Assembleia Nacional reuniu-se com o Presidente da República para concertar reformas

Na quarta feira e depois da aprovação pelo parlamento de alguns diplomas, como a nova lei eleitoral, que ainda vai ser melhorada em debates na especialidade, o Presidente da Assembleia Nacional e os líderes das bancadas parlamentares reuniram-se com o Chefe de Estado Pinto da Costa.

Alcino Pinto, Presidnte da Asembleia Nacional, recordou as recentes intervençõe do Presidente da República, nomeadamente nas celebrações do trigésimo oitavo aniversário da independência nacional, em que apelou a reformas do sistema político, judicial e da administração públca.

Reformas que visam dinamizar o país e dar resposta às exeigências da actualidade e as necessidades do povo.

Quando em Junho último adiou a marcação da data das eleições autárquicas e regionais, O Presidente da República lançou desafio de reformas, para a comissão eleitoral nacional e para o sistema eleitoral nacional. Combate ao banho, ou compra de consciência, foi um dos pontos, e a participação dos cidadãos da diáspora nas eleições legislativas, uma promessa que deveria ser cumprida.

O Presidente da Assembleia Nacional, Alcino Pinto, acredita que as reformas solicitadas pelo Chefe de Estado, já estão em curso. A nova lei eleitoral aprovada na generalidade lança bases para tais reformas. «É um projecto que foi de facto aprovado pela Assembleia Nacional, e que se encaixa neste quadro de reformas. Vamos continuar a analisa-lo com a sociedade civil para que a decisão final em termos parlamentares seja de encontro as necessidades do país», pontuou Alcino Pinto.

O Presidente da Assembleia Nacional fez-se acompanhar pelos líderes das bancadas parlamentares, nomeadamente José Viegas do MLSTP/PSD, Delfim Neves do PCD, e Isabel Domingos que representou a ADI.  «Encontramos um campo aberto para que o senhor Presidente da República enquanto o mais alto magistrado da nação, possa também exercer a sua influência e dar a sua contribuição para que esse processo possa conhecer um avanço significativo», frisou Alcino Pinto.

No que concerne a reforma do sistema judicial, Alcino Pinto assegurou que a A assembleia Nacional está disponível para trabalhar junto com os tribunais e o governo,  para que elas possam de facto acontecer.

Abel Veiga

  1. img
    Malá Pé Temá Responder

    ADI já não tem líder da bancada nem vice líder? Lacaios estão com a cara queimada e mandam a coitada da Isabel a palhaça da festa para se queimar tb. Santo deus. Cadé os ADI do facebook (Arlindo Ramos, Olinto Daio, Elisio Teixeira) têm medo de estar cara a cara com Pinto da Costa.

  2. img
    Me Zemé Responder

    Já que agora a nossa assembleia está a funcionar em pleno e estão a pensar em reformas, aproveito aqui para deixar umas ideias.
    Fazer de forma definitiva as eleições autárquicas, regionais e legislativas todas ao mesmo tempo e teriam todos o mesmo período de duração, ou seja, 4 anos.
    Alterar o estatutos dos deputados ao nível de escolaridade, pois temos deputados muito fracos ao nível de formação, pois não é admissível que os deputados não saibam falar, não saibam interpretar testos em discussão, não tenham ideias construtivas. Temos que procurar levar para assembleia os santomenses mais inteligentes, pois temos que por o país a andar, embora se sabe que os deputados são eleitos ao nível das localidades e os gajos mais vivotas conseguem mais votos, mas só que na maior parte das vezes esses gajos são pouco inteligentes. Então, o partido deve procurar colocar nas suas listas aqueles mais inteligentes, se esses inteligentes não têm muito jeito para terreno, coloca-os lá terceiro ou quarto da lista, eles mais tarde substituirão aqueles empíricos vivotas que ajudaram a conseguir os votos (mas nunca esquecendo de os dar algo de compensação). Assim, poderemos subir mais o nível de discussão nas nossas plenárias e em especial nas comissões especializadas, pois com esse tipo de gente que vejo por lá, não sei o que farão nas comissões ditas especializadas.
    Outra coisa, é tentar arranjar uma forma de despachar os muitos documentos que estão ai pendurados para discussão e aprovação ou não, mas resolver-los, pois documentos estão ai há anos e anos.
    O caso na Lota de Peixe (agora super mercado), este governo entrou e não falou mais nada sobre isso, mas afinal de contas, quem é o dono, qual é o tipo de contrato o que o estado ganha com isso, o povo ainda não sabe…
    Gostaria de ver a nossa assembleia a trabalhar para o país e não para alguns.
    Deus nos abençoe!

  3. img
    Maria das Dores Responder

    Meu caro Malá Pé Téma, ao contrario dos outros partidos, o ADI continua a promover outras figuras e não ter sempre os mesmos desavergonhados a frente de tudo. Será que no MLSTP e no PCD só existem incompetentes e esse dois senhores sabem tudo. Convenhamos, façam comentários construtivos, racionais e com lógica, e deixem de ser estúpidos.

    • img
      Malá Pé Temá Responder

      Eu gosto ver te aborrecida, “Isabel Domingos” a palhaça das dores.

  4. img
    Barão de Água Izé Responder

    As reformas que tão dignos políticos deveriam analisar seriam:
    - Revisão da Constituição e regime Presidencialista (democrático, que não o do centralismo democrático);
    - Reprivatização de todas as roças e imóveis do Estado sem utilização produtiva, por abertura de concursos públicos internacionais.

  5. img
    Santomense Responder

    Acho que a sª Maria das Dores, tem justa razão! De facto as pessoas pensam que determinados indivíduos são insubstituíveis, facto que hoje temos país que temos, onde há indivíduos com mais de 15 anos no parlamento, partidos políticos em que a juventude não tem o seu espaço, porque os intocáveis não estão dispostos a ceder, enfim !!Temos que promover o espírito da mudança, de alternância e de oportunidade. O tempo da aristocracia autoritária, acabou. O desenvolvimento consegue-se com inclusão, com transparência, abertura, competência e trabalho. A juventude é a força motora e ela deve ser aproveitada no processo de reforma que tanto se deseja e se necessita!

Deixe um comentario

*