Destaques

Oficial militar diz que Lancha não aguenta vaga de 1 metro

Afinal a lancha de patrulha marítima que chegou ao país em finais de Agosto de 2015, é mais um caso complicado para o Estado são-tomense.

Foi adquirido pelo anterior Governo de Gabriel Costa, no valor aproximado a 2 milhões e 500 mil dólares, mas segundo as declarações de um oficial da guarda costeira, a lancha se encontra num estado que não cumpre a sua missão.

Numa visita a embarcação, o oficial responsável pelas operações da guarda costeira, acompanhado pelo Chefe de Estado-maior das Forças Armadas, o brigadeiro Horácio Sousa, descreveu a lancha como um nado morto.

Segundo Pedro Barros, o técnico que trouxe a embarcação, recusou realizar os testes. Após assumpção do navio em finais de Outubro último, a guarda costeira realizou os testes e deparou com a situação crítica da lancha construída de raiz, por uma empresa chinesa. «A guarda costeira fez o teste e o navio apresentou várias anomalias. O navio tem sido invadido por água. O navio não correspondeu a expectativa. Tem alguns erros técnicos, numa vaga de 1 metro o navio abana muito. O navio não tem equilíbrio. Entra muita água na casa das máquinas e nos camarotes. Isso põe a vida dos tripulantes em causa. O navio foi construído sem nenhum ferro», detalhou o oficial superior da guarda costeira.

A embarcação vocacionada para fiscalização marítima, não suporta vagas de 1 metro, quando segundo Pedro Barros, as águas nacionais confrontam os navios com vagas superiores a 3 metros de altura. «O navio ao invés de ter um ferro e ter uma chapa, o navio foi fibrado no convés. Essa fibra não suporta a atracação», acrescentou.

Mais ainda, a lancha que custou aos cofres do Estado cerca de 2 milhões e 500 mil dólares, foi construído para navegar a velocidade de 22 nós mas só consegue atingir os 16 nós. Partes da embarcação já estão a soltar-se, após a primeira experiência no mar nacional.

Segundo a Guarda Costeira, o Governo está a par da situação. A empresa construtora da embarcação já terá sido contactada para no quadro do período de garantia definido no acordo, encontrar solução para a lancha.

Abel Veiga

    13 comentários

13 comentários

  1. FCL

    31 de Dezembro de 2015 as 17:11

    E mais uma história de “Dona Branca” para acrescentar ao nosso livro.
    Agora aonde estão os responsáveis?

    Aquela lancha não vale a metade do preço pago.. Forma astuciosa de desviar fundos

  2. Povo pequeno

    31 de Dezembro de 2015 as 17:52

    Aproveitem tambem para investigar o preco do rebocador (carcaca velha)que director da enaport diz ter adquirido por 300 mil euros. Mudam se os politicos mas a corrupcao so aumenta.

    • pouca vergonha

      1 de Janeiro de 2016 as 18:23

      Sinceramente, admiro a vossa capacidade de fuga em frente.

  3. António Silva

    1 de Janeiro de 2016 as 10:24

    Andamos constantemente a ser enganados! Enganados não. Roubados, pelos nossos dirigentes e pelos estrangeiros.
    Deixo aqui uma questão pertinentes:
    -Será que esta lancha custou mesmo este valor?
    Pode ter acontecido que o negociante da compra possa ter ficado com uma boa parte da verba. É que tem acontecido com muitos negócios fraudulentos neste país.Adquiri-se em segunda mão e manda pintar para ficar novo.
    Investiguem as contas bancárias dos envolvidos e familiares. Parece-me nada difícil para ver se houve desvio de verbas, senão este país nunca mais avança. Ou então têm de pedir satisfações a empresa construtora. Tudo tem uma garantia.
    Não existiu um caderno de encargos?

  4. fokoto

    2 de Janeiro de 2016 as 12:09

    Curioso é quando a lancha chegou disseram ao povo que era mais um esforço do governo actual. Mas como deu zebra já sairam ao publico a dizer que a compra fora feita pelo antigo governo. Que vergonha. Todas as obras e feitos que este governo tem estado a inaugurar assumindo como dele foram todas planificadas e iniciadas pelo governo anterior. Por falta de honestidade estao auto capitalizando o onus.
    Brevemente quando agua parrar de correr nos chafarizes inaugurados , luz faltar nos luchans e mais problemas , dirão certamente que a culpa é do anterior governo. Ah ah ahahahahahah.
    Bon Zuano ê Iném Ké mu

  5. luisó

    2 de Janeiro de 2016 as 13:16

    E porque é que este “oficial” não abriu a boca aquando da recepção do barco para dizer o mesmo ?

    • MIGBAI

      4 de Janeiro de 2016 as 9:59

      Meu caro “Luisó”
      Em primeiro lugar desejo-lhe um bom ano de 2016, cheio de saúde, desejos estes extensivos a todos os colegas que aqui comentam a nossa miserável vida de São Tomenses.
      Bom, já era de esperar este fim da Lancha Patrulha. Mas será que o nosso povo não entende, como os nossos políticos ganham dinheiro?
      Se alguém que por aqui passa ainda não sabe eu explico para ver se duma vez por todas ficam a saber como é o esquema.
      Quando o povo se alegra com a aquisição de bens, que o governo diz ser para bem do povo e de São Tomé e Príncipe, os políticos estão logo a ganhar dinheiro, porque se as aquisições são por exemplo de 1 milhão de dólares, ficamos logo a saber que de 40% a 60% desse valor, vai direitinho para os bolsos dos políticos envolvidos nas aquisições.
      Assim, esta lancha é mais um negócio, assim como foram os táxis e outras aquisições.
      O meu povo tem que saber analisar, e ver que políticos sãotomenses são todos iguais, sejam eles de que partido forem.
      Entendem agora, porque é que eu luto para o povo ser ouvido em referendo, sobre a nossa independência vergonhosa. O povo tem que decidir se quer continuar nesta miséria humana em que a independência nos colocou, ou se quer ser uma região autónoma de um outro pais a analisar, que para mim tanto podia ser Angola ou Portugal.
      Mais uma vez um excelente ano de 2016 para todos com imensa saúde.

  6. Cobra branca

    2 de Janeiro de 2016 as 20:56

    Chines=costo muito baixo=porcaria

    • MIGBAI

      4 de Janeiro de 2016 as 17:06

      COBRA BRANCA.
      Custo muito baixo, quando se pagou mais de 2, 5 milhões de dólares?
      Deves estar a brincar também!!!
      Eu acredito que o custo real da lancha seja baixo, só que os nossos ilustres políticos, sabem muito bem, como inflacionar os preços e quando toca a arrecadar algum, inflacionam mesmo e em grande.

  7. Felisberto Bandeira

    3 de Janeiro de 2016 as 9:00

    STP carece de um Ministerio Publico Credenciado carece um tribubal serio credivel de um tribunal de contas serio credivel um Parlamento que possa justificar a sua eleição fora disto não passamos de Pais da banana ou Pais do Circo que apenas vive de aparências
    Com tantas e tantas oportunidades de acancarmo ; mas acabamos por ficar estagnado no circo viciado da corrupção e do orgulho da raiva da inceja quando deviamos permanecer na doutrina do Amor

  8. perguntarnaofende

    4 de Janeiro de 2016 as 23:56

    Não sei o porquê de todos estes comentários negativos sobre a lancha.

    Lancha foi comprada na loja do Chinês e, apesar disso, ela não vai ao fundo, que é que as pessoas querem mais ?

  9. É Sa Boa

    5 de Janeiro de 2016 as 16:58

    Em 40 anos um Primeiro Ministro de RDSTP viaja pela primeira vez 58 vezes num só ano. Que País é esse gente.

  10. Eu

    9 de Novembro de 2016 as 8:31

    Eu sei a melhor maneira de acabar com essas palhaçadas no pais formar um grupo de terrorista no pais mas com um objetivo eliminar cada um desses gajos que roubar e enganar o povo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo