Destaques

Início do ano lectivo adiado por causa das eleições

O Governo reunido em conselho de ministros decidiu adiar o início do ano lectivo, 2014/2015, para depois das eleições de 12 de Outubro.

O executivo justificou a decisão com a necessidade de dar segurança e protecção as crianças, mas não só. «Considerando que o início deste ano lectivo excepcionalmente coincide com o período das eleições legislativas, autárquicas, regionais, e tendo em conta o envolvendo dos docentes neste processo a vários níveis, mormente na Comissão Eleitoral Nacional, nos partidos políticos, e nos trabalhos de apuramento dos resultados finais, o conselho de ministros preocupado também com a protecção e segurança das crianças, sobretudo da pré-escolar e do ensino básico neste período mais exaltado do pleito eleitoral delibera o seguinte :

Neste ano lectivo 2014 -2015, as aulas no ensino público terão o seu início após a realização das eleições de 12 de Outubro do corrente ano».

Segundo o porta-voz do conselho de ministros o ministro, da educação e cultura, Jorge Bom Jesus, o seu ministério foi orientado pelo Conselho de Ministros, a ajustar o ano lectivo 2014/2015.

Abel Veiga

 

    32 comentários

32 comentários

  1. Mé Zemé

    15 de Setembro de 2014 as 8:26

    Só com CRISTO!!! Que terra…com esses tipos de políticos não temos futuro. Por em causa um mês de aulas e a qualidade do nosso ensino por causa das eleições. Em nenhum país do mundo as eleições faz parar as aulas. Depois de essas eleições nós temos que pensar efectivamente na lei eleitoral (e não coisas a pressa para beneficiar grupos como o PCD queria), as datas que não provoquem constrangimento a outras actividades da sociedade, bem como em tudo que possa influenciar negativamente o bom funcionamento do acto, já agora um perfil para os deputados. Um aparte, embora muitos criticaram a opção do partido ADI em fazer eleições no mês de Agosto por causa das chuvas e colidir com as aulas, agora vêm dar toda razão ao ADI. Acho que já chegou a altura para começarmos e pensar com cabeça e pensar bem em favor das reais necessidades do país e não como sempre tem sido, pensar para bem de algumas pessoas e grupo.

    • Homem do campo

      15 de Setembro de 2014 as 9:53

      Só não entendi onde o PCD entra nesta historia.
      Mude de estratégia, meu amigo mude.

  2. Lévé-Léngue

    15 de Setembro de 2014 as 8:42

    Ahahah… esse Governo está a sair melhor que a encomenda. Depois de tudo que já fez o povo passar, consegue agora distorcer a opinião pública menos esclarecida, alegando que o adiamento das aulas deve-se 1.º aos professores envolvidos no processo eleitoral.
    Sr. Primeiro-Ministro, Sr. Ministro da Educação sejam honestos convosco próprios e tenham mais respeito pela classe docente, pelos alunos e seus encarregados de educação!!!

  3. Eterno Madiba

    15 de Setembro de 2014 as 8:47

    S.T.P é mesmo um país de crianças de A a Z. Somos muito infantis e incompetentes. Eu julgo que graças nossa falta de visão futurista o nosso país está assim e vai eternizar-se assim. Como é possível a campanha para eleições coincidir com início do ano lectivo? Porquê que não pensaram nisto antes de marcar as eleições. E a justificação mais descabita de todas. «…e tendo em conta o envolvimento dos docentes neste processo à vários níveis…». É para quê que o Estado paga os profesores? Estes Professores ganham na Educação e na Comissão Nacional de Eleições? Só em S.T.P que coisas destas acontecem! E como dizia alguém; só com Cristo!

  4. Quê qua

    15 de Setembro de 2014 as 9:14

    Não deve fazer mt sentido adiar as aulas pelas eleiçoes mas entendo a confusao que poderá vir a ser com as espumas de raiva que o Leve e os seus do ADI têm demonstrado. Talves seja mesmo bom que os meninos fikem em casa. Se bem k n acho bem parar as aulas por causa das eleiçoes.

  5. pedro

    15 de Setembro de 2014 as 9:32

    o país da comédia, se este é o argumento então paremos toda a função pública.

  6. insuportavel

    15 de Setembro de 2014 as 9:34

    Governo de STP esta a andar pra traz .Que bom , Se melhora estraga , continuem assim que esse Pais vai desenvolver quando chegar os anos 90. Nos vemos la .

  7. Zmaria Cardoso

    15 de Setembro de 2014 as 9:50

    Adiar o início do ano lectivo por mais de um mês!?
    O país vai entrar em guerra ou na festa da democracia à santomense?
    Um atentado a qualidade de ensino q se preze para o país. Um insulto a classe docente.
    Momento exacto para os professores que vêm de férias desafiarem ao Governo exigindo q as aulas iniciem nesta semana.
    Os partidos fora da tróika devem mostrar quanto estão disponiveis para uma educação de qualidade em STP q não compadece com mais cinco semanas de férias dos alunos.
    Para onde caminha o país?

  8. Maria silva

    15 de Setembro de 2014 as 9:52

    Opha estou sem palavras!!!!
    Só com cristo!!!!
    Eu nunca ouvi isto em toda minha vida, tenho uma sensação que lá na terra ninguém raciocína.
    Senhor ( Jesus Cristo ) tenha piedade de nós!!

  9. Homem Honesto

    15 de Setembro de 2014 as 10:10

    ADI foi o único partido com visão, quanto a data das eleições.
    O Pinto foi teimoso, não quis dar razão ao ADI, agora toma.
    Este Governo desnorteado só faz besteira.
    O ADI sempre teve razão. O tempo ditou a verdade.
    Rezemos para que o dia 12 de Outubro não chova, porque os locais que são colocados as urnas muitos deles são descobertos outros com zincos velhos e esburacados.
    Pensam em importar as capas de chuvas para os que vão estar nas mesas de voto.

  10. Ilha do Princepe

    15 de Setembro de 2014 as 10:27

    Todo isso só tem um nome CORRUPÇÃO.
    Como é possível um professor ser pago pelo dinheiro do povo (Impostos, Taxas. etc.) terá benefícios para participar nas campanhas eleitorais? Quer dizer que a população em São Tomé & Príncipe não é respeitada?
    Nesta Matéria Pinto da Costa e Grabriel Costa, falharam.

  11. arelitex

    15 de Setembro de 2014 as 10:31

    esta gentinha é mesmo limitada ,nâo vêm um palmo á frente do nariz nâo têm sentido de responsabilidade , para eles vale tudo . um país que podia ser um paraíso em termos de funcionamento ,acaba por ser uma mistura de grelos e um inferno e um baralhar de tudo que ninguém entende . estes professores sâotomenses deviam de ir novamente para a escola aprender . já nâo chega a porcaria de políticos que temos , ainda temos que estar a aturar os professores poliqueiros a meterem ferro na politica . e a projudicarem o ensino do nosso país . políticos e professores vâo para casa tomar conta dos vossos filhos , maridos e mulheres ,porque vocês nâo têm vida nem inteligência para levar este país a bom porto . ainda falam na segurança das crinças ,como desculpa . deixem de ser mentirosos e aldrabôes e incompetentes .

  12. luisó

    15 de Setembro de 2014 as 10:35

    O que tem as aulas começarem agora e as eleições serem a 12 de outubro?
    Mas estas coisas misturam-se?
    As escolas ficarem fechadas um ou dois dias após as eleições para contagem dos votos ainda vai lá mas adiarem um mês o inicio das aulas?
    País atrasado e com políticos sem visão, emfim sem futuro.

  13. Maria Madre Deus

    15 de Setembro de 2014 as 10:45

    Sr. Ministro, isto é ser responsável? Num país em que o nível do ensino vai degradando cada dia que passa e hoje já existe concorrência entre os nossos os dos outros países se o início das aulas para mais um mês?
    Porque docentes estão no processo eleitoral? Pra não haver agitação ou é para justificar a vossa incompetência em termos de manter a ordem e disciplina durante o processo eleitoral? Com essa decisão não será que estão a promover agitação e ofensas aos menores. Só com Cristo?

  14. Fernando

    15 de Setembro de 2014 as 11:49

    A única coisa que se pode dizer é: isto é uma autêntica falta de vergonha na cara!

  15. Cima e Baixo

    15 de Setembro de 2014 as 11:55

    Esta-se a preparar o banho das eleições e as crianças não podem molhar porque senão apanham uma enxaqueca e ficam gripadas.

  16. Ma Fala

    15 de Setembro de 2014 as 13:41

    So pode ser brincadeira de mao gosto orquestrado por gentes que pouco ou nada entende do verdadeiro valor da Educacao, venho ha um tempo insistindo de que este pais precisa de uma reforma profunda social, caso contario nao podemos esperar um futuro risonho, ate porque tudo isto faz farte do neptismo, uma vez que o lugar dos Professores e nas escolas e nao atraz de urnas de voto ou adando para cima e para baixo como activistas!
    Sinceramente!

  17. Mucluclu

    15 de Setembro de 2014 as 14:58

    Perdoem-me pela minha ignorância. O que é que tem a ver as eleições e o início das aulas?
    Querem parar o mundo devido as eleições? O que têm os alunos a ver com as eleições? Porque é que não adiaram as eleições ao invés das aulas?
    Será que para as outras eleições também pararão o mundo?
    O nosso país quanto a segurança sempre teve o que hoje tem ou será que algo mudou nesse ramo ao longo desses sete anos?
    Apelo a resposta do exmo. senhor porta-voz do conselho de ministros o ministro, da educação e cultura.

  18. Piter

    15 de Setembro de 2014 as 15:04

    Eu em particular não compreendo o quê que uma coisa tem a ver com outra…em fim, é o País que temos…

  19. Cameron Pais

    15 de Setembro de 2014 as 20:15

    Um bando de incompetentes.

    Isto veio demonstrar mais uma vez a inconmpetência com que este país vem sendo gerido nesses dois últimos anos.

    Esta é a gota de água.

    Desde quando é que se adia o início de ano lectivo devido eleições?

    Em que país do mundo?

    Isto é um total desparate. Dessa eu não esperava, Jorge Bom Jesus.

    Anunciam a abertura do ano lectivo, e depois em cima da hora desanunciam?

    Vocês são carangueijos?
    Andam para frente e para trás.
    Querem competir com os carangueijos.

    Quem é mais tolo?
    As crianças não podem ficar em casa.

    Iniciem as aulas.

  20. Guadá Qua cá bi

    16 de Setembro de 2014 as 8:31

    Mas uma vez,este governozinho de Gabriel Costa,Pinto da Costa e Jorge Bom Jesus,deram prova de total desnorte,irresponsabilidade,ingenuidade,faltaram respeito a classe docente,aos alunos,pais e encarregados de educação.Faltaram com a verdade,quando dizem que os professores estão a trabalhar na comissão eleitoral,afinal quantos professores estão a trabalhar na comissão eleitoral? São uma franja insignificante comparando com o total de professores existentes.
    A verdadeira causa,meus senhores e leitores,está num pré-aviso de greve que estaria na mesa mesmo no decorrer das aulas.E o governo para lavar as suas mãos e evitar uma greve nesta altura,decide suspender o arranque das aulas,alegando um monte de mentiras.
    Não vou alargar mais,mas a classe docente vai vos dar o troco no dia 12 de Outubro,esperam para ver!

    • Docente realista

      16 de Setembro de 2014 as 10:16

      Claro que querem fazer greve!
      Próprio sindicato é partidário, pois estão a fazer figuras em detrimento do Governo actual, quando se sabe que o cessante (Olinto Daio) fazia o que queria, dizia o que queria e nunca se ouviu nem se viu atitudes frustrantes como se viu em resposta ao Ministro da Educação/ Conselho de ministro. Estão assemelhar aos Deputados do ADI, que pensa que só por ter razão podem falar do jeito que quer com total desrespeito pela hierarquia.
      Sejam imparciais!

    • tony santos

      18 de Setembro de 2014 as 9:57

      Senhores acho que são tome não precisa de tanta burocracia para
      resolver o problema do nosso país , vamos deixar de teoria ,ir a pratica.´
      É só seguir o exemplo de senhor Presidente Câmara de Mezoxi que tem feito tudo para crescer o arquipelago e continua a fazer ,não é pelo facto de legislativa e autarctica . Fé cua pa deçu da bô lazon

  21. angolano mãe

    16 de Setembro de 2014 as 10:29

    vocês deveriam ter vergonha na cara ao fazer estes tipos de comentário uma vez que tudo que fazem ou melhor pensam em fazer têm que pedir ajuda aos outros e sempre esperando que os outros países vos ajudem . até para serem corruptos precisam dos outros deveriam ter vergonha andes de começar a se criticar um ao outro porque todos vocês são iguais e tem o mesmo principio só vivem de quilapes e mas mendigasses

  22. XÉCHI-MATI

    16 de Setembro de 2014 as 10:44

    ADI e Sindacato de Gastao/ADI receberam o chamado Golpi Putin.
    Estava tudo em forja o início de greve com início em princípio desta semana. Foram apanhado num SONO ETERNO!!!!
    Pergunto todos palhaços que estão mandando boca sobre este assunto, DEIXO uma pergunta . O que seria em caso de GREVE como já estava tudo arquitetado?
    Todos Santomenses sabem e muito bem as movimentações,os riscos com transportes em poder atropelar as crianças inocentes nos arredores das escolas,mesmo assim esses MAUS gostariam que assim fosse!
    Se for para vir morrer crianças inocentes melhor sim atrasar aulas um mês,isto não é nada.
    ADI e Sindicato de Gastao Ferreira/ADI são CRIMINOSOS.

  23. Cima e Baixo

    16 de Setembro de 2014 as 11:09

    O desentendimento na mítica relação amorosa-educacional entre o atual Ministro da Educação e o sindicato dos professores, não é nova. Muitos outros Ministros(as) da educação dos bastantíssimos governos que a nossas ilhas maravilhosas já tiveram e que já se sentaram numa cadeira parecida ao do actual ministro, também já passaram por cenas idênticas noutros tempos. Quem quiser rever essas situações pode fazê-lo já, é só restaurar o computador para as datas e anos anteriores e assistir ao desfile das caras que desfilaram e as instituições ficaram. Se não aparecerem imagens, faça o download da Internet, que há bastantes “links” de sites que explicam muito bem o desfile de políticos que já passaram pelo poder, num País famoso pelas boas praias e grandes-banhos, que paradoxalmente só é sólido e pequeno em Km quadrados e no PIB.
    O adiamento irritou os professores, pese embora estarem conformados em relação ao início das aulas. O que fazer… até que é bom para eles e os miúdos que terão mais uns dias de férias e alguns banhos, tanto nas belas praias paradisíacas da ilhas como em terra, o que até faz muito bem a saúde, pois segundo os nutricionistas e economistas, estomago vazio e bolso furado não ficam de pé. E quem não gosta de banhos de notas que atire a primeira pedra !!!. o Patinhas e o Pato Donaldo até mergulhavam em piscinas cheias de notas, só que o primeiro tomava banho a serio e o segundo só molhava o corpo, a semelhança dos nossos banhos em que os graúdos tomam banhos da cabeça aos pés e os Zé povinho só molham os dedos e o corpo nem sequer apanha uma gota de h20.
    O que incomoda mais aos professores e professo-biscateiros com uma ou duas turmas, é essa atitude ser anedoticamente inédita em africa, bastava copiar um país da CPLP, como Moçambique que terá eleições praticamente na mesma semana, mais concretamente três dias depois, que mesmo sendo um país com um partido politico que até bem poucos dias estava armado, o arranque das aulas não sofreu quaisquer atrasos. O Diretor do Liceu que categoricamente apoiou o adiamento das aulas, sabe melhor que ninguém que as nossas crianças devem se habituar a pressão das movimentações das campanhas eleitorais e das eleições, para no futuro virem a ser corajosas e excelentes dirigentes. Não é mimando as crianças é que as ensinamos a enfrentar os desafios da vida.
    A simulação do parlamento das crianças que se faz de vez em quando, para #fazer inglês ver# de que somos bons democratas é insuficiente, elas precisam de vivenciar muito mais experiências. A atitude do adiamento favorece a leitura de um salve-se quem puder estratégico, do servidor público com as eleições que se avizinham, para escapar as promessas, com medo de uma revindicação-greve dos professores, antes das eleições, como quem diz: Que o próximo ministro da educação do XVI constitucional resolva o assunto… o que pode eventualmente parecer uma reflexão de meia-verdade, porque os governos devem ser de continuidade, mas ninguém poderá garantir a ninguém, que o próximo governo vai usar o mesmo programa do atual governo, cujo líder agora usa óculos White em corpo negro, e que parece estar a exercer o cargo muito bem, como homem disposto a acabar com as cartas inverdadeiras e verdadeiras-falsas, ou de cartas de respostas múltiplas que os alunos que aguardam as bolsas em atraso não gostam, avisando até que é jurista, que estamos num estado de direito, há separação de poderes, e não quer nunca mais ver miúdos e miúdas com cartas falsas, nem ca entre nós, nem na disporá, ou seja fez muito bem, acabou de vez com esta negociata cujos lucros não revertem a favor dos cofres do estado e que poderiam eventualmente servir para engrossar as horas extras dos funcionários de muitas instituições do estado que trabalham no facebook de dia e fingem que trabalham para o estado no facebook de noite, aumentando as receitas para os cofres do estado que sustentam os altos salários das empresas tecnicamente falidas do estado.
    As promessas incumpridas do servidor publico ou melhor »ministro da educação», pode resumir-se na seguinte meditação:
    Nietzsche gostava de dizer que os atos de amor, estão acima do bem e do mal.
    Ou seja, quando dois grupos ficam presos em uma má situação e um deles é
    incapaz de pensar ou decidir, o outro deve decidir por ambos, até porque neste caso concreto, o amor platónico é pelas crianças, e não pelo banho que só para quem não quer ver, já cheira…e a intenção da roupa depois do banho é esconder ou revelar?

  24. Belmiro da Graça Soares

    16 de Setembro de 2014 as 14:36

    Não vejo a lógica de adiar o inicio do ano lectivo por causa das eleições. Mesmos que os educadores prestam os serviços de apoio ao Conselho Eleitoral Nacional não justifica este adiamento. E o pior. O inicio será após a realização da eleição. Isto significa que pode ser ainda no dia 12 após o fechamento das urnas ou no dia seguinte ou um ano depois da eleição ou ainda uma década. Posso inferir que com o período das campanhas eleitorais o país vai parar. Se o calendário do ano letivo sofreu ajustes outros compromissos também sofrerão. Parece até brincadeira

  25. Docente realista

    16 de Setembro de 2014 as 15:02

    Êpá, Gastão, que é isso? a tua figura esta a desgastar se aos poucos, sabias? Responda: Antes as aulas não começavam em Outubro? Queres dizer que o ensino actual está melhor do que anterior que começava em Outubro, né? O que queres afinal? Fazer campanha? Tás na lista de deputado também? E a propósito que governo aprovou Estatuto de Carreira docente?
    Fica quieto tá!

  26. Antonio

    16 de Setembro de 2014 as 15:24

    os da Escocia vao ao referendo esta semana, mas o ano letivo esta aberto ja ha dua semana.

    Que meseria de politicos!
    Que meseri de Jorge Mau (para nao dizer bom) Jesus!
    Que miseria Gabriel Costa!
    Que miseria Pito !

  27. Fuba Cu Bicho

    16 de Setembro de 2014 as 18:35

    Não tenho memória de qualquer país do mundo em que uma decisão desta fosse implementada pelo executivo; Só em STP…! Andou adiar a realização de eleições com objectivos de criar estratégia de ludibriar os eleitores, dilatando a data da realização sem necessidade e como senão bastasse agora são os alunos que chamados a baile nesta luta de gato e rato. Caros pais, alunos e encarregados de educação, já que não podem manifestar, pensem bem no futuro da sociedade que está completamente cega. Quem é injusto, faça injustiça mais; quem é sujo, suja-se mais. Não se deixem enganar pelo banho e falsas promessas. Ele dizia cuidado com rebuçado, mas é pior na sombra.

  28. Sinto Triste

    17 de Setembro de 2014 as 11:15

    Esta é mais uma manobra dos nossos Dirigentes, ja era de se esperar. O Ministro de educaçao foi esperto em adiar o arranque do ano lectivo, uma vez que foi alertado da greve dos professores. Quem promete deve realizar, mas nao passou, tenho pena do novo Ministro com esta batata quente (greve dos professores). Por outor lado, quem sofre mesmo com isto sao os alunos que terao somente dois meses de aulas no primeiro periodo. Malvados dos gajos. USEMOS A CABEÇA……

  29. Dinamico

    23 de Setembro de 2014 as 12:43

    Estes senhores acabaram de demonstrar uma total incompetência para governar o país, não queremos políticos que brincam com o assunto sério como é o caso da educação. foram teimosos, o ADI bem alertou que as eleições deveriam ser marcadas para o mês de Julho ou Agosto como sempre foi, mas como os actuais dirigentes traçaram um plano de fraude e outras manobras maquiavelizas fizeram esta asneira, mas como não têm vergonha estão a pedir o povo um voto de confiança, haja paciência.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo