STP e Portugal abrem novo ciclo de cooperação bilateral

São Tomé e Príncipe e Portugal estão a abrir um novo ciclo na cooperação bilateral. O Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Portugal, Luís Campos Ferreira que está de visita ao arquipélago, caracteriza o novo ciclo de cooperação, como oportunidade para a promoção do investimento privado português, para combater o desemprego no país.

Luís Campos Ferreira que chegou a São Tomé na última quinta –feira, teve a primeira reunião de trabalho na sexta – feira. Os ministros dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Salvador Ramos, da Economia e da Cooperação Internacional Agostinho Fernandes, acompanhados pelos técnicos dos respectivos ministérios, reuniram-se com a delegação portuguesa nas instalações do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O Secretário de Estado de Portugal, anunciou que desde 2012 a cooperação com São Tomé e Príncipe, envolve mais de 40 milhões de euros, no quadro do programa indicativo ainda em curso.

Mas a partir de 2015 Portugal quer abrir um novo ciclo de cooperação bilateral, caracterizado pela promoção do investimento privado. O sector da energia é uma das prioridades. «Há um conjunto de fases que temos que deitar mãos a obra e resolve-las. A criação de um bom sistema energético para São Tomé e Príncipe, que possibilite as famílias usufruírem de um bom sistema energético mas também que possibilite, quem quer investir em indústria que o possa fazer com um nível de segurança. Esta tarefa estruturante para o tecido económico e para as famílias é uma prioridade», declarou, o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Portugal.

Luís Campos Ferreira, disse que quer ver luz no início do túnel, já após as negociações que decorrem em São Tomé. Representantes do sector privado português, também participam nas negociações. «Vamos ter reuniões com alguns empresários – industriais portugueses que se vão juntar a nós, e que vão analisar as condições de poderem criar emprego em São Tomé e Príncipe. Mas é preciso dinheiro para alavancar esses investimentos. Cá estamos também para ver como é que havemos de o encontrar em conjunto», pontuou.

Por sua vez o Governo são-tomense fez saber a parte portuguesa, que está determinado em melhorar os índices de desenvolvimento humano e que conta com os parceiros internacionais, com destaque para Portugal. «O Governo são-tomense deseja melhorar os índices de desenvolvimento humano na perspectiva de que cada são-tomense possa usufruir do bem-estar social cada são-tomense possa usufruir de água potável, de uma melhor saúde, de uma melhor educação. Para isso contamos com os esforços nacionais, mas também contamos com a cooperação que desenvolvemos com os nossos parceiros quer bilaterais quer multilaterais, co caso concreto com Portugal», referiu o ministro dos negócios estrangeiros, Salvador Ramos.

A visita do secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Portugal a São Tomé e Príncipe, demora cerca de 6 dias. Está agendado encontros com o Presidente da República e com o Primeiro-ministro e Chefe do Governo. A ilha do Príncipe também já foi visitada pelo secretário de Estado de Portugal .

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    MJC Responder

    Eu fico muito confusa com o entusiasmo do ministro português, quando a EDP está entregue aos chineses em Portugal porque os portugueses não conseguem gerir a sua empresa de energia. O tempo dirá se esse será o melhor caminho para nós…

    • img
      Atento ao Dossier Responder

      Os Chineses só têm 20% da edp, e quem gere a empresa são quadros Portugueses,de grande qualidade,não confunda as coisas minha senhora
      seja humilde e agradecida s.f.f.

      • img
        MJC Responder

        Humildade devem ter os que querem nos atirar poeira aos olhos. Cada um põe ordem na sua casa como entende e nada nos é dado de mão beijada lá fora. Ninguém faz nada sem interesse. Foi dito na peça que pretendem combater o desemprego não é em S.Tomé por acaso…

    • img
      Atento Responder

      Minha gente.
      Quando aparecem senhoras como esta MJC a dizer o que diz, somente a tristeza me invade.
      Nem vou comentar, quem escreve só para passar tempo, sem ter o mínimo de dignidade e sabedoria no que diz.
      Aliás como escreve, somente reflete ignorância.
      E por aqui me fico, apresentando o meu desagrado pelo comentário tão despropositado e fora do contexto, onde é demonstrado a sua ignóbil ignorância.
      tenho dito.

  2. img
    PELO SIM PELO NÃO Responder

    Com a assinatura de convenção de eliminação da dupla tributação, daí é que Portugal vai reaver todos esses apoios que tem dado a STP.
    STP vai perder muito dinheiro com esse acordo.
    STP não tem praticamente investimento em Portugal.
    É só perder.

    • img
      a Responder

      Não fale do que não sabe por favor.

Deixe um comentario

*