Política

Pinto da Costa desmentiu RDP-África antes de deixar São Tomé rumo a Angola

Informações postas a circular pela RDP-África, na quinta – feira, dando conta que o Presidente de São Tomé e Príncipe, pretende com a sua visita a Angola obter uma ajuda financeira do Governo angolano no valor superior a 300 milhões de dólares, mereceu desmentido de Pinto da Costa.

Segundo a TVS, a RDP-África disse ainda na sua notícia que a verba superior a 300 milhões de dólares que alegadamente o Presidente de São Tomé e Príncipe iria procurar em Angola, serviria para ajudar a financiar entre outros o Orçamento Geral do Estado para 2013.

O Chefe de Estado são-tomense ficou espantado com a tal notícia veiculada pela RDP-África. «Eu não sei quem é que inventou isso», declarou o Presidente de São Tomé e Príncipe no aeroporto internacional antes de viajar para Angola.

Para o Chefe de Estado são-tomense o período de mãos estendidas, se alguma vez existiu está ultrapassado. A relação que está a ser tecida com Angola tem outro carácter. «O que queremos com angola, é uma cooperação em que Angola ganha e São Tomé e Príncipe ganha. Uma cooperação que não tem esse carácter não tem perenidade. Estamos convencidos que conseguiremos abrir espaço para que os agentes económicos dos dois países possam contribuir para reforçar as relações entre São Tomé e Príncipe e Angola, para o desenvolvimento dos dois países», referiu o Presidente da República Democrática de São Tomé e Príncipe.

Pinto da Costa comentou também a decisão do conselho de ministros de isentar vistos de entrada e permanência no território são-tomense, para os cidadãos angolanos, por um período de 15 dias. Uma decisão tomada horas antes da visita de Pinto da Costa à Angola e que se enquadra na nova fase de relacionamento entre os dois países, em que ao invés de mãos estendidas, se prioriza acções concertadas, sobretudo no sector privado. «Essa decisão vai permitir que os angolanos que querem vir a STP para fazer negócios nãi tenham problemas de vistos isso vai facilitar e dinamizar muito mais a cooperação entre os dois países, através doa agentes económicos nacionais e angolanos. Cabe aos angolanos tomaram decisão a esse respeito», sublinhou o Chefe de Estado são-tomense.

Abel Veiga

    38 comentários

38 comentários

  1. Jose Andre

    12 de Abril de 2013 as 1:02

    Mais uma prova de que quem esta governando STP nao e GC e o seu Governo mas sim PC que actualmente PR e chefe do Governo.

    • Má cutá, Filha da terra.

      12 de Abril de 2013 as 9:58

      Mais uma atrocidade e falta de competência do Governo e de Gabriel Costa.

      Meus caros compatriotas. Porquê que essa isenção também não se faz para os São-tomenses. Essa não devia ser uma decisão unilateral, mas dentro do acordo bilateral em que houvesse a reciprocidade.

      Esse expediente só tem por objectivo Pinto tentar agradar Angola.
      Estamos muito mal na nossa política externa.

      Fora Natália Umbelina, Fora Gabriel Costa. Mataram a nossa diplomacia.

      Obrigado

  2. Nelito

    12 de Abril de 2013 as 1:05

    Estes politicos velhos não têm maneira de mudar

    Essa cooperação em que ambos ganham deve ser igual á que arranjou no passado com os comunistas Soviéticos, que até roubaram os sinos das igrejas.

  3. Mario vaz

    12 de Abril de 2013 as 1:15

    Acho que esta atitude do presidente Pinto da Costa uma falta de respeito para com todos os restantes países que apoiam São Tomé, não só no aspecto económico, como em outros sectores.

    Como compreender que cidadãos de Angola não precisem de visto por 15 dias para fazer turismo ou negócio e cidadãos de Gabão, Nigéria, Portugal, Taiwan, França, Brasil e outros precisem de visto ?

    Alguns países nos últimos anos ajudaram muito mais São Tomé do que Angola, não só a nível monetário, mas também ao nível da formação e cooperação.

    Acho isto lamentável e concordo também o que diz o Jose Andre. Isto são tarefas de um governo e não de um presidente de Republica

    • Estevão

      12 de Abril de 2013 as 7:34

      Não são tarefas de um governo. São tarefas de um país e de um estado. Não se compreende que um país tão pequeno, sem recursos, as pessoas andem às turas privando o povo de ter o melhor para a sua sobrevivência. Acho muito bem que o governo, a Assembleia Nacional, o Presidente e os Tribunais trabalhem juntos para a melhoria de vida do povo. Chegou a hora de se acabar com esta coisa de cada um estar a pensar mais nos protagonismos individuais e o povo estar constantemente a sofrer. O senhor Presidente da República, o senhor primeiro-ministro e todos os outros devem trabalhar juntos para o povo beneficiar deste trabalho. Onde é que está o problema?
      Fui

      • Bragança

        15 de Abril de 2013 as 8:31

        Meu caro,
        As competências e as atribuições dos órgãos de soberania é um imperativo constitucional. Nós vivemos num regime democrático, onde a separação de poder é o grande pilar.
        Por outro lado há que haver a especialização e divisão de tarefas, para que se possa ser responsabilizado. Porque a dada altura fazemos tudo, ninguém sabe o que tem que fazer, até onde pode ir, como pode ir. Em suma “todos podem e todos mandam”. E isso é muito perigoso particularmente no nosso país em que não se sabe lidar com o poder.
        Mas, eu percebo a sua ideia. Todos temos que trabalhar num único sentido, mas volto a referir cada um com as suas funções e atribuições, privilegiando sempre a cooperação institucional.

    • PATRIOTA DA NAÇÃO

      12 de Abril de 2013 as 10:18

      Meu caro eu li atentamente o teu comentário e é de facto um pouco incompressível quando não se esta ligado a politicas diplomáticas.
      vejamos
      Como compreender que cidadãos de Angola não precisem de visto por 15 dias para fazer turismo ou negócio e cidadãos de Gabão, Nigéria, Portugal, Taiwan, França, Brasil e outros precisem de visto ?
      1.Quantos santomenses vivem em Nigeria, Taiwam,França, Brasil e quantos vivem em Angola?

      Alguns países nos últimos anos ajudaram muito mais São Tomé do que Angola, não só a nível monetário, mas também ao nível da formação e cooperação.
      2. qual deles? Brasil, Taiwan, frança, Gabão, Portugal?
      2.1. BRasil – teve um politica de ma fé em enviar produtos deteriorados para STP no valor do 5.000.000.00 USD os quais o pais anda a pagar.
      2.2- Taiwan só esta aqui por que quer um voto nosso para ser … como já sabem esta cooperação todos ganhamos eles muito mais que nos.
      2.3- Portugal não faz nada mais que a sua obrigação andou a extorquir toda a nossa riqueza durante 5 séculos o que fazem é simplesmente tentar repor o que levaram.Além disso se fazermos uma inventariação das empresas portuguesas existentes no pais veremos.
      2.4- Guine Equatorial – por direito pertence a STP se formos ver a historia veremos a realidade mas,não obstante a isso estrategicamente é uma boa parceira a prova disso são os nossos irmão que todos os dias vão trabalhar lá com um salário invejável por muitos
      2.5- Gabão tem aqui uma embaixada mas honestamente não sei em que medida esta cooperação é valiosa para STP ELES FAZEM O QUÊ????????
      2.6- Nigéria- Nosso cota dos petróleo exploramos juntos nada melhor que estarmos mais amigos por razoes óbvias e me parece que é uma das cooperações boas que o pais tem
      2.7- FRANÇA – Estrategicamente é uma cooperação valiosa mas ao ponto de não pagarem visto é demais.
      meus caros esse é o meu ponto de vista

      • Preto & Racista

        12 de Abril de 2013 as 13:48

        O sr. Patriota da Nação tem toda a razão. Só Angola e a Nigéria é que são boas ccoperações. São os únicos Países que desde a Independência, sempre ajudaram e muito S. Tomé. O resto é lixo e só ganham dinheiro à nossa custa e do nosso País. Fora com todo este ‘lixo’. Ficamos só com Angola e Nigéria, os nossos Bons Irmãos Africanos.

        • mataesfola

          12 de Abril de 2013 as 15:20

          Também concordo

          Taiwan, Portugal, Brasil e outros que não Africanos só estão aqui a chupar as nossas grandes riquezas e a aproveitar-se dos nossos grandes conhecimentos técnicos, científicos e culturais para o seu próprio desenvolvimento.

          • pagaguno

            13 de Abril de 2013 as 17:44

            Si o teu País é tão RICO , porque é que estamos tão mal. O que é que Taiwan vem para aqui Roubar, as vezes é melhor estar quieto doque fazer comentario desparatado.

      • Preto Lúlúlú

        12 de Abril de 2013 as 13:52

        Sr Patriota da Nação…. Se o senhor não fosse Burro e Estúpido, o que é que gostaria de ser ????

        • PATRIOTA DA NAÇÃO

          12 de Abril de 2013 as 19:28

          Se eu fosse burro ou estúpido gostaria de ser o SRº Preto Lúlúlú, malcriado parvo não respeitado das opiniões alias, parvo arrogante, baixo etc tal e qual como ele mas como não sou vou continuar PATRIOTA DA NAÇÃO. fica bem PRETO lÚLÚLÚ AQUELE ABRAÇO.

          • Preto Lúlúlú

            13 de Abril de 2013 as 21:21

            Tem razão srº. Patriota da Nação…. Não o devia ter chamado de Burro e Estúpido. As minhas desculpas. Fico a aguardar para ver a ajuda que a Nigéria e Angola vão dar a S. Tomé. Até agora foi pouca a de Angola e quase nenhuma a da Nigéria, em comparação com os outros Países citados. Comentaremos no futuro……

      • toni

        12 de Abril de 2013 as 22:04

        Caro Sr, acima de tudo tenho respeito pelos Patriotas, contudo não concordo com os seus comentários dos paises , assim:

        Angola, deixa muitas promessas de investimento mas não se vê nada para o dia a dia dos Santomenses, veja á sua volta e tem muitos exemplos.
        Agora pode dar dinheiro vivo, mas já perguntou em troca de quê??

        Os outros também dão em troca de algo, mas o que se vê são que os paises da Europa enviam investidores que promovem emprego para os Santomenses, tembém deve ver os exemplos. Os Portugueses tiraram riquesa e deixaram meios para continuar a riquesa e os Santomenses deixaram cair tudo. Não vejo que os Santomenses tenham dado e crescido os meios que os Tugas deixaram. Mais tem muitos patricios em Portugal.

      • Ernestino Mota

        15 de Abril de 2013 as 5:05

        O Sr.º está a cometer crime em simular a falsa identificação da pessoa que se escrevia Nação Santomense, isto é um crime do MP,obrigar-lo a identificar, com o nome próprio , porque desde Fevereiro que eu Nação Santomense deixei de falar para este jornal manipulado, as insinuações pode lhe ficar carro e depois não choras a pedir por favor não avança com o processo.

        O sr.º deve ser honesto consigo próprio não faça aos outros o que não queres que te faça,tentar prejudicar ao outro para ganhar dinheiro é o ato de má-fé e podes colher o fruto que semeias.

        Irei lutar para encontrar a justiça.

        Tudo do que falam sobre a minha pessoa é a inveja , montagens e falsidades.
        Identifique com o nome próprio.

        • Ernestino Mota

          15 de Abril de 2013 as 5:09

          Este aviso é para o sr.º que diz ser comentador PATRIOTA DA NAÇÃO.

  4. E. Santos

    12 de Abril de 2013 as 7:36

    Isto é a forma de concertarem a borada que este governode Gabiel Costa fez quando travou o negócio de Peixe dos Angolanos em Neves, alegando que Agostinho Fernandes tinha entregue a doca aos “seus amigos angolanos”. Desavergonhadamente, agora somos nós os pedintesquando eles queriam ser investidores.
    A reprocidade de visto não vai acontecer porque a fronteira são-tomense não tem qualquer controlo. Por tostões nos vendemos. Se Angola fizer isso, São-Tomé será a porta de entrada de todos os africanos a Angola. É só chegar a São Tomé, comprar a nacionalidade e partir para Angola. No meio de toda a corrupção ou interesse pessoal de alguns, Angola é um país, e um país administrativamente sério. Que sabe onde está e onde quer chegar. Um país que tem uma orientação. Não é perdido como nós.

  5. AntóniaQuintas

    12 de Abril de 2013 as 8:06

    Isentar visto de entrada e permanência para cidadãos Angolanos no territorio nacional por 15 dias.Para todos Angolanos de A á Z. leva-nos aos objectivos almejados? Porque não a reprocidade? Porque não aos outros cidadão da CPLP? sobretudo?

  6. kwatela

    12 de Abril de 2013 as 8:19

    só vejo azia de quem só sabe dizer mal de tudo.
    meus senhores aplaudam esta iniciativa.o relacionamento entre são tome e angola é especial e diferente. quem em são tome não tem um parente a residir em angola?quem precisa mais nesta cooperação somos nós. engulam as vossas azias por favor e deixe o governo trabalhar

  7. P. T

    12 de Abril de 2013 as 8:25

    Meus Senhores o País precisa alencar as suas portas aos investidores. Por uma situação estratégica acho a decisão acertada, qe os Angolanos aproveitem e realmente traga investimentos a São Tomé e Principe. Que abra até aos Afegãos desde que tragam negocios que o País precisa. Como tal acho qu o País deveria tb abrir essa possibilidades a (Guiné Equatorial, Gabão, Portugal, Brasil, Cabo-verde, Africa do Sul e Nigéria). Só temos a ganhar meus compatriotas deixemos de ser pessimistas e misturarmos tudo com a politica baixa e partidária.

  8. jorge desalmado

    12 de Abril de 2013 as 8:38

    O maior “azia” é o sr kwatela que não sabe o que é “especial e diferente”. Deixe de tretas.

  9. asd

    12 de Abril de 2013 as 9:05

    Acho isso bastante bom só que fiquei sem saber se nós santomenses tambem podemos ir pra angola sem visto durante 15 dias?
    Quem sabe me responda por favor

  10. gatootimista

    12 de Abril de 2013 as 9:21

    Ouve la uma coisa sr jorge desalmado deixa de pensar com rabo alhas não és nenhum macaco pra isso,o presidente esta a fazer bom progresso e estou a gostar,vc pra mim não passa de um bufo perdido,e cuidado com esses pensamentos negativos pode provocar ruptera na tua mente e de certeza que nao vais querer ser na mas um na nossa praça a andar a comer coisas de licho,e ai vai um ditado quem diz o que quer ouve oque nao quer seu disfavelado

  11. gatootimista

    12 de Abril de 2013 as 9:22

    ruptura

  12. sulila miranda

    12 de Abril de 2013 as 9:22

    Boa estratégia e iniciativa, devemos ser pragmáticos!
    Já demos o passo agora a bola está do lado angolano,
    Temos que começar a abirmos para o mundo!
    Os nossos serviços de segurança, migração e fronteira têm que começar a trabalhar e a zelar pelo bem da nação.
    Há que mudar as coisas nesta terra, pode ser por aqui…

  13. raposo joaquim

    12 de Abril de 2013 as 9:33

    angola só fala bonito com stp quando o pinto está no poder. por isso esta cooperação não é de stp mas sim do pinto. eu não sei nada que angola faz para stp sem pinto, não por pinto ser especialista em cooperação mas sim cajado de Zé eduardo

  14. Santosku

    12 de Abril de 2013 as 9:56

    Pessoas de má índole. O mundo foi feito para os inteligentes. Se STP abriu as portas para os angolanos entrarem sem visto no espaço de tempo de 15 dias, estamos lançando isca. A cooperação é complexa, e neste momento os mais necessitados de investidores é STP e não Angola pela parte de São Tomé e Principe. Porquê que Portugal que nos colonizou 500 anos não abri as suas portas aos Santomenses. Se Anghola só fala bonito quando Pinto está no poder é porque a principal cooperação deve ser feita entre homens de bom senso capazes de diferenciar uma coisa a de outra.

  15. FDJ

    12 de Abril de 2013 as 12:45

    Foi muito bom esta advertencia, do Presidente. Mesmo que fosse, RDPAfrica, prestou um mau papel. Ora Vejamos, Angola vive problemas serios com saneamento basico, basta ver os resultados das ultimas chuvas. Ha interesse em nos apoiar, mas de forma reciproca. Ja o DR Abilio tinha referido a nossa Diplomacia, Tem havido falhas graves. 300 milhoes!! Quem vai gerir isso??? Os tubarões? devem estar ja na estrategias com formações de parcerias!!
    Lembremos destas Expressoes:
    “Retificason, Níua Ngue na ca fa tefá, ée ée!
    Angola nos conceder creditos em condições favoraveis, mas calem-se, falem menos!!

  16. laranja

    12 de Abril de 2013 as 15:52

    Estou de acordo com “Sulila”. Queremos Turismo no Páis. Queremos investidores. Temos que nos abrir ao mundo. Partindo dessas premissas, porque não abrir a janela a Angola, como experiência, de modo a que, os nossos controladores fronteriços aprendam a lidar com a situação e lentamente vir a abrir a porta, se necessário o portão, a outros países amigos, principalmente esses, cujos os concidadãos não vêm cá, estando os seus respectivos países em recessão, vender cebolas, batatas e peças usadas.
    “Diplomacia faz-se procurando sempre trazer brasas para sua sardinha”.
    Isto de estar mais um ou dois dias em Angola ao convite do Chefe de Estado Angolano, não é problema, desde que não fira as n/Leis.Para reflexão: quando o antigo Primeiro Ministro, Patrice Trovoada, saía, sem dar satisfações à ninguém, os que hoje estão contra mais dois dias em Angola, porquê que não lhe chamavam a atenção. Tinham medo ou porque ele trazia os restos para lhes fazer calar? Não se atreviam a dizer nada, ai desses lacaios!
    Outrossim, os órgãos de soberania devem estar de braços dados, pois as suas ações complementam-se para o bem do País e consequentemente do POVO. Dôa a quem doer! Viva S. Tomé e Príncipe

  17. Carlos Mena

    13 de Abril de 2013 as 0:34

    Ao mesmo tempo que tento ler os comentários dos texto aqui colocados também as lágrimas vêm me aos olhos. A julgar pelos textos testados e castigados de erros ortográfico aqui colocados é fácil perceber em que garras se encontra o meu belo País medieval. S.Tomé promete.. E muito! Afinal em S.Tomé a Educação padecem de uma contradição atormentadora: é suposto os alunos com bolsa de estudo no estrangeiro aprenderem e assegurar um bom nível de conhecimento de forma a ajudar a desenvolver o País. A intenção subjacente à ideia da formação no exterior foi a redução das diferenças entre as classes sociais e o aumento das hipóteses de todos de ascenderem socialmente devido a uma preparação cultural abrangente a fim de poderem levar uma vida rica e plena. Para além disso, havia a esperança de a formação no estrangeiro promover o que era designado por “competências comunicativa”, significando uma maior compreensão mútua.
    Hoje em dia já é bastante pacifico afirmarmos que, a avaliar pelos resultados, o GOVERNO não ganhou, o País não ganhou e o Povo não ganhou esta disputa. Todas as avaliações comparativa dos aproveitamento para o País demostram que muitos dos alunos bolseiros no exterior acabam por ficar nestes oportunos Países- por mais diversas razões, nomeadamente o nível do desenvolvimento dos mesmos é claramente superior que o nosso S.Tomé. E ficou bem provado que mesmo aqueles que regressaram arrependem-se amargamente uma vez, que não encontram oportunidade de vida no seu próprio PAÍS. A única esperança que me resta é que os poucos corajosos que tiveram a infeliz ideia de regresar, como eu! Não paremos de lutar…Perante estes deprimentes resultados, os representantes nada fazem, por outras palavras: o feitiço consistiu na manutenção de ficções, na negação da realidade e no esforço de ignorar as evidências. Depositar alunos no estrangeiro não trouxe um retorno acentuado ao País. PONTO!! Em resumo, a educação esta num estado lastimável que a miséria permanece completamente desconhecida, visto a sua dimensão ser inconcebível,
    Tal estado de coisas deve-se ao facto de terem perdido as referências. Já não se sabe o que deve fazer, e com que finalidade. Uma vez que os antigos cânones do governo parecem ser redutores e caducos,
    Este já vai longo-e ainda tenho que ir dormir meus irmãos….

  18. raposo joaquim

    14 de Abril de 2013 as 11:58

    «O que queremos com angola, é uma cooperação em que Angola ganha e São Tomé e Príncipe ganha. Uma cooperação que não tem esse carácter não tem perenidade. Estamos convencidos que conseguiremos abrir espaço para que os agentes económicos dos dois países possam contribuir para reforçar as relações entre São Tomé e Príncipe e Angola, para o desenvolvimento dos dois países» Estas declarações para mim, forma as mais felizes feita por Pinto durante este mandato. Para mim agora falta MLSPT/PSD, falar o mesmo em relação ao MPLA, cujo tem sempre dado MLSTP meios e não há contrapartida.

  19. crédo

    14 de Abril de 2013 as 18:37

    Eu sou directo, se não fosse por causa de petróleo, para mim cooperacção com Nigeria deveria acabar e Ruavamos eles daqui eu não sei na verdade o que esses gajos fazem aqui, nem eles nem Libaneses, Gaboneses, eu penço que não estãos aqui para nos ajudar mais sim para nós impatar ok, esse é minha opinião ok. quem gostou chora ok.

  20. Barão de Água Ize

    15 de Abril de 2013 as 16:41

    Só 15 dias? Não se entende que com Angola a circulação de bens e pessoas ainda não é totalmente livre.
    E também por que na CPLP a circulação de pessoas e bens também não é livre.
    Acabar com os vistos, acelera a Economia e ajuda a combater a pobreza.

  21. São Tomé Poderoso

    18 de Abril de 2013 as 23:20

    Pinto da Costa esta a desmoronando São Tomé e Príncipe..!!

  22. madalena

    20 de Abril de 2013 as 22:35

    Não basta isentar de vistos, os operadores turísticos estão com capacidades para receberem os turistas angolanas, qual e a nossa capacidade de carga:
    Apenas devíamos isentar, por meios de provas os académicos e homens de negocio, o resto paga visto.

  23. madalena

    20 de Abril de 2013 as 22:38

    Presidente, tem hipótese querendo, para fazer uma presidência de fazer inveja, corrig

  24. madalena

    20 de Abril de 2013 as 22:41

    Presidente, tem hipótese querendo, para fazer uma presidência de fazer inveja, corrigir os eventuais erros do passado.
    Neste momento as coisas estão mais clarificadas, temos petróleo, já não e sonho, por isso podemos fazer o negocio de igual por igual com vantagens comparativas.

  25. Felisberto Bandeira

    29 de Maio de 2013 as 13:48

    Com Pinto no poder santomense em Luanda e em St.me e Principe ja estao viver muito bem dai a pouco Stome e Principe será uma província de Angola e vamos viver muitiiiiiisssssimo bem escolhemos Pinto agora temos que aguentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo