Política

Publicidade do anterior governo no Financial Times provocou arresto do Ministério das Finanças

O ex-Ministro das Finanças Américo Ramos assinou acordo de publicidade com a empresa inglesa Globus Vision, para publicação na edição em língua alemã do Financial Times de artigos sobre as acções do anterior governo, no valor de 192 mil euros. A dívida não foi paga, o Tribunal Arbitral Internacional decidiu pelo arresto do ministério das finanças de STP.

O Ministério das Finanças de São Tomé e Príncipe, foi arrestado pela Câmara do Comércio Internacional, num negócio do anterior governo que visava publicitar a sua política, no valor de 192 mil euros.

Na busca de informções sobre os meandros do negócio, cujas despesas agora recaem sobre os ombros do Estado, ou seja de cada cidadão nacional, o Téla Nón descobriu que foi no dia 3 de Abril de 2012 que o governo de Patrice Trovoada assinou acordo, com a empresa inglesa Globus Vision, para publicitar as suas acções na edição alemã do Financial Times. O leitor tem acesso ao conteúdo do acordo assinado pelo ex- ministro das Finanças e Cooperação Internacional, Américo Ramos, CLIQUE –Acordo com a Globus Vision

No dia 28 de Junho do ano 2012, o mesmo ex-ministro das Finanças, Américo Ramos, enviou uma nota à empresa inglesa Globus Vision, em Londres, garantido que empresas públicas e privadas, como o BISTP, HBD, ENCO, Grupo Pestana, e o Banco Central, pagariam uma parte do valor da factura na segunda semana do mês de Julho de 2012, e que as empresas petrolíferas pagariam a outra parte no final do mês de Julho de 2012. O Estado pagaria a terceira e última parte em Agosto de 2012. O leitor pode consultar a nota do ex-Ministro CLIQUE – Carta do Ministro Américo

No dia 30 de Julho de 2012, o ex-ministro Américo Ramos, despacha uma série de notas endereçadas as empresas públicas e privadas, onde recorda o compromisso que o seu governo assumiu com a empresa inglesa Globus Vision, e indica o valor de comparticipação que o executivo exigia a cada empresa nacional, de forma a para pagar a dívida total de 192 mil euros. Clique para ver os despachos que o ex-ministro enviou às empresas – Nota do Ministro Américo à empresas

Apenas uma empresa privada que opera no país, acedeu a solicitação financeira do anterior Governo, a HBD Vida Boa. Esse pagamento foi anunciado pelo actual primeiro ministro, em declarações feitas no parlamento em Fevereiro passado. Gabriel Costa disse que a empresa HBD que opera na ilha do Príncipe, pagou 30 mil euros solicitados pelo anterior governo, mas reclamou bastante uma vez que o projecto hoteleiro só teve um pequeno rectângulo como espaço no suplemento do Financial Times em língua alemã.

A ENCO e o Banco Central, recusaram fazê-lo uma vez, que segundo as palavras do actual primeiro ministro, tais instituições fizeram saber que não foram se quer informadas atempadamente sobre a campanha publicitária do Governo de Patrice Trovoada.

O Grupo Pestana também se manifestou indisponível para conparticipar na campanha publicitária. O Grupo hoteleiro português enviou uma nota ao Governo em Janeiro de 2013, dando conta da sua indisponibilidade. Pode ler/ Clique – Carta do Grupo Pestana

O ex-Primeiro Ministro Patrice Trovoada, que numa das suas deslocações ao estrangeiro contactou a empresa inglesa Globus Vision para realizar a publicidade do seu governo, através do Financial Times em língua alemã, caiu em Dezembro de 2012, através de uma moção de censura. A dívida de 192 mil euros, que segundo os documentos  subscritas pelo ex-ministro das Finanças Américo Ramos, seria paga em finais de Julho de 2012, à Agosto ficou por pagar.

A empresa inglesa Global Vision, recorreu à câmara do comércio Internacional, que ordenou o pagamento da dívida por via de arresto do Ministério das Finanças de São Tomé e Príncipe.

Hélio Almeida, actual ministro do plano e finanças diz que «até o presente momento o Estado são-tomense não foi notificado». O Ministro manifestou-se surpreso. «Foi com uma enorme surpresa que tomamos conhecimento desse facto através da comunicação social», precisou.

Hélio Almeida, considera que as instituições do Estado devem agir. «Importa que os organismos competentes nomeadamente o Ministério Público, a Inspecção Geral das Finanças, o Tribunal de Contas, deverão produzir juízo de valor sobre a qualidade e o tipo de dívidas contraídas pelo país, e se foram observados os pressupostos normativos», concluiu.

Recorde-se que em Fevereiro passado, numa das sessões da Assembleia Nacional, o Primeiro Ministro Gabriel Costa, anunciou que uma revista alemã enviou ao executivo, uma factura de 192 mil euros, por causa de publicações feitas pelo anterior governo. «Este governo recebeu uma nota proveniente do jornal, dizendo que reclamam ao Estado são-tomense o pagamento de 192 mil euros», afirmou Gabriel Costa, que contestou a dívida. «Quando eu não tenho aspirina no hospital, não tenho medicamentos essenciais, vou tirar 192 mil euros para pagar essa brincadeira?», interrogou, tendo exibido uma cópia da publicação publicitária do décimo quarto governo constitucional.

O leitor tem acesso a uma cópia da publicação que endividou o país – Publicação Alemã

Abel Veiga

    78 comentários

78 comentários

  1. zeme Almeida

    26 de Junho de 2013 as 0:58

    No coment.

    • Ze

      26 de Junho de 2013 as 21:34

      Quem assinou esse acordo rompeu na banda com um Mercedes novinho em folha. Alguém pode me explicar em que país o Mercedes é fabricado?
      Um acordo assinado num formulário escrito na língua inglesa mas o conteúdo do contrato é escrito em Português. Bawê Meco, kwá skabi.

  2. zeme Almeida

    26 de Junho de 2013 as 1:01

    Nao vejo o mal nisto.Se assaltaram o poder,tem que assumir as dividas.

    • joven de 90 anos

      26 de Junho de 2013 as 8:38

      você devia ser repatriado porque na tua declaração mostra que não queres o bem para o meu pais.

    • joven de 90 anos

      26 de Junho de 2013 as 8:55

      isso tudo faz parte da historia de um pais sobretudo quando o povo deste pais não tem amor próprio , os políticos dividirão o povo para eles fazerem coisas desta ,mas o que eles não sabem e que o povo mas pacatos e que são o mais violentos estão sempre a convocar manifestações , cuidado gente se isto fugir de controle já não há como reparar.

      • inteligente

        26 de Junho de 2013 as 11:14

        meus caros,
        ainda bem, que publicaram também o Jornal:
        O que entendi o jornal publicita o país. eu percebi do anterior governo quis publicitar o país para o mundo de negocio. É uma forma de incentivar os grandes investidores para o país, nós somos pequemos más devemos pensar alto.

        • jovens de 90 anos

          26 de Junho de 2013 as 16:59

          cara intelijente comcordo inteiramente contigo , mas nao devem nos esqueser que um pais se desenvolve com :
          – pesoas serias
          – desisoes sertas
          – com pes asentes no chao, quen nao tem posse nao inventa moda .
          essa nao foi boa uma boa desisao nem foi tomada por pessoa seria.

          • inteligente

            27 de Junho de 2013 as 7:08

            Quem é a pessoa séria, você? Só pode ser porque poderás próprio.
            Deves saber que ganharás totoloto se jogares. E se ganhares poderás fazer muita coisa.
            marketing é um processo indispensável para negócio.
            com investimento estrangeiro muitas coisas poderão mudar neste país, a começar de hospital, agricultura, até importação de produtos de qualidade para alimentação

    • bem ni wê mali ni tlachi

      26 de Junho de 2013 as 12:08

      Tu não sabes o que diz…

    • JB

      26 de Junho de 2013 as 13:59

      Senhor Zeme Almeida, o seu comentario denota-se uma tremenda patetice do seu lado,assim se pode entender quanto oportunistas e falta de visao existe em STP, com pessoas com ideologias e visao como senhor, jamais,repito jamais sairemos do abismo em que nos encontramos.Enquanto de deixarmos de cegamente sermos partidarios e comecarmos a ver STP como de todos os Santomenses e nao de Partidos politicos e sobretudo podermos entender o que e bom e mal, vamos afundando cada vez mais e mais. Entao o senhor acha, independentemente do partido ou governo que esteje no poder, logico um Estado despender tanto valor para uma publicidade num jornal em lingua Alema? Quando temos pessoas na profunda miseria e o senhor vem de forma partidaria e patetica dizer que e normal. Por favor tenha um pouco de vergonha na cara porque se por acaso tem filhos ,familia etc talvez a ligacao partidaria lhe tornou tao cego ao ponto de perder a capacidade de racciocinar que este dinheiro independentemente de que esteje no poder ou de que forma tenha la chegado,faz imensa falta ao povo Santomente que julgo estar o senhor,seus filhos e familias incluido.Portanto vamos deixar de querelas politicas e pensarmos com logica para um futuro melhor do nosso STP.

      • verdadeiro

        26 de Junho de 2013 as 16:40

        E O dinheiro que foi gasto na compra de arroz como fica meus Sr. temos que parar com isso a intenção foi boa vender imagem do País

      • inteligente

        27 de Junho de 2013 as 7:18

        teremos que entender que quem governa o país são políticos, embora cada um com a sua ideologia, com democracia e sem democracia.
        Ainda estamos de parabéns, porque podemos exprimir ainda aqui a nossa ideia, forma de pensar etc.
        Mas uma coisa é certa não podemos ver apenas para presente, teremos ver para o futuro para não correr risco de os nossos filhos, netos, etc., viver mesma coisa que estamos a viver. Os políticos terão que pensar no futuro, no desenvolvimento de São Tomé e Príncipe. E para tal teremos que arranjar forma para incentivar grandes negócios e isto foi a aposta daquele governo que eu pessoalmente congratulo.

    • "Nós por cá e a nossa maneira"

      26 de Junho de 2013 as 17:58

      …..claro que não faz, mesmo sabendo que hospital não tem medicamentos, mesmo sabendo as estradas estão cheias de buracos, mesmo sabendo que sentam numa turma de aulas 50 alunos para um unico professor porque os dele estudam no IDF, mesmo sabendo que a função publica está um caos autentico e que não há mínimas condições para o atendimento das necessidades publicas, mesmo sabendo, etc,etc,etc……estas atitude é pinetes no meio do caos criados para se poder governar mais e melhor……..estamos num bom caminho…….

      …..haver vamos…..

  3. João Carlos

    26 de Junho de 2013 as 2:08

    Quem deveria pagar, as empresas ou o governo?

    Fiquei com duvida.

    • bem ni wê mali ni tlachi

      26 de Junho de 2013 as 12:10

      Que ficou agora pra pagar são governo e uma empresa privada…

  4. António Silva

    26 de Junho de 2013 as 6:03

    Que coisa!
    Se existiu um compromisso com a referida empresa, tem de ser pago. Não vejo como reclamar!
    Agora produzir só este documento e o custo ser de 192 mil euros parece-me um exagero!
    Isto dá para ver como alguns responsáveis do país são incompetentes e frágeis. Assinam, assinam documentos e depois dá nisto. Assinaram anteriormente aquele negócio com a SYNERGIE, salvo erro, relacionado com a energia; o estado não cumpriu, rasgaram-no, depois o estado foi condenado a pagar uma avultada indemnização, que daria grande jeito utilizar aquele valor realmente na melhoria da situação energética do país. Agora é este.
    Qualquer dia temos de entregar o próprio país!
    É inadmissível!

  5. Gente burra de mais pa

    26 de Junho de 2013 as 7:17

    Esta é que é governar com transparência….
    Francamente,em que pais nós estamos????
    O patrice tinha coragem de fazer semelhante coisa?????
    queremos saber se o estado S.Tomense ira perder as instalações das finanças ,ou o Senhor patrice tera que acatar com as consequências…..
    Que justiça seja feita….

    • homem honesto

      26 de Junho de 2013 as 9:00

      É bom que se diga, o dinheiro não entrou no bolso do membro do XIV Governo. É um investimento, porque o País não é conhecido.
      Não é o caso de STP TRADING que o dinheiro entrou nos bolsos dos responsáveis da referida empresa (DELFIM, ARMANDO CORREIA e OSVALDO SANTANA e RB).

      • Téla Nón

        26 de Junho de 2013 as 9:07

        A norma dos comentários não aceita letras maiúsculas, faça atenção. Leia a norma no espaço ACERCA. Última excepção.

        • HMM

          27 de Junho de 2013 as 5:46

          Inclusive siglas? Ou estas são uma excepção a regra?

    • feijoada

      26 de Junho de 2013 as 9:03

      Ora meu caro,

      Estamos a pagar os 5 milhões do brasil, recorda…. O ADI começou a pagar… São 26 vezes do valor. Mas ja se sabe desses alarmes barratos. O ministro deixou bem claro q ainda não foi notificado.

    • inteligente

      26 de Junho de 2013 as 11:17

      nós não podemos viver na mesquinhice, se queremos ser grande, teremos que pensar grande e elevarmos-nos.
      teremos que saber que jornal estamos a falar

  6. fabu

    26 de Junho de 2013 as 7:26

    Para isto,o Américo serve,para bandidagens,nem O Américo,nem o maldito ADI,donde eu já votei,tem argumentos contra toda esta corrupção que existe.Américo só serve para isto,quando se trata de formação dos quadros de Finanças,ele corta,mas quando se trata de propaganda barrata e maldita gasta-se muito dinheiro.Isto é uma vergonha,os Ministros de ADI,deveriam estar na cadeia central,a começar de Patrice e todos os outros bandidos que só enriqueceram a nossa custa.Maldita seja,Maldito seja,que raio de país! Que raios de dirigentes corruptos,temos que dizer chega de uma ou outra forma,Américo que assinou todos estes documentos deve ir para a cadeia central,isto é um abuso de confiança,abuso de poder,falta de respeito,mas que raio é isto,O Ministério Público e os Tribunais,vão assistindo esta triste cena,este triste episódio sem fazer nada?Com bons salários que ganham,com toda a mordomia proporcionada pelo estado,a custa dos nossos impostos? Mas que raio!

    • Sozinho no Mundo

      28 de Junho de 2013 as 15:46

      Pois,é, este é o País que nós vivemos, cada dia um cenário.

      dia mais dia ouviremos que S.Tomé e Príncipe foi vendido…….
      aí sim. Um país com tanta legislação, parece um República da bananas, cada um faça o que quer.
      mal de tudo isso é que não há ninguém que diz meus senhores para ai estão mal, e tem que pagar pelos os males que fizeram….

  7. Augerio Amado vaz

    26 de Junho de 2013 as 7:34

    Não vejo nada de mal que o Governo pague a uma revista internacional a publicitação do país. Porém, a forma como todo negócio se processou afigura – se de um amadorismo muito próximo a infantilidade; parece até que não existe Lei na Republica das Bananas. Como é possível um Ministro contratar serviços a terceiros, com tanto vícios de forma e de conteúdo? Até o contrato celebrado em S.Tomé, em língua Inglesa, num suporte particular… Como é possível que um Estado pode estar a pedinchar a Empresas de operam no país apoio para financiar uma coisa dessas? Que país estamos? É muito grave a informatização e banalização que o país chegou. Será que ninguém ira responder por isso? Não existe Lei na Republica? Onde está o Ministério Publico? .

    • Gente burra de mais pa

      26 de Junho de 2013 as 9:48

      Drº Augerio,o senhor enquanto juiz ,gostaria que nos dissesse baseando na lei como é que ficara o edifício das finanças que por conseguinte encontra-se penhorado a favor da tal empresa,em caso de não pagamento por parte do governo santomense?

      • Augerio Amado vaz

        26 de Junho de 2013 as 11:27

        Qualquer Estado é pessoa de bem, e é evidente que o estado santomense devia em primeiro lugar contestar esse negócio, aliás pela forma que ele foi celebrado, acho que há um vício de forma que deve ser imputado a quem assinou o documento e nunca o Estado, pelo que o estado santomense tem todos os mecanismos como resolver esse caso. Por outro lado segundo o outro artigo houve da parte da empresa contratada, cumprimento defeituoso do serviço…

        • E. Santos

          26 de Junho de 2013 as 17:09

          Não vou entrar em questões de erro de forma porque não entendo nada disso. Mas não concordo consigo quando diz que o Governo não deve pedinchar aos privados.
          Aliás, para um Estado que não tem dinheiro, acho que com isso demonstrou bastante sensatez e alguma humildade também. Contrariamente a informação inicial de que seria só o Estado a pagar.
          Com uma publicação destas, (se não houvesse erros e inverdades) que infelizmente o Gabriel Costa está a chamar de brincadeira (o que só demonstra a sua falta de visão de negócios) estariamos a publicitar o país para o bem quer do estado e quer dos privados que já actuam no mercado. Uma parceria entre o estado e os privados para o efeito, não me choca minimante. A intenção era boa, bastante arojada, mas infelizmente grandiosa para o Bolso do Estado. Nada melhor que partilhar custos para depois partilhar benefícios também.
          Agora, convenhamos…esta desculpa do Gabriel Costa a dizer que o hospital está sem medicamentos por isso ele não paga essa “brincadeira” ficou-lhe mesmo mal. Ele é jurista…Nós quando assumimos qualquer coisa, assumimos direitos e obrigações. Não nos podemos furtar deles. Temos de encontrar uma estratégia para contornar a situação.
          Bastava ele ter pedido um alargamento do prazo de pagamento ou outra coisa qualquer e evitava o arresto…pelo amor de Deus.

          • Augerio Amado vaz

            27 de Junho de 2013 as 16:15

            Meu caro amigo, a mim não me repugna de todo que o Governo possa estabelecer parecerias com empresas privadas para financiar esse tipo de negócio; e essas parcerias devem ser celebradas antes do Governo assumir com terceiros compromissos a contar com bolsos de terceiro, tinha dito pedinchar para não dizer chulear. Os negócios do Estado devem ser transparente. E mais grave ainda quando essa empresa é contribuinte fiscal desse mesmo Estado. Cuidado com trocas de favores…

  8. Augerio Amado vaz

    26 de Junho de 2013 as 7:36

    Informalidade

  9. Fala Serio

    26 de Junho de 2013 as 7:50

    Fala serio. Isso é brincadeira, e a quem ainda pensa que este Patrice Trovoada é serio. Me admira como tanta gente “intelectual” anda atrás deste senhor…
    Enfim, mercenários políticos…

    • Augerio Amado vaz

      26 de Junho de 2013 as 8:49

      O Governo recomendou a publicidade, e quem assinou o “contrato” se é que podemos chamar esse documento de contrato foi o Ministro das Finanças…

  10. Original

    26 de Junho de 2013 as 7:55

    Coitado do meu País e meu Povo;já não sei como manifestar o que vai na minha alma porque é muita coisa uma atrás da outra.Sai bandido entra bandido até quando?

  11. desta terra

    26 de Junho de 2013 as 8:01

    Pois é.
    A publicidade de um país desconhecido no mundo custa mesmo caro, sobretudo numa revista como a financial times.

    Mas, será que faz sentido canalizar 192 mil euros para fazer a publicidade do país?

    Se o país não tem o que comer, como é que vai pagar pela sua imagem?

    Por outro lado, essa divulgação poderá ter tido um grande impacto na divulgação do país pelo mundo, e ter resultados na atratividade de homens de negócios para o país tendo em conta a sua potencialidade em recursos petrolíferos.

    Nisso, o anterior primeiro ministro estava certo.

    O investimento de 192 mil euros era pequeno, a contar com o benefício que poder(á)ia advir.

    Só um grande investimento que poderá ocorrer dessa divulgação ( venda da imagem do país) poderá gerar para o Estado uma receita 20 vezes superior a 192 mil euros.

    Portanto a ideia de divulgação é boa. Se calhar o contexto económico é que é a menos adequado.

    Mas, investimento é sempre investimento e terá com certeza o seu bom fruto para o país.

  12. Fala Serio

    26 de Junho de 2013 as 8:14

    “…e há quem ainda…” queria eu dizer

  13. blagapena

    26 de Junho de 2013 as 8:28

    Este tipo Patrice é para estar na cadeia. Vê-se mesmo que a natureza dessa publicidade não revê no interesse nacional mas sim meramente pessoal. Tanto é que, em vem vez de estar na capa da revista as imagens de praias de São Tomé e Príncipe, está a imagem do senhor que só quer enriquecer e ficar famoso a custa do nome do país.

    Este homem Patrice Trovoada mais o seu comparsa ex-ministro das finanças Américo Ramos que está agora refugiado no U.S.A. devia ser chamdado perante os tribunais para dar explicações sobre essa brincadeira.

    Enquanto os hospitais estão sem medicamentos, o senhor Gabonês Patrice T. dá de luxo a custa de Zé Povinho são-tomense.

    O Estado pago o 192 mil euros sim, mas o senhor Patrice T. mais o senhor Americo dos Ramos teem que assumir as suas responsabilidades.

    • homem honesto

      26 de Junho de 2013 as 9:53

      Eu quero reelembrar o blagapena que a publicidade é cara. Pergunta a televisão Santomense quanto custa um anúncio. O jornal financial Times é um dos mais lidos pelas pessoas que têm massa e que podem investir no nosso País que muito precisa.

      • bem ni wê mali ni tlachi

        26 de Junho de 2013 as 12:14

        Meu caro o que acontece é que pais não esta preparado pra tal… com esse valor quantos medicamento não entrava nosso Hospital…Abri olho…

        • E. Santos

          26 de Junho de 2013 as 17:15

          Podes até ter razão. Mas podia-se ter comprado os medicamentos e o mesmo ficar nas alfandegas a apodrecer como o outro lote ficou. E não viamos nem medicamento e nem publicidade na mesma.
          Se és pobre e tens a pretenção de ter um negóciozito, o que fazes é apertar a bariga a ver se consegues juntar algum dinheiro para investir. Se não fizeres isso e continuares todos os meses a gastar o teu salário todo com comida, nunca mais consegues abrir negócio na vida e vais morrer igual. Tudo isto é uma questão de opção. Do sacrifício que cada um está disposto a fazer para triunfar. É igual a esta opção do Governo.
          Pena que foi tudo mal feito.

  14. Pensamento

    26 de Junho de 2013 as 9:15

    Quanto ao qualidade do conteúdo não posso me pronunciar, mais o mercado alemão é para mim um mercado estratégico para investimentos dessa natureza. Essa publicidade poderá trazer ao país muito mais rendimento do que aquele que foi gasto; e é correto que as empresas privadas comparticipem, pois serão as primeiras as se beneficiarem.
    Mas um investimento dessa natureza não deve ser feito “em cima de joelhos”. Deve ser bem concertado entre todos para que não haja surpresas, como foi o caso de pestana.
    Devido a continuidade do estado, o actual governo deve assumir esse compromisso do Estado e apelar a todas empresas envolvidas para darem a sua contribuição nessa causa que é de todos nós.

  15. Actual TVS e Conselho Superior de Imprensa

    26 de Junho de 2013 as 9:15

    onde há continuidade de estado, o governo de Gabriel paga a factura e mais nada. para isso é que serve o poder. não é só andar de viaturas novas que o governo do Patrice deixou.

  16. akeles

    26 de Junho de 2013 as 9:32

    Abel Veiga,Bom trabalho de investigação.Não vamos crucificar o Patrice, a intenção era boa, somente k o pais tinha outras prioridades.

  17. Gil

    26 de Junho de 2013 as 10:00

    🙂
    Isso é o que acontece, quando não se faz o trabalho de casa.
    Deveriam fazer um estudo (vantagens e desvantagens antes do assalto)
    Roubar também dá trabalho!

  18. Estrangeiro

    26 de Junho de 2013 as 10:01

    O bom do artigo publicitario é, que até corresponde à verdade: Promessas, promessas e nada mais.

  19. E agora.?!...Falo eu

    26 de Junho de 2013 as 10:02

    Budô sá sonó…Só não temos dinheiro para resolvermos os problemas da saúde, educação, saneamento, estradas, etc, etc…Mas par certas coisas, budô ambloió.

    “De nada adianta o vento estar a favor se não se sabe pra onde virar o leme.”

  20. jojo

    26 de Junho de 2013 as 10:40

    Minha gente

    Onde está o ex-Ministro que assinou esta barbaridade?

    Deve-se chamar responsabilidade aos irresponsáveis…

    Onde é que já se viu tomar atitudes que levem o arresto do Ministéio de Plano e Finanças de um país?

  21. Moço Lazon

    26 de Junho de 2013 as 10:52

    Como sempre as opiniões se divergem(óbvio)!
    Não deixei de ler os comentários anteriores antes de fazer a minha observação. Há quem diga que não vê mal no artigo, por ser um investimento de marketing publicitário; outros dizem que é um mau negócio e que demonstra a incompetência do anterior Governo; eu pergunto: é mesmo necessário desembolsar 192 mil euros para publicitar as acções de um Governo, num país na extrema miséria, com falta de meios mínimos de saúde no único Hospital? Há necessidades de gastar a tão avultada quantia em publicidade num país praticamente sem saneamento básico, num país em que o arroz que é posto a disposição da população é prejudicial a saúde da mesma?
    Caros irmãos sejamos imparciais (deixemos de partidarismos)nas nossas análises.
    Os governantes têm que se preocupar com as condições mínimas de bem-estar do seu povo ,porque quando as acções dos governos são boas elas não precisam ser pagas para serem divulgadas, são divulgas sem custos para o Estado.

  22. Me Zemé

    26 de Junho de 2013 as 10:58

    Que ponham o caso na justiça, pois a nossa justiça mostrou ser eficaz com os comandantes dos barcos que são estrangeiros, certamente darão conta rapidamente com esses alemães e PT.
    Agora, não se esqueçam de arroz, pois esta é actualidade mais importante. Temos que pensar em arranjar mais dinheiro para a saúde, pois o pessoal que comeu este arroz terá no mínimo menos 2 anos de Vida.

  23. camarada

    26 de Junho de 2013 as 11:44

    Essa afirmação é típica de chefe,
    “Gabriel Costa, que contestou a dívida. «Quando eu não tenho aspirina no hospital, não tenho medicamentos essenciais, vou tirar 192 mil euros para pagar essa brincadeira?», interrogou, tendo exibido uma cópia da publicação publicitária do décimo quarto governo constitucional.”
    Se fosse no bom sentido não seria brincadeira, acontece é que isto é sistema. Já vem de sangue, dos nossos antepassados. Basta perguntar qual é o apelido do PM diz tudo.
    Dificilmente STP vai dar passos rumo ao desenvolvimento se depender desses apelidos d pós 25 de Abril (dos chamados camaradas). Vimos exemplo de PM.
    Foi chefe de estado e no entanto infectou os ministro todos. Isso contamina meus caros.

  24. androil

    26 de Junho de 2013 as 13:06

    Porque o Ministerio de Plano e Finanças e não a Mansão da Praia das Conchas? Ficava tudo resolvido.

  25. Negro de STP

    26 de Junho de 2013 as 13:34

    Não vejo mal nisto!
    Então muitas empresas fazem puplicidade em jornais e revista para serem conhecidas e atrair clientes.
    Muita gente não sabe mais em muitos paises não se sabe que S.Tomé existe.
    Colocar o nome de S.Tomé em uma revista como Finacial Times é uma ideia brilhante pode atrair investimentos . O atual governo só tinha que pagar a divida.
    Em S.Tomé ja foram desviados para os bolsos dos governantes montantes superiores a 192 mil euros .
    Ou querião este dinheiro para comprar arroz podre?

    • Non Mole

      26 de Junho de 2013 as 15:05

      Comentários como estes deixam antever que jamais sairemos do poço,porque qualquer um por mais abubé que fosse antes de dispender qualquer soma,seja lá,para o que for, pretende deste acto retirar algum beneficio,gastamos na condição em vez de investirmos nos pressupostos,um ubertosos prudente não se fiara na publicidade,antes sim em saber se a Justiça no País a investir funciona se existe saneamento do meio,se o quadro legal disponivel conferi- lhe garantias,se existem incentivos fiscais,quais as acessibilidades em termos de transporte,etc,etc..Isto tem um nome luxo na miséria e mais nada…pergunto aos defensores deste inominável acto qual o estudo feito em termos de custo beneficio desse avultado investimento (assumindo que somos um pais pobre)?Quais os potenciais investidores visava?Eu chego a conclusão que,se exprimido por alguns,neste fórum a favor deste facto resultar de um exercício simples de memória,e nada mais,então não há duvidas que o caminho faz-se caminhando,e estamos muito mas muito atrasados…

      • Negro de STP

        26 de Junho de 2013 as 17:36

        Meu caro Nom Mole estamos no poço a 38 anos nenhum governo foi capas de nos tirar do poço .
        O que faz-lhe pensar que vamos sair do poço agora ?
        Isto não passa de uma manobra politica para conquistar a simpatia do povo e enganar os mais distraídos.

        • Non Mole

          27 de Junho de 2013 as 9:12

          Reitero tudo que disse,fundamente os factos que o leva a qualificar essa noticia como manobra de diversão,as provas estão aí,uma carta do monstro assumindo a divida,a foto do culto de personalidade,etc,etc,meu caro se vós sois alguém informado,há de reparar que esta atitude do Sr. Patrice è típica de certos políticos da africa central,lugar aonde tal Sr. absorveu muitos dos seus princípios,o palco principal desta publicidade era a revista “jeune Afrique”mas como esta deixou de ter expressão mundial,este Sr.optou por ser mais audaz,e tenha santa paciência nao me queira introduzir um barrete,fixe nao só na intenção do acto,cujo o valor caberá a cada um ajuizar,mas também na forma amadora e irresponsável em que se consumou,pf,e pf,se o Sr. não tem esperança e confiança em dias melhores,o problema é seu,eu não posso deixar de a ter ainda que fossemos independentes a 100anos,porque para mim perder esperança é deixar de viver…e ultrapassar dificuldades e propor novos objetivos é intrinsecamente uma condição natural do homem,e manobra de diversão Sao essas suas desculpas esfarrapadas que ofendem o meu QI …Antes de defender o seu amo,reflita…porque nem tu acreditas na inocência deste,…Se somarmos estes 192 mil euros ás mil e tantas viagens de resultado zero,em nome de investimento,eu teria,o sr também acesso a bens primários de melhor qualidade,alguns de vós são insensíveis,bem a dias passou na TVS,noticia de 2 crianças abandonadas que comiam os seus excrementos,sem falardes mae que vendeu os próprios filhos para que passássemos fome,e o Sr fala-me em manobras de diversão,em pensar grande,fique a saber que o exercício da actividade política,deve ter como pressuposto da sua legitimidade as pessoas,que futuro augura para as nossas crianças?Pense hás de ser pai ou mae,revelas muita imaturidade…

          • Non Mole

            27 de Junho de 2013 as 9:19

            Perdoem-me os erros as (in)correcoes) Sao feitas pelo instrumento que utilizo sem que de conta.

    • Non Mole

      26 de Junho de 2013 as 15:07

      “ubertoso”leia-se investidor…

  26. Varela

    26 de Junho de 2013 as 14:25

    Se o estado paga, eu também estou a pagar por isso, não aceito! Quem deveria pagar é o Patrice e o seu ministro .

  27. O mais certo

    26 de Junho de 2013 as 14:58

    Caros Santomenses, acredito que a questão está sendo tomada para aproveitamento político. Mas convenhamos; Hoje em pleno século 21, sabemos que é preciso divulgarmos o nosso país que por si só já está um pouco isolado do mundo pela insularidade, pobreza, pequenez e mais… Devemos louvar que pelo facto do governo anterior ter procurado projectar STP, através desta revista, já é muito importante. Podem crer que procurar desenvolver STP passa também por aí!Ora, se houve algum problema na celebração do contrato, ou por outro, a outra parte ter explorado mal o referido contrato, pode STP, o actual governo denunciar o contrato e em foro próprio chegar a uma conclusão. Minha isto é um país: Há Santomenses que têm aqui carros que custaram 80.000 dólares!!!!! E publicitar um país?? !!!Minha gente, deixemos de politiquices e marchemos!

  28. bmw

    26 de Junho de 2013 as 15:11

    penhora bens, dos que assinaram os papeis e sabiam do caso e deixa edifício das finanças. hospital ,educação, infraestrutura a precisar desse dinheiro. passarinho com vontade de ter asa do falcão, é que fez essa gente assinar isso.piaaaaa

  29. concozuco

    26 de Junho de 2013 as 15:18

    Nunca ouvi tantos disparates, pessoas que comentam coisas que nao entendem. Publicidade tem o seu custo. Paises ricos como Angola que ja sao por si so conhecidos publicitam em cadeias de televisao como a CNN. Nos somos pequenininhos se nao publicitarmos como vao saber que existimos. Dr Gabriel Costa esta a ser populista. Estado e Estado. Ha continuacao. O governo vai ou nao vai pagar os 5 milhoes de dolares da STP Trading ao Brasil. Quantos medicamentos podia-se comprar? Novo governo velhos comprimissos contam. Deixe de politiquices. Deixe de FLA SO. Veja o que outro fez de bom. Haja paciencia.

    • Zinane

      26 de Junho de 2013 as 19:11

      E países como angola, cabo verde, moçambique também já foram publicitados no Financial Times nos mesmos moldes em foi feito pelo governo do PT. Qual é o problema? Paguem a fatura que é a vossa obrigação.

      • Non Mole

        27 de Junho de 2013 as 21:02

        Perdoe-lhes Senhor,não sabem o que dizem,assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido e nao os deixe cair em tentação mas livrai- los do mal,Anèm…porque só com Cristo

  30. kwatela

    26 de Junho de 2013 as 21:53

    “cada povo merece os dirigentes que têm”
    mas será que nós os santomenses merecemos os dirigentes que temos???
    senhores políticos,quem semeia vento colhe tempestade.
    cuidado!!!a paciência tem limites>

  31. Antagónico

    26 de Junho de 2013 as 22:05

    Existe muita impunidade em São Tomé e Príncipe, dá sensação que não existe aparelho judicial. Este tipo de contrato ou negócio é pura infantilidade, e remeter os ofícios a responsabilizar empresas públicas ou privadas pelo pagamento é considerado uma corrupção ativa. Quantos estudantes santomenses publicam trabalhos nas faculdades estrangeiras sobre São Tomé e Príncipe? Pedia-se ajuda do estado sob representação do anterior governo, a resposta é “não há verba”. que vergonhoso, má gestão de coisas públicas. Sou de opinião que deve-se penhorar bens de políticos que lesam o Estado. Não acredito que este tipo de publicidade teria tido algum impacto do retorno ao investimento. O país deve ter pessoa séria que inspire na unidade, disciplina e trabalho. É urgente a reforma no sistema judicial no país.

  32. meu namorado

    27 de Junho de 2013 as 8:31

    esses comentários parece ser uma campainha antecipada, e ao mesmo tempo tentando incutir na mente das pessoas que o anterior primeiro ministro é má fé. sempre falando que a saúde e educação poderia ser prioritário tentando mostra solidariedade ao povo mas nunca o fazem. é só falar em vez de fazer. depois de serem eleito passam por volta de três anos a falar dos problemas do anterior poder, e o resto do tempo é para a campainha antecipada. E o povo cansado de ver promessas não cumprida, resta é esperar banho…

  33. Binóculo Século XXI

    27 de Junho de 2013 as 9:08

    Mais um ato vergonhoso e deplorável do senhor Patrice. E triste como alguém, que apregoava aos quatro ventos combater a corrupção, ser o maior b…famigerado, desgraçado, que esta república já conheceu, nascido no Gabão. Como alguém com tamanha responsabilidade e em sã consciência, e que dizia defender o Povo Pequeno pode fazer uma coisa dessas? Isto é um absurdo. O país na miséria, sem medicamentos básicos no Hospital, colocava água perfurada com cheiro a barro, nas localidades e hoje já não corre (nem um copo ele bebia, porque sabia que era imprópria para consumo humano) e ele a pavonear-se na primeira página como os dentes abertos como um macaco a querer vender ilusões para a população. Tudo isso por que este senhor fazia a gestão da coisa pública, como da sua casa se tratasse. Mesmo assim, este gabonês passa a vida a financiar boicotes, manifestações com Kauíque e Ângela Pinheiro à testa, e outras sabotagens para impedir o funcionamento pleno do país. Resultado temos uma grande dívida e que nem as entidades indicadas por ele não assumiram tamanha barbaridade e desatino. O Hotel Pestana foi claro, não embarcamos nesta aventura porque não está orçamentado. O seu próprio banco, (BGFI) fez orelhas moucas e não pagou. O Banco Central que o malandro tentou envolver através da fotografia da sua prima e governadora, também pulou fora, Agora pergunta-se: Quem vai assumir? O Estado? Não. Esta despesa não estava orçamentada e nem cabimentada? Questiona-se o Ministro Américo ( que recebeu um mercedes de bónus) não sabia que não podia fazer despesas à margem do orçamento? Sabia muito bem. Será também que não sabiam que a Lei SAFE prevê sanções severas para os prevaricadores que tentam contornar a lei das finanças públicas? Conclusão. O Ministério público deve instar estes dois senhores e agir em conformidade, procedendo ao arresto dos seus bens. O PT será arrestada a casa da Praia das Conchas que ele comprou do Fradique e o Américo do dinheiro que recebeu da sua comparticipação da falsificação e usurpação de poderes na assinatura indevida do Kosovo.
    Abaixo os pilantras corruptos que querem tirar o pão dos nossos filhos e lançar o nosso país no blôgodô.

  34. de Ceita

    27 de Junho de 2013 as 10:43

    Existem diferenças nas formas como se concebe a governação deste país: Uns aranjam formas de atrair investimentos externos, publicitando um país que quase que ninguém conhece, enquanto que outros têm como filosofia pedir dinheiro principalmente aos vizinhos aqui do lado.

    • Receita para burros

      28 de Junho de 2013 as 0:11

      Antes mil vezes pedir do que vender gato por lebre,a gente sem cérebro,com vontade de opinar,advogados do diabo,publicitar miséria,em sua casa tu convidas amigos pra sentar no chão,cresça e apareça,estou cansado de ler comentários de nédios parecem cegos,raio,raio,publicitar o que afinal,quais as condicoes que criaste para convidar investidores,dê-me exemplo de um unico investimento resultante dessa palhaçada toda,? Deixem de ser nédios…Nao é que o que temos
      agora que nos dá arroz podre seja coisa que preste nas ao César o que é de César…antes de escrever pense porque quer queiras quer nao este é um espaço publico,poupe-nos de tristezas e leia um pouco mais quem sabe…!!!

      preste mas convenhamos ao César o que é de César

      • de Ceita

        28 de Junho de 2013 as 14:15

        O seu comentário está meio confuso, mais de um pouco que pude aperceber, é que, até quando os « padrinhos» vão continuar a sustentar-nos?; será que nós territórios dos «padrinhos» não existem necessidades?Vou até mais longe, S.T.P é um país que não se deveria dar nenhum tostão de mão beijada, pelo facto de se saber sobejamente, onde é que estes donativos param.Insisto que a melhor é atrair investimentos externos, lógico que a que arrumar a casa, sobretudo o aparelho judiciário. Para isso a que congregar vontades de todos os quadrantes. Será que existem vontades para este desiderato?

  35. Alberto Fernandes

    27 de Junho de 2013 as 11:50

    Malta, prestem alguma atenção e incherguem a verdade… deixem de politiquices e vejam pro país…
    O senhor Patrice Trovoada nunca quis poblicitar S. Tomé e Príncipe ou seja, queria sim fazer saber ao mundo que ele era o 1º Ministro de S. Tomé e Principe…
    Publicitar o país e mostrar as potencialidade de país para atrair turistas e investidores, mas se repararam é a cara dele que está na capa do jornal e o mais grave é pedir empresas públicas e privadas para pagarem pela sua cara…convenhamos minha gente, sejam honestos intelectualmente.

    • Pv

      27 de Junho de 2013 as 16:36

      Ao ler o seu comentário, lembrei me do tempo da minha infância, que quando olhava para as revistas, o que mais me interessava eram as fotos…

  36. Toni

    27 de Junho de 2013 as 22:12

    Caríssimos a despesa não esta na promoção internacional de um Estado, que na conjectura actual e deveras importante e na Alemanha e UK sao mercados importante para possível desenvolvimento na área do turismo e investimento.
    No caso de investimento, o Estado tem que mudar muitas altitudes, no caso do Turismo o Estado tem que que ter uma mente aberta a entrada de Europeus, por exemplo pagarem o visto a chegada a Stp, como faz Cabo Verde e Moçambique .
    O trauma e que os Orçamentos de Estado estão dependentes de dadivas do exterior, porque se pensassem em criar receitas no Pais com impostos resultantes do desenvolvimento que os investimentos exteriores pudessem trazer, este problema não existia.

  37. Dos Santos

    28 de Junho de 2013 as 6:57

    Quem compra cabra que estiver prenha tem que assumir os filhos quando nasci.Por isso procure racoes para resolver seu problema.

    • migo povo

      28 de Junho de 2013 as 12:25

      o bode que engravidou a cabra se tiver virus,o novo dono da cabra tem que responsabilisar esse bode e aconselhar o bode a comparecer perante os medicos(tribunas)

  38. migo povo

    28 de Junho de 2013 as 11:03

    o ouro nao vai a tras das pessoas ,mas sim as pessoas a tras do ouro,acho na minha opnião o governo não precisava faser dividas para publicitar o pais,mas sim faser dividas para implementação de projectos estruturante,como por exemplo uma fabrica para empregar muitos santomeses

  39. sonhador

    28 de Junho de 2013 as 12:50

    São Tomé e Príncipe esta cheio de “ILUMINADOS” é isto mesmo Iluminado gente com sabedoria virtual, e que nada põem em pratica, fala-se tanto e maus governantes e por aí fora que só vêem chorar na Internet, e na vida real o que fazem? NADAAA, quando o assunto é passar para a realidade, só vai as palaiês acompanhadas de conjunto e colunas com musicas para elas dançarem e chamam aquilo de manifestação. Ok não deixa de ser uma manifestação mas só se for cultural, porque de indignação aquilo não é, podem chamar o nome que quiserem mas mas de manifestação por desagrado a alguma coisa aquilo não é. e Portanto os “Iluminados” virtuais só ficam em casa a ver passar e depois aqui na Net tudo mundo tem vozes e sabe tudo conhece leis e puff por aí fora.

  40. Filho da terra

    28 de Junho de 2013 as 16:58

    O meu ponto de vista,O anterior governo do Patrice Trovoada nao tinha tempo suficiente para resolver o que Ele criou, uma vez que o poder foi assaltado pelo partido do MLSTP,agora o homem foi corneado e deixou a Mulher gravida quem responsabiliza o filho?Nós os filhos desta terra e que estamos sofrendo com esta situaçao,Deus nao dormi,um dia justiça a de aparecer,para todos que estao a denegrir esta terra.

  41. Democrático

    21 de Fevereiro de 2017 as 9:53

    São Tomé e Príncipe (páis) poderá um dia ser arresto de uma entidade internacional.
    Quem vos disse que o Patrice Trovoada e Americo Ramos querem bem para este país?
    Caso a sociedade civil, a oposição e o povo não se organizarem para fazer viva voz a nível internacional, O XVI Governo Constitucional irá continuar:
    1- Matar o povo de São Tomé e Príncipe,
    2- Roubar a olho nú, produzindo ricos em detrimento da Riqueza nacional;
    3- Viajar sem rumo e vivendo de subsídio do Estado- contribuição do Povo para a Direcção dos Impostos;
    5- Mentir a população, monopolizando a comunicação social.
    O país está sem rumo, ou seja, desnorteado com este Governo e Patrice Trovoada, Americo Ramos e do imbecil Varela!
    O Povo de São Tomé e Príncipe acordem, Patrice Trovoada acompanhado com Américo Ramos e Afonso Varela formam uma trilha de ganancioso em dinheiro, roubam, roubam, roubam para adquirir propriedade no estrangeiro.
    A título de exemplo: procurem saber o património desses indivíduos antes e depois de 2011.
    História muito, o país está de rasto….

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo