Política

Guarda Costeira apreendeu Navio Pirata

O caso da apreensão pela Guarda Costeira em Parceria com as congéneres dos países vizinhos de um navio cargueiro, é preocupante diz o conselho de ministros. O navio que ostenta bandeira são-tomense foi interceptado pela guarda costeira no passado dia 7 de Setembro, em sintonia com as forças navais de países vizinhos de São Tomé e Príncipe.

Segundo o Conselho de Ministros, a embarcação utilizava ilegalmente a bandeira são-tomense. O Instituto Marítimo e Portuário de São Tomé e Príncipe não tem nos seus registos qualquer referência sobre o tal navio de nome BOROCHO.

O navio com o número 003651 está sob custódia da guarda costeira, com o estatuto de navio sem nacionalidade.

O conselho de ministros disse que o caso é grave e orientou as autoridades competentes no sentido de prosseguir com as investigações para identificar as cumplicidades e os respectivos prevaricadores.

O Governo garante que os cúmplices e prevaricadores serão alvos de processos disciplinares e criminais.

Abel Veiga

    13 comentários

13 comentários

  1. marco

    29 de Setembro de 2014 as 7:40

    ér bom trabalho forsa

  2. marco

    29 de Setembro de 2014 as 7:49

    se a alguns vigarista la dever punido

  3. Eu Tenho Memória

    29 de Setembro de 2014 as 8:27

    Coisas do senhor Patrice Trovoada. É para esta brincadeira que vamos voltar outra vez???? Sinceramente. Misericórdia!!!!!!!!1

    • Ele Mesmo

      29 de Setembro de 2014 as 15:38

      Porquê que ainda não prenderam este homem, minha gente? Prendam-no rapidamente, por favor. Este homem vai daar cabo da reputação do país. Não é concebível que isto possa acontecer. Porquê que ele foge da P.G.R como o diabo da cruz? Se não prenderem este homem o país está mal.

  4. marco

    29 de Setembro de 2014 as 9:38

    Esta ér a mundansa para Dubay de AFRICA Q PATRICE Trovoada prometeu a pais. ainda esta fugido dsa justiça q exemplo de democrata

  5. arelitex

    29 de Setembro de 2014 as 10:20

    é importante para o nosso país .uma guarda costeira bem equipada . ( o governo devia-se concentrar mais nesse tema ) porque temos muita fronteira marítima . o nosso aeroporto funciona como nossa fronteira terrestre . em que deveria haver permanente vigilância militar .

  6. Fédé ká Dóxi

    29 de Setembro de 2014 as 11:23

    Cuidado povo de Sao Tomé e Príncipe. Se o ADI ganhar, vamos entrar novamente neste ciclo de Barcos Piratas e Sao Tome e Príncipe entrará na lista de países de droga.Cuidado gente e os Americanos tomarão conta do nosso país para impor ordem. Nova colonização. Povô bili uê.

  7. Orlando Gomes

    29 de Setembro de 2014 as 11:46

    Bom trabalho

  8. luisó

    29 de Setembro de 2014 as 13:52

    “Tudo aconteceu no dia 7 de Setembro. As forças navais do país amigo de São Tomé e Príncipe, cujo nome a fonte do Téla Nón não revelou, localizaram o navio BOROCHO nas águas internacionais, próximo da América Latina”

    Num artigo o senhor diz país vizinho de STP e agora é da America latina?
    VIZINHO? na Amárica latina?

    E então foi a GC de STP que apanhou o navio ou foi o País amigo de STP?
    Tanta desinformação…

    • Téla Nón

      29 de Setembro de 2014 as 14:11

      É certo que a informação tornada pública pelo conselho de ministros, era muito sucinta. O Téla procurou mais detalhes, para informar melhor o leitor, e não para desinforma-lo. O artigo faz referência a parceria com os países vizinhos, em nenhum momento diz que foi nas águas territoriais de um deles, que o navio foi capturado. No outro artigo a referência a América latina, tem a ver apenas com a zona de interpelação da embarcação. Obrigado.

      • luisó

        29 de Setembro de 2014 as 17:37

        Se a interpelação foi na zona da América Latina e em águas internacionais como é que podem dizer que foi a guarda costeira de STP que apreendeu um navio pirata?
        E se foi em águas internacionais qual a legitimidade de algum País para abordar e apreender um navio seja lá de onde for?
        Há aqui muitos erros e omissões e então deveriam aguardar mais um pouco para dar a noticia correta e sem dúvidas, ou não acham?
        O resultado é este, só bocas e ninguém sabe do que fala.
        Parece-me que a intervenção da guarda costeira nisto tudo foi só de confirmar ao tal País amigo de que o barco não estava registado e só isto, o que também é de relevar porque mostra que pelo menos têm os registos em dia.

  9. chão chão

    1 de Outubro de 2014 as 0:33

    Este ADI e patrice trovoada são perigosos para S.Tomé. No dia 30 de Setembro houve uma actividade com o bulaue chão chão sem qualquer peso politico mas mesmo assim o ADI mandou agentes para vigiar a festa e militantes para arranjar confusão. Credo ADI e patrice trovoada.

  10. luisó

    1 de Outubro de 2014 as 10:07

    Afinal o caso está desvendado:
    o navio que foi apreendido, foto da imagem não está correta, foi apreendido pela guarda costeira americana nas águas do Panamá. Como içou a bandeira Santomense na abordagem foram pedidos esclarecimentos a STP que disse que o navio não estava registado no País e realmente os documentos que apresentaram têm erros crassos que qualquer leigo percebe que só podem ser falsos, até porque têm erros de português que só um ignorante da língua os poderia escrever.
    Percebe-se agora e desta maneira que as organizações criminais internacionais usam estes esquemas para os seus ditos negócios e pior ainda usam documentos falsos de certos países como STP para os seus esquemas por serem os elos mais fracos do sistema.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo