Ministério da Educação lança empreendedorismo como disciplina curricular

O Ministro da Educação, Formação e Ciência, Olinto Daio anunciou o empenho do Governo em introduzir o empreendedorismo no curriculum escolar. O Ministério da Educação já começou a partilhar o plano com as Organizações da sociedade Civil.

O Ministro Olinto Daio, definiu os alunos do ensino técnico profissional como, alvos do programa assim como os alunos do ensino secundário, mais concretamente da sétima a nona classes. «Segundo os nossos dados estatísticos muitos alunos desistem da escola na nona classe. Assim ao saírem na nona classe, terão alguma ferramenta para poder avançar», declarou Olinto Daio.

Ferramentas para a conquista do mercado do trabalho. Segundo o Ministro, a atribuição de créditos e outros apoios, por si só não fazem o sucesso no mundo empresarial. «É preciso que a pessoa esteja preparada para o mundo empresarial. É preciso dar aos jovens certas habilidades, certas competências para que eles possam avançar no mundo empresarial e do mercado do trabalho», explicou o ministro.

ONUDI, organismo das Nações Unidas, vocacionado para as questões de empreendedorismo, é parceiro do Ministério da Educação, na implementação do empreendedorismo como disciplina curricular no sistema de ensino do país.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    MIONGA Responder

    «Segundo os nossos dados estatísticos muitos alunos desistem da escola na nona classe. Assim ao saírem na nona classe, terão alguma ferramenta para poder avançar»
    Pensava eu que o espírito fosse fazer os alunos superarem a nona classe e, em paralelo, muni-los de ferramentas para a vida profissional!!

  2. img
    Floli Responder

    Muito boa a introdução desta nova disciplina curricular. Mas por favor sr. Ministro, o Ministério da Educação deveria incentivar os miúdos a concluirem o ensino obrigatório, certo? O discurso do ministro de educação incentiva os miúdos a acharem que ter 9ª classe é suficiente, e o que importa é ser empreendedor. Nos dias de hoje todos nós sabemos que quanto mais formação a pessoa tiver, maiores são as possibilidades de vencer na vida.

    • img
      Fernando Responder

      Caro(a) Floli, em São Tomé e Príncipe, o ensino obrigatório ainda só vai até à 6ª classe. Há planos para passar a ser a 9ª classe, mas ainda não foram concretizados! Só para esclarecer!!

  3. img
    Seabra Responder

    Monseigneur O. Daio, e que diz dos vários fenômenos estranhissimos que têm surgido no seio do ensino, perturbando o funcionamento das Escolas, prejudicando os jovens e os seus familiares.Como pensa resolver esse ENIGMA?
    Há urgência, mister Minister!

  4. img
    VAI A DICA Responder

    Uhum, nao me parece ma ideia. Em muitos países foram adoptados ensinamento de língua inglesa desde escola primaria. Peço a Deus que STP também adopte isso porque o desempenho dos nossos profissionais nas línguas é muito fraca.

  5. img
    Indignado STP Responder

    Com tantos problemas que a Educação tem, esta é ideia iluminada que o ministro tem? O número de alunos por turma, a falta de materiais, o estado em que se encontram as escolas, entre outros. Devíamos combater o abandono escolar, melhorando as condições do ensino e não incentivar este abandono com medidas que nada resolvem. Resolva os problemas básicos e não nos atire areia para os olhos!

  6. img
    de Ceita Responder

    Acho muito bom pelo facto de ensino normal poder não ser a única escolha e solução, e por outro lado precisa-se de uma sociedade de empreendedores, também pelo facto de temos deficit muito grande de criatividade.

Deixe um comentario

*