Cabo Verde atribui ao Presidente Pinto da Costa o estatuto especial de “Cidadão Exemplar”

Jorge Carlos Fonseca, Presidente da República de Cabo Verde, recebeu Manuel Pinto Costa no Palácio Presidencial da Cidade da Praia, para celebrar as relações de amizade e de cooperação entre os dois países.

No banquete oficial em que todos os órgãos de poder cabo-verdiano se fizeram representar, o mais alto magistrado da nação cabo-verdiana, em nome do seu povo, descreveu o Estatuto que é dado ao visitante. «A longa trajectória política de vossa excelência, como protagonista da epopeia emancipatória, como homem de Estado, confere o Estatuto Especial de Cidadão Exemplar, que dedicou a sua vida a objectivos nobres, designadamente a sua entrega a causa libertária. A sua vinculação ao princípio de solidariedade entre os povos, o seu compromisso com a protecção dos mais vulneráveis, e o seu firme empenho na defesa da sua pátria. Um exemplo que admiramos e que merece ser sublinhado», declarou o Presidente de Cabo Verde.

Declaração de um Estatuto Especial, que foi selada com um brinde solicitado pelo Chefe de Estado de Cabo Verde. Pela felicidade e saúde de Pinto da Costa, pela prosperidade do Povo de São Tomé e Príncipe, e pelo futuro risonho das relações entre os dois países e povos, as taças se chocaram entre os dois Presidentes, e entre estes e as demais autoridades são-tomenses e cabo-verdianas presentes no Palácio do Platô.

O Presidente de São Tomé e Príncipe, respondeu com agradecimentos ao seu homólogo cabo-verdiano. «Palavras que muito me tocaram», afirmou Pinto da Costa.

O Chefe de Estado são-tomense, manifestou enorme satisfação por visitar mais uma vez Cabo Verde.  País cujo relacionamento com São Tomé e Príncipe, é segundo Manuel Pinto da Costa, um bom exemplo de como a amizade e os laços históricos que unem os dois povos se podem traduzir em acções concretas de cooperação com vantagens mútuas.

O Chefe de Estado são-tomense detalhou «O carácter insular que nos caracteriza deve constituir uma mais-valia, considerável no reforço da cooperação e na realização de projectos comuns nos mais variados domínios como na economia do mar, no turismo, e na resolução de constrangimentos ao progresso dos dois países».

Segundo Pinto da Costa, a actualidade mundial, oferece desafios enormes, para Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, e para o continente africano. «Decorrente de uma crise internacional que ninguém sabe quando vai terminar. São tempos difíceis e exigem cada vez mais o reforço de mecanismos de solidariedade, de entre ajuda de cooperação e de união dos esforços para encontrar soluções comuns para problemas comuns», frisou.

12510406_1014553991916631_4860000340918080060_nPinto da Costa que se encontra de visita a Cabo Verde desde a última quarta – feira, recebeu elogios das autoridades cabo-verdianas pelo facto do Estado são-tomense ter atribuído nacionalidade aos cabo-verdianos que residem no país antes da independência nacional.

O Presidente da República, garantiu às autoridades cabo-verdianas, que após várias peripécias, tendo destacado a “barbaridade” cometida pelos novas autoridades que emergiram no poder são-tomense em 1991, os cidadãos de Angola, Moçambique e Cabo Verde, que estiveram nas trincheiras do Trabalho para o desenvolvimento de São Tomé e Príncipe desde a era colonial, voltaram a ter direitos políticos e de cidadania, como ele havia declarado no dia 12 de Julho de 1975.

Segundo o Jornalista da TVS José Bouças que acompanha a visita de Pinto da Costa a Cabo Verde, na sexta-feira os dois Presidentes, visitaram a ilha de Santo Antão, num passeio de barco que começou na ilha de São Vicente.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Original Responder

    É pena que o verdadeiro malabarista está ao serviço das Nações Unidas na Guiné Bissau

  2. img
    Maria silva Responder

    Realmente a nossa desgraça começou em 1991 , com a chegada do Senhor Miguel trovoada , e como nao bastasse aparece o filho para concluir oqui o pai deu inicio!!!!

  3. img
    MIGBAI Responder

    Quem diria minha gente que passados 40 anos de nossa miserável independência, íamos ver o Sr.Pinto da Costa a apertar a mão a um mulato, se isto acontecesse quando o MLSTP era partido único, até me orgulhava de tal, pois era sinal de grande integridade, mas agora é sinal de desrespeito, para todos os que sofreram ás mãos do MLSTP e a Cívica, somente pela cor da pele.
    Precisamos em STP do REFERENDO ao POVO para este se pronunciar sobre a miserável independência de STP.

  4. img
    Justino Manuel Abreu dos Ramos Responder

    Venho por este meio ex-pôr o determinado sentimento e a injustiça que decorre no nosso País.
    Acontece que santomé e Principe recebeu a sua independência no ano de l975 numa altura em que o País nunca possui um quadro competente para desenvolvimento desse País, tivemos que começar de raiz,isso não foi de um dia para outro.Durante a governação do primeiro homem Africano que entrou no nosso País teve que arrumar as casas, depois saber o que fazer depois. Nesse arrumar passaram os quinze anos.Isso foi uma etapa.
    Após isso o mundo nunca parou sempre em movimento,nesse desenvolvimento apareceu outra etapa,que foi no ano de l991.momento esse que já surgiu vários quadros, mas sem experiência de governar um País adequado. o que surgiu nesse ano é uma divisão de separação, que não trouxe benefício nenhum a esse País.cada um que regressou trouxe a sua ideologia e que criou muitos lobes que tem imperado o desenvolvimento dessa Linda Ilha.
    O que verificou-se nesse vinte anos é despedimento do Governo-constante,que nunca possibilitou o seu desenvolvimento.
    O que criou é o ode o, cada um a puxar ao seu lado adquirira os seus bens de mais pressa possível, esquecendo dessa Ilha Maravilhosa.Durante esse tempo todo, possibilitou que cada um enrique de uma forma ilícita, sem pensar dos mais pobres enganando-a, com coisas futris. Agora que o povo tentou de acordar um pouco, e escolheu uma pessoa com o pensamento mais adquado, pensando dos mais pobres tem havido tantas critica sem merecer.
    Acho que as pessoas deve aguardar esperando os quatros depois criticar. É tudo quanto tenho nesse momento para aconcekhar.

Deixe um comentario

*