Destaques

Obra suspensa – Obra liberada sem a notificação da empresa construtora

A decisão do Governo em suspender as obras de construção do Centro Comercial de São Tomé e Príncipe demorou cerca de 8 dias. Na segunda – feira 5 de Janeiro a Direcção das Obras Públicas e Urbanismo do Ministério das Infraestruturas, veio anunciar o levantamento da suspensão, anunciada na semana passada.

O Téla Non que esteve no local das obras, registou explicações do engenheiro chefe por sinal um cidadão italiano, e de demais operários, que asseguraram nunca terem sido notificados de qualquer decisão para suspensão da obra e nem tão pouco para a retoma dos trabalhos.

Segundo o engenheiro de nome Vicente, a empresa construtora do Centro Comercial de São Tomé, a Royal Constrution tomou conhecimento do anúncio da suspensão da obra através da comunicação social. «Nunca recebemos qualquer documento oficial das instituições competentes, anunciando a suspensão da obra», referiu o engenheiro chefe da empresa Royal Constrution.

geral obrasO engenheiro acrescentou que a sua equipa nunca suspendeu os trabalhos. Apenas concedeu alguns dias de descanso aos operários no quadro das festas de natal e do ano novo. Período de descanso que de acordo ao engenheiro Chefe da Obra, terminou no último fim-de-semana. Os 60 operários são-tomenses que nesta fase trabalham na construção do Centro Comercial, retomaram as suas actividades normais na última segunda-feira, salientou o engenheiro Chefe.

O engenheiro considera que as obras nunca estiveram suspensas, porque a empresa nunca foi notificada oficialmente sobre qualquer suspensão dos trabalhos.

No entanto o Director das Obras Púbicas e Urbanismo, apareceu na TVS na noite da última segunda – feira, a anunciar que caiu por terra, a ordem de suspensão da obra, dada pelo seu superior hierárquico, o Ministro Carlos Vila Nova. «As obras foram suspensas para reapreciação de todo o processo. Após contacto chegamos a conclusão que a data de hoje (segunda – feira) esse processo estaria completo. É nesta senda que as obras foram reiniciadas», declarou o director das Obras Públicas e Urbanismo.

O Director da DOPU, teceu mais comentários sobre questões, que ao que tudo indica, deveriam ser tratadas em privado entre as instituições competentes do Estado e o investidor privado chinês, permitindo a devida correcção de alegadas irregularidades, sem necessidade da emissão de uma ordem de suspensão efémera. «Concluímos a reapreciação técnica do projecto que faltava neste processo. Estamos neste momento a emitir o parecer da apreciação», disse o director da DOPU.

Segundo ainda o Director da DOPU, o dono da obra, ou seja, o investidor privado chinês que criou a “Sociedade Centro Comercial de São Tomé” de direito são-tomense, tem um prazo de 15 à 30 dias para dar resposta as recomendações feitas pela equipa técnica do Ministério das Infra-estruturas, que reapreciou o projecto de construção do Centro Comercial de São Tomé.

Note-se que as obras de construção do Centro Comercial de São Tomé, estão avaliadas em 6 milhões de euros. O edifício em construção terá 5 pisos, mais de uma centena de lojas, parque de estacionamento, e garantirá ao país mais de 250 postos de trabalho directos.

Abel Veiga

    19 comentários

19 comentários

  1. zeme almeida

    6 de Janeiro de 2015 as 13:00

    Jornal propangandista,finalmente nao houve nada.Que brincadeira.Só com um e unico preposito para manchar o governo escolhido pelo povo.Afinal o Diabo nao tao feio como dizem.Viva RDSTP

    • santomense

      6 de Janeiro de 2015 as 15:00

      Zeme Almeida está com amnesia. O jornal inventou alguma coisa? Não viste o telejornal? Não Ouviste rádio? Não Ouviste o teu governo a dizer que suspenderam a obra “por motivos fúteis”. Vocês do ADI ou são muito ignorantes ou querem deitar areia nos olhos das pessoas. Deixem mas é de teatro e assumam as vossas responsabilidades.

  2. Zemé cabóka

    6 de Janeiro de 2015 as 13:41

    Miguel ZEme Almeida,
    mano não vê TVS. Vila nova não veio ao público dizer que a obra está suspensa?
    mano também tornou MAÇON ou que?

  3. Maria silva

    6 de Janeiro de 2015 as 13:55

    Alleluiaaaaaaa!!!
    Temos que parar com este mau habito de querer sempre ” lamber o dedo” e protagonismo, São Tomé e Principe tem que andar, td que for em beneficio do povo e para o Pais será sempre bem -vindo!
    Deveriamos ter vergonha, todos que sairam nesta corrida para o desenvolvimento juntamente conosco estao a nossa fentre, estamos no ultimo lugar , td por um simples capricho, egoismo, nhônó,etc ect !!

  4. Maria de Fatima Santos

    6 de Janeiro de 2015 as 14:35

    Afinal houve suspensao ou nao houve? Entao houve decisao do Conselho de Ministro em suspender as obras e afinal de contas as obras nao foram suspensas?… Nao entendi nada! Se o estado é exercido na na TVS/Rádio Nacional, Facebook…. ? Na realidade ele nao existe. Haja teatro na minha terra!…

  5. kwatela

    6 de Janeiro de 2015 as 15:11

    Nada de grave.
    Só foi mais um show – man do sr ministro que não tinha nada para fazer.

  6. Danilo Costa

    6 de Janeiro de 2015 as 15:28

    SR. Ministro a assinatura do contrato com Stena Oil no Governo em que sr fez parte em 2010 do Patrice Trovoada tbm não é ilegalidade? O caso do Super Mercado também não ilegalidade? o Acordo da assinatura do Kosovo também não corrupção?

  7. Terra Nossa

    6 de Janeiro de 2015 as 15:50

    O jornal Tela Non deveria também fazer uma reportagem sobre o murro de vedação do Super Mercado CKDO… que até a presente data sem resolução ….

  8. Teresa

    6 de Janeiro de 2015 as 17:59

    E nós que somos estúpidos, não sabemos ler nem compreender.

  9. luisó

    7 de Janeiro de 2015 as 10:11

    Em 8 dias de paragem da obra analisou-se e resolveu-se:
    a questão de que a quem pertenciam os terrenos,
    a questão do estudo geológico dos mesmos,
    a alteração de 3 para 5 no projecto do número de pisos do edifício.
    Puxa, isto é que é trabalhar.
    Assim acredito que o DUBAI é possível…..

  10. Estrangeiro

    7 de Janeiro de 2015 as 11:31

    Seja culpa de quem for – nenhuma empresa séria e/ou alguem minimamente bem de cabeça vai investir numa confusão assim.

  11. sempre confusão

    8 de Janeiro de 2015 as 9:09

    Quem saiu mal em tudo isso foi o Vila Nova. Veio ao publico, disse tanta coisa que no fundo nao correspondia a verdade. O dono da obra, pelo que li no Tela Non, nem recebeu nenhuma notificação para parar a obra. Isto é muita falta de seriedade. Hoje já não considero Vila Nova um homem sério. Já se tornou num grande bandido e aldrabão. Alias, quem dorme com cão levanta-se com pulga. Fui

    • Celeste vila nona

      9 de Janeiro de 2015 as 14:39

      aldrabão e você ou quem lhe fez a cabeça
      Se é que entende o que isto quer dizer

  12. Só com Cristo

    8 de Janeiro de 2015 as 9:19

    Não passou de uma fantuchada o alarme de embargo da obra do Centro Comercial.Agora iniciaram outra fantuchada que é o Orçamento de Cidadão.Só vos quer dizer uma coisa.O pior homem que esse governo tem é o senhor Olinto Daio.Deixou de ser padre para casar. Cometeu pecado que agora está a refletir no governo de Patrice Trovoada com o inicio da trense.
    Este senhor é tão mau que só no Ministerio dele já afastou 15 Directores, alguns até com licenciatura para colocar bachareis.Esta acção macabra do Padre Olinto só foi até agora a nivel Administrativo. Este mês é para afastar directores escolares. Muito brevemente publicarei uma lista com nomes dos substituidos e de quem os substituiu.Patrice Trovoada está no mau lençol com esse senhor.

  13. Barão de Água Izé

    8 de Janeiro de 2015 as 18:07

    Com mais jeitinho o “centro comercial” vai até aos 10 andares….

  14. luisó

    8 de Janeiro de 2015 as 22:48

    Este centro comercial em construção terá 5 pisos, mais de uma centena de lojas, parque de estacionamento.
    Conhecendo bem STP os senhores têm a certeza que haverá compradores e negócio para 100 lojas quando se sabe qual é o verdadeiro poder de compra de 80% da população?
    Com 5 pisos e com falta e quebra de energia constante como vai funcionar as escadas rolantes e elevadores? com gerador? e onde está o pessoal que sabe fazer manutenção?

  15. hj

    9 de Janeiro de 2015 as 11:07

    xi nan sê ka se bê qua ku sa un cloçon um
    olha não me manda falar, credo país, até quando?

  16. quem sabe ensina

    9 de Janeiro de 2015 as 19:51

    este centro comercial trará grandes benefícios ao nosso país, quer em termos sociais e politicos.
    seria (e é) uma grande estupidez parar com tais obras qualquer pessoa com bom senso sabe que se for bem feito o país será melhor que dentro como fora…
    a unica coisa que ter receio é mesmo a obra em si, sao tome nao tem predios com mais de dois andares ( o que é uma vergonha) agora aparecer um centro comercial com cinco andares, nao sei naao.
    mas o objetivo é muito bom … força sao tome

  17. Hélder Mota

    10 de Janeiro de 2015 as 12:12

    S.T.P ainda está atrasado, porque está cheio de cidadões, parvos, ignorante, egoista vandalistas e tanta politica que não vale nada e tudo isso só leva um pais a pobreza e miseria. Será que governo e população são tomense não percebe que apesar de tudo esses investidores estão fazendo um favor a S.T.P? SERÁ que vocês S.T.P não percebe isso? Muda de mentalidade povo.esse atraso e essa ignorância vai nos levar aonde?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo