Transferências de campanha : MDFM perde Orlando Fernandes

 

Exmo. Senhor

Presidente do MDFM/PL – Movimento Democrático Força                                       de Mudança/Partido Liberal

São Tomé

Assunto: Desvinculação formal e decisiva da condição de militante e quadro do MDFM/PL.

 

Excelência,

 

Com os meus melhores cumprimentos, venho anunciar a Vossa Excelência que tomei a decisão de carácter pessoal e irrevogável, de renunciar a minha condição de militante e quadro do MDFM/PL. É uma decisão que desde há algum tempo venho ponderando, mas não quis consumá-la antes de terminada a última sessão legislativa da presente legislatura, enquanto cabeça de lista e único Deputado eleito pelo Distrito de Mê – Zóchi, nas legislativas de 2010, apesar de me terem impedido, a tomada de posse e o exercido de um direito garantido e conferido pela Lei fundamental do país.

O impulso para dirigir-lhe esta missiva Senhor Presidente, tornou-se ainda maior, sobretudo, quando um tal candidato ao vereador e Presidente da Câmara Distrital de Água Grande, o conhecido Luís de Ceita (Luizito), não conformado com a minha decisão, tenta com insinuações infundadas, desfilar golpes para atingir o meu bom nome.

Senhor Presidente, decidi-me fazer a militância no MDFM/PL em 2001, a quando da sua criação, e desde logo, ofereci – me para dar o meu contributo e o melhor de mim mesmo a causa do Partido no Distrito que me viu nascer,  “Mé – Zóchi”, do qual tenho muito orgulho. Considerava então o MDFM/PL como o Partido que, em princípio, melhor se identificava com o meu espaço político: Democracia liberal. No entanto, a minha vivência como militante e quadro com o passar dos anos se revelou um equívoco. Quer pela minha forma de ser, quer pelos acontecimentos que tiveram lugar ao longo dos treze anos de activa militância.

Os motivos da minha desilusão e decisão são pois, pessoais e políticos, e decorrem das dificuldades que senti para compreender os acontecimentos que tiveram lugar e que se resumem a:

  • Desvios em certos momentos, das linhas de orientação político-partidária;
  • A ausência de cultura de solidariedade no seio do Partido e de seus membros;
  • As intrigas que circundam pelo interior do Partido;
  • A postura assumida pela Direcção do Partido em 2005, durante a perseguição movida pelo Poder instalado contra a minha pessoa, enquanto Secretário Geral Adjunto e Secretário Distrital, como forma de afastar-me de actividades político-partidárias no terreno, o que me levou a colocar o cargo que desempenhava a disposição da Empresa para facilitar a investigação, tendo vindo a confirmar que tudo não passava de uma cabala politica;
  • A formação do 11º. Governo Constitucional – as manobras e negociatas que tiveram lugar em detrimento de uma e outra proposta para constituição do elenco;
  • As circunstâncias da queda do 11º. Governo Constitucional e a formação do 12º. Governo;
  • A entrega do Poder de bandeja a um terceiro Partido – para formação do 13º. Governo Constitucional;
  • O grupo forjado e alimentado com base nas estruturas intermédias do Distrito para assaltar a Direcção do Secretariado Distrital, com o único objectivo de destituir o signatário e a solução adoptada pela então Direcção do Partido;
  • As circunstâncias ainda não esclarecidas do apoio incondicional fornecido ao Partido ADI, nas legislativas  de 2010, a grande derrota eleitoral registada e os episódios que rodearam a queda do 14º. Governo Constitucional, o qual MDFM/PL ajudou a conquistar o Poder;
  • O secretismo gerado a volta do candidato a apoiar nas eleições Presidenciais de 2011, e o isolamento relegado ao Secretário Distrital de Mé – Zochi pela sua identidade com o candidato cidadão Dr. Carlos do Espírito Santo Bené, enquanto seu mandatário e pessoa que o convidou a fazer militância no MDFM/PL desde 2005;
  • Manobras politicas engendradas com o fim de impedir o signatário a tomada de posse como único “Deputado” eleito, nas legislativas de 2010, numa clara e flagrante violação dos princípios elementares da democracia, do Direito e da Lei, pelo simples facto de, no exercício das suas nobres funções, ter mantido um relacionamento exemplar e transparente para com os seus responsáveis mais directos do 14º. Governo, não obstante, terem outra cor politica, confundindo, as relações profissionais com as da politica, de um quadro que sempre procurou fazer o seu melhor no âmbito das suas atribuições, competências e capacidades;
  • A forma como fui tratado numa certa reunião da Comissão Politica realizada na sede do Partido, quando me encontrava ausente em Portugal, por razões de saúde, coisas que foram ditas a meu respeito, terem posto em causa a minha fidelidade, o meu bom nome, o hipotético processo disciplinar referido ser instruído para me expulsar do Partido, sem qualquer base legal, pelo simples facto de ter reencaminhado para alguns membros do Partido (Comissários, Conselheiros e Militantes), o teor de uma mensagem recebida do Partido ADI aquando da crise politica que se instalou no país em finais de 2012.

De facto, confirmo a receção de duas mensagens, uma da troika e outra do Partido ADI,(em anexo) que suponho muitos como eu, terem as recebidas, mas que não têm nada de relevância no seu conteúdo, ao ponto de me terem crucificado com tantos palavreados e ameaças, o que me causou revolta e indignação, o comportamento assumido pelos certos(as) Comissários(as);

Saiba Vossa Excelência que a ingratidão é o pior dos defeitos que se pode encontrar nos homens, e sobretudo nos políticos, mas como a vida é feita de acontecimentos chamados altos e baixos, ciladas, cabalas, intrigas, companhia de falsos amigos, caminhadas politicas que muitas vezes, embora feitas na mesma estrada ideológica, se entende mais tarde que na realidade se caminhava para um abismo para onde nos queriam levar (digo tentar empurrar).

Na minha vida, nunca me sujeitei a julgamentos organizados por estrategas da intriga, muito menos me poderia sujeitar a julgamentos pré-organizados! Costuma-se dizer que na vida de um combatente, é preferível renunciar a um convívio formal a ter de ficar em choque com a própria consciência. Deste modo me renuncio ao convívio do MDFM/PL, pois, na leitura que faço, não tenho espaços e muito menos poderia me conviver com toda esta imprudência.

Assim, como livre entrei, livre saio. Fico contente por ter dado o melhor que soube e pude enquanto militante e quadro, mas está esgotado o impulso e a convicção que justificaram a minha adesão e participação partidária.

Aos quadros e militantes que juntos percorremos caminhos tenebrosos, conquistamos vitórias e derrotas, não posso deixar de manifestar toda a minha gratidão e apreço pela disponibilidade e apoio que me dispensaram durante os treze anos a frente dos destinos do Partido no Mé-Zochi. Como compreenderão a vida é feita de desafios e é preciso estarmos preparados para os saber e poder enfrentar.

S. Tomé, 24 de Setembro de 2014.

Orlando Fernandes

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    oportunista Responder

    Sr Orlando Fernandes!
    O Senhor está é a cuspir no prato que o senhor comeu.
    Todo mundo já sabe da sua negociata com ADI para permanecer na AGER.
    Mas pode limpar boca no chão como galinha.
    O dinheiro que o Sr recebeu vai acabar tudo com este seu tratamento.
    E mais VAI HAVER AUDITORIA nas contasw da AGER.
    O Senhor sabe perfeitamente porquê?
    Vais apanhar tromboze!
    Todo o DOSSIER ALFACATRUA de AGER alguém está na posse e vai ser publicado quem sabe ainda hoje.
    Melhor entrar avião como sempre tem feito-regressar ao Brasil.

  2. img
    Gabriel Costa Responder

    Ele sabe que vai perder o lugar na AGER esta a saltar para o ADI. Assim mesmo camalhão. ADI tem que estar vigilante com este tipo de gente interesseira

  3. img
    António Menezes Responder

    Bom essa é a moda…espantar porquê? Olha depois de 1991 é só isso.

  4. img
    fai Responder

    Orlando Fernandes é uma vergonha. O ADI é um partido que só congrega gente sem qualidade, desde o topo até a base. Gente ingrata e imoral. Força MDFM. Viva Fradique de Menezes. O ADI partido que tem apoiantes como Cauique, FDC, João Cavalo,etc n-ao serve ao povo.

  5. img
    Leopaldo Responder

    Muito esperto esse Orlando… esta a salvaguardar o seu tacho na AGER de 3.500USD/mensal… mas chega, os teus dias estão contados…Camalhão…

  6. img
    Zé Magro Responder

    Mas o senhor Abel Veiga acha que isto é notícia? Quem é Orlando Fernandes!? Ele foi dqauqles que soube sugar o Fradique e o MDFM/PL, beneficiou do indulto e comutação de penas decratado por Fradique por causa do roubo que ele fez na CST, depois o Fradique lhe colocou como administrador da AGER e agora está arrumado em carapau de corrida.
    Para mim isto não é notícia, senão será notícia também que o bonito abandonou o PCD né?
    Francamente!
    mas notícia grande é o comício de hoje do MDFM na Praça Yon Gato. Pens não ter visto ainda nesta campanha um comício tão cob corrido e tão vivido com azafama como este, pese embora a pobreza do palco e um som que não era o melhor. Mas a moldura humada e a vibração eram bem grandes.
    Senhor Abel Veiga, isto simm é notícia.

  7. img
    Combocone Responder

    Mudar de partido, e como mudar de roupa gente sem personalidade

  8. img
    Orlando Fernandes Responder

    Quero dizer a aquele que tem medo de mostrar a cara o “oportunista” de que ando com a cara levantada, que vá agora, ontem, hoje e amanhã a AGER fazer Auditoria, não tenho medo de auditoria. Apenas lembrar-lhe, se é que não sabe que a AGER é um órgão colegial, composto de três Administradores, no qual assumo a Presidência. A AGER publica normalmente o seu Relatório e Contas. Desafio-lhe a apresentar provas e a me denunciar no Ministério Público.

    A aquele que assina como “Gabriel Costa”, quero dizer que não me sinto preso a nenhum cargo. Sou um quadro qualificado e tenho competências.

  9. img
    Orlando Fernandes Responder

    Ao Leopardo sugiro para candidatar ao meu cargo na AGER.

  10. img
    Carlos Manuel Responder

    Zé Magro não tens vergonha? Fale aquilo que tens a prova e não dê palpite daquilo que não sabes. Não estarás a confundir Orlando Fernandes com o Carolino do MLSTP/PSD que esteve preso por duas vezes por ter roubado o dinheiro da CST? Seja correcto.

  11. img
    verdade Responder

    muito bom senhor Orlando

  12. img
    Oportunista Responder

    Vocês não sabem quem comeu dinheiro do Fradique. Perguntem ao Luizito e outros que gravitam a sua volta. Este Luizito então!.. Voces não sabem do último golpe dele em Guiné Equatorial? O tipo desviou e comeu muito ferro de um alto responsável daquele país, ao ponto de lhe terem retirado o Passaporte donde ele é originário. Ele que tem nacionalidade de S. Tomé e também do país de “los amigos”, Guiné Equatorial mal pode entrar naquele pais que ele é originário.

    Fico parvo a ver MDFM/PL de Frqdique a acreditar nesse luizito que não trabalha, mas que ostenta tanta riqueza.

  13. img
    Domingos Simões Responder

    Não julguem Sr. Orlando pela sua decisão, ninguém é obrigado a permanecer num partido ou grupo onde não sinta bem. Sr. Orlando é um homem honesto grande trabalhador exigente, pessoas que o conhece por perto poderá confirmar. Outra coisa ninguém tem direito de fazer julgamento do outro á não ser Deus todo poderoso.

    Força Sr. Orlando
    Força ADI.

  14. img
    Maioria absoluta Responder

    Orlando Fernandes tem contas por ajustar com Embaixada de Gabão sobre a faturação ilegal da CST em Trilhoes de CFA que não estão resolvidos.
    Que moral tem este Orlando fernandes?
    Burlou Embaixada de Gabão,Malandro.

  15. img
    Paula Borges Responder

    O pessoal da Troika só conseguem ver defeitos dos outros.
    Povo abre bem os olhos, Governo de Coligação nunca deu e nem dará provo neste País, vamos todos a urna e dar uma maioria absoluta ao ADI.
    Dedu na ca ponta ubûe de fá, se lá lha lá Só.

    Unidos venceremos a Victória será nossa.

  16. img
    Mak Responder

    Forca Orlando
    Encosta-te aos fortes……….
    Viva ADI ADI ADI ADI…………

  17. img
    rapaz de almas Responder

    Mas um rato a abandonar o navio tendo em conta que o navio “ADI” esta a afundar…

  18. img
    Opiniao Justa Responder

    E Pena apenas dar a minha opiniao depois de dois Anos!
    O SR Orlando sempre foi honesto e trabalhador caso esses individos Sem educacao e moral que deixaram aqui os comentarios, gente burra Sem estudos entao como um Deputado Eleito nao e autorizado exercer o seu cargo!! So mesmo em São Tomé Gracas a Deus o SR Orlando fez um Brom trabalho tanto para o MDFM que por sua fez ja Teve no inicio boas relacoes com o ADI e se nao cumpriram o acordo estou contigo SR Doctor Orlando Fernandes from London to São Tomé

Deixe um comentario

*