado.Sei que perco o meu tempo a faze-lo,como sou santomense tenho o direito de exprimir os meus sentimentos.Desejo a todos um bom trabalho.Viva RDSTP

  8. img
    zeme Almeida Responder

    O jose Maria Cardoso esta em Potugal em servico do atual regime em STP.Nao é preciso fazer desenho.

  9. img
    São-tomense Responder

    “que haja efectivamente a paz social de que o país carece”
    Tenho escutado nossos políticos falarem muito aqui sobre isso. Será que sabem o que é PAZ SOCIAL?
    A paz é fruto de uma conquista seja ela de que género for. E a Paz Social não pode existir num País onde reina absoluta Ab-uso, = Mau uso,do poder.
    Senão vejamos:Concretamente Paz Social é fruto da Justiça,(= iustitia,dar a cada um
    o que é seu. definição mais atual, Justiça social é uma construção moral e política baseada na igualdade de direitos e na solidariedade coletiva. Em termos de desenvolvimento, a justiça social é vista como o cruzamento entre o pilar económico e o pilar social).
    Então, como podemos falar de paz social em STP, com tanta pobreza se:
    * Nas empresas como a CST e a EMAE e outras, alguns recebem liquido mais de 80.000.000,00Dbs(cerca de 3000,00€)com muitas mais regalias perfazendo mais de 100.000.000,00Dbs; e na mesma empresa alguns não chegam a 50€;
    *os deputados duma bancada estão em casa a ganhar salário do Estado – o que mostra que nesse parlamento não se trabalha, igual estar ou não – enquanto os funcionários por um dia de ausência são severamente penalizados;
    * as finanças não funcionam durante o dia porque deixam os trabalhos para hora extra de forma a espoliar o bem público
    * uma pessoa é penalizada por roubar uma pinha de banana (o que é normal), mas os senhores que derrubam a economia do País continuam isentos de culpa como no caso STP-trading, como os nossos tribunais acabaram por decidir
    * inspecção sanitária e económica multam e penalizam pequenos comerciantes por alimentos nao dignos a consumo humano, e os senhores que fizeram um atentado “terrorista” contra saúde pública em geral saem inocentados e continuam no parlamento a dizer que pensam no povo.
    * as casas sociais são construídas e os senhores se usurpam mais de uma para si, como senhor Jorje Amado fez em santana, ele que nem é de cantagalo, outras para familiares vivendo no estrangeiro, e não pagam as casas enquanto os jovens procuram e não têm direito como sempre
    * o emprego e as bolsas são dados aos colegas mais burros que temos na turma ou porque têm padrinhos e sobrenome ou porque são meninas bonitas e de bom coração
    * uma funcionária de educação há mais de 20 anos a ganhar o salário mínimo, mãe solteira como a maioria delas em STP, não tem direito a isenção de propinas porque não é docente
    * queremos falar um País justo… me digam por favor, sendo STP um País pobre que a população vive sob a pobreza, onde não existe ,muitos grandes processos como é que os juízes e advogados se fazem ricos????????
    Paz Social… não basta haver PASSIVIDADE, alienação, para se falar de Paz… Só me estupefaze muito ver pessoas que pensamos ser esclarecidas a defender cegamente esses senhores…

  10. img
    felisberto Amado Responder

    Ódio, rancor, inveja e corrupção sobrepuseram à unidade, disciplina e trabalho.Por isso o nosso país está como está.

    • img
      São-tomense Responder

      Unidade disciplina e trabalho? o que é?
      Acredito que muitos dos nossos nem sabem onde se encontra e o que significam essas palavras para a Nação. São os nossos valores supremos, alicerces da construção desse Estado.vejam um estado disciplinado:

      Espanha: infanta Cristina acusada no escândalo de corrupção
      O marido Iñaki Urdangarin é suspeito de utilização indevida de dinheiros públicos
      A infanta Cristina de Espanha foi constituída arguida pelo tribunal no âmbito do escândalo de corrupção que envolve o seu marido Iñaki Urdangarin, suspeito de utilização indevida de dinheiros públicos.

      A filha do rei Juan Carlos, de 47 anos, passa a constar da lista de acusados no processo liderado pelo juiz José Castro.

      O nome da infanta foi citado por Diego Torres, ex-sócio de Urdangarin e também acusado na investigação sobre o desvio de vários milhões de euros de fundos públicos por meio do Instituto Nóos, uma sociedade filantrópica presidida por pelo marido de Cristina entre 2004 e 2006.

      Segundo Diego Torres, Cristina sabia das atividades ilegais do marido já que fazia parte do conselho de administração da Nóos.

      A infanta terá de ir a tribunal no próximo dia 27 de abril.

  11. img
    Santola Responder

    Minha gente temos que de uma vez por todas pensar mais na populção e evitar sempre ataques pessoais o país é de todos nós( não do Patrice nem do Pinto nem raio que mom parta)portanto dizem que a população de um modo geral é rancorista mas vejo que os verdadeiros rancoristas é a classe politica santomense qualquer primeiro ministro e chefe de governo deve viajar mais tem que ser viagens que justificam não aquelas tem estado a acontecer em s.tomé infelizmente, cada ministro que é empossado cada um deles tem sua função especifica por tanto a titulo de exemplo, cabe ao ministro dos negócios estrangeiros divulgar o pais lá fora dentre outras coisas. A maoir parte dos ministros santomenses tirando a alma que não merece tem que aprender a gorvernar para um estado de direitos democrático e não essa pouca vergonha que temos vindo assistir ect….portanto resumindo e concluíndo todos aqueles que ainda não comprenderam o mundo democrático é melhor estarem calados porque há um ditado que diz (boca calada não entra mosca)……se nós tivermos que espremer os nossos ministros e dirigentes de modo geral como se espreme limão olha se sair três ministros é muito…..etc…etc…

  12. img
    The Politics Responder

    Este artigo merece nota 0 (ZERO)

  13. img
    Raimundo dos santos Responder

    Esta a pouco a voltar para o Partido único. Com fortes tendências de uma ditadura. Patrice Trovoada é filho da terra. Um homem valido para o futuro de São Tomé e Príncipe. Atenção as tendências dos Pintistas, recordem como foi antigamente, muitos Santomeses deixaram o Pais foram emigrar em Portugal, Angola e por aí além. Devido as ameaças do Pinto da Ista e os seus corigionarios e que nada fizeram para o Pais durante os 15 anos da ditadura. Povo abre os olhos.

  14. img
    luisó Responder

    essa foto do aviocar de Portugal na imagem foi muito mal escolhido e é no mínimo de muito mau gosto. Dá a ideia de que ainda existe um destacamento da Força A+erea Portuguesa em STP quando esta já saiu em 2008 e depois passa a ideia ao publico que o Patrice saiu ou fugiu de STP com a cobertura do aviocar e de Portugal.
    Sejamos sérios…

    • img
      I Responder

      Que és Pula todos sabemos. Esta foto toda ela fusca sem nenhuma identificacao, sem bandeira de Portugal não é suficiente para liga-la a Aviocar ou a Portugal. No entanto concordo consigo que a foto não tem nada a vêr com a notícia.

      • img
        luisó Responder

        caro amigo e respondendo ao essencial aconselho-o a ir ao oftalmologista pois parece-me que tem problemas de visão.
        Os outros problemas ficam ao seu critério.

        • img
          I Responder

          Oh Pula, não tenho problemas de visão. Tu é que vês coisas que outros não vêem. Bô tê wê lévé ou bô ça devidu?

          • img
            luisó

            Faça-me um favor.
            Pergunte a um qualquer quadro superior das FASTP bem informado se essa foto é ou não é a foto do aviocar da Força Aérea Portuguesa.
            Depois diga-me quem tem razão.
            é tão simples como isto.
            Obrigado.

  15. img
    explicar sem complicar Responder

    Meus caros compatriotas,entendam:
    Falta o ponto de exclamação (?)
    É ASSIM:
    Pinto da Costa mandou Patrice Trovoada fugir de STP?
    Resposta:
    CLARO QUE NÃO.

    Eles(KOSOVARES,COLOMBIANOS,CHECHENOS,etc)alugaram AVIOCAR para evacuar Patrice Trovoada.

  16. img
    Zeme Responder

    Com 1 pouco de reflexão verão que o Sr Patrice Trovoada qdo foi convidado p ser 1º ministro pela 1ª vez, começou do imediato a dar prova de k estava ali p trabalhar e o povo nessa altura ja apoiava as acções do PT + infelizmente não lhe deixaram trabalhhar.
    Como prova de bom trabalho realizado, conquistou o povo e pela 2ª vez como 1º ministro, voltou a dar prova de que podia fazer crescer esse país, mas + uma vez não pode cumprir o seu programa.

    • img
      mauro almeida Responder

      zeme, quando falam de patrice deu provas? que me mostrem essas provas e argumentem como de ser. isso de falar sem consistencia não vale; um exemplo é a saúde. POR FAVOR TIREM DE LA O SILVESTRE
      LEITE MAIS RÁPIDO POSSIVEL, ELE TA METIDO COM O AFONSO VARELA ATÉ AOS DENTES NAS BANDIDAGENS COMO POR EX: O CASO ROSEMA, O ESTADO EM QUE ESTÁ OS TRIBUNAIS A CULPA É DO LEITE QUE NÃO PASSA DE UM FROCHO E QUE SE DEIXOU INSTRUMENTALIZAR PELO ADI, EX: O GEGE FAZIA O QUE QUERIA E ELE NÃO FAZIA NADA.um bem haja

  17. img
    Africano Responder

    Tela Non está a descer pouco a pouco!

  18. img
    zeme Almeida Responder

    O jornal Tela-Non está a bater no fundo com esta forma de fazer o jornal.Eu aconselho-vos a nao aceitar quem que seja assinar o vosso jornal.O sr. Jose Maria Cardoso deve estar em servico de alguem e por em causa o vosso jornal .Com estas noticias com informacoes deturpadas pode prejudicar o vosso jornal.Por favor Tela-Non assuma o vosso jornal,e nao deixe que alguem use-o de forma anarquica.

  19. img
    JOAO ALMEIDA Responder

    So faz falta quem está no governo.
    Quem la esteve passou a historia. Esse governo so tem é q provar o q vale. Caso contrario rua. É assim em qualquer país q se diz democratico. Esse governo quanto a mim inspira confiança. Falta é julgar os ladroes dos 5000000 USD e outros mais e manda-los a cadeia.

  20. img
    andre Responder

    VIVD PRESIDENT PINTO DA COSTA

  21. img
    capiton Responder

    O problema não ta nos politicos esta em todo o cidadão, todos eramos e somos pecador, chega de recentimentos avancemos para união pais é pequeno e somos poucos não havera nem uma crise que afete s.tome so é preciso união, união,união de todos os santomenses,todo mundo nesse caso santomenses, tenhem coisas boas e más, por isso so temos que fazer o seguinte tudo mau metemos no lixo e aproveitamos tudo de bom e avancemos todos unidos e muito trabalho.juizo final deixa que DEUS faça. O HOMEM MANDA COM TEMPO E DEUS PARA SEMPRE…

  22. img
    capiton Responder

    O problema não está nos politico,está em todo o cidadão e o ser Humano,todos nós erramos e somos pecadores,chega de recentimentos e avancemos para uma união severa de todos os santomenses,somos pequenos e precisamos de união,união,união. Todo mundo, nesse caso os santomenses,tenhem coisas boas e más,por isso so temos que fazer o seguinte,tudo mau deitamos no lixo e aproveitemos tudo de bom e avancemos numa unica direcção: muito trabalho e sucesso. Juizo final deixemos que DEUS faça. O homem manda com tempo e DEUS para sempre…

  23. img
    Africano Responder

    Quando quiserem fazer cálculos consultem alguém que saiba um pouco de matemática. Desde quando que 157 milhões de dólares da 1 milhão de dólares para cada santomense?

  24. img
    santola Responder

    Perdoe-nos Pai lá do Alto pois muitos aqui não sabem que quem acusa é filho de Satanás e trabalha para ele.Quando Adão te desobedeceu, condenaste-o de imediato : “Do teu suor ganharas o teu pão”

    o que o povo faz : “Mão na queixada” e dizem não há trabalho……haja paciência….com todo esse mato para trabalhar ….hã eu esqueci…. somos um povo de mão limpas ñ podemos nos sujar com barro……..só podemos é esperar a terra nos dá e irmos a roça da nossa Avô (ou do vizinho) ir lá buscar …..
    A maioria que trabalha só pensa em ganhar o seu pão sem esforço, o que resulta nessas barbaridades descritas acima , que resultam a desunião acusações ódio etc etc ……,.estamos mal Senhor …”nos perdoe por favor e nos dê a todos uma chance de fazer a tua perfeita e boa vontade”

  25. img
    Luis Dondoia Responder

    O acto da governação , num País Democratico , passa pela solidariedade das Instituições .Não temos aprendido com o passado . Fazemos sempre os mesmos erros .
    Cada valor esperado confirma-se .
    Como uma Assembleia funcionar sem quase metade dos seus deputados ILEGAL .
    Não a debate politico mas sim rancores politicos .O PR quando não funciona como arbitro está a ser conivente .
    Demonstra que ele não conhece a Constituição e o supremo também que deveria ordenar dissolução imediadta
    Não esquecer que a constituição diz que são 55 deputados .
    Pensemos onde esta o quorum ?
    Leia as leis e aprendam a fazer politica .

  26. img
    Zozé lové 2 Responder

    Por que só um homem vos dá tanta dor de cabeça.

    Patrice contra:
    1. Pinto Costa
    2. Gabriel Costa
    3. Fradique
    4. Jorge Amado
    5. Delfin Neves
    6. MLSTP
    7. PCD
    8. MDFM
    9.UDD
    10. Outros consumidos.

    Esse homem tem tanto poder assim?

  27. img
    jose mourinho de stp Responder

    Artigo do sr Zeca Cardoso: nota ZERO. Por favor sr Presidente da Republica, esta Assembleia não serve os superiores interesse do país, por isso sr PR dissolva ja AN e acabe com esta farsa que não nos leva a lado nenhum. Deixe de remendar. O povo tinha e tem Fé no sr mas o sr está a decepcionar.

  28. img
    Zozé lové 2 Responder

    Miguel Relvas já foi pra casa.

    Pinto diga ao Gabriel Costa para demitir o maluco do Albertino Boa Morte, Ministro da Juventude e Desporto.

  29. img
    Jorge Spenser Responder

    S.Tomé e Príncipe acorda.

    Pinto da Costa acorda.
    Pinto da Costa o país está nas suas mãos.
    Hugo Chaves foi e não levou nada.

    Faça algo para o teu povo. O país precisa de novo fôlego. Precisamos de paz. de estabilidade. Precisamos de inclusão. De diálogo.

    Não promulgue esse orçamento inconstitucional. ADI fez o seu papel. MLSTP e PCD não foram capazes de interpretar a estratégia do ADI. A ausência dos Deputados do ADI foi estratégia. Se o Sr. Promulgar o OGE estará a cair na armadilha. estará a comungar cpom ilegalidade.

    Dissolva o parlamento e devolva a palavra ao povo e saia por cima.

  30. img
    zangado e indignado Responder

    É com muita indignação que ainda vejo gente que não caiu na real; meus Srs. o Patrice Trovoada sabia o que estava fazendo neste dois anos, e o bom de ser governo, por isso não permitiu que ADI indicasse nenhum outro nome, ele é o único culpado de ADI esta fora do poder. Tambem quando vejo a falarem da boa governação do PT a comparar com os 35anos, esquecem de que ele, foi Ministro dos Negocios Estrangeiros, Assessor do Presidente Fradique para assuntos de petroleo, foi duas vezes 1ºMinistro. Bem, hoje tem sido publico e notorio as falcatruas feitas, e que foram só 2 anos, efetivo – com quem diz – sem chatice, somem os anos em que andou no governo de boleia e tentem discubrir o que se passou nesta altura. Paremos com idolatria e fanatismo as figuras não presta, embora seja verdade que em STP quanto mais voce rouba mais amigos e seguidores tens ou teras.

Deixe um comentario

*