Destaques

Abertura de Angola deixa Patrice confiante no desembolso da segunda tranche

As relações entre São Tomé e Príncipe e Angola, dispensam apresentações. O Primeiro-ministro Patrice Trovoada e o Presidente de Angola José Eduardo dos Santos, reafirmaram a excelência das relações bilaterais que segundo Patrice Trovoada, têm mais margem de progressão para o futuro.

O desembolso da segunda tranche da linha financeira aberta por Angola a favor de São Tomé e Príncipe desde finais de 2013, assumiu destaque no balanço da visita de 24 horas a Angola. «Houve um acordo assinado de 40 milhões de dólares. Esse acordo permitiu que Angola em 2014 transferisse 17 milhões de dólares para o governo são-tomense, para o Orçamento Geral do Estado. Falamos sobre essa situação porque havia necessidade de trocarmos algumas informações e discutirmos as modalidades de como a segunda tranche podia ser desembolsada», declarou o Primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe na entrevista concedida a TVS no interior do avião e durante o voo de Luanda para São Tomé.

O Chefe do Governo são-tomense, salientou o facto de a sua visita ter aberto as portas com vista a realização ainda este ano da comissão mista São Tomé e Príncipe – Angola, coisa que não acontecia desde 2012.

O resultado do encontro com José Eduardo dos Santos e o trabalho das equipas ministeriais, reforçam a confiança de Patrice Trovoada, no incremento das relações de cooperação pública e empresarial com Luanda. «O importante é que apesar da redução do preço do barril de petróleo que vai fazer Angola rever o seu orçamento para 2015, notamos nas conversações que tive com o senhor Presidente da República, que há bastante abertura por parte das autoridades angolanas para estudarmos quer a questão orçamental, quer os projectos específicos de investimento, quer ajudar São Tomé e Príncipe de várias formas e em diversos sectores», concluiu, o Chefe do Governo são-tomense.

A presença do ministro da administração interna na delegação, que contou também com a presença do ministro das finanças, permitiu ao governo são-tomense, delinear com as autoridades angolanas algumas acções de cooperação e de parceria no domínio da segurança.

Abel Veiga

    16 comentários

16 comentários

  1. José Jango

    15 de Janeiro de 2015 as 19:30

    Só mesmo santomenses “inocentes ” e que ousam dizer mal dos Angolanos. Com um bom acordo “toma lá” da “cá” saímos todos a ganhar… Angola tem interesse em Sao Tomé e Sao Tomé precisa de Angola…

  2. José Jango

    15 de Janeiro de 2015 as 19:37

    E por favor e melhor esquecer o petróleo…
    Agora com esta queda do preço que deriva do excesso de oferta e desta crise que tarda a acabar nem daqui a 20 anos o nosso “suposto ” petróleo vai ser explorado….

  3. Atento

    16 de Janeiro de 2015 as 9:06

    Minha gente.
    Fui um homem que lutou pela independência da terra que me viu nascer.
    Hoje com a idade e maturidade que os anos nos dão, sou um homem que não me honra em nada falar do que fiz pela minha terra, para se tornar independente.
    Afinal estas pequenas ilhas nunca tiveram condições para serem independentes. Hoje vejo isso e pergunto-me como fui capaz de lutar por algo impossível, como era o desenvolvimento social, económico e financeiro da minha terra, onde a única coisa que tem é uma economia assente nos empréstimos e nas doações que nos fazem.
    Estou triste, não com o meu pais, mas sim comigo próprio.
    As condições políticas da altura impunham que se lutasse por STP, mas hoje com o que assistimos ao longo destes trinta e muitos anos de independência, torna-se necessário repensar a independência.
    Repensar em termos de integração num pais que nos aceite como região autónoma, para que o dinheiro que vai mandar para STP não seja mais uma doação, mas sim investimento e melhoramento das nossas condições de vida.
    Assim minha gente chegou a altura de repensarmos efectivamente se queremos continuar nesta vida de mendigos, ou queremos efectivamente ser gente, e assim integrados num outro pais.
    Não vou dar palpites sobre que pais seria esse a que nos juntaríamos para finalmente sairmos da miséria, mas desde Angola, até Portugal, todos seriam melhor do que a vergonha e a miséria que estamos a passar e vamos passar sempre.
    Doi-me imenso não ser feliz na minha terra. Doi muito mesmo, pois quem não sente não é filho de boa gente.
    Chegou a altura minha gente de pensarmos muito seriamente na necessidade em mudar a nosso sistema político e o nosso enquadramento regional.
    Despeço-me com aquele abraço de amizade.
    Tenho dito

    • tambem_atento

      16 de Janeiro de 2015 as 21:43

      Então tu achavas mesmo que São Tomé e Principe tinha condições para ser independente ?

      Eras muito burro na altura …

    • verdade

      16 de Janeiro de 2015 as 21:47

      Sempre podiamos nos tornar uma colonia de um qualquer pais arabe muçulmano, afinal ja estamos habituados a estar de cu para o ar

  4. Peixeira

    16 de Janeiro de 2015 as 9:36

    O peixe morre pela boca!
    Quando era Governo de Gabriel Costa, Patrice Trovoada encheu a boca dizendo que não se pode estar sempre de mãos estendidas a Angola…(), mas agora ele previlegia Angola.
    É caso para dizer se Angola não lhe der dinheiro ele tá fodido, e dessa forma o DUBAI estará comprometido, a internet gratuita para os jovens estará comprometida, um liceu em Gongá estará comprometido, a aquisição de um avião e um barco estarão comprometidos. Caso para dizer ele não aguenta ele morre.
    Só quero alertar ao MLSTP, PCD e MDFM que deixem o homem cair sozinho.

    • Seabra

      16 de Janeiro de 2015 as 21:25

      …..estou inteiramente de acordo consigo, Peixeira.
      Outrora , tentou descredibelizar o Gabriel da Costa,quando este esteve em negociações com Angola. P.T. criticou “bwwwweeeeeeeeee”, esta démarche do governo. E agora, espertalhao….vai, mas é pedir ajuda financeira aos seus amigos deputados TUGAS, para construir o seu prometido DUBAI, q todos esperam…+ promessas! Votaram e apostaram em si. Vá!
      P.T. e companhia ADI, vão dar com a fussa no chão e escangalharem-se sozinhos. Ninguém vai ajuda-los a cair….”on verra ,on verra ça!!!”

    • Engenheiro

      28 de Junho de 2015 as 22:56

      Faz todo o sentido a sua reflexão, senhor Atento. Faz todo o sentido. Mas isso é mesmo constrangedor, essa situação de mendicidade. Nunca conseguimos fazer um OGE com nossos próprios meios e esforços? Situação triste!Uma vergonha! Está na altura de repensarmos a nossa situação. Deixarmos e ser pedintes e sustentarmos a nós próprios. Isso é possível? É. Como? Com as nossas próprias mãos e cabeça e principalmente com ajuda de Deus.

  5. Tropa

    16 de Janeiro de 2015 as 11:33

    Meus senhores, por favor mim tiram essa dúvida, Sr.P.M tem direto a ajudante de Campo?

  6. situacion

    17 de Janeiro de 2015 as 9:52

    Oposição por favor, mantenham-se calados,deixem o Patrice e ADI governarem. Continuem a entrar mudos e sair calados, aprovem o orçamento……… Há um ditado que diz, quanto mais alto se sobe, maior será a queda. Patrice T caíra em queda livre, sem direito a paraquedas.

  7. Bola de berlim

    17 de Janeiro de 2015 as 9:55

    Viram como Patrice estava a engraixar José Eduardo? Depois chama os outros de engraxadores.

  8. Patriota

    17 de Janeiro de 2015 as 21:36

    OIÇAM LÁ ESTÃO LOUCOS??? concordo que o nosso país precisa tornar independente financeiramente, temos que deixar de viver de empréstimos, porque nenhum país empresta infinitamente. E são tome precisa de começar a conseguir o seu próprio dinheiro. Mas dizer que a nossa independência foi um erro é de Loucos; muitas pessoas lutaram bastante para conseguir lá agora dizem que foi mau. voçês nunca ouviram falar de “amor pela pátria” podemos ter muitos problemas mas não é assim que vamos resolver… porque vocês não param de criticar o mal e comecem a ajudar?? para criticar há muitos…

    • Atento.

      19 de Janeiro de 2015 as 13:56

      Meu caro Patriota.
      Olhe não gosto e mais lhe digo nunca gostei de entrar em diálogos de politica, pois cada um tem a sua razão que defende muitas vezes sem ter razão nenhuma.
      Assim, não vou entrar em grandes comentários sobre o que o meu caro Patriota afirmou.
      Disse ou melhor escreveu o Patriota.. ” Mas dizer que a nossa independência foi um erro é de Loucos; muitas pessoas lutaram bastante para conseguir lá agora dizem que foi mau. voçês nunca ouviram falar de “amor pela pátria” podemos ter muitos problemas mas não é assim que vamos resolver…..”.
      O Patriota não sabe de nada mesmo do assunto da nossa independência, porque se soubesse nunca escreveria o que acima escreveu.
      Olhe Patriota, a nossa independência foi-nos oferecida pelo Senhores de Portugal mário soares e pelo comunista alvaro cunhal.
      Ninguém lutou nada pela independência. E mais lhe digo, foi por nunca se ter lutado que STP está hoje na miséria que está.
      Não lhe vou falar da nossa posição de estratégia política internacional, que muito interessou aos Russos com a bênção do comunista alvaro cunhal, porque o sr.Patriota não sabe e os políticos de São Tomé também não estão interessados que o povo saiba a história.
      Mas já agora acha-se mais patriota que eu??? se sim, engano o seu meu caro. Só que eu abri os olhos antes de morrer e o senhor vai continuar com eles fechados até ao dia do seu enterro miserável.
      Vou terminar, um dia escreverei alguma coisa sobre a falsa independência de STP, para ver se as gerações futuras exigem o que têm direito ou seja viver com dignidade.
      Aquele abraço faterno para todos
      Tenho dito e por aqui me fico.

  9. Miss

    18 de Janeiro de 2015 as 13:26

    Patriota, queira-me desculpar,mas Vou contrariar a sua posição quanto o estatuto de STP.
    É o único país da África lusófona, q não conheceu a luta armada, q conseguiu a independência pela boleia. É um facto.
    Os usurpadores pretendidos combatentes, Miguel Trovoada e Pinto, andaram por aí no Gabao a curtirem, vivendo melhor q os perseguidos e presos pela PIDE em STP. Os verdadeiros verdadeiros combatentes São-tomenses, a quem roubaram os títulos, encontraram-se a combater na Guiné Conacri, ao lado dos irmãos da Guiné Bissau (sao-tomenses, informem sobre a vossa verdadeira história, que vos escapa, porque está mal contada). Os verdadeiros HERÓIS e Combatentes, não São aqueles q vocês pensam. A.C. nunca quis um mínimo contacto com o Miguel Trovoada, que era considerado apenas como um BAZOFO incapaz à procura de FAMA (tal pai, tal filho). Hoje, confirma-se muito bem.

  10. Patriota

    19 de Janeiro de 2015 as 22:27

    Sr. Atento voçê acha mesmo que santomense nao lutaram, podemos não ter feito uma a como de moçambique, angola, guiné; mas nos lutamos sim; se não fosse por ninguém teria morrido,lembra de 53( espera vai me dizer que nao te nada a ver?) pois engana – se.
    O senhor diz que já tem olhos abertos tem certeza disso; porque tivesse nao estaria a “pensar um dia escrever um livro” já o teria feito se tem condições intelectuais para tal.
    Pessoas como o senhor que acha que sabe muito, mas que não fazem nada há muitos; se ama tanto o seu país tem tanto conhecimento porque nao age para um país com mais “dignidade”?. São Tomé precisa!

    • Atento

      20 de Janeiro de 2015 as 9:41

      Sr.Patriota.
      Veja o meu comentário de 16 de Janeiro de 2015 ás 09:06 e vai constactar que a solução para uma dignidade do meu país “nosso pais” passa precisamente por aquilo que ali escrevi.
      Sobre o livro, meu caro infelizmente ainda não tenho dinheiro para o publicar, embora tenha muita coisa escrita para não me falhar a memória mais tarde, já que com a minha idade, tenho que ter a noção que mais tarde ou mais cedo as falhas de memória vão chegar e tornar-me-ei num velho.
      Contudo se tivesse a viver num outro pais a que nós chamamos evoluído, com toda a certeza teria apoios para o editar, mas aqui em STP, ou se tem dinheiro ou então és um merd. .
      Pense caro Sr.Patriota pela sua cabeça, mas pense mesmo, a fim de fazer os seus julgamentos da nossa realidade desde a nossa independência até á actualidade, e se após a sua análise continuar com a mesma ideia, então considere as minhas palavras escritas como tontices de um velho.
      Muito obrigado e fique sabendo que a partir de agora não vou comentar mais nada.
      Um abraço sempre forte
      Tenho dito.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo