Política

Gabriel Costa de visita a Guiné Equatorial para relançar dossier petróleo

Uma visita de 3 dias, que vai permitir ao Chefe do Governo são-tomense relançar as negociações com a Guiné Equatorial com vista a exploração de um bloco de petróleo identificado na fronteira marítima entre os dois países.

Gabriel Costa durante a sua primeira visita na capital equato-guinense, pretende tirar maior dividendo cooperativo para São Tome e Príncipe, nos domínios de: transporte, educação comercio Turismo e a área do petroleo.

Telanon sabe que desta-feita, pode ficar decidido com esta visita a negociação directa, com vista a prospecção de petróleo na zona de sobreposição da fronteira marítima entre os dois países. Mais concretamente entre a ilha do Príncipe e a ilha de Malabo, que alberga a capital equato-guiniense.

E existência de tal bloco de petróleo entre os dois países, foi anunciada pelo próprio Chefe de Estado da Guiné Equatorial, no ano 2008.

Ainda como resultado da visita de 3 dias, o Governo de Gabriel Costa deverá arrecadar 2 milhões de dólares concedidos pela Guiné Equatorial desde o ano 2012, mas que o anterior governo não soube aproveitar.

A relação de cooperação e boa vizinhança entre os dois países, iniciou em 11 de Julho de 1972, quando em Santa Isabel, antiga capital de Fernão de Pó; hoje Malabo – Guine-Equatorial, nasceu o Comité de Libertação de São Tome e Príncipe, que mais tarde se transformou em Movimento do MLSTP como único e legitimo Representante do Povo Santomense.

Cerca de cinco centenas de santomenses e descendentes, vivem na Guiné Equatorial, espalhados pela ilha de Malabo e a região de Bata, esta última  a parte continental do país, que tem  maior rendimento per capita do continente africano.

Colaboração de Inter Mamata

    20 comentários

20 comentários

  1. António Silva

    28 de Agosto de 2013 as 14:58

    Há quanto tempo andamos nisto? Vendas de blocos; gabinetes para tratar dos negócios; viagens; leilões, e nada se vê!
    Fala-se, fala-se, do petróleo há mais de 8 anos. Continuamos no léve-léve e o mundo não pára.
    Alguém anda a encher os bolsos com toda esta história.

  2. Jornalista Amador

    28 de Agosto de 2013 as 17:10

    Meu caro Gabriel!!!
    Ainda se lembra quando criticava Filho de quem te assegurou nos momentos difíceis, e que viraste as costas só porque não te arranjaram tacho como Jurista na União Africana? Hoje também inventas viagens para conseguir verbas para mandar capinar teu terreno de campo de milho, Santo Amaro e quem sabe se for muito, construir algo…..
    Não vale a pena criticar…. um politico que não inventar viagens para mim, este sim, é grande corrupto, porque aonde ele vai arranjar dinheiro? Alem disso para mim significa que ele não é criativo.

  3. Manuel

    28 de Agosto de 2013 as 17:18

    Maior rendimento per capita, falta consultar o mais importante, o indice de desenvolvimento humano para elucidar os leitores sobre o desenvolvimento REAL da GE

    • Kwa tela

      29 de Agosto de 2013 as 21:06

      136

  4. Pen Drive

    28 de Agosto de 2013 as 17:40

    Faço como Santo Tomé. Ver para crer.

  5. Manuel Pontes

    28 de Agosto de 2013 as 18:58

    Espero que n~ao seja esquecida o bloco de petroleo que a Guine esta a explorar nas aguas terrotiriais santomenses. Nao faca como as negociacoes levadas acabo pelo ex-presidente Miguel trovoada e o entao presidente daquele pais vizinho, sendo que resultado oficial chegou ao publico.Nao somos Burros!…
    Votos de boa negociacao ao favor do povo

  6. atento ao dossier

    28 de Agosto de 2013 as 19:13

    Que boa noticia para embalar “bebés”.
    petróleo meus amigos esqueçam porque enquanto as multinacionais do sector tiverem esse produto a metade do custo de exploração do de S.Tomé nem uma gota vai sair do subsolo,e sabem porque? porque somos muito poucos e sem poder reivendicativo.
    Guiné equatorial Pais Africano com mais rendimento per capita ,que grande mentira
    per capita quer dizer por cidadão,como é possível essa analise se as riquezas estão todas concentradas num único cidadão o seu Presidente.

  7. atencioso na diaspora

    29 de Agosto de 2013 as 8:03

    ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh……..mundu te pesu….sempre com metiras…..enganar os analfabetos para conseguir o voto deles….aguas profundas, petroleo etc…projectos fantoxes….isto ate é um paradoxo….

  8. estou cá

    29 de Agosto de 2013 as 9:06

    Mais uma viagem dos dois ao mesmo tempo, os lideres dos órgãos de soberania têm que reconhecer as suas responsabilidades. negociar bloco de petróleo para arrecadar 2 milhões de dólares só telá nón pode ver estes dinheiro? continuam a brincar com esta expressão petróleo

  9. adriano rosamonte vaz da conceição

    29 de Agosto de 2013 as 10:26

    Petróleo,Porto em águas profundas estamos esperando com muita paciência até está deixando muita gente na incerteza acerca destes projetos estruturantes, mas como a esperança deve ser a última coisa a se perder na vida, quem sabe lá, se é que será desta vez?! a ver vamos, tal como se diz nesta terra que eu tanto gosto STP …VER PARA CRER mas que na minha maneira de escarrar a realidade na vida, deveria ser ao contrário, isto é :CRER PARA VER

  10. Maria de Lemos

    29 de Agosto de 2013 as 11:04

    Os dois altos responsáveis saem em simultâneo, quase se pode falar em descoordenação da agenda.
    Muita coincidência.

  11. zeme Almeida

    29 de Agosto de 2013 as 11:17

    Será voces estao a contabilizar tambem as viajens do primeiro ministro Gabriel Costas ao estrangeiro como fizeram ao eis?Será que estas viagens é que trarao bons frutos?Pelo que vejo nenhumas delas até entao nao tém havido nehnum fumo branco.Estamos cá pra ver o que isto dará.

    • Jose Silva

      29 de Agosto de 2013 as 12:05

      INfelizmente ha pessoas que ficaram tao tristes com a queda do Patrice Trovoada que ja nao conseguem analizar assuntos de STP sem odio, sem rancor e sem inveja. Meus senhores os homens passam e o pais fica. Deixem os governos trabalharem, esquecam o Patrice Trovoada e os seus problemas em paz, e procurem abrir os ohos para ajudar STP a avancar com ou sem Patrice. Eu nao estou a insultar niguem, so estou a pedir para abandonarem a cegueira e ser mais criativos para o bem de STP que nos pertence a todos. Eu tenho a certeza que o Gabriel Costa aina nao fez 52 viagens nem o fara’ so para r resover questoes de STP. Tambem nao me parece que ele tera contactos com barcos proibidos, piratas, drogas de Colombia, nem outra coisa parecida. Se ele fizer isso, ele tambem sera corrido. Vamos dar os cidadaos do pais oportunidades para eles mostrarem o que podem fazer, e deixar de destruir por odio, inveja ou rancor. Obrogado

  12. Pen Drive

    29 de Agosto de 2013 as 12:19

    Tenho muita pena do nosso PM. Politicamente fraco e intelectualmente debilitado e com memória muito curta. Não sabe bem o que fala nem faz.Numa intervenção sua na Assembleia este dizia que «…enquanto primeiro ministro e chefe deste governo não iria viajar para o exterior em busca de dinheiros…». Enquanto figura pública temos que ter muita cautela com a nossa própria língua! Deixo claro que não sou, nem tenho qualquer pretenção política.

  13. jorge ventura

    29 de Agosto de 2013 as 15:59

    O Gabriel tem razão.
    Angola enviou apenas 28 burros e o MDFMD está zangado
    Agora o Gabriel irá negociar com a Guiné para enviar mais burro que faltava para completar o numero de 29.
    Assim não haverá mais confusão no seio da troika
    Oxalá consigas.
    Bem Haja

  14. Negro de STP

    29 de Agosto de 2013 as 19:16

    Com sorte ainda nos oferecem mais burros! Vamos ter fé.
    8 anos a falarem de petrolio , o dinheiro esta sempre a entrar mais o povo não vê nada de nada.

  15. Barão de Água Izé

    29 de Agosto de 2013 as 19:42

    A pobreza combate-se principalmente com criação de riqueza e não de floreado politico.
    Haja coragem para alterar o modelo económico de STP. STP é um País Soberano e não deve ter receio de privatizar o que deve ser privatizado, para que a Economia renasça e com ela o País.

  16. matuiti

    30 de Agosto de 2013 as 8:39

    Alguma coisa me diz que interesses políticos adversos andam a minar nossas relações com a Guiné! A Guiné é e deve continuar a ser o nosso parceiro directo e estrategico de desenvolvimento economico. Porem, o discurso proferido pela entidade Guinense transmitida pela RN logo à chegada do PM à STP, nos diz que se algo não mal, não vai melhor! Todavia, esperança é última coisa que morre!

  17. ESPIRITO SANTO

    30 de Agosto de 2013 as 9:13

    tela nón jornal do poder,

  18. António Silva

    30 de Agosto de 2013 as 9:55

    Gostaria de lançar uma pergunta a todos.
    Acham que o este país está mesmo a desenvolver? Analisem em consciência; os que nunca viajaram já tiveram oportunidade de verificar as imagens de muitas realidades pela televisão.
    Aqueles que acham que o país está a desenvolver deve ser uma minoria, mas mesmo muito reduzida. Se analisarem bem são 38 anos de independência e continuamos neste estado de coisas: saúde está mal, não construimos um novo hospital, nas empresas agrículas reina uma pobreza extrema, temos vias rodoviária deficiente, o aeroporto “internacional” nem regional noutras realidades se compara, etc, etc. Partimos de início com a monocultura de cacau e sempre com a mentalidade que o país era e é pobre. O aeroporto, por exemplo, que fizessem algo melhor (mesmo pequeno, mas com mais jeito). Façamos alguma coisa, uma de cada vez, mas bem feito.Estradas: fazemos poucas e bem.
    Sugiu a questão do petróleo. Andamos nisto há mais de 8 anos: cria-se gabinetes, tachos e mais tachos, viagens e mais viagens, negócios e mais negócios, leilões e mais leilões, etc, etc, e as pessoas envolvidas nestes assuntos vão se enriquecendo cada vez mais. Os envolvidos estão constantemente no exterior de férias.
    De certeza que nestes negócios de petróleo circulam muito dinheiro e como os responsáveis deste país sempre gostaram de“passem aí qualquer coisinha” e assim fazerem a sua vida particular, nada mais fazem. Aquilo que é pais o Estado é transformado imediatamente no seu bem pessoal e o povo continua a sofrer. Inefleizmente muita gente ainda vai-se acomodando com umas cervejinhas aí e acolá, o banho, cacharamba, etc , e dificilmente reclama.
    Até quando?
    O que anda a fazer o tribunal de contas? Ainda existe?
    Aos responsáveis da coisa pública, um apelo meu: tenham mais dó deste povo e deste país. Copiem bons exemplos, se há petróleo é mais valia para termos mais investimentos, melhorem a situação sanitária do país e invistam no turismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo