Destaques

Obiang propôs criação de empresa mista para explorar petróleo na fronteira marítima comum

O Presidente da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, , que chegou esta manhã a São Tomé para visita de cerca de 48 horas, defendeu em declarações a imprensa no Palácio do Povo, a criação de uma empresa mista São Tomé e Príncipe – Guiné Equatorial, para gerir e partilhar os recursos que virão da futura exploração de uma “grande bolsa de petróleo”, segundo as suas palavras, existente na fronteira marítima entre os dois países. «Na zona limítrofe entre a Guiné Equatorial e São Tomé e Príncipe existe uma bolsa muito importante», garantiu o Presidente da Guiné Equatorial.

A prospecção já foi feita, e a exploração deve avançar numa parceria entre os dois países. «Eu proponho que possamos procurar empresas que nos possam ajudar a explorar o petróleo que está na zona comum. Podemos criar uma empresa mista São Tomé e Príncipe – Guiné Equatorial para partilhar a produção desta grande bolsa (poço) que está na nossa fronteira comum», declarou o Chefe de Estado do país vizinho.

No átrio do Palácio Presidencial e ladeado pelo seu homólogo são-tomense Manuel Pinto da Costa, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo contou a história da descoberta do poço petrolífero na fronteira marítima com São Tomé e Príncipe e denunciou a intriga inicialmente orquestrada por um país Europeu. «Após a prospecção do bloco vim aqui para assinar o acordo de limitação da fronteira marítima com São Tomé e Príncipe. Recordo que na altura uma potência europeia, quando soube que a Guiné Equatorial havia assinado acordo de limitação da fronteira com São Tomé e Príncipe, considerou que eu não tinha que respeitar o acordo, porque com o acordo assinado, a maior parte do bloco ficou na parte são-tomense e que a Guiné tinha perdido muitos recursos», precisou.

O Presidente da Guiné Equatorial, prosseguiu manifestando a sua contestação ao país europeu, que quis semear discórdia entre os dois vizinhos que são amigos e irmãos antes da independência. «Eu contestei dizendo-lhe que são recursos africanos. Por isso não poderiam meter-se porque da mesma forma como a Guiné precisa do petróleo, São Tomé e Príncipe, também quer petróleo. Portanto se a bolsa (poço) maior ficou na parte são-tomense podemos cooperar», pontuou.

As potencialidades do bloco de petróleo que atravessa a fronteira marítima entre os dois países, deixam o Presidente da Guiné Equatorial convicto de que São Tomé e Príncipe também vai beneficiar os recursos de petróleo. Recursos por ele considerado como fundamentais para o desenvolvimento de qualquer nação. «São Tomé e Príncipe também tem petróleo com a Guiné Equatorial. Apenas falta encontrar os mecanismos para explorar esse petróleo. É a única solução para que São Tomé e Príncipe, possa descolar», sublinhou.

A convicção de Obiang é maior quando recorda que a história de prospecção de petróleo no seu país teve episódios parecidos com os que São Tomé e Príncipe tem experimentado.

Pelo menos duas grandes empresas mundiais abandonaram a prospecção de um poço de petróleo na fronteira marítima entre São Tomé e Príncipe e a Nigéria, por alegadamente não existir ouro negro em quantidade comercial. «Guiné era o país mais pobre do continente africano. Graças ao descobrimento do petróleo, que não foi fácil, porque nos entreteram com muitas coisas. Os espanhóis fizeram a prospecção do petróleo durante 10 anos e no final disseram-nos que a Guiné Equatorial não tinha petróleo. Tivemos que pedir ajuda aos americanos e hoje em dia a Guiné Equatorial é um país que beneficia do seu petróleo», concluiu.

 

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. NOVA-DITADURA-ADI

    18 de Outubro de 2015 as 17:26

    Seja bem vindo o recurso petrolífero para o desenvolvimento de stp! Mas com a politica de exclusão adotada pelo governo ditatorial do Patrice Trovoada, o resultado da exploração deste recurso que aos santomense deve pertencer, irá servir apenas para encher os bolsos deste Primeiro Ministro + meia dúzia dos lambe-botas!

    • Ralph

      20 de Outubro de 2015 as 23:44

      Sim, é esse o desafio. Mesmo que vocês ainda tenham muito a fazer, sendo a poça em àguas profundas e o preço atual de petróleo baixo (e possívelmente vai descer ainda mais), a exploração de petróleo nas suas àguas territoriais oferece-vos uma oportunidade para ter um futuro económico mais seguro. No entanto, tem-se de assegurar que os rendimentos e os desfechos resultantes afluam ao povo e não aos políticos. O encanto de lucros como estes demasiado frequentemente acarreta o pior em políticos que parecem esquecer-se que são eleitos para servir o povo, não aproveitar deles.

  2. costa

    18 de Outubro de 2015 as 18:46

    …quando se começa a falar em plataforma comercial em São Tomé, em modernização do aeroporto internacional, construção de porto de águas profundas, a Guiné Equatorial afina os olhos e os ouvidos…e pensa: Será que vem aí a concorrência?…
    …Perante a possível ameaça, eis que surge o irmão Obiang a tentar espantar a caça, com um possível acordo de exploração de “uma grande bolsa de petróleo” (petróleo a 45 dólares o barril com sérias hipóteses de vir a baixar mais, e que de momento ninguém arrisca explorar )
    …Santomenses, “orelhas a pique” “olhos bem abertos” porque nos dias que correm, anda tudo à procura do mesmo.
    Saudações cordiais
    Manuel Costa

    • Santola

      18 de Outubro de 2015 as 21:38

      Concordo consigo não vamos basear a nossa economia em petróleo, já que o petróleo esta a ser desvalorizado, nesse caso o petróleo seria a última coisa a se pensar, pensem bem.

    • costa

      19 de Outubro de 2015 as 22:53

      …após mais algumas pesquisas feitas, espero estar enganado, e que este não seja mais um presente envenenado de que os Santomenses um dia se venham a arrepender.
      Manuel Costa

  3. jorge de jesus

    18 de Outubro de 2015 as 19:38

    As Autoridades Santomenses:
    Gostaria de pedir responsabilidade, seriedade e intiligencia
    as autoridades santomenses
    Agradecer a gentileza e solidariedade do governo Equato Guinensse.
    Vamos aproveitar para alavancar STP
    Não é possível que Gabão, Guiné Equatorial, Nigéria, Países vizinhos de STP, tenham todos petróleo e STP não.
    Vamos aproveitar esta oportunidade negociar com seriedade com os nossos irmãos e começar a explorar o referido bloco.
    Que os meios a se obter revertam a favor do povo, sinão S.Tomé Poderoso e Santo António Fará a justiça Divina
    BBem Haja STP
    JJ

  4. Admirado

    18 de Outubro de 2015 as 21:30

    Meus senhores, eu n duvido que temos petroleo. Temos sim é falsos irmaos que bebem do nosso petroleo e nos migalhas para pousar de amigos. Mundo falso esse em que vivemos.

  5. ANCA

    19 de Outubro de 2015 as 1:36

    Nas costas dos outros devemos sempre procurar ver a nossa.

    Os recursos naturais devem ser um complemento a gestão planeamento e organização do Capital Humano, em conjunção com requalificação equipamento do Território, das Instituições, Empresas, que de futuro devem ser fortes modernas sustentáveis.

    Podemos dispor de exploração Petrolífera, de outros recursos, como por exemplo financeiro, ou o Turismo, se as características da população(modo de ser estar, fazer, saber fazer), jamais for alteradas pela organização, regras, educação formação de qualidade,à nível social, cultural, ambiental, desportivo, político, económico e financeiro, se no Território jamais forem alteradas as regras de funcionamento das Instituições no sentido, da Transparência, Gestão/Planeamento/Organização/Modernização eficiente,…lamento, lamento imenso estaremos num ciclo vicioso, “pescadinha de rabo na boca”.

    Temos uma População, com determinadas características, que se impõem alterar-responsabilizar- cada cidadão perante a lei e a sociedade em que se encontra inserido ser responsabilizado pelo acto que pratica, em onerosidade de outro, paço a citar;

    Efectivos Populacionais, consoante a Idades e classes;

    -Pouca cultura educação formação.

    -Pouco altruísmo

    Actos culturais sociais

    Invejosos
    Rancorosos
    Vingativos
    Preguiçosos
    Fáceis de corromper, ou de se deixar corromper
    Corruptos
    Mulherengos – várias mães de família, vários filhos, pouca assunção da responsabilidade respeito pela paternidade/maternidade/parentalidade ou assunção pelo casamento.

    -Gosto pela Bruxaria

    Pouco ou nenhum sentido de responsabilidade de Estado, pouco ou nenhum sentido de responsabilidade ambiental, pouco ou nenhum sentido de responsabilidade cultural, transmissão da cultura(modo de ser estar), a língua, a música, as danças, os instrumentos, etc,…educação/formação de berço versus educação/formação escola, politécnicos/universidades.

    Sem inverter o paradigma dificilmente, ou tardiamente, com demasiados erros, num Território/População/Administração, já de se isolada e distante de si própria(dupla Insularidade, isolada do Mundo(Poder Económico, Poder Informação, Poder Decisão, Poder Força Bélica, Poder da ciência das Tecnologias, Poder das Inovações, Poder Organização Social, Cultural, Ambiental, Desportivo, Económico e Financeiro), poderá incrementar o chamado desenvolvimento que de futuro se pretende sustentável(ver observar perceber os erros dos ditos desenvolvidos), à social, cultural, ambiental, desportivo, político, económico e financeiro, numa palavra- Mais e Melhor Organização, Regras.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

    • costa

      19 de Outubro de 2015 as 11:16

      Bom dia amigo
      Depois de ler tudo o que escreveu, chego à conclusão de que a ideia que tem do País é a mesma que se tem de uma Orquestra desafinada.
      Eu estou plenamente de acordo.
      Por aquilo que conheço de São Tomé ( pois já aí vivi durante quase 1 ano), acho que no ar paira uma ideia de total anarquia.
      É realmente necessário colocar ordem nas coisas, não esquecendo a cultura Santomense, mas realmente só é possível fazer alguma coisa quando não existir areia na engrenagem, e quando as pessoas começarem a remar todas para o mesmo lado.
      Notei na entrevista dada pelo PT acerca das reuniões em Londres um otimismo pouco convincente, e depois de em relação ao petróleo de São Tomé, ele ter referido que não é esta a hora de abordar o assunto,pelas razões que todos conhecem, eis que aparece o Presidente Obiang acompanhado pelo Sr Presidente Pinto da Costa a falar de um acordo de exploração de “uma enorme bolsa de petróleo ” em exploração conjunta …
      Não me parece que os investidores internacionais, depois deste desalinho de ideias, olhem para São Tomé como um País de futuro e que lhes possa dar garantias seguras em relação aos seus investimentos.
      São Tomé é um País muito pequeno (200 mil habitantes) tem demasiada gente que manda mal, e o que precisa é de muito menos gente que mande bem.
      Saudações cordiais
      Manuel Costa

  6. Bem de S.Tomé e príncipe

    19 de Outubro de 2015 as 8:15

    S.Tomé e principe tem petróleo sim.A felicidade do povo de São Tomé e Príncipe vai depender daqueles que tiverem no poder; pessoas honestas, patriotas, humildes, sem arrogancia, disprovidas de ódio, rancor e vingança. Podem crer que a partir daí o nosso país começara a dar saltos positivos.Resta o povo descobrir. já existem alguns.

  7. CARÁCTER

    19 de Outubro de 2015 as 11:56

    Oh oh oh oh oh oh…. francamente! Logo esses dois!!! A máscara caiu duma vez!! Vá enganar o diabo. Quer dizer o Patrice fez a conferência, deixa-me inventar uma cisa qualquer, para ver se eu consigo sair bem!! Mas meu caro P. isto era no passado! Tentar enganar Santomenses hoje??!! Nada!! Este truque de duas raposas velhas, que nem pernas têm para andar como deve ser, não engana jamais a maioria dos Santomenses. Petróleo, na zona conjunta!!!Que parvoíce!! Arranja outro truque, que já se faz tarde demais para o senhor ir para casa!!
    Um bem haja a todos que querem o bem estar deste nosso país, cansado de ser enganado pelas raposas que mesmo já velhas continuam a tentar enganar. 40 anos de

  8. Mannel Carvalho

    19 de Outubro de 2015 as 12:37

    É urgente essa mudança politica e muito provável para entendimento Africano para dar respostas a capitalismo Europeu e Ocidental …mas foi preciso petróleo descer o preço e pedir parceria

  9. Povo sofredor

    19 de Outubro de 2015 as 14:47

    Já cansamos dessas mentiras em pleno séc. XXI essas cantigas são contos de fadas, e está na hora do povo levantar a mão e saber o que quer e começar a exigir mais do nosso governo, sorte que STP não tem Ativistas, em EUA a população se revolta por causa de fralda pra bebé, em STP o nosso governo apenas iludi e desinforma a população, mas vai chegar um momento que nosso povo vai dizer “basta” e exigir mais, 40 anos de independência e nada feito, com tanto dinheiro recebido das ajudas externas continua na mesma, o nosso governo não se preocupou ao menos reduzir 15% da pobreza em STP só sabe fazer propaganda e promessas falsas, nó temos que acordar e entrar na realidade, chega de mentiras, vamos exigir mais meu povo.

  10. tatiana santiago

    20 de Outubro de 2015 as 20:12

    Toda ajuda e importante para stp.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo