Política

ADI contesta a proposta de lei do Governo para reforma da justiça

O Secretário Geral da ADI, Levy Nazaré disse à imprensa que a proposta de lei que o Governo quer aprovar para reformar a justiça, foi preparada contra o seu partido.

ADI, não perdeu tempo e foi visitar o Presidente do Supremo Tribunal de Justiça José Bandeira, para manifestar solidariedade para com os Tribunais, na luta contra a proposta de lei do governo que pretende criar um Conselho Nacional de Justiça, como órgão reformador de todo o aparelho judicial são-tomense.

Aos olhos de Levy Nazaré, ADI é o alvo da proposta de lei.  «Esta nova lei que o Governo pretende já sei, e uma lei preparada simplesmente contra o ADI, isto já sabemos», revelou o secretário geral do maior partido da oposição.

ADI vê assombrações na proposta de lei para reforma da justiça. Levy Nazaré, que se fez acompanhar por outro jurista do partido, o ex-Ministro do Desenvolvimento Agostinho Fernandes, não deixou para trás a professora Isabel Domingos.

Reforma da justiça é tema de polémica nesta altura no país, aliás sempre foi um assunto polémico. Quando foi governo, de 2010 até 2012, ADI lançou várias ofensivas para reforma da justiça. O seu governo, foi considerado pelos próprios magistrados judiciais como querendo assaltar os tribunais. O Governo da altura ficou com a marca de tentar meter as mãos na justiça.

Reforma da justiça é sempre tema para polémica em São Tomé e Príncipe, apesar de aparentemente todos comungarem da ideia, de que o órgão de poder judicial, está doente e precisa ser reformado.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Mixídají

    20 de Setembro de 2013 as 8:03

    Aos olhos de Levy Nazaré, ADI é o alvo da proposta de lei. «Esta nova lei que o Governo pretende já sei, e uma lei preparada simplesmente contra o ADI.

    Será o ADI, os magistrados? ou
    Será que o ADI tem todos os magistrados na sua posse?

    Como pode uma proposta da reforma da Justiça pesar sobre um partido politico.
    Hoje o cenário é este né, a proposta é contra vós, em 2012 queriam trazer os magistrados estrangeiros para auditar e avaliar os juízes Santomenses, essa iniciativa era contra quem? O povo santomense?

    Convenhamos Levy Nazaré! LUPUIÉ.

    • António Menezes

      20 de Setembro de 2013 as 11:21

      O Levy tem razão. Se o Governo está a trabalhar para melhorar a justiça, faça -o incluindo todos os actores, os partidos e a sociedade civil e os proprios da justiça.

  2. arroz podre

    20 de Setembro de 2013 as 8:24

    ADI vai em frente, Voçês estão no caminho certo.
    Esta proposta de Lei não terá pernas para andar.
    Eles não fizeram trabalho de casa, incompetentes.

    Vamos estar cá para ver.

  3. observador

    20 de Setembro de 2013 as 10:40

    É muito triste a forma como esses servidores da Politica não se põem de acordo em nada…. Assim não, não vamos lá… Basta de Politica de baixo nível.. Também não se pode esperar muito desses pseudo-politicos….

  4. Ancrajoty

    20 de Setembro de 2013 as 11:17

    Com todos estes blá blá , so sei quem fica a perder, como sempre, sao todos aqueles de bolsos paupérrimos que não terão capacidades financeiras de subornar um juiz (….) para que o seu processo se avance. Todos nos sabemos e conhecemos como reina justiça em Sao Tomé .
    Temos entre aspas, juízes super corruptos que desaparecem ou atrasam processos judiciais por
    meses ou anos em prejuízos daqueles que lutam para comprar um pão para sustento dos seus filhos . Penso que os advogados tambem já estão cansados com juízes da nossa terra.
    Deve haver uma remodelação profunda neste edifício que chamamos de Tribunal. Judicialmente numa verdadeira democracia não deve haver DOIS PESOS e DUAS MEDIDAS: uma para quem tem dinheiro e oferece almoços e outra para quem não tem nada.
    Pergunto aonde para e anda o vosso juramento de somente obedecer a Lei e a Consciência, senhores da Lei?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo