00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Assessor Jéjé contradiz Projecto de Reforma Monetária do Banco Central

Chegou a redacção do Jornal Téla Nón, uma reacção do Assessor Jurídico do Governo, o ex-juiz Augério Amado Vaz, vulgo Jéjé, a respeito do artigo publicado na segunda-feira pelo Téla Nón que trouxe ao conhecimento do público, e pela primeira vez, alguns aspectos da Reforma do Sistema Monetário, empreendida pelo Banco Central, desde Agosto do ano 2015.

Mais ainda, o artigo mostrou que o processo de Reforma do Sistema Monetário em curso, é suportado por um decreto – lei emitido pelo Governo, quando a Constituição da República diz claramente que qualquer reforma monetária tem que ser legislada única e exclusivamente pela Assembleia Nacional.

Na sua reacção nas redes sociais, e que foi enviada a redacção do Téla Nón por um dos leitores do Jornal, o assessor Jéjé, diz a dada altura que «confundir produção de novas notas, com política monetária ou sistema monetário é confundir alho com bugalho. Outrossim, artigo 98º da Constituição da Republica elenca as áreas da competência exclusiva da Assembleia Nacional e essa matéria não está elencada na competência da Assembleia».

O Téla Nón ciente da sustentabilidade documental do seu artigo, prefere não perder muito tempo. Coloca a disposição do leitor uma cópia da capa do Projecto de Reforma Monetária elaborado pelo Banco Central e que está em plena execução, para perceber que o assessor Jéjé, foi as redes sociais para contradizer o próprio Banco Central.

Veja  - Capa do Projecto de Reforma Monetária

Se o Projecto do Banco Central é de Reforma Monetária, não será que ele deveria ser legislado no Parlamento como diz a constituição política na alínea J do seu artigo 98?

À seguir a capa, vem o preâmbulo. Nele o Banco Central diz textualmente o seguinte: «A nossa moeda (DOBRA), um dos símbolos da soberania nacional, tem experimentado diversos períodos da instabilidade que pressupõe, da parte da Autoridade Monetária e Cambial, a adopção de mecanismos orientados para o reforço da sua credibilidade, salvaguardando a necessária estabilidade – interna e externa- e, por conseguinte fortalecer a importância e o contributo da mesma no processo de desenvolvimento da economia nacional. Nesse processo o factor oportunidade constitui elemento determinante para a introdução de qualquer REFORMA MONETÁRIA, passível de potenciar ganhos de eficiência mínimos, compatíveis com uma intervenção dessa natureza».

Mais, no ponto número 2 do Projecto de Reforma Monetária, o Banco Central define os objectivos. O Primeiro Objectivo é a «Introdução de nova família da Dobra». Este objectivo descrito no projecto de reforma monetária, realça mais uma grande contradição do Assessor Jurídico Jéjé.  Confundir produção de novas notas, com política monetária….», disse o assessor Jejé no seu trabalho de convencimento dos seus correligionários nas redes sociais.

Fica claro que quem está confundido é o próprio assessor jurídico do Governo, porque na verdade o projecto não visa produzir novas notas, de 20 mil ou 50 mil dobras como já aconteceu no passado. O projecto é de reforma, e implica a introdução de uma NOVA FAMÍLIA DA MOEDA NACIONAL. Impõe a redução dos zeros nas notas. Cria por exemplo 200 dobras em notas, que nunca antes existia no mercado financeiro nacional. O parlamento não deve se pronunciar ou legislar sobre isso?

A reforma é tão profunda, que o ponto 3.2 diz que a nova moeda nacional passará a ter outra designação. «Para facilitar a diferenciação entre a actual e a futura família da dobra, será adoptada a designação “nova DOBRA”, abreviadamente nDB, para a nova família de dobras a ser emitida no âmbito desta reforma», precisa o ponto 3.2 do projecto de reforma.

Nos seus escritos nas redes sociais, o assessor Jurídico do Governo, disse ser «inconcebível, que alguém que se diz jornalista possa com bases nalgumas informações avulsas que vai recebendo, produzir pasquins virulentos, com propósito único de tentar denegrir imagem de quem está interessado em mudar o rumo das coisas nas ilhas».

Pois o Téla Nón e o seu director continuarão nesta senda, de dar a conhecer ao público, tudo que lhe interessa saber, sobre o dia-a-dia do país. É estranho que o Assessor Jéjé e os seus correligionários não tenham percebido ainda que os seus ataques de raiva, ao longo dos anos, só reforçam a determinação do Téla Nòn, independentemente das acções de represálias que executam.

O artigo do Téla Nón, que informou pela primeira vez o público são-tomense sobre o processo de reforma da moeda nacional, é para o assessor jurídico do Governo um crime, que merece ser punido. «O artigo de Abel Veiga, já causou ao sistema monetário Santomense, um prejuízo financeira incomensurável e que julgo que o Banco Central tem toda a legitimidade de intentar uma acção judicial nesse sentido».

Abel Veiga nunca fugirá a justiça. Nunca fugirá também da morte caso o assessor Jéjé, venha um dia a determinar isto.

Nunca fugirá porque age sempre de forma sóbria. Porque humildemente foi educado para ser um cidadão. Educado para não cometer crimes. Para não ter nunca que fugir de um país onde residia por causa de práticas criminais.

O Banco Central agiu dentro das suas competências. O Téla Nón nunca pôs isso em causa. No entanto o “Escândalo Espreita” de facto a instituição, porque uma reforma monetária desta envergadura, deve como diz a Constituição Política implicar o Parlamento.

O “Escândalo Espreita” sim porque é importante saber com que suporte legal, o Banco Central efectuou os pagamentos que já foram mencionados no artigo anterior, em mais de 1 milhão de euros, quando o diploma que dá cobertura à emissão da Nova Família de Dobras, não foi ainda promulgado pelo Presidente da República.

São questões que desde a semana passada, antes mesmo da publicação do primeiro artigo, o Jornal procurou contactar a administração do Banco Central, para ficar esclarecido, mas sem sucesso.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Juropiga Responder

    Bolas!!! Voces so sabem criticar? Em vez de tanta critica em tudo que faz este Governo, opinem sobre as melhores solucoes para o bem deste Pais, parem com o blablabla descabido.

  2. img
    mlstpdigital Responder

    Parabéns ao Abel veiga e ao telanon, isso sim é jornalismo, mantente firme que nós estamos atentos.

  3. img
    antonio amado vaz Responder

    Gêge tem que ganhar juízo. Gege envergonha a família Amado Vaz. Gêge tem telhado de vidro não sei porque é que ele pedras para telhado do outro. Gege devia estar calado. Gege é um pedófilo nato e ingualificado, é caloteiro, é corrupto, etc. Devia é estar calado. Gege Amado Vaz saiu de Cabo Verde a correr porque andou a dar calotes em todos os bares da cidade da praia e em Cabo Verde em Geral. Gêge é um bêbado, chulo`. É um dos filhos dos ex-membros do bureau politico do MLSTP que mais envergonhou S. Tomé e Príncipe em Cuba quando ele esteve a estudar neste país. Fazia negócios proibidos naquela altura, foi detido pelas autoridades cubanas e foi liberto e as coisas passaram com passaram isto porque o pai Amado Vaz era membro do bureau politico do MLSTP. O Gege devia estar calado. Perguntem ao Rui Mendonça do banco equador quem foi Gege Amado Vaz do banco equador. O Gêge Amado pernoitou num hotel em Lisboa, desapareceu do hotel e deixou a mala isto porque não tinha dinheiro. Que moral o Gege tem?

    • img
      anonimo Responder

      Use o seu nome proprio e completo quando faz acusacoes. Nao use ou nao se identifique com o nome que nao e’ seu. Obrigado

  4. img
    Paga Guno Responder

    Caro Abel Veiga desejo-te força na continuação do seu trabalho. Jeje é doente mental.Anda com efeito de leamba que andou a fumar em Angola.Defende governo em rede sociais em troca da promessa para ser próximo procurador geral da República…Jeje tem dias contado..Lembeiro.

  5. img
    Quintino Aguiar Responder

    Deixa-me dizer-lhe sem qualquer complexo, senhor Abel Veiga. O Senhor está a prestar um grande serviço ao país com este seu trabalho jornalístico. Eu tiro o meu chapéu pela grandeza do trabalho que o senhor está a fazer em pro, do desenvolvimento do país. Isto é um autêntico jornalismo de investigação de acordo com a nossa realidade. Por favor, siga o seu caminho em prol do país, em prol da informação e cidadania, em prol dos seus, meus e nossos filhos e, por fim, em prol de um pais muito melhor no futuro. Digo-lhe isto sem quaisquer lamechismos nem complexos. Gostei da notícia apresentada e agora da réplica sobre a mesma depois da intervenção de um ignorante na matéria como eu.
    Cumprimentos e muita consideração pelo seu ótimo trabalho.
    Quintino Aguiar

  6. img
    Vexado Responder

    Tem surgido nas redes sociais muitos defensores do actual Governo, uns com vinculo com o Estado outros meros cidadãos.
    Como é que certos documentos vão parar em mãos dessas pessoas quando os mesmos não têm acesso directo nem indirecto?
    Ou seja, esses documentos são entregues com o objectivo de criar confrontações politicas inflamaveis.

    É triste ver o Ilustre Dr Augerio Amado vaz, fazer-se, como no tabuleiro do chadrez, de peão entregando a sua vida e reputação para esses casos.
    Contudo, seria mais oportuno esperar por uma explicação governamental para depois poder tecer opiniões ou deixar que o seu parceiro de defesa Abilio Neto fazer esse papel.

    Mas como o Governo não vira a praça pública explicar, este será mais um caso, como o do elisio teixeira, entregue ao esquecimento para depois, das eleições, serem retomado o desfecho do “Queremos um presidente que tenha as mesmas aspirações que o Governo ou que tenha a mesma linguagem”.

    Um autentido desocupado esse primeiro ministro. Perder duas horas de relogio no debate africano coisa triste…Esta que nem Isabel dos santos…trocou Gabão por Portugal é a nova base…

  7. img
    Angelino Louro Responder

    Muitos se comportam como miseráveis e por um tostão são capazes de humilhar e defender casos que mostram insuficiências ou mesmo erros evidentes. Mas gostaria de ressalvar que não é este caso porque o autor em causa é bem conhecido na nossa praça de muito competente.

  8. img
    explicar sem complicar Responder

    Esse jejé amado vaz é um bebado cornudo da mer….que vive só fumando liamba e bebendo cacharamba.inclusive recebia dinheiro de programa que Geci fazia para ir jogar batota no Hotel Pestana.
    Vejam só como ele focou só cabeça.

  9. img
    ANCA Responder

    De que vale a pena ter 500.000 Dbs, se na realidade o valor comercial dela para aquilo que se produz no País, para aquele valor traduz em valor monetário de 50 Dbs?

    O partido político MLSTP, que esteve mais anos a dirigir o País, em que os quadros, jamais foram ou são capaz, de apresentarem reformas sejam elas em que áreas forem, para o bem do Território/População,Administração de fazer ajustar a produção económica no País, ao real valor poder económico, monetário financeiro, da produção(Força de trabalho), o PIB, do País.

    Ex. Em termos comparativos; O que vale as notas de Cuanzas de Angola, em relação ao Dólar Americano ou a Euro, ou a Yang, etc,…, apesar de Angola ter e produzir petróleo, diamantes, gás?

    Quantos zeros tem as notas do Cuanza, o que vale em termos monetários, financeiro, à nível de poder de compra da população local, a nível da economia Angolana?

    Ex. Em termos comparativos; O que vale as notas de Escudos Cabo-verdianos, em relação, ao Dólar Americano, ou a Euro, ou a Yang, apesar de Cabo Verde, apesar de Cabo Verde nunca ter tido grande riqueza naturais? O que vale o Escudo Cabo-verdiano, em termos monetários, financeiro, à nível de poder de compra da população local, a nível da economia Cabo-verdiana, propriamente dita?

    Quantos zeros tem as notas de Escudo Cabo-verdianos? Que poder de compra local tem a população Cabo-verdiana, quanto vale o PIB Cabo-verdiano?

    O que importa o presente futuro do Território/População/Administração, é que possamos a nível social, cultural, desportivo, ambiental, energético, do sistema de Justiça, Sistema de Saúde, Sistema de educação, a nível de abastecimento de água, a nível político, institucional, a nível económico e financeiro, ajustar a nossa realidade, presente hoje e agora, sermos capaz resolver-mos os nossos problemas em prol do crescimento desenvolvimento e bem estar da população, do território, da Administração.

    Se se queres ver o País(Território/População)Administração bem.

    Tu és capaz

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    De que vale a pena os cidadãos terem uma notas com muitos zeros, e em termos de salário mínimo nacional, a população jamais conseguir chegar ao final de mês com dinheiro para comer, pagar educação a filhos, sustentar a família?

    Mais vale ter a percepção da realidade daquilo que cada cidadão nacional produz ou que poderá vir a produzir no futuro?

    Ao meu falta até complementar a ser verdade a notícia, com moedas, com valores mais baixos, fazer aumentar a produção nacional, por cada individuo, por sectores, reformar as instituições nos seus modos de pensar, fazer, estar, a nível de procedimentos e objectivos propostos, responsabilização, avaliação, justiça, complementaridade, saber e saber fazer, muito e muito gosto pelo trabalho árduo.

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  10. img
    ANCA Responder

    A grande questão é que o valor dinheiro é fiduciário.

    No actual quadro económico financeiro nacional, basta aumentar a riqueza, criando posto de trabalho e organizar a economia e finanças.

    A economia do Mar, o sector agrícola, a pecuária, a pequenas e médias indústrias, artesanato, a manufactura, a indústria da construção, os serviços, turismo, etc, etc,…criar mais valia, inovação, produção, exportação, mercado, impostos, redistribuição, investimento público. Tudo mediante a estruturação organização e muito muito trabalho, revolucionar modernizar o comércio local.

    Em suma aumentar o PIB.

    E existem reformas que somente exigem reformas na legislação, saber e saber fazer, no sentido de trabalho, rigor e responsabilização, com ónus mínimos para estado, que somos todos, para o bem de todos.

    A formação , inovação, produção, empreendedorismo, a transformação, a designação de origem, as embalagens, a qualidade, a certificação, a calibração, etc, etc, ex a par do cacau, café, N N medidas a implementar, reformular, a par do se que faz de melhor noutras paragens, com chances de fazer um pouco melhor do nosso valor cultural.

    Aumentando a produção económica fazendo a criteriosa gestão das finanças, advém a economia mais forte, sobretudo a capacidade da força de trabalho, criação de riqueza, poupanças, as notas e moedas são os meios de troca.

    Tenhamos capacidade de evoluir, progredir, já somos um País com quarenta anos, temos que começar a ter um pouco de lucidez e juízo.

    Pratiquemos o bem

    Pois o bem

    Fica-nos bem

    Deus abençoe São Tomé e Príncipe

  11. img
    Maria Silva Responder

    Eu discordo com o Abel Viega quando diz que senhor Augerio Amado Vaz esta CONFUNDIDO, o cidadão em questão sabe perfeitamente oque esta a fazer, sabe que saindo em defesa do governo ( Patrice trovoada e as suas aldrabices ) poderá ter alguma recompensa ” migalhas “! Este cidadão está tentar é confundir o povo, mais para isto obviamente que precisa possuir alguma CREDIBILIDADE , algo que o mesmo nunca teve ou se alguma vez teve já perdeu a muito tempo!
    Sumú ê lìvla ancá n’boca di cassô ê

  12. img
    ADELINO PINTO Responder

    Acho eu que todos nós os Santomenses estamos de acordo com as reformas monetárias no País cortar os zeros e valorizar mais a nossa moeda mais nós não estamos de acordo da maneira como esta a ser tratado Pelo governo e o Banco central e podem ter certeza a muitas comissões por ai temos que abrir os olhos.Força Abel Veiga

  13. img
    STP Responder

    Força Abel Veiga, lembre-se sempre deste proverbio chinês “Por mais que o vento sopre, uma montanha nunca se inclina”. Continue a informar as pessoas.

  14. img
    Aires Vicente António Responder

    Augerio Amado Vaz foi um dos juízes mais corruptos Santomenses. Gege é um drogado. Os amigos mais próximos do Gege chamam-lhe de CANETADA isto porque ele quando esteve em Cabo-Verde ia aos estabelecimentos comerciais comia, bebia e tomava artigos passava vale e não pagava. Este homem devia ser um dos melhores juristas santomenses mas pela sua ambição desmesurável, ingratidão e ganância hoje é considerado um dos piores. Gege é maluco. O Gêge Amado Vaz é um delinquente, mentiroso, aldrabão por isso hoje ele está no gabinete do Primeiro Minstro que é da mesma escola. O Gege quando esteve em Angola tentou fazer das suas, mas as coisas correram-lhe mal e ele foi escorraçado de Angola. Muita gente admira como é que o Gege chegou vivo de Luanda-Angola para S. Tomé. O Gege deve pagar as dividas que tem na praça, inclusive as dividas que ele tem com uma médica santomense que trabalha em Angola. Este rapaz devia ter vergonha na cara. Este Gege é um homem sem caracter. É um homem que anda com as mulheres e tem o descaramento de dizer isto no papa fico (bares) no seio dos seus comparsas do ADI e lambe botas do Patrice Trovoada.

    Aires Vicente António
    Rua de Alvalade CxP 123-043
    Luanda-Angola
    00244924168102

  15. img
    Florêncio Pires Neto Responder

    Este tipo, isto é candidato a Ministro do ADI está cansado ou comeu água.Porquê que está a dormir/deitado na mesa suponho.

  16. img
    Felisberto Bandeira Responder

    Maria Silva e a reputação ,o prestigio o bom nome do Augerio Amado Vaz que fica em causa , fica manchado , porque ele faria o triste teatro ?, só por causa de migalhas , eu não creio, ele deve ter mesmo confundido , apressou se demasiado em defesa do Governo, e o mais despertou e que ele disse que desafia qualquer um que opina se ao contrario, mas Deus tem que ter misericórdia desses que se acham sábios e arrogantes na sua Ignorância.

  17. img
    Augerio Dos Santos Amado Vaz Responder

    Ja exerci o direito a resposta e espero que Abel Veiga tenha a honradez de publicar. Quanto aos que estão por ai a tentar difamar o meu nome estão pura e simplesmente a perder o seu tempo. E de uma brutal estupidez pessoas estarem a difamar publicamente os outros e a complacência do Tela Non. Esse é que é um grande jornalismo de investigação. Se a estupidez pagasse imposto muita gente estaria com carimbo no…

  18. img
    Ferreira Responder

    Quando se é mais papista do que o próprio Papa acontecem estas coisas. O senhor Augério Amado Vaz tem sido nos últimos tempos mais papista do que o seu próprio Papa. E o resultado é este que estamos a ver. Quanto mais ele de forma cega defende o Patrice Trovoada mais ele se enterra e mais burro ele se apresenta a frente daquele como alguém que é fraco e incompetente. Entra no circulo vicioso que nunca mais conseguirá sair de lá.

  19. img
    Deputados Lambe Botas Responder

    Bom, para começar quero como muito já o fizeram tira o chapéu para ti, e pena tu viveres ai neste pais de chulos, e lambedores de botas que não conhecem realmente o trabalho de um jornalista serio, fico indignados com os deputados do ADI, que estão a ser tratados como cão, pelo seu chefe, não falam, não ouvem, e só abrem a boca para ladra quando o chefe dar a permissão, eles esquecem que foram eleitos não pelo chefe mais sim pelo povo,ate parece que não são homens, que moral eles tem para dar aos seus filhos, lamentos… homens xinbotos..

Deixe um comentario

*