Política

Primeiro Ministro não divulgou publicamente o valor da venda do combustível que estava no petroleiro Duzgit Integrity

Gabriel Costa confirmou que a operação de venda do combustível ficou concluída na quarta – feira. O dinheiro já está no cofre do Estado, e os deputados serão os primeiros a ter acesso a toda a documentação relacionada com a transacção.

«Encontram-se no tesouro público os montantes negociados com toda a descriminação relativamente às quantidades que havia a bordo por aí fora. Os senhores deputados poderão tomar conhecimento destes documentos que o governo colocará a vossa disposição para todo inquérito que quiserem fazer , toda a informação sobre essa questão», declarou o chefe do Governo no plenário da Assembleia Nacional.

Gabriel Costa aproveitou para explicar que depois de ter conseguido acordo com o proprietário do navio Merida Melissa, a Stena Oil e o proprietário do navio Duzgit Integrity que ficou retido, tentaram evitar que fosse feita à transferência de combustível que estava armazenado no navio. «Nós interceptamos e estamos na posse de informações que apontam para a sabotagem do navio que continha essa carga perigosa», assegurou.

Por isso as forças armadas são-tomenses agiram para evitar qualquer tipo de sabotagem do navio, que pudesse por em causa a flora e fauna marinhas. «Falou-se da entrada de militares num barco que até agora é pertença do Estado são-tomense. As autoridades são-tomenses podiam entrar no barco quando quisessem. Entrou-se no barco para evitar que houvesse danos que prejudicassem os interesses do Estado são-tomense. Não se lesou interesses de ninguém», defendeu, respondendo assim ao questionamento da bancada da ADI.

O Chefe do Governo são-tomense, garantiu que vai convidar o proprietário do navio Duzgit Integrity, para negociar a entrega da embarcação, como fez com o navio Merida Melissa. «Negociar sobre o pagamento das multas ao IMAP, como pagou o dono de Merida Melissa. Ficou no barco uma quantidade de combustível que permite o barco funcionar para sair de São Tomé», concluiu.

Abel Veiga

    17 comentários

17 comentários

  1. Adálio

    25 de Outubro de 2013 as 13:22

    Será que deveria declarar?

    • graca

      26 de Outubro de 2013 as 8:55

      Alguem pode me dar exemplo
      de um advogado serio ?…
      Em que parte do mundo os
      advogados sao serios?!…
      para defender o infractor
      nuca se pode usar a verdade…
      eles sao preparados para enganar
      o juis…

    • Lévé-Léngue

      28 de Outubro de 2013 as 13:30

      Ózé, sun da bóca sábi. Antê kê djá sun ca dé manivelaê?

  2. António Menezes

    25 de Outubro de 2013 as 14:13

    O valor deve ser declarado, pois sabemos que num Pais normal até na net deveria estar, qual é o problema? O problema é que esse dinheiro vai ser distribuido ou já chegou ao Tesouro bem já dividido…

    • ferpenapandopo

      26 de Outubro de 2013 as 18:55

      Mas a onde é que está o dinheirinho??
      Será que o povo não merece saber?

  3. Vedé ça Libô

    25 de Outubro de 2013 as 15:01

    Sabe ele muito bem porquê que não o declarou: Quem vende o que não é seu sabe que ficará eternamente com a consciência pesada! Por outro lado, o que vale a pena dizer se depois da divisão, apenas migalhas serão para o cofre do estado!!!Isto é uma máfia meus senhores. Quem disser o contrário está apenas e gratuitamente a proteger politicamente os verdadeiros bandidos deste país!!!!Quem não os conhece! Falar do Patrice Trovoada????? Querem distrair a quem?? DE tolo não temos. Já vos conhecemos muito e muito bem!!!!

  4. arroz podre

    25 de Outubro de 2013 as 15:38

    Os Deputados foram enganados mais uma vez.
    O dinheiro da venda do petróleo não foi depositado na totalidade.
    Eu pergunto: Onde se encontra a outra parte?
    Fico aguardando a resposta.

  5. kandonga

    25 de Outubro de 2013 as 16:21

    o Problema é que o valor é insignificante, 28000.00 euros. Por amor de Deus, este é o valor que receberão para libertar o navio, isto de per si indicia batota-

  6. ferpenapandopo

    25 de Outubro de 2013 as 21:54

    Mas afinal aonde é que está o dinheirinho?
    e já agora qual foi o valor apurado?
    Será assim tão difícil alguém responder-me?

  7. malebobo

    28 de Outubro de 2013 as 9:00

    onde é que esta a transparência deste sr. que diz ser muito serio, francamente, viva republica das banana

  8. A Voz do Povo

    28 de Outubro de 2013 as 11:53

    Quem ouviu falar Gabriel Costa até pode supor que realmente entraram valores correspondentes ao que deviam entrar, conforme revelaram várias declarações acerca da quantidade do produto que no barco se encontrava! Pelo que não menos que cinco milhões deviam entrar. Mas certo é que só entraram 2 milhões. E o resto?? É para dividir entre os Costas e outros!! Muita máfia!

    • ferpenapandopo

      28 de Outubro de 2013 as 19:36

      Mas se entraram dois milhões,supostamente de u.s.dolares ou de euros,a onde é que está os documentos desses valores,para que o povo possa ver.

    • ASSASSINO

      29 de Outubro de 2013 as 10:36

      Guardam bem esse dinheiro porque ele vai ser gasto na defesa do país no tribunal internacional contra a Malta?

  9. Bom Samaritano

    28 de Outubro de 2013 as 15:22

    Boa gostei da posição de 1º ministro entregar o barco para o respeitivo dono mais por troca pagar a multa. Só espero que esse dinheiro entre no cofre de estado e não no cofre de cada um. Agora o povo precisa saber o valor da venda o barco, senão vai calhar muito mal, espero que essa petição seja cumprida em dentro de tempo. Estamos cansado de corrupção, de ganancia, de desejo proprio, o povo está a sofrer, queremos que ver o preço de genero alimenticio mais barato, estamos farto de comprar 1 kilo de arroz por 25 mil dobras e na semana passada comprei 1 kilo por 27 mil dobras, isso é mal, o governo tem que agir nessa situação, porque quem sofre é o povo pobre, que ganha um mereca. Até que dia? Governo precisa fazer uma politica para ver se o preço de produto alimentar desse de preço senão estamos todos feito a bifi. coitado de pobre que nem ganha 25 mil dibras por dia. Estamos a viver porque nós temos um Deus de amor que noa ampara na dificuldade, é por isso que eu amo esse Deus e conviddo a todos a amo-lo e deixa-lo viver em seu caoração. Governo por favor atende a petição do povo pobre. Uma boa semana na paz de senhor.

  10. Manteigas

    28 de Outubro de 2013 as 15:27

    Pode o Governo agora, ordenar 1 Milhão de Dólares para ao Pagamento das bolsas de estudo em atraso.
    O resto do Kumbu, para as ONGs que lidam com a proteção do Ambiente.

  11. Justiça XXI

    28 de Outubro de 2013 as 15:54

    Pois é, enquanto isso vai-se distraindo o povo com contratos que outros celebraram e os que nem se quer se celebraram no papel, contém somas avultadas que vão entrando nos bolsos privados.

  12. Kuá flogá

    29 de Outubro de 2013 as 9:03

    Avante senhor Doutor Gabriel Costa, chefe do governo,o senhor está no caminho certo nunca conseguiremos agradar aos gregos e aos troianos ao mesmo tempo, porém eu penso que deve haver mão dura.

    Gozar com governo, entendo ser muita
    democracia, é gozar com todos nós, eu pessoalmente não gostei desta palhaçada que passaram ontem no telejornal.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo