PM da França deixou entender que o Presidente do Gabão não foi eleito

O assunto está a criar alguma crispação nas relações entre Paris e Libreville. As autoridades do Gabão, vizinho mais próximo de São Tomé e Príncipe, já ordenaram o seu embaixador em Paris que regressasse a base (Libreville), para analisar junto com o Presidente Ali Bongo, as declarações do Primeiro-ministro da França Manuel Valls.

Tudo aconteceu num programa do canal televisivo francês, France 2. Na conversa com o Primeiro-ministro Manuel Valls o humorista francês Jeremy Ferrari questionou Manuel Valls sobre o que ele considerou como oportunismo da presença do Presidente do Gabão Ali Bongo na marcha de 11 de Janeiro de 2015 de apoio e solidariedade para com as vítimas do atentado contra o jornal satírico Charlie hebdo.

Na resposta o Primeiro-ministro da França, disse que o Presidente do Gabão «não foi eleito…. não como se esperava».

Tais declarações de Manuel Valls dominaram o debate nas redes sociais, e provocaram crispação nas relações entre Paris e Libreville.

Pacôme Moubelet, ministro do interior do Gabão, em declarações a imprensa gabonesa, reagiu com surpresa e espanto às declarações do Primeiro-ministro da França.

O ministro Moubelet, anunciou que mesmo no último domingo, o seu colega dos negócios estrangeiros havia convocado o embaixador do Gabão em França para regressar ao país fim de trocar informações com o Presidente da República.

O embaixador do Gabão deverá chegar a Libreville nesta terça – feira.

Recorde-se que as eleições presidenciais de Agosto de 2009 no Gabão que deram vitória a Ali Bongo, filho do ex-Presidente Oumar Bongo, não foram pacíficas. A oposição organizou várias acções de protesto e manifestações de rua.

Bastou ao actual Presidente, conquistar 41,73% dos votos expressos nas urnas em 2009, para assegurar a continuidade do mandato da família Bongo há 47 anos a frente dos destinos do Gabão.

As declarações do Primeiro-ministro da França, podem lançar chamas para o ambiente político no Gabão, cujo povo neste ano 2016, regressará as urnas para renovar o mandato de Ali Bongo por mais 7 anos como Presidente da República e Chefe de Estado, ou então eleger uma nova figura para o cargo.

Jean Ping, ex-Ministro dos Negócios Estrangeiros do Gabão e antigo responsável da União Africana, já se posicionou como candidato às eleições presidenciais de 2016 no vizinho Gabão.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Martelo da Justiça Responder

    Bem feito. Puro oportunismo político. O Gabão foi sempre assim desde o tempo do seu pai Omar Bongo. Só que o pai era mais inteligente. Porque é que ele não apareceu ao lado dos presidentes africanos que tem vivido a braços com atentados terroristas nos seus Países?? Esse tipo de Chefes de Estados tem que ser banidos da sena politica africana. As próximas eleições é uma ocasião para reverter essa situação no Gabão.

  2. img
    joaquina Responder

    Kawiki, o homem que ADI indicou para ser membro do Conselho superior de imprensa também não foi eleito… cada dia que passa ADI desilude me, maldita hora que votei no ADI. Patrice Trovoada enganou me… Kawiki? Tenham santa paciência!!!

  3. img
    seabra Responder

    O gabones PT,1o ministro de STP é a cópia conforme do Ali Bongo,aliás,os dois partilham o mesmo marabu-feiticeiro que trabalha pra eles…para terem o PODER da DOMINAÇÃO…tudo que dizem,todos escutam e executam como um tutu,tudo que fazem é aceite e/ou passa despercebido. O objectivo é o mesmo.
    Sabiam,caros leitores,que o Alain Bongo (hoje islamizado com o nome de Ali),tentou ser cantor,mas era nulo,foi amante de algumas vedetas francesas (o cara é maricas)sem sucesso…ele foi adotado pelo Gilbert Bongo,aliás,Omar Bongo,quando houve o a catástrofe do Biafra…como constatam,ele não é gabones (semelhante ao pm PT,embora este corrupto é filho de país sãotomenses,mas nunca viveu suficientemente no pais,não é patriota,não tem nenhuma cultura de STP,por esta e mais razões,ele sente-se mal na terra e passa + tempo fora). O PT nunca viverá em STP,se ainda lá está é só para estar no PODER para atingir os objectivos dele : desviar o máximo dos bens do Estado/país STP e depois dar o Grande FORA ” à tchau,meus imbecis,à jamais”…e eu acrescento”….mas leva as tuas marionetas A.Varela e corja.,leva os teus abutres.

Deixe um comentario

*