Nigéria ameaça rescindir o Tratado de Exploração Conjunta de Petróleo com STP

«A pergunta que se deve fazer é a seguinte… A JDA(Autoridade de Desenvolvimento Conjunto), deve ser desmantelada?». Pergunta feita pelo Ministro do Estado e das Relações Exteriores da Nigéria Mohammed Nuruddeen. Em declarações no parlamento nigeriano, o ministro descreveu como frustrante o projecto de exploração conjunta de petróleo com São Tomé e Príncipe.

A notícia foi veiculada na última semana pelo jornal nigeriano WordStage. O Ministro do Estado e das Relações Exteriores da Nigéria Mohammed Nuruddeen, foi interpelado pela comissão parlamentar encarregue da Cooperação e Integração Africana. Sector que passou para a tutela do Ministro do Estado e das Relações Exteriores.

A exploração conjunta de petróleo na fronteira marítima entre a Nigéria e São Tomé e Príncipe, fruto do Tratado assinado em Fevereiro de 2001 entre os dois países, mereceu especial atenção da comissão parlamentar.

O Ministro do Estado e das Relações Exteriores, foi directo e claro quando questionado pela comissão parlamentar, sobre o processo de exploração conjunta de petróleo, «a frustração está se instalando», afirmou o ministro nigeriano.

O Ministro descreveu o processo de exploração petrolífera na fronteira marítima comum com São Tomé e Príncipe, como sendo um projecto frustrante, e denunciou que nos últimos 5 anos, apenas o seu país, a Nigéria, tem suportado os custos de funcionamento da autoridade conjunta, o organismo criado no âmbito do Tratado para gerir os recursos petrolíferos e não petrolíferos na fronteira marítima comum. São Tomé e Príncipe tem dois directores na autoridade e a Nigéria também dois.

Nigéria tem 60% do capital social da Autoridade Conjunta para Exploração de Petróleo na fronteira comum e São Tomé e Príncipe tem 40%.

Diante da comissão parlamentar, o Ministro deixou claro que o seu país terá gasto qualquer coisa como 100 milhões de dólares nos últimos 5 anos, para garantir o funcionamento da autoridade conjunta. São Tomé e Príncipe sócio com 40′% das tem assim dívidas pesadas a pagar.

Por sua vez o Presidente da Comissão parlamentar Abubakar Momoh, disse que a Nigéria não pode continuar a financiar uma empresa que não dá nenhum benefício económico ao seu país.

O Ministro do Estado das Relações Exteriores da Nigéria, deu diante da comissão parlamentar a pista a seguir. «A perspectiva de exploração de petróleo é muito pouca, devemos olhar de novo para o tratado. A pergunta que se deve fazer é a seguinte… A JDA(Autoridade de Desenvolvimento Conjunto), deve ser desmantelada?».

Uma pergunta cuja a resposta deve ser encontrada pelas autoridades nigerianas nos próximos dias. O Téla Nón tentou ouvir as autoridades são-tomenses ligadas ao dossier petróleo, mas não teve êxito.

No entanto o leitor pode ter acesso a notícia original através deste link – http://www.worldstagegroup.com/worldstagenew/index.php?active=news&newscid=14431&catid=26

Abel Veiga

  1. img
    malebobo Responder

    por me isso já deveria ter acabado, com esta mama, de um bando oportunista que fazem nenhum, so passam a vida a comprar os carros de luxo e mais nada

  2. img
    Preto Responder

    Muito bem feito. Acontece que os dirigentes santomenses estao muito mal acostumados, sendo sustentados por Taiwan, Angola, Portugal, etc,. Como é possivel ter 2 diretores e esperar que sejam sustentados por Nigeria? Voltem para S.Tome e Príncipe e deixem de ser “parasitas”! Ha muito mato em STP para serem trabalhadas!

  3. img
    Me Zemé Responder

    Parece que as coisas estão a apertar para o nosso lado…que solução. Efectivamente o nosso estado se endivida muito para manter os órgãos relacionado com o sector de petróleo, mas já lá vão mais de 10 anos e nada, só dívidas, valores que as nossas autoridades nunca dizem, mas o que se sabe é que o estado se endivida para pagar os salários chorudos do pessoal de ANP, Autoridade Conjunta e outros…A questão que se coloca, como vamos pagar isso se o petróleo que tanto se espera não aparecer? Pois os nossos políticos andam a encher o povo de esperança e o que se vê, são as empresas internacionais do ramo a abandonar o projecto, justificando que o petróleo que existe não é rentável a sua exploração. Outra pergunta, O PAÍS DEVE CONTINUAR A SE ENDIVIDAR PARA PAGAR ESSA ESTRUTURA CARÍSSIMA?

  4. img
    manuel soares Responder

    Bonito, quem comeu e come a carne também deve comer o osso, o que STP ganhou também com isto desde 2001? Que acabem com esta autoridade conjunta de exploração petrolífera mas pagam-nos o que nos deve, vamos fazer o ajuste de contas no deve e haver de cada lado.

  5. img
    manuel soares Responder

    Meia dúzia de senhores como cito: Carlos Gomes, Kapala, Carlos Santos, Olegário Tiny, Ten jua, Nando Rita, Fradique de Menezes, Miguel Trovoada, Patrice Trovoada, estes ganharam dinheiro com isto, e o povo de STP, nada e nada mesmo

    • img
      António Menezes Responder

      Meu caro , escreva os nomes de todos q beneficiaram disso e não apenas alguns, não seja hipócrita…

  6. img
    Barão de Água Izé Responder

    O “petróleo” que está onshore, que é a nossa primeira riqueza, está nos milhares e milhares de hectares de terreno agrícola que está abandonado ou não é devidamente explorado.
    Do petróleo vem dinheiro fácil, por isso houve quem afirmasse, que o ciclo do café e cacau tinha acabado, agora só seria o ciclo do “ouro negro”.Enquanto não houver coragem politica em abordar e alterar radicalmente as Leis da terra, STP não sairá da pobreza.
    A questão da propriedade efectiva da terra é assunto que no Diálogo Nacional não foi sequer ventilada.

    • img
      Toni Responder

      Concordo com o seu ponto de vista, de facto quem não trata da terra certamente não controla o mar.
      De facto o ouro certo de STP é a riqueza do seu solo, que está abandonado e ninguém faz nada nem deixam fazer, são muitas roças para os Senhores, o problema é que estes Senhores que receberam grátis não fizeram nem fazem nada, porque não sabem!! São inúteis .
      Agora o petróleo é para sonhar, se fosse rentável já estava a sair….

  7. img
    vencha Responder

    Non ca conta tlabé cu sola ni boca. Miguel Trovada deveria responder por isso. O homem e o filho so iam buscar dinheiro. E agora!!!

    • img
      mandja Responder

      Você disse e bem…os Trovoada,julgam que STP é a roça privada deles. Para eles STP só existe para lhes engrandecer financeiramente e na fama, porque sao megalomanos e pretenciosos. De patriotas, nada tem, muitos dirigentes São corruptos…mas como os Trovoada nao existera nunca…vendem e estragam o nome e a reputação de STP, os VAGABUNDOS….corram definitivamente com eles de STP.

  8. img
    incrédulo Responder

    Mandem de volta para São Tomé e Principe esses directores que por sinal (segundo as palavras do ministro Nigeriano), não estão aí a fazer cosissima alguma.

    Voltem para terra pedem lotes e vão trabalhar para agricultura. Ou trazem essa massa que ganharam na Nigéria e que o Estado Santomense mais tarde vai pagar, para comprar canoas a motor e praticar pescas.

    Esses sim são recursos garantidos, a nossa agricultura e pesca.

    Como é possivel o nosso país ter mais de 40 milhoes de dolares para pagar à Nigéria devido os salarios e funcionamento da JDA?

    Que fruto essa coisa de JDA já trouxe ao nosso país?

    Zero frutos.

  9. img
    Saudoso Francisca Responder

    Acabem com esta brincadeira porque isto só afecta os grandes que já se abituaram a viver a grande e a francesa mesmo de o petroleo corer, nós que nem cheiro e nunca beneficiamos dos dittos rendimentos do petroleo, só ouvimos falar de estudos e mais estudos isto não nos afecta porque nunca nos trouxe beneficios. Pergunto de tantas viagens que o PR e o 1º. Ministro fazem a Nigéria, onde estão os beneficios, onde estão os resultados? Isto é um negócio de manter meia dúzia de pessoas cada vez mais ricas e os pobres cada vez mais podres.

  10. img
    Fernado Castanheira Responder

    isto devia ser visto ha bastante tempo

  11. img
    Tentado a Ler Responder

    Pessoal, visitem o link, pois la diz que quando contatados, os executivos, supostamente sao tomenses, respondem que estão em America; a trabalhar de certeza que não. WOW vida mansa!!!!Assim tambem é de+: Fé qua pa bo te lason, yon!

    • img
      Zeca Responder

      Lê bem mais uma vez.

  12. img
    Nikilay Monteiro Responder

    E como se não bastasse ,está aberto um concurso na ANP-STP para recrutamento de um Economista.Pergunto eu, Cabo verde tem petróleo? Nós até temos mais recursos do que eles.(rios,chuva,terras férteis,roças,mar), para o quê?

  13. img
    arelitex Responder

    expliquem-me como é possível um pedinte fazer parcerias seja com quem for . isto acaba por ser uma palhaçada de incompetentes .tanto de um lado como do outro . até porque o petróleo que se encontra também em território sâotomense .encontra-se a profundidades fora do normal ,o investimento em máquinas e o risco sâo brutais .porque devido á profundidade , a própria perfuração vai ser um risco terrivel .empresa nenhuma a nível mundial neste momento arrisca a entrar num poço sem fundo .quando a nível mundial daqui uns 50 anos começar a existir necessidade ,nâo por causa dos veículos ,mas por outros motivos , aí sim acredito que as empresas a nível mundial nâo têm outro remédio se nâo arriscarem . mas por enquanto só existe o sonho e esse sonho nâo vai despertar com facilidade . eu pergunto o que é que estão a fazer esses directores sâotomenses lá . sinceramente em STP nada é normal .

  14. img
    arelitex Responder

    até porque neste momento todas as super potências mundiais têm a sua máquina de cientistas ,viradas para as alternativas ao petrólio .actualmente já existem alternativas para quase tudo .só nâo entram em vigor repentinamente devido á economia mundial ,que ainda acenta no petróleo . sâotomé e principe vai ter que esperar pela decisão das super potências . nesta matéria STP nâo vai decidir nada .

  15. img
    H.Vaz Responder

    Kua ku labo olha um dos engenheiro do ramo petrolifero a mais de 10 anos de experiencia a trabalhar começando por Angola e agora vagando o resto do mundo tenho muito a esclarecer que arrogancia e egoismo vai levar este acordo a estaca zero. e se houver um espaço para entrevista, apesar de S.tome nao me ter garantido nenhuma formaçao pelo o que desempenho hoje sem recentimento digo-vos que isto nao e tao facil e que com esta arrogacia que eu constactei isto nao teria pernas para andar…. dido pela experiencia se quizerem saber mais contactem a mim atraves de fr690@yahoo.com. saudaçoes

  16. img
    H.Vaz Responder

    digo pela experiencia e nao dido

  17. img
    Peixe frito Responder

    Eu vi esta noticia na RTP Africa e dizem tudo a Nigeria disse que S.Tome vai ficar com pesadas dividas para pagar.
    Vejamos isto de petrolio ja se arasta a mais de 10 anos, esta sempre a cai dinheiro mais o povo nao ve nada muitos estao a enriquecer sem transpirar, antigas rosas que outrora nos garantia as exportacao agora se tornaram quintas de lazer….Alguem ten que esplicar isto no Dialgo Nacional.

  18. img
    Santomense Responder

    A realidade esta prestes a chegar!!!
    O lindo sonho do petroleo, nao esta muito longe de se transformar em Pesadelo. Quem tem deinheiro no estrangeiro, pra ja comprou a sua passagem.E o Ze Ninguem ???

  19. img
    Santola01 Responder

    Mamadeira acabou, voltem ao que nao deviam abandonar e muito menos iludir o povo: agricultura e pesca que sao as nossas fontes de riqueza e sustentabilidade social

  20. img
    Olívio cardoso Responder

    Deus escreve firme nas linhas tortas,se o petróleo fosse um bem comum o senhor Deus não deixava o governo Nigeriano a rescindir este maravilhoso recurso com STP,Quem esta a aproveitar são os graúdos, bem feito Nigeria por tomada de decisao

Deixe um comentario

*