UE desbloqueou meio milhão de euros e deu nota positiva a STP

O acordo que permite São Tomé e Príncipe receber 500 mil euros para melhorar a eficiência da ajuda da União Europeia ao país, foi assinado na quinta – feira.

O financiamento pretende criar as condições para o sucesso da implementação do 11º FED avaliado em 28 milhões de dólares que cobre o período 2014 – 2020.

Os 500 mil euros disponibilizados, visa melhorar a eficiência dos principais actores sobre as questões do comércio e das políticas da União Europeia nos diferentes sectores de intervenção, com destaque para água, saneamento básico e promoção de fileiras agrícolas de exportação.

Helmut Kulitz embaixador da União Europeia em São Tomé e Príncipe e Salvador dos Ramos, Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, assinaram o acordo.

A União Euroepia decidiu aumentar a ajuda financeira a São Tomé e Príncipe. O décimo FED estava avaliado em cerca d 20 milhões de euros. O décimo primeiro subiu para 28 milhões e com outra grande novidade. É que os fundos são disponibilizados para financiar directamente o Orçamento Geral do Estado.

Por outro lado, a União Europeia e o Governo são-tomense promoveram na quinta – feira, uma sessão de “Diálogo” para avaliar a cooperação bilateral e o desempenho  do país em matéria dos direitos humanos e na governação económica.

Afonso Varela Ministro da Presidência do Conselho de Ministros e Assuntos Parlamentares, garantiu que o diálogo decorreu num clima de compreensão mútua. «Aspecto importante foi a satisfação da União Europeia pelo facto de nós termos passado com bastante sucesso no exame do nosso relatório sobre os direitos humanos que foi defendido pelo anterior ministro da justiça em Genebra e a União Europeia manifestou-se bastante disponível para trabalhar com São Tomé e Príncipe concretamente nos desafios que se nos colocam em matéria de ratificação e aprovação de um certo número de convenções relativas aos direitos humanos», precisou o ministro.

Segundo Afonso Varela, a preparação das eleições presidenciais previstas para este ano, foi uma das preocupações da União Europeia, que foi devidamente esclarecida sobre os preparativos em curso.

Téla Nón

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Eduardo Santos Responder

    Mais quatro anos para o Governo. e mais notas positivas estão para vir. Bem haja que Deus nos abençoi.

  2. img
    SAMPONHA Responder

    PATRICE TROVOADA HUMILHADO NO AEROPORTO DE LONDRES E TRATADO COMO BOSS DA MAFIA INTERNACIONAL
    Mas que pouca vergonha nacional.
    Num belo dia do mês de Junho de 2012 o nosso MESSIAS na altura Primeiro-ministro do XIV Governo da República das Bananas indo de Bruxelas desembarcou no aeroporto de Londres num jato privado dum seu amigo da máfia internacional, acompanhado do seu motorista e carregador de malas Bala, o Ministro das Finança e Cooperação Internacional Américo Ramos o Embaixador Carlos Gustavo (na altura embaixador de STP para UE com sede em Bruxelas) e mais 3 indivíduos indiciados pela Interpol como operadores da máfia russa e traficantes de droga.
    O MESSIAS com peito bala armou-se em esperto e foi a frente da delegação tentar passar nos Serviços de Migração do aeroporto onde lhe foi solicitado para mostrar a página onde estava colado o necessário visto de entrada no Reino Unido.
    Convencido que estava em São Tomé enervou-se logo e disse ao polícia de fronteiras que era Primeiro-ministro de um País Africano que se chamava São Tomé e Príncipe e que ia a Londres em visita privada para tratar de alguns assuntos privados.
    O polícia de fronteiras mandou calar imediatamente o nosso MESSIAS dizendo-lhe para afastar-se e deixar passar outras pessoas, o que fez enfurecer Patrice e de forma automática pôs-se a gritar do mesmo modo que havia feito no aeroporto de Joanesburgo, na África do Sul.
    Momentos depois chegaram mais dois polícias de fronteira para ajudar ao colega que os havia chamado para tentar entender a situação e decidir o que fazer.
    O MESSIAS em vez de ficar calado tentou novamente interferir na conversa entre os polícias que estavam a tentas rasgar uma das páginas do passaporte do Patrice para confirmar se era verdadeiro ou falso, tendo em conta que ia acompanhado de indivíduos da máfia russa sobejamente conhecidos e seguidos pela Interpol.
    O MESSIAS com nervo a flor da pela, grita em inglês… “mas que ignorância meu Deus. Vocês nunca ouviram falar de São Tomé e Príncipe na escola?”.
    Aborrecidos, os polícias de fronteira londrina ordenaram de forma agressiva que Patrice e a comitiva toda abandonassem imediatamente Londres.
    O MESSIAS gritou com o Embaixador Carlos Gustavo… “não dizes nada pá? Ou você é Embaixador ou não é pá. Mostra esses gajos que és Embaixador para União Europeia….Atrevidos”.
    Carlos Gustavo tentou dizer ao Patrice para se lembrar que já tinha avisado em Bruxelas que poderiam ter problemas no aeroporto de Londres.
    Isso é que faltava: Patrice grita com o Embaixador a frente de toda gente, perguntando-lhe se não sabia com quem estava a falar e se estava a tentar desafiá-lo e sabe-se que desde esse dia a missão do Gustavo terminou e por isso tempos depois teve que regressar a São Tomé.
    O MESSIAS vendo que o Embaixador panhónho não mugia nem tugia, tentou desesperadamente telefonar para alguém que esperava por ele em Londres mas não conseguia entrar em contacto a pessoa.
    A verdade é que obrigaram a delegação entrar de novo no mesmo jato em que foram e mandados de regresso para Bruxelas novamente.
    O pior de tudo é que o MESSIAS não imaginava sequer que um grupo de pessoas seguia tudo a uma certa distância e que entre eles estavam três São-Tomenses em trânsito por Londres que depois contaram toda cena a muita gente.
    Mais tarde ficou-se a saber que a ida do Patrice a Londres era para abrir duas contas em dois Bancos “Royal Bank – do Scotland Group” e “Barclays – do Lloyds Banking Group”, nas quais deviam cair algumas placas pelo reconhecimento da República de Abecásea que naquela altura estavam a fazer a montagem financeira para depois agir por via diplomática.
    Bala não foi isso que aconteceu e me confirmaste quando chegaste?
    Estou a espera de ti. Vou contar tudo que me confidenciavas sobre Patrice. Antes ele era de má casta. Agora é MESSIAS. Não é?
    Patrice…ô bô, ô ámi…
    Bô pô léguélá bô.
    Bô ná côncê fôlô antaó fá.
    N’gá môça bô
    Gorgulho dos raios!
    Patrice foste muito mau comigo PRUCURÔ CONTRÔ.
    Num próximo post vou falar-vos do caso de reconhecimento do Kosovo que choveu muitas placas e ainda não foi devidamente esclarecido e o barril de pólvora que está por explodir a qualquer momento e as montagens financeiras que estavam a ser feitas para o reconhecimento de Abecásia que também já havia caído um bocadinho de placas e por isso têm estado a ameaçar o MESSIAS para despachar ou devolver as placas, senão…ADÊUACONGO!
    Ê BILA KAKA DI PLÔCO!
    Foto de José Luís Fernandes.

  3. img
    Rambo Responder

    Com que entao o antigo ministro da justica, Dr Roberto Raposo, estava a fazer um otimo trabalho! nao entendo, porque o Sr. Patricio Trovoada, aceitou a sua dimisao? So mesmo em Africa, onde os lideres sao todos corruptos…Esse Patrice nao me engana….se ele podesse seria presidente, primeiro ministro, e so teria ministro incompetents e paus mandados….
    Esse pais esta entregue a “bixarada”

Deixe um comentario

*