Destaques

Lancha danificada é alvo de inquérito

O Téla Nón apurou na quarta – feira que o Ministro da Defesa e do Mar, Carlos Stock emitiu um despacho que cria uma comissão de inquérito para apurar a ocorrência do acidente que danificou o a Lancha Patrulha Nº 004 da Guarda Costeira.

A lancha que construída de raiz por uma empresa Israelita e que foi entregue ao Estado são-tomense no segundo semestre de 2015, a troco do pagamento de mais de 2 milhões de dólares, passou para o estado de sucata na manhã de terça – feira.

Eram 7 horas e 30 minutos de terça – feira, quando a lancha chocou com uma das muitas carcaças de navios naufragados na baía de Ana Chaves. O pior aconteceu na noite de terça-feira, quando a embarcação foi arrastada para o pontão do Ministério da Defesa e do Mar, onde funciona também o quartel da guarda costeira. Um incêndio repentino no interior da embarcação, a terá transformado numa sucata.

A comissão de inquérito criada pelo Ministro Carlos Stock na quarta – feira, tem 48 horas para esclarecer as causas do acidente, que retirou ao Estado são-tomense uma embarcação com menos de 1 ano de actividade marítima.

O Téla Nón apurou que a comissão de Inquérito é composta pelo Coronel Eugénio Paiva, o Capitão Tenente Pedro Afonso de Barros, o Capitão Sérgio Garrido, e o Tenente Riquito Quaresma.

No entanto analistas em São Tomé, preocupados com o estranho acidente consideram que o caso deveria ser inquerido por uma comissão independente, que deveria inquerir todos os intervenientes na gestão da embarcação.

Começando pelo Ministro da Defesa e do Mar, passando pelo Chefe de Estado-maior das Forças Armadas, o Comandante da Guarda Costeira, os funcionários da capitania dos portos, e a empresa que forneceu ao Estado são-tomense a lancha nº 004.

Téla Nón

    12 comentários

12 comentários

  1. explicar sem complicar

    10 de Março de 2016 as 20:35

    STOCK e ADI tem envolvimento direto nisto.E eles sabem porque fizeram isto assim apressadamente.
    Aliás até eu posso imagino porquê causaram isto!

  2. Retrospetiva

    10 de Março de 2016 as 22:15

    Isto está muito mal explicado. É barco que é perseguido por organização internacional e vai para a nossa água e afunda em condições suspeitas não deixando os perseguidores verem a carga que o mesmo transportava. Agora é a lancha, nova em folha, comprada pelo governo anterior para fiscalizar as nossas águas e o governo atual nunca manifestou interesse em receber a referida lancha e muito menos fez algo para que a mesma cumprisse a sua função. Quem não se lembra de ouvir os simpatizantes do atual partido governamental dizer que a lancha não aguentava onda de 1 metro? Agora fizeram o serviço todo e completo. Para além de estragar a lancha queimaram-na toda para não haver possibilidade de reparação. É muita coincidência junta. Se a lancha não tinha condições de aguentar ondas de 1 metro não percebo a razão de andarem a utilizá-la em patrulha para que o acidente se verificasse. Há muita coincidência junta neste processo muito mal explicado. Este país não tem condições de desenvolver. Estamos num beco sem saída.

  3. Consciência Jovem

    11 de Março de 2016 as 8:01

    È muito triste ver as más decisões e más escolhas dos nossos governantes referentes a gastos do dinheiro público. São 2 milhões de dólares que poderiam ser canalizados para outros fins. Duvido que este seja o preço desta embarcação.
    Tudo isso é por causa do povo que é muito pacífico e este é o preço que temos que pagar. Não se responsabiliza as pessoas, não se exige as prestações de contas, não valorizam as escolhas do povo.
    Temos que acabar com essas corrupções, se isto continuar assim, como será o futuro dos jovens?

  4. Emiliano

    11 de Março de 2016 as 10:11

    Caro compatriotas é de se lamentar este acontecimento que deve ter como causa a imcompetência que graça hoje as nossas instituições.No meu fraco entender acho que a causa do incêndio e tendon em conta que a lancha já estava no pontão do Ministério da Defesa, é porque não desligaram os bornos da bataria e com entrada da água talvez para casa da maquina a água chegou ao nivel dos bornos da bataria que por sua vez causou um curto circuito.
    Enfim assim vai o estado da nação.

  5. luisó

    11 de Março de 2016 as 10:45

    Eu acho estranho que se venha dizer que uma lancha-patrulha que custou 2 milhões e que foi construída em Israel que não aguente ondas de mais de 1 metro.
    Israel tem muita experiência na construção naval, nomeadamente deste tipo de barcos, por isso acho tudo muito estranho.

  6. Menezes Brandão

    11 de Março de 2016 as 11:11

    Tudo está muito mal explicado e há fortes indícios de crime e provavelmente ocultação de outras coisas. Nenhum país do mundo pode desenvolver tendo bandidos desta envergadura na sua governação. Primeiro andaram a dizer que a lancha não valia aquele valor. No entanto nunca se interessaram para fazer uma investigação séria sobre o custo/valor da mercadoria recorrendo se possível a ajuda internacional para isso. Depois arranjaram a desculpa que a lancha não aguentava ondas de 1 metro. Agora, de uma vez por todas, acabaram com a lancha destruindo-a a queimando-a. É desta forma que se deita fora 2 milhões de dólares com medo que a referida lancha cumpra o seu papel de fiscalização para o qual foi adquirida. Eu sabia que o país está muito mal, que existem coisas que não têm explicação, que as pessoas dizem por ai que existe criminalidade grave nas nossas águas territoriais mas nunca pensei que já estivéssemos neste ponto sem retorno com consequências trágicas para próximas gerações. Acreditem que tenho muito medo daquilo que nos pode acontecer num futuro próximo. Já tive mais esperanças mas agora tenho medo

    • Martelo da Justiça

      11 de Março de 2016 as 17:09

      “Já tive mais esperanças mas agora tenho medo” É o mesmo sentimento que tenho, meu caro. O que tem passado em São Tomé, não é normal. Haver vamos!!!

  7. Trindade

    11 de Março de 2016 as 12:25

    Malditos governantes!!!!!!!!!!!!!!!!!

  8. FCL

    13 de Março de 2016 as 23:17

    Chê …! Governo esta a andar com barco sem seguro?

  9. SAMPONHA

    14 de Março de 2016 as 9:18

    MESSIAS ANDA PERDIDOS
    Quando estava na oposição, financiou técnicos da EMAE para sabotarem geradores e simular avarias. Conseguiu o poder, esqueceu de quem o ajudou nas trafulhices, agora está aí o resultado.
    E para desviar a atenção da opinião pública, lança uma nova mentira do seu Dubai Africano.
    Admite que há sabotagens na EMAE, quer enganar o Zé povinho e confundir as pessoas a pensarem que é oposição.
    Desafiamos o Director geral da EMAE a vir publicamente explicar as causas dos apagões. Isto de dizer que há 35 milhões de dólares para melhorar o sector energético e conversa para fazer boi dormir.
    Porquê que o governo não anunciou este Projecto antes e apenas agora?
    Messias anda atrapalhado até mandou a EMAE para mais de dez milhões de dobras ao grupo teatral Nos Por Cá para dizerem que as fontes de água estão a secar.
    Que tamanha asneira! Que mentira vergonhosa! Um país com dezenas de rios com água todos os dias a correr para o mar, a EMAE não fornece água e energia a população.
    Como se explicam os salários milionários dos directores da EMAE e as suas mordomias (viaturas topo de gama, combustível de borla, transporte para levar amantes para compra), além de novos funcionários recrutados com o simples critério de terem cartão de militante do ADI.
    Messias anda a enganar o povo pequeno da mesma forma como nos enganou aqui em Portugal, quando fugiu de STP.
    Prometeu-nos emprego, nada. Prometeu-nos bolsa de estudo, nada.
    Afinal, a Fundação Solidariedade tem estado a mamar 85 mil dólares/ano, com o nome de bolseiros carenciados, tudo aldrabice.
    Seria bom que o Messias contratasse inspectores internacionais para acabar com a corrupção na justiça.
    Mas primeiro tinham que esclarecer o caso da lavagem de dinheiro entre o PATRICE e o BGFI, depois iriam investigar as dezenas de nacionalidades concedidas à comerciantes libaneses em STP, isso sim seria um sinal de luta contra a corrupção.
    Tens coragem, Messias?
    Gorgulho de raios!

    ELOGIO FÚNEBRE PELO PASSAMENTO FÍSICO DO
    CDA ARMINDO TOMBA
    Foi com profunda dor e consternação que a Comissão Política Nacional do MLSTP/PSD tomou conhecimento do passamento físico, no dia 09 de Março, no Hospital Central Dr.Ayres de Menezes, do nosso camarada e amigo, Armindo Tomba, militante empenhado e fiel às causas do nosso glorioso Partido.
    Nasceu a 25 de Maio de 1958, na cidade de São Tomé. Fez os seus estudos primários na escola Vaz Monteiro, actual escola primária Dona Maria de Jesus.
    Estudou Jornalismo na Universidade de Havana, República de Cuba. Foi jornalista da Rádio Nacional de Angola, tendo sido relator desportivo e exercido demais actividades.
    Foi jornalista da Rádio Nacional de São Tomé e Príncipe, tendo igualmente exercido as funções de repórter, relator e comentador desportivo. O camarada Armindo Tomba foi o fundador e apresentador do programa Magazine Económico, um dos mais antigos da grelha de programas da Rádio Nacional de São Tomé e Príncipe.
    Foi um dos jornalistas que integrou a missão de jornalistas africanos que se deslocou à antiga Jugoslávia, na tentativa de se criar o núcleo embrionário de Jornalistas Investigadores Africanos.
    Foi assessor de imprensa, respectivamente, do Banco Central de São Tomé e Príncipe, Empresa de Água e Electricidade, Polícia Nacional, Instituto Nacional de Estatística e da Direcção dos Impostos.
    O saudoso camarada, Armindo Tomba, teve uma intensa participação na vida política e cívica do nosso País: Militante incansável do MLSTP/PSD, membro do Conselho Nacional, deputado à Assembleia Nacional, e candidato independente às eleições presidenciais de 1996.
    Tomba ingressou nas nossas fileiras há várias décadas, onde com abnegação, dedicação e espírito patriótico, contribuiu para o fortalecimento do Partido e, consequentemente, na afirmação do Estado e Nação são-tomenses.
    Defendeu com garras o exercício da liberdade de expressão e de imprensa.
    Tomba, nosso camarada! Foste um amigo, um conselheiro e um incomparável companheiro de luta. Deixas um vazio irreparável no seio da família MLSTP/PSD.
    Neste momento de dor e luto, resta-nos reafirmar-te o nosso compromisso para contigo: prosseguir os ideais pelos quais lutaste até o último minuto da tua vida; Paz, Solidariedade, Liberdade e Espirito de Tolerância.
    Perante este infausto acontecimento, o MLSTP/PSD e as suas organizações de massas, tais como a JMLSP, OMSTEP/MSD e a LIGA DOS VETERANOS, endereçam à família enlutada sentimentos de pesar por esta perda irreparável.
    Que a tua alma descanse em Paz e que Deus a tenha na sua Glória. Adeus, Armindo Tomba!!!

    JORNALISTAS, MERCENÁRIOS E SEGUIDORES DO DIABO
    O jornalismo em STP já conheceu dias melhores no país onde reina a democracia Patricista que atropela as leis e faz do poder jogos de interesses partidários e pessoais.
    Uma função do Jornalismo nos regimes democráticos é de fiscalizar os poderes públicos e privados e assegurar a transparência das relações políticas, económicas e sociais. Por isto, a imprensa e os jornalistas são às vezes cognominadas de quarto poder (em seguida aos poderes constitucionalmente estabelecidos: Executivo, Legislativo).
    Conceitos que morreram nos ouvidos de Ambrosio Quaresma, Oscar Medeiros e Jeronimo Moniz.
    Estes senhores são vistos hoje como mercenários, jogadores corruptos e também políticos, todos eles figuras que vivem a custa do dinheiro do primeiro-ministro Patrice Trovoada.
    O Medeiros já sentiu o gosto de se sentar no banco de réu devido muitos casos de corrupção perpetuado por ele, quando foi o coordenador da TVS. Hoje ele voltou à TVS como o Deus Maomé, faz de juiz e deixa a deriva e no mar de amargura muitos quadros da TVS.
    Jeronimo Moniz recebe mesada de Patrice para promover a propaganda política do governo nonó só na Diáspora, ele que é conhecido em Portugal como talibã trabalha na RDP África e faz jogos políticos querendo agradar a todos.
    Como é possível isso, senhores administradores da RDP África?
    Como podem ter nas vossas fileiras dois jornalistas mercenários ( jety e Oscar )?
    Ambrósio Quaresma que usa a cara de parvo, é outro mercenário.
    Ao longo dos últimos anos, recebeu financiamento de Patrice e da Embaixada da China (Taiwan), para difamar figuras públicas, forjar escândalos semanais, com o objectivo de destruir os governos do MDFM/PL, PCD e MLSTP/PSD. Agora a recompensa é ser representante do Governo no Conselho Superior de Imprensa.
    Afinal onde está a ética e a deontologia que Quaresma tanto defendeu quando era presidente do sindicato dos jornalistas?
    Afinal quem é o jornalista corrupto?
    Ambrósio, será que a corrupção acabou desde as últimas eleições?
    Será que não tens conhecimento dos desvios nas contabilidades da Rádio Nacional, TVS, ENASA e ENAPORT?
    Será que tu não sabes das flagrantes violações das regras de licitações ao nível das obras adjudicadas pelas camaras distritais de Água Grande, Cantagalo, Mé-Zochi e Lobata?
    Será que já foste perguntar ao Messias em que circunstâncias foram adquiridas as embarcações para ligação com a ilha do Príncipe, se nunca houve concurso público nem qualquer verba inscrita no OGE/2015/2016?
    Que falta de coerência Ambrósio. Quem te viu e quem te vê!
    Esses mercenários estão no activo fazendo jornalismo político e ganhando alguns dólares provenientes do Patrice.
    Patrice já tem tudo programado faltando apenas ganhar às presidenciais para implementar a verdadeira ditadura em STP.
    Comprou jornalistas, deu dinheiro para calar os jovens, usa analfabetos como o Yure Pereira para lhe promover e engana o povo que é o MESSIAS escondendo a sua verdadeira identidade.
    Gorgulho dos raios.

  10. Maria silva

    14 de Março de 2016 as 12:04

    Qual Lancha qual quê????
    A ” lancha ” atrapalha os business no alto mar , queimam a lancha e deixem o mar FREE para grandes business……
    E viva a maioria absoluta!
    Esperança 0 de um stp melhor.

  11. Olho no cigano

    28 de Março de 2016 as 11:52

    A lancha pertence a quem? Às Forças Armadas? Normalmente a justiça atua em dois planos: actua por dentro e aponta ao: desleixo, ou à incompetência ou mesmo ao dolo.
    Mas, actua ainda noutro plano mais decisivo: a responsabilidade pública e plena é do responsável técnico máximo, ao qual compete acautelar o bom enquadramento das guarnições, as boas práticas navais e a operacionalidade dos meios e procedimentos. Deixo por isso mesmo, uma questão: quem comanda a Guarda Costeira?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo