Comandantes de polícia dos países de língua portuguesa reunidos em São Tomé

Chefes da Polícia da CPLP, estão a debater em São Tomé e Príncipe, o papel da Polícia no desenvolvimento sustentável do Estado. O Comandante da Polícia de São Tomé e Príncipe, Roldão Boa Morte, realçou a ligação directa entre a segurança e o desenvolvimento.

Numa situação de insegurança, não se pode falar de desenvolvimento. Constatação feita pelo Comandante Geral da Polícia Nacional de São Tomé e Príncipe, o Supra intendente Roldão Boa Morte, na abertura da nona reunião dos Chefes de Polícias da CPLP. «Sem segurança não pode haver desenvolvimento e vice-versa. Por conseguinte, sem segurança e nem desenvolvimento não haverá o respeito pelos direitos de liberdades e garantias do cidadão», referiu Roldão Boa Morte.

O Comandante Geral da Policia de Timor Leste, Ostílio Monteiro, que é  Presidente em exercício do Conselho de Chefes da Policia da CPLP, também usou da palavra, para destacar os acontecimentos que assolam o mundo, como sendo desafios que se colocam as polícias da CPLP.

Já o Primeiro Ministro Gabriel Costa, que abriu o evento, sublinhou a importância da reunião. «O vosso encontro será com certeza um meio de aprofundamento sério das grandes questões que se prendem com segurança e ordem pública, como nos encontros anteriores o que tem dado viabilidade a nossa organização e tem demonstrado grande capacidade de inovação numa evolução acelerada, quando a criminalidade nos nossos territórios», pontuou.

Guiné-Bissau, é o único país ausente, na reunião que pretende debater a Segurança Interna no seio dos países da CPLP, e o papel da polícia no desenvolvimento sustentável do Estado.

Até 20 de Setembro, São Tomé é palco de reflexão sobre a Polícia da Comunidade Lusófona.

Abel Veiga

  1. img
    António Silva Responder

    Uma coisa que me deixa estupefacto é o facto do nosso 1º ministro estar em todas cerimónias públicas. Para esta actividade não bastaria a presença do ministro da defesa e ordem interna para presidir a abertura do acto?
    Se assim é não faz sentido existir tantos ministros neste país!!

  2. img
    Comissário Luis Mendes - Cabo Verde Responder

    Espero que desse encontro saia resolução importante, em benifício da segurança de todos os paises que formam a CPLP e da sub-região africana, onde alguns desses paises se encontram inseridos.Boa estadia do nosso DN e da delegação que o acompanha, nas ilhas de S.Tomé e Principe. Abraço desde às ilhas de Cabo Verde – Santiago.

  3. img
    atencioso na diaspora Responder

    policias burros que nem sabem ler, que batem as pessoas na rua mesmo quando elas se submetem. gostei desse workshop…mas o nivel academico que tem os nossos policias ta a quem de compreenmderem o que falaram la…..vejo policias, com fardas sujas, bebendo no mefrcado com uniforme….e quando estao enbriagados, batem e cometem as piores atrocidades…..conheco policia ali que talvex nem sabem escrever….para que serve esse policia

    • img
      Marcos Responder

      Eu inteiramente de acordo com titular do comentário anterior .Mas temos que ter mais cuidados ao dizermos que alguém não sabe ler sabendo que escrevemos pior que eles.

  4. img
    madalena Responder

    Os nossos guardas, policiais, precisam de alimentação, salario e treino policial adequado.

  5. img
    António Menezes Responder

    Tantos carros de luxo para quê? Se somos um Pais sem recurso para quê dar esse ar de rico?
    Não temos meios para melhorar a prestação da nossa policia , mas quanto se gastou nisso? Aprendamos com os outros, não vale a pena copiar apenas os hábitos de ricos sem escrúpulos, vamos trabalhar.

Deixe um comentario

*