Guiné Bissau um exemplo a seguir na manifestação da “Força da Unidade”

São Tomé e Príncipe em nome do seu mais alto magistrado, manifestou transbordante regozijo com o sucesso absoluto que foi a conferência internacional sobre a Guiné Bissau que decorreu em Bruxelas-Bélgica.

Na missiva endereçada ao seu homólogo guineense José Mário Vaz, e por seu intermédio a todo o povo da Guiné Bissau, o Presidente da República Democrática de São Tomé e Príncipe Manuel Pinto da Costa, realçou o exemplo de unidade, manifestado pelo Estado guineense, na conquista da confiança da comunidade internacional que assegurou ajuda financeira na ordem de mil milhões de euros para financiar o desenvolvimento sustentado da Guiné Bissau.

As nossas mais vivas e calorosas felicitações pelos resultados obtidos, fruto de um excelente trabalho de preparação a um primeiro nível, e a outro de execução que envolveu toda a sociedade guineense, e que por conseguinte a todos deve orgulhar”, refere Pinto da Costa na missiva endereçada ao Presidente e ao Povo da Guiné Bissau.

Pode consultar a mensagem distribuída a imprensa - GB

Abel Veiga

 

 

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Emilio Freitas Responder

    Tomara, os guineenses tenham entendido, efetivamente,que mais vale a pena estarem unidos, e trabalharem em conjunto, do que estarem, por ai ,se matando uns aos outros, por algo que tem tanto de passageiro, quanto nosso tempo nesse mundo, não fossemos todos nós tolos de não pensar desse jeito.

    Desejo sorte as nossos irmãos guineenses, sinceramente, que exemplos como esses possam, doravante, ser sempre noticia.

    Quanto a ser exemplo que o senhor Presidente da Republica, se refere, bem, não sei se chega a tanto, seja como for, entendo isso, como uma verdadeira farpa e chamada de atenção ao Patrice Trovoada. Torci muito para que o homenzinho ganhasse as eleições e do jeito que ganhou, para que servisse de ponto de “viragem na nossa politica” , mas começo a ficar com receio e com alguma preocupação em relação a forma como esse homenzinho mesmo com a maioria absoluta que tem, passa o tempo todo relegando as culpas dos insucessos aos outros. Espero e torço para que tenhamos sucessos mas , quá cu sca bê ni bódó coçô zêtê sca negamu di cumé, enfim.

    Vamos ficar mais quatro anos sem mudar as leis que são nesse momento bastante importante e têm maioria pra fazer isso, recuperar a zona franca de verdade, alias acho que esse país como um todo deveria se torna numa especie de “zona franca” atrari investidores de verdade, fazer , essa mesa redonda tb, atrair os asiáticos, os sul americanos , como chile, peru, e brasil.

    vamos trabalhar serio, deixem-se de brincadeiras e birras, isso é um país e não uma empresa de famílias, eu tb preciso viver, quero voltar pra minha terra, que raios!!! E ainda não entendem donde vem essas alergias e santos, pena que essas coisas só ataca os coitados.

  2. img
    Miss Responder

    Senhor Emilio Freitas, li bem o seu comentàrio e apreciei.
    De facto tem razao, cada pais funciona diferentemente, mas acontece que o exemplo que existe na Guiné Bissau( para além de assassinatos repetitivos), é um pais onde o povo sabe o que quer e tenta defender-se, como pode, é claro…embora nao tenha grandes meios para se proteger completamente dos fanàticos e gananciosos politicos oportunistas com idiologia politica totalitària. Este povo tem consciência politica, e eu compreendo que o pr.Pinto, quis certamente referir-se a este conhecimento politico que esse povo possui.
    Em STP a une grande necessidade de formar, de ensinar pedagogicamente o povo, quanto o que é o seu dever, o seu direito, o que é justo, correcto e bom para o pais, ensinà-los tudo isto, que lhes possa ajudar e ser ùtil ,na escolha de homem (segundo o que lhes corresponde e como querem ver STP avançar…)que lhes parece ser melhor para o que eles esperam e querem ver no pais, nas suas vidas etc….
    Nota-se por isto que STP nao passou pela luta da libertaçao, teve a independência de um dia para o outro, sem que o povo fosse preparado…foi uma prenda inesperada, embarcaram na boleia dos outros paises irmaos e aproveitaram da vaga daqueles que sofreram, que deram o sangue perdendo homens sem conta, com a força dos braços deles e valentia…sao valores que formam um ser humano. E como!!!
    STP precisa de passar por uma revolta , a populaçao precisa de formaçao pedagogica para aprender a tomar o seu destino em mao…é importantissimo, penso!
    Deixo aberta a minha opiniao, para um debate inteligente, sereno, sem “oportunismo”, muito menos conflito.

    • img
      Emilio Freitas Responder

      Caro/a, compatriota,
      Entendo o seu ponto de vista mas não concordo com ele em partes, principalmente no tocante a necessidade de STP ter que passar por uma revolta, para que possamos valorizar a liberdade e independência que temos.
      A liberdade não nos é dada por ninguem, pelo menos n deveria ser vista desse jeito, nascemos livres enquanto seres humanos, e nem deveriamos se quer perceber que ela está sendo cerceada, isso é extensivel ao cenario atual do nosso país.
      Infelizmente, ha um pensamento que tem feito escola na nossa sociedade, fruto talvez do desespero com que ja começamos a encarar a nossa falta de entendimento, de que só com uma clivagem total e quiçá bélica, poderíamos conhecer o desenvolvimento. Isso ,no meu modo de pensar, está errado. Há quem diga que nós não lutamos para alcançar a independência que temos, por isso devemos ir a bala, para valorizar essa independência. Nasci na década de 80 , pós independência, e tudo que sei sobre o nosso processo de independência li nos livros, como a historia do advogado português que nos defendeu perante o colonizador, Dr Palma Carlos, (podes consultar esse livro na biblioteca do ISP, umas 200 paginas) a luta da dona Alda do Espirito Santo, os massacres de que nossos avós foram vitimas e por ai vai. Devemos também pensar que nossa historia de luta anticolonial sempre foi primada pelo dialogo, o que a partida é mto bom, historia que se “confunde” com a de cabo verde, eles também não travaram guerras com colonos, mas no entanto sabem para que lugar querem ir enquanto povo. Por outro lado, ha que se ter em conta a nossa condição de Ilha( parecida com a de Cabo verde) não tendo fronteira terrestre, dificultando-nos aceder a materiais beliscos com facilidade, felizmente. O problema do homem santomense é ser egoísta demais e medroso, hoje em STP, quando falamos em figura politica e pública , pensamos logo em Patrice Trovoada e Pinto da Costa. E agora pergunto, porquê ninguém pensa no presidente dos Tribunais ou num promotor que nos dê orgulho, pelos seus feitos , enquanto homem da lei ( não é que os dois primeiros tenham feito algo que se prese). Eu gostaria muito de olhar para os nossos tribunais e dizer que me orgulho de ser conterrâneo desse jurista ou promotor, por ser tão reto de caracter, firme, infelizmente em 40 anos as nossas mamas não foram capazes de dar a luz a um cidadão tão nobre. Os juizes têm mais medo de Patrice Trovoada e Pinto da Costa do que eu que não tenho tamanho poder nas mãos. Os caras têm um dos melhores salários do nosso país, são independentes e ainda se corrompem!? O homem santomense é incapaz de pensar holisticamente, se preocupam mais com o que o outro está a pensar sobre ele do que fazer o certo, adora que gravitemos a sua volta pedindo favores para que amanha possas dizer, “Deus paga ele pra mimm éeee”. Como alguem em seu juizo perfeito, pode comprar um carro de 50 mil euros , para entrar num bairro onde todos que la residem precisam de um butim de 50 cm para sair de casa devido tanta lama e para pavimentar essa mesma rua custa 30 mil dolares, como alguém pode ter coragem de fazer uma coisa assim, ainda mais com dinheiro do povo. É essa falta de discernimento que falta-nos enquanto povo, mas para inverter isso, não precisamos de sair matando ninguém, precisamos cobrar dos tribunais, do tribunal de conta por exemplo, que não faz nada, desde que o Furtunato Pires saiu daquele orgão que parece que nada mais acontece em STP, parece que a instituição desapareceu. Esse atual presidente , até é primo do meu pai, pelo amor de Deus , não me orgulha nada tê-lo a frente dessa instituição, uma verdadeira nulidade, peco , até aconteceu, um dos seus membros processou o telanon, foi o ápice do tribunal de contas nos ultimos 3-4 anos. E os tribunais, no ultimo ano mtos deputados perderam suas imunidades que tanto se pedia para serem levantadas, cadê ação dos promotores, zero, uma nulidade, Se eu fosse presidente duma instituição tão moribunda quanto esses dois orgãos pediria demissão imediatamente.

      Quero ser lembrado pelo meu trabalho e minha luta, não pela” quantidade de nada” que fiz.

      Sai do ponto, sim saí, mas é que a revolta é tanta com quem tem poderes nas mãos e nãos os percebe, que so resta isso mesmo.

  3. img
    Maria silva Responder

    Senhor Emilio Fritas concordo com td que senhor acabou de dizer ( também carrego comigo uma revolta mt grande) mais também compreendo perfeitamente o ponto de vista da senha Miss, temos mesmo que revoltar , gritar kidalê, montá , saí a rua pegar no microfone , se for possível até mesmo martar esses rebanhos que são chamados de ” nossos dirigentes”, eles têm que saber que não estamos a dormir, que já estamos fartos!!

  4. img
    Miss Responder

    …é justo e correcto o seu ponto de vista, E.F., admito!
    Mas temos que levar em consideraçao a excepçao de Cabo Verde, em relaçao à STP, no que diz respeito à sua posiçao ,”fisica”,goegràfica das îlhas.Ambas sao îlhas, mas com um percurso diferente. Vejàmos:
    - Cabo -Verde, de corpo e alma participou na luta armada da libertaçao nacional(ver a historia politica do PAIGC), nas matas do territorio da Guiné- Bissau. Houve guerrilheiros cabo-verdianos, com as armas nas maos ao lado dos valentes combatentes da GB, participaram activamente para obter esta tao desejada liberdade.Embora o seu proposito sobre a liberdade do homem que nasce livre (eu acrescento)”com o mesmo direito e igualdade….”, teoricamente. Mas o E.F. pode admitir que o homem pode perder esta “aparente” liberdade, por vàrias razoes (prisao, colonialismo, guerra /invasao etc, etc), que foi o nosso caso nas ex.colonias.
    Logo, podemos compreender que o percurso de Cabo-Verde nada tem a comparar com o de STP, porque este por sua vez, nunca conheceu um combate ( note, nao se trata de uma critica pejorativa), o povo nao tem a minima noçao do que pode ser a guerra, a revolta, as dificuldades de organizar uma rebeliao, de dizer um NAO, BASTA…o povo vai na onda daquela que lhe faz lindas promessas,aquele que tem pinta, que se veste bonito…enfim, sao enganados com muito mais facilidade do que aquele que conheceu o esforço, o sacrificio para sair-se de uma situaçao complicada.Estes sim, têm a noçao do MAL, do hmoem que faz discurso com “impostura”, mesmo se é enganado, ele tem a consciência que ele é responsàvel da mà escolha dele, ao passo que aquele que nao cnhecimento e/ou experiência do dito sacrificio, nunca lutou para obter um bem colectivo, comum, é menos vigilante e pode continuar a cometer o mesmo êrro, por falta da noçao politico-social.Assim é que se passa em STP.
    Quanto a Dona Alda de Espirito Santo, ela assistiu a todos os acontecimentos do império dos estudantes africanos, na rua Maria Estefânia, em Lisboa, porque ela frequentava os estudantes da Guiné Bissau(Amilcar Cabral…), de Cabo Verde, de Angola(Agostinho Neto, Màrio de Andrade), de Moçambique (Eduardo Mondlane etc), os ditos revoltados, que organizavam, jà na altura, um possivel combate para enfrentar as injustiças coloniais (hà-de notar, que nunca se ouviu falar do Miguel Trovoada ou do Manuel Pinto da Costa).
    O contexto de STP é outro, aliàs, alguns sao-tomenses(cujos os nomes nao me lembro no momento), participaram nesta organizaçao, inclusive houve uns poucos que foram dar a “mao forte” ao A.Cabral, na Guiné Conacri, onde se instalou o PAIGC e os seus guerrilheiros FARP (forças armadas revolucionàrios do povo), para a guerra da libertaçao nacional, que teve lugar durante 10 duros anos, com muitas mortes atrozes, imensas perdas humanas!
    Cà em STP nao se conheceu tal fenomeno,evidentemente que a atitude é outra…que é daquele que nao conheceu tal tormenta.
    Caro E.Freitas, acredite-me que a revolta é digno de um povo, nao é necessàriamente com mortes e atrocidades que obtem-se uma bôa mudança…repare, na revoluçao dos cravos, dito o 25 de abril, nao houve mortes. Entao é possivel!
    O senhor Freitas sabe que na sociedade, numa colectividade, nada é gratuito, nem dado assim, sem que haja sacrificios, privaçoes, coragem, valentia e bravura.Nada se tem , se ficarmos sentados à espera…cada um vai esperando pelo outro, porque ninguém quer expôr-se, e portanto todos querem beneficiar do melhor, mas sem SUOR.
    Concluo, que ninguém nasce heroi, mas TODOS podemos vir a sê-lo…

  5. img
    anónimo Responder

    Sr/Sra Maria Silva se eu soubesse quem és iria atua procura para matar-te…. deixa de escrever coisas doidas Sr/Sra deve estar é frustrada deve ser do grupo aquém Patrice tirou a chupeta, vais ficar sem chupeta por muito tempo. Não fale mais em matar, aqui todos somos família, espera ,dentro de 4 anos voltas a ter chupeta. Trabalha ok….,

  6. img
    Seabra Responder

    Esse Cobardola, que só pode ser mesmo um anônimo, que nem ousa de assumar as suas ameaças, “de ir a casa da Maria para destrui-la.”
    Não se pode enfrentar o PT e os seus mercenarios, se fogem às denúncias feitas contra os maus actos deles. São todos odiosos e fascistas, funcionam em autenticos ditadores.
    Os Trovoada já tinham tentado instalar, nos anos 70, o sistema de “matança”, fazendo complô para eliminarem o M. Pinto da Costa e alguns outros dirigentes, “hélas”, foram descobertos à tempo, pelo ministro da defesa da época, Daniel Daio. Têm uma natureza criminosa, os T.e os seus copaios…e nunca mudarao.

    • img
      pena Responder

      Que pena….. hoje estaríamos bem melhor…

  7. img
    paulo pedro Responder

    senhor anonimo nao ker morte e ker procurar a sra Maria para MARTAR..aiai esses santomensses pensa mal

  8. img
    Maria silva Responder

    Respondendo o senhor anônimo ” que não passa mesmo de um anônimo “!
    Caso senhor não saiba que nem o patrice trovoada nem o senhor estão altura de me tirarem a ” chupeta ” eu ao contrário do senhor que é um lambe botas dos trovoadas , não estou atraz de tachos ” e pra isso venderam alma ao diabo, neste caso o patrice trovoada” eu tenho mérito próprio , copitencia naquilo que faço, diferente de pessoas como senhor !
    Vou falar sempre e se for á ponto de sair a rua estarei juntos sim, eu defendo um São Tomé e príncipe melhor aonde tds podem tomar um poco de leite sem stress ( se é que o senhor me entende ) !
    É bom que o senhor continue mesmo no anonimato .

  9. img
    Seabra Responder

    Paulo P. fez uma excelente observação…o Anonimus não concorda com a expressão da Maria Silva ,ora q ele é + violento e ameaçador.
    Creio que é a violência que caracteriza o partido ADI. Basta ouvir os discursos do líder P.T., que é de uma violencia sem nome…cheinha de agressividade, com ódio, rancor(característica dos Trovoada) e vitimizacao. Nunca mudará, porque é a marca da fábrica deles.

  10. img
    anónimo Responder

    “Se possível matar esse rebanho que se intitula nossos dirigente ” quem começou por escrever a palavra matar foi a Sra/Sr Maria, eu só usei a mesma palavra, só k qdo é a nós dirigida é difícil de aceitar. A vossa revolta deve-se a chupeta…. há muita coisa que pode ser feita na nossa terra e todos somos poucos para levar de vencidas as prementes tarefas para o crescimento do nosso país.
    Da próxima não diga que quer matar ninguém, ….

  11. img
    Seabra Responder

    Anonimus, você é um grande FABULADOR (digo mentiroso e por cima, cobardola, como todos os militantes ADI, começando pelo vosso lider, que paga os mercenàrios para fazer o trabalho sujo dele, mas ele mesmo nao ousa, porque tem medo …).Ninguém utilizou o seu tom VIOLENTO e AGRESSIVO.
    Por curiosidade, diga-nos quanto é que vocês sao pagos para servirem o vosso lider, ameaçando e agredindo os que denunciam as corrupçoes do Patrice Trovoada?
    O proprio Patrice Trovoada, é muito violente “de boca pra fora”,ele faz uma politica muito de INTRIGA, de VITIMIZACAO,de MENTIRA…enquanto vai roubando e desviando os bens de STP.
    Sabemos todos que existem desacordos com os outros homens politicos, dos outros partidos, porque nao fazem correctamente o trabalho pelo qual sao eleitos, hà muitas criticas a fazer em relaçao aos outros. Mas devemos ser honestos e admitir, que nao hà nenhuma comparaçao possivel com o caso dos TROVOADA, que nao governam, que nao querem ver STP avançar, difamaram,
    difamam e difamarao sempre STP, o seu povo…e portanto vao beneficiando do pais, roubando e sendo previligiados do estatuto da posiçao politica que ocupam.
    Nao é nada complicado a constatar, todos os sao-tomenses o sabem, mesmo aqueles que estao a colaborar com o PT, o primeiro a estar ao corrente é o Afonso Varela( ele é inteligente).
    Patrice Trovoada, nunca poderà representar STP, porque nao conhece bem o pais, nao tem nenhum sentimento patriotico, tem uma ideologia politica (se é que tem)desconhecida????é CAMBALACHO, é CORRUPCAO e ROUBALHEIRA…
    Ninguém lhe aprecia, ninguém!!! Se a ocasiao se apresentar, hao-de mostrà-lo, embora tenha-se manifestado muita ONDA de simpatia …méfiez-vous PT, você é a “personna non grata” em STP.E o senhor vai dar conta disso, com o tempo.

Deixe um comentario

*