Primeiro-ministro mobiliza Dubai para conferência com os doadores em Londres

Nos dias 14 e 15 de Outubro próximo o décimo sexto governo constitucional do ADI e liderado por Patrice Trovoada, realiza em Londres uma conferência internacional com os investidores e parceiros de desenvolvimento de São Tomé e Príncipe.

Antes do evento o Chefe do Governo deixou o país na última semana rumo a Dubai para motivar e atrair os investidores e grandes empresas, para o grande evento de Londres. . Segundo Patrice Trovoada a visita a Dubai servirá também para entabular contactos com as autoridades de Dubai e dos outros países árabes vizinhos, no sentido de tomarem parte na conferência.

Argélia será o segundo destino do Primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, que também se deslocará aos Estados Unidos de América para tomar parte na cimeira de lançamento da parceria global para o desenvolvimento sustentável. Um novo programa de redução da pobreza com duração de 15 anos e que substitui “Os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio”, que termina este ano.

Note-se que São Tomé e Príncipe só conseguiu cumprir 3 pontos num total de 8 objectivos de Desenvolvimento do Milénio. Na parceria global para o desenvolvimento sustentável que vai ser lançada para os próximos 15 anos, São Tomé e Príncipe e os demais países, terão que cumprir 17 objectivos, com destaque para a redução da pobreza que não foi alcançada nos últimos 15 anos de implementação dos  Objectivos de Desenvolvimento do Milénio e mais de 300 metas.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    16 de Set. |Olhos Vivos| Comentário Nº.03/2015| Responder

    Ora bem!Pessoalmente vejo com bons olhos esta conferência Internacional de doadores,parceiros de desenvolvimento e investidores para o País.Quero muito sinceramente enaltecer a toda uma equipa que compõe o certame que irá decorrer nos dias 14 e 15 de Outubro/2015,na capital Londrina.Gostaria também de deixar bem claro ao Jornal Téla Nón que não faço parte do eixo do mal”. Apenas sou um homem de consenso,que por vezes procura participar no campo destinado ao comentário, partilhar e ajuntar-me a opinião pública formada e informada de tantos outros comentadodes sobre as questões que preocupam as mulheres e homens comprometidos com o dia-à-dia deste belo País,dando assim,o meu ponto de vista acerca das manchetes que mais me chamam atenção neste jornal digital. Mais,tenho alguma dificuldade em perceber qual é o pensamento estratégico e se já existe um trabalho de casa? E, a pergunta que eu coloco é a seguinte: Qual é o catálogo que o executivo vai apresentar em Londres aos doadores? O que temos para oferecer? Esta campanha protagonizada pelo actual Governo de S.T.P, que tem como pano de fundo a mobilização de meios, vontades e interesses com vista a captação e angariação de investimentos para o nosso arquipélago é bem vinda e insere-se no quadro de iniciativas criativas que os micro-estados insulares devam imprimir dinâmicas que promova a divulgação e o marketing que dê a conhecer as potencialidades de um pequeno País,mas rico em recursos naturais no contexto de uma diplomacia empresarial,não esquecendo que não podemos levar uma mão cheia de nada, sobretudo no que consiste as nossas capacidades de negociação que vão estar postas a prova até a exaustão.Por isso,na minha modesta opinião, acho que há necessidade de envolver todas esferas económicas e forças vivas da Nação devem ser chamados,quer de forma directa ou indirecta a fazer parte activa deste grande evento, pois o País vai estar exposto numa das maiores montras mediáticas do comercio mundial, de modo a que possamos passar no teste.Apenas uma nota final: “Congratulo-me com os mentores desta ideia e dou os meus antecipados parabéns”,esperando com todo respeito que o meu comentário nesta peça de notícia e dos demais não seja alvo de censura, como infelizmente tem vindo a acontecer nas ultimas semanas sem querer beliscar ninguém, fazendo fé que desta vez S.Tomé e Príncipe colha bons frutos, Olhos vivos.

  2. img
    amor a patria. Responder

    so quero parabenizar o governo pela iniciativa e espero que consigamos tirar bom proveito!

  3. img
    Boa onda Responder

    Onde estão os grandes comentadores do tela non, porque é que quando é uma boa iniciativa do governo ninguém diz nada,a visita do PM a Argélia também foi exitosa, porque é que tela non abafou a mesma, será que o tela non é mensageira do diabo. Só sabe dar as notícias tidas como menos favoráveis ao gover:no~

  4. img
    arelitex Responder

    o senhor primeiro ministro nâo há duvidas que está trabalhar com objectivos concretos .os meus parabens pela sua dedicaçâo ao país . continue em avançar porque os frutos vâo começar a aparecer com trabalho e os alicerços vâo se tornar firmes . não vale a pena estar-mos a falar de um passado recente , em que a incompetência e selvagens sem amor á pátria governaram este país , fizeram tudo e tiveram tempo para tudo menos trabalhar com dedicaçâo ao país .

  5. img
    NOVA-DITADURA-ADI Responder

    Espero q essa investida do Patrice dê bons frutos e n seja mais uma oportunidade para os seus negócios e encher ainda mais as buras q tem em sua casa, por forma a alimentar os “VARELAS” q se encontram a sua volta! Sou como aqueles q gostam de ver pra crer, pois com a politica de EXCLUSÃO e NEPOTISMO e DITADURA DESFARÇADA usando a comunicação social, associada a incompetência q está a volta dos “SABE TUDO-ADI”, tenho algumas reservas! ADI ocupa pela 5ª vez o cargo d 1º Ministro, se nunca deu provas, n sei se será agora com DUBAI e Arroz d 13 contos!

  6. img
    Furtado Responder

    Qualquer Nação vive da sua interação com outras nações, aproveitando o de bom aquelas têm para se desenvolver. No entanto, uma nação é um mosaico de saberes e sensibilidade; é um Estado, onde os órgão que o compõem se harmonizam onde não haja exclusão de pessoas que podem com o seu saber contribuir para o seu engrandecimento.
    Ora, a tão propalada “Conferência” seguiu estes trâmites de coesão social?
    O PR está ao corrente dos temas a serem abordados; os sindicatos, o patronato, os deputados, os técnicos nacionais, nos mais variados domínios, estão envolvidos no processo?
    Tenho receio que isto não seja mais uma vontade de protagonismo barato, ou de “puxar mais sardinha para brasas” de alguns
    Se estiver errado, peço desculpas. Errar é humano.

Deixe um comentario

*