STP escolhe Brasil para acompanhar e fortalecer os passos da Guarda Costeira

O Núcleo da Missão Naval da Marinha de Guerra do Brasil, instalado esta semana em São Tomé, visa fazer o levantamento in loco das necessidades da Guarda Costeira são-tomense, e desta forma promover a parceria entre os dois países, na resolução dos problemas que a jovem unidade militar são-tomense enfrenta.

O primeiro grupo de fuzileiros navais da guarda costeira, foi treinado e equipado pela cooperação militar brasileira.

Segundo o oficial de ligação da marinha brasileira em São Tomé, o passo dado pelo Brasil no sentido da criação do núcleo de missão naval em São Tomé e Príncipe, é consequência do passo inicial dado há algum tempo através da formação da primeira unidade de fuzileiros navais do país.

Por sua vez o comandante da guarda costeira são-tomense, Capitão-de-fragata, Idalécio João, destacou a importância da criação do núcleo, que resulta de uma solicitação feita por si, a comando da marinha de guerra do Brasil. «Quando fui ao Brasil fiz esse pedido e foi aceite. De forma a gente ter um contacto mais rápido e directo. A guarda costeira precisa de tudo e tem muitas despesas. Com este país amigo conseguimos ganhar muito. Posso dizer que neste momento temos 3 contentores com material para a guarda costeira, e vai chegar um navio carregado do Brasil com material para a Guarda Costeira», afirmou o comandante da guarda costeira de São Tomé e Príncipe.

O embaixador do Brasil, presente na cerimónia de constituição do núcleo de Missão Naval brasileira no país, indicou a região do Golfo da Guiné como alvo da política externa do Brasil, em matéria de segurança marítima.

O Ministro da Defesa e do Mar, Carlos Stock, preferiu destacar a prioridade dada pelo executivo ao MAR.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    verdade Responder

    esta uma boa iniciativa de brasil, unico pais amigo de STP q ajuda em tdos nivel mesmo sabendo q em STP ñ tem instablidade nen guerra quero ajudar a STP a previnir este caso se um dia podera acontecer o q ñ como mais vale previne, forsa brasil, portugal só quer nos robar,poderia poderia apoia STP na formao de forsa aeria e tbm no servirso de defesa e seguransa nacional, para mais ficalizar nosso espaço maritimo aerio e tereste

    • img
      Atento Responder

      Meu caro “verdade”
      Estás bêbado!!!!
      Toma cuidado mano, olha o teu fígado!!!

    • img
      luisó Responder

      É Verdade o senhor é ignorante e burro.
      Então Portugal anda há mais de vinte anos a apoiar e a suportar as recrutas dadas anualmente em STP oferecendo, até há 4 anos atrás, fardamentos completos para 500 instruendos e anda a roubar?
      Portugal teve em STP durante 20 anos um destacamento da força aérea e com um aviocar que para além de transportar os governantes salvou centenas de habitantes do Príncipe em evacuações médicas sem contar com os que nasceram no avião porque a ilha não tem condições, e isso é roubar?
      Portugal faz anualmente reparações e manutenção ás dezenas de faróis que existem em STP e que guiam os pescadores e outros no mar, o que torna sem nenhuma dúvida, talvez STP o melhor neste aspecto em toda a África, e isso é roubar?
      Os oficiais da guarda costeira formam-se em Portugal.
      Os oficiais do exército formam-se em Portugal.
      Neste momento está em STP um navio patrulha oceânico para vigiar as águas nacionais e que substituiu uma fragata.
      STP não gasta uma dobra com isto e muito mais que não cabe aqui.
      O Brasil chegou agora e já é mais que tudo?
      De onde vêm as fardas da guarda costeira? quem deu?
      Não têm força aérea?E quem pode?
      Quem não tem dinheiro não tem vícios.
      Antes de falar pesquise.

      • img
        vladimir dias paiva Responder

        portugal, brasil, angola, moçambique, estados unidos, guine equatorial. as FA SAntomenes têm cooperação tecnico militar km estes pais e outros k n mencionem. sao todos importantes pra desenvolvimentos das FASTP.

    • img
      Fernando Responder

      Senhor Verdade, contra factos, não há argumentos e o facto é que se não fosse a ajuda de Portugal, o senhor nem comprimidos paraa dor de cabeça tinha. Um pouco mais de juízo!!!

  2. img
    João Lemos Responder

    Considero que quando não temos qualquer comentário para fazer, deve-se manter calado. Aconselho também ao jornal, a não publicar certos comentários, que demonstram uma grande ignorância e põe em causa a própria sinceridade do povo santomense, pois quem está fora, pode pensar, que certos comentários constituem o pensamento da população.
    O tal senhor Verdade devia pensar antes de falar. Pergunta ao senhor Verdade, quantos santomenses encontram-se durante vários anos a fazerem hemodialises e outros tipos de tratamento, a custa do dinheiro do povo português. Quando o senhor Verdade tiver um problema de saúde forte, corre logo atrás de junta. Mas a junta não é para Príncipe, mas sim para Portugal.
    Quando vai ao hospital, o medicamento que toma ou compra, é a oferta do governo português. O programa saúde para todos que tem dado uma grande contribuição para a população santomense, não é financiado pelo pai do senhor Verdade.
    Por tanto o tal senhor Verdade deve ir mais é tomar banho para tirar o cheiro de catinga que lhe abafa
    Tenha juízo. Ingrato
    João Lemoos

  3. img
    Ferreira de Melo (Rio de Janeiro-RJ) Responder

    A Missão Naval da Marinha do Brasil em STP já se encontra no orçamento oficial da Armada brasileira até 2030, com ampla probabilidade de extensão. O Brasil já vislumbrou a limitada capacidade de cooperação portuguesa, e deseja ser o maior parceiro de STP nesse quadro. Brasília defende o fortalecimento da ZOPACAS (Zona de Proteção e Cooperação do Atlântico Sul), como forma de garantir a soberania das nações dessa Zona em relação ao controle de seu próprio espaço marítimo, sem intervenção externa (EUA, UE, etc.).

    Não é segredo a posição estratégica de STP no Golfo da Guiné, bem como a necessidade são-tomense em proteger e fiscalizar o seu mar territorial, sobretudo com a descoberta de suas reservas petrolíferas. Assim, a Missão Naval da Marinha do Brasil em STP, tem como meta auxiliar na efetiva estruturação material, logística e de treinamento das tropas de mar são-tomenses, assim como na expansão da Armada de STP, mediante a incorporação de navios-patrulha e aeronaves de reconhecimento (ex: embraer-tucano).

    Enfim, tais medidas são importantes para que militares de STP possam participar em missões da ONU, obtendo assim em contrapartida maiores financiamentos para projetos de desenvolvimento interno. Além disso, a ampliação da capacidade de dissuasão são-tomense à pirataria do Golfo e às atividades de pesca ilegais, somado ao apoio irrestrito brasileiro ao seu irmão lusófono servem como elementos de força de STP numa eventual e futura rediscussão com a Nigéria sobre as questões do mar.

    • img
      luisó Responder

      Sr. Ferreira de Melo,
      diz que o Brasil já vislumbrou a limitada capacidade da cooperação portuguesa. Ainda bem que o seu País tem essa capacidade de vislumbre e acho que a deveria aproveitar para olhar para dentro e vislumbrar a fraca capacidade de gestão do seu governo e acabar de vez que os casos de corrupção em larga escala desde a presidenta, passando por ex-presidentes até ao mais humilde dos funcionários públicos, isto sem falar nas Petrobrás e companhias, não esquecendo os milhões que vivem nas favelas sem nada. Se calhar por isso a cooperação é limitada e só damos o que podemos e temos mas sem ficar a dever nada a ninguém. Agora tenham cuidado como que dão porque infelizmente STP tem largo historial a receber mas não sabe manter e estraga ou perde, e não é só de agora.
      Mas pronto cada um faz o seu papel e o Brasil quer começar agora e acha que pode mais mas o futuro dirá se será profícua essa cooperação.

      • img
        Ferreira de Melo (Rio de Janeiro-RJ) Responder

        sr. Luisó, desafios internos não impedirão as agências de cooperação internacional de atuarem. A Política interna não é antagônica à externa; elas são complementares. Além disso, um vislumbre abrangente das situações internas brasileiras comporta tanto aspectos positivos como negativos, onde termos como “fraca gestão” e “nada nas favelas” se tornam generalizantes e superficiais.
        Quanto ao vislumbre do futuro da cooperação, há os que especulam, sentados, de forma negativa e os que agem: a Missão Naval está no segundo grupo.

  4. img
    Ferreira de Melo (Rio de Janeiro-RJ) Responder

    A meu ver como brasileiro e observador dos assuntos são-tomenses, a relação entre STP-Brasil é muito sub-aproveitada. Só como exemplo, a poderosa Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA/www.embrapa.com.br), quase não coopera com o governo são-tomense, creio que por falta de iniciativa do Executivo de STP. Os projetos da Embrapa em Angola, Moçambique e mesmo em Gana ou Benin são centenas de vezes maiores que os verificados em STP, um irmão lusófono.

    Ressalta-se aqui o orçamento da Embrapa para investimentos no Brasil e exterior em 2014: 2,2 bilhões (mil milhões) de dólares, enfim, valor quase 7 vezes maior que o Produto Interno Bruto são-tomense do mesmo ano. Ou seja, retrato de como o governo de São Tomé e Príncipe pode explorar melhor o potencial de cooperação com o Brasil.

  5. img
    João Lemos Responder

    O Senhor Verdade é aquele que cospe no prato onde come
    Se não concordas com as atividades dos portugueses no país, porque é que vais comprar os medicamentos no projeto saúde para todos que é financiado com o dinheiro português
    Porque é que não resolves no país o caso de muitos doentes que são enviados a Portugal e que lá vivem graças a solidariedade do governo português
    O senhor tem a memória muito curta, ou é um grande ingrato
    Tenha Juízo
    J.L.

  6. img
    RESPOSTA AOS PARVOS Responder

    O Sr “Verdade” é parvo, burro e muito ignorante, mas o Sr “Luisó” e o Sr “João Lemos” soa tao burros quanto o Sr. “Verdade” ou bem pior. Deixar tensão subir de nervo por causa de um ignorante como o Sr “Verdade” é ser mais ignorante do que ele. 3 Parvos.

  7. img
    xico Responder

    Gente, verdade verdadeira é que o Brasil esta na lista dos paises com maior investimento militar não ficando muito longe das grandes potencias e lista essa onde nem se vê Portugal ao fundo do túnel. Por essa razão temos que aproveitar e bem esta parceria que se avizinha. No meu ponto de vista com Portugal devíamos cooperar ainda mais em área como a saúde e educação e cultura e com Brasil cooperar em áreas de industria, militar, agricultura (clima muito similar ao nosso), energia, pois o potencial brasileiro é muito maior nessas áreas que Portugal. Não sei se alguns sabem mas o Brasil fabrica aviões(EMBRAER) e ainda navio submarino nuclear gente.

  8. img
    Quidide Responder

    Na minha modesta opinião, o país deve aproveitar toda a ajuda que lhe é proposta. Não podemos dizer que apenas o país A ou B é amigo de S.Tomé. Por outro lado é necessário que haja um dirigente de bom senso para tomar decisões que mais convenha STP e saiba gerir as ajudas externas. Bem precisamos de guardar melhor a nossa costa principalmente agora que STP parece projetar-se lá fora por todos os motivos…

  9. img
    Miki Responder

    Viva Brasil! Viva STP!

  10. img
    DESCAMIZADO Responder

    CASO JUSTINO LIMA

    O Descamisado traz de novo este caso à baile, conhecedor de um Estado Verdadeiro de direito,quer saber do Governo Santomense qual foi o veredito final do inquérito instaurado ao Brigadeiro Justino Lima. É do seu conhecimento que o referido inquérito não foi conclusivo. Sabe-se que o referido Brigadeiro colocou o seu lugar à disposição perante o Conselho do Estado para facilitar o inquérito.É do seu conhecimento que o referido Brigadeiro não foi chamado a inquerir.
    O Descamizado pergunta-se:
    Existe uma casa da guarda liderado por um comandante da Guarda que tem a chave do Portão, quer do portão principal, quer do portão Norte. Será que o mesmo foi chamado para depôr no inquérito ou se o governo esconde algo.Se se foi chamado, porque razão o Senhor Justino Lima não foi chamado até hoje.Só se sabe que o mesmo está na reserva devido um despacho interno do Senhor Ministro da Defesa e do Mar.Os outros intervenientes do processo estão no activo. À que se saber quem filmou a mando de quem e com que objectivo. Como se sabem, os militares têm a sua lei Militar. Não cabem os políticos transformarem as Forças Armadas num círculo Político.Quem filmou ou mandou filmar devera cumprir um severo castigo e mesmo expulso das Forças.Ao andarmos a prometer perante a campanha, caso o Partido vença as eleições o senhor será o Chefe do Estado Maior das Forças Armadas. Só que se enganou, porque no seio Militar existe a hierarquia militar.Não é querer avançar um recém chegado e oficial nas forças para comandar os militares.
    O Governo tenta avançar com os nomes dos oficiais Eugénio Guadalupe ou Horácio.Estes já fizeram parte no Comando do Brigadeiro Jaca que ficou célebre a desobidiência com relação à guarda de Honra Militar ao
    Chefe do Estado, o Senhor Presidente da República. O Brigadeiro Jacá pede a sua demissão.Vejam só, como a política intervem nas Forças Armadas. Estes desobedientes ainda foram promovidos.
    Quem passou pela recruta sabe logo que estes pontapés ao ladrão não tem nada haver com os exercícios militar Um ladrão que faz tombar um Brigadeiro. Só neste S. Tomé E príncipe.Ainda por cima exige protecção policial, alegando que está a ser perseguido. Daí o aumento dos ladrões na nossa sociedade.

  11. img
    DESCAMIZADO Responder

    INQUÉRITO NÃO CONCLUSIVO

    O Descamisado traz de novo este caso à baile, conhecedor de um Estado Verdadeiro de direito,quer saber do Governo Santomense qual foi o veredito final do inquérito instaurado ao Brigadeiro Justino Lima. É do seu conhecimento que o referido inquérito não foi conclusivo. Sabe-se que o referido Brigadeiro colocou o seu lugar à disposição perante o Conselho do Estado para facilitar o inquérito.É do seu conhecimento que o referido Brigadeiro não foi chamado a inquerir.
    O Descamizado pergunta-se:
    Existe uma casa da guarda liderado por um comandante da Guarda que tem a chave do Portão, quer do portão principal, quer do portão Norte. Será que o mesmo foi chamado para depôr no inquérito ou se o governo esconde algo.Se se foi chamado, porque razão o Senhor Justino Lima não foi chamado até hoje.Só se sabe que o mesmo está na reserva devido um despacho interno do Senhor Ministro da Defesa e do Mar.Os outros intervenientes do processo estão no activo. À que se saber quem filmou a mando de quem e com que objectivo. Como se sabem, os militares têm a sua lei Militar. Não cabem os políticos transformarem as Forças Armadas num círculo Político.Quem filmou ou mandou filmar devera cumprir um severo castigo e mesmo expulso das Forças.Ao andarmos a prometer perante a campanha, caso o Partido vença as eleições o senhor será o Chefe do Estado Maior das Forças Armadas. Só que se enganou, porque no seio Militar existe a hierarquia militar.Não é querer avançar um recém chegado e oficial nas forças para comandar os militares.
    O Governo tenta avançar com os nomes dos oficiais Eugénio Guadalupe ou Horácio.Estes já fizeram parte no Comando do Brigadeiro Jaca que ficou célebre a desobidiência com relação à guarda de Honra Militar ao
    Chefe do Estado, o Senhor Presidente da República. O Brigadeiro Jacá pede a sua demissão.Vejam só, como a política intervem nas Forças Armadas. Estes desobedientes ainda foram promovidos.
    Quem passou pela recruta sabe logo que estes pontapés ao ladrão não tem nada haver com os exercícios militar Um ladrão que faz tombar um Brigadeiro. Só neste S. Tomé E príncipe.Ainda por cima exige protecção policial, alegando que está a ser perseguido. Daí o aumento dos ladrões na nossa sociedade.

  12. img
    DESCAMIZADO Responder

    Numa altura em que Sua Excelência Pinto da Costa tem alertado a todas forças vivas do País, as populações, da necessidade de darmos todos as mãos, deixar de ódios, rancor, deixar de querelas políticas para fazer avançar este S.T.P. aparece o senhor José Maria Cassandra em reacender mais a guerra entre políticos e seus descendentes, cultyivando assim os males que se vão andando de gerações e gerações. O que me estranha ainda mais, este senhor comporta igualzinho ao senhor Afonso Varela que está cuspindo no prato que comeu. O senhor Miguel Trovoada encontra-se no País, cabe a ele usar da sua defesa, se fôr o caso. Houve Diálogo Nacional,onde parava esse Malfeitor? O Conhecido Cobó que ainda se encontra no activo, bem como o senhor Craque que se encontra em Angola sabem quem fomentou a tal forjada intentona golpista em que se prendeu todos os Membros do Governo. A Senhora Maria das Neves foi presa.Naquele momento os que planearam o golpe falavam dos Búfalos dirigido pelo senhor Arlece. Nunca usaram o nome do senhor Pinto da Costa.Este Pinto sempre aparece como Homem de consenso. Quem seguiu atentamente os comentários antes dos festejos de 12 de Julho de 2015 se apercebe que o Senhor Pinto da Costa nunca esteve nesses golpes baixos desde o momento que se fundou o CLSTP para mais tarde passar a ser MLSTP. Foram buscar o senhor Pinto da Costa porquê? Porque o senhor Miguel Trovoada começou a desrespeitar o senhor Guadalupe de Ceita e o conhecido Honé.Que lêem os livros do próprio Guadalupe de Ceita e do Senhor Carlos Graças já falecido.
    Pergunto ao senhor José Maria quem foi mentor de senso. Toda gente sabe que foi Miguel Trovoada. Incluível na localidade de Vilas de Almas alguns populares apalparam os seios da Dona Alda do Espírito Santo que estava assegurar a Presidência da República. Pergunta ao senhor Daniel Daio que na altura foi Ministro da Defesa.Dai que, as Forças de Guarda Presidencial tiveram que se intervir para defenderem a Senhora Alda do Espírito Santo. Pergunto eu, caso o senhor José Maria visse alguém a palpar os seios de uma sua amiga qual seria a sua reacção?
    Assim que o senhor José Maria quer viver, usando dinheiro das contribuições do povo para o seu benefício próprio. O senhor Kauique já tem o carro ofertado. Assim vai este Pais coberto de ódio.

Deixe um comentario

*