00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

Patrice anuncia fim do ciclo de instalação de centrais térmicas

O Primeiro-ministro Patrice Trovoada, anunciou na sexta-feira o fim da fase de instalação de centrais térmicas para fornecimento de energia eléctrica em São Tomé e Príncipe. O Chefe do Governo fez tal anúncio quando visitou a central térmica Santo Amaro II, que está a ser instalada pela empresa portuguesa EFACEC.

A empresa portuguesa colocou 3 grupos de geradores com capacidade de 6 mega watts. Os geradores deverão entrar em funcionamento em meados de Junho. «Já chegamos ao término de uma fase a nível das centrais térmicas. O próximo desafio é começarmos a alterar as fontes de energia começando com a energia solar», afirmou Patrice Trovoada.

A nova central térmica de Santo Amaro II, com 6 mega watts vai provocar um aumento da produção de energia a nível nacional acima de 20 mega watts. «A capacidade instalada hoje, permite corresponder perfeitamente a procura. Mas será por algum tempo. Tendo energia o consumo vai aumentar. Será preciso a médio prazo aumentarmos a capacidade», explicou o Chefe do Governo.

patrice centralO Governo sabe que as centrais térmicas são responsáveis pela maior emissão de gases de efeito estufa em São Tom+e e Príncipe. Patrice Trovoada, garante que as energias renováveis, representam a fase seguinte. «Energias renováveis, solar e foto voltaica. Já há negociações com investidores privados para isso», frisou.

O Primeiro-ministro garantiu que o país já tem o quadro legal para liberalizar o mercado de produção de energia, e que graças parceria com as Nações Unidas vai ser criado um fundo de garantia para estimular os operadores privados interessados em investir no sector. « Todas as condições estão reunidas para os investidores virem e temos um preço para negociar. Até o final deste ano vamos negociar para a criarão de um primeiro parque de energia solar», pontuou.

Reforço da produção com realce para as energias limpas porque Patrice Trovoada, considera que nos próximos 4 anos a procura de energia vai duplicar em São Tomé e Príncipe. «Um hotel suplementar em São Tomé e Príncipe, implicará 1 mega watts suplementar. Um porto em águas profundas terá um consumo mínimo de 8 mega watts. A extensão do aeroporto implicará 2 mega watts. Somos um país que nos próximos 4 anos vai registar a duplicação da procura de energia eléctrica», concluiu.

Para já a central térmica de Santo Amaro II, «traz-nos alívio. Nos últimos 2 meses estávamos com uma situação crítica, por questões técnicas», disse o Chefe do Governo fazendo alusão aos sucessivos apagões que marcaram o país nos últimos meses.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    J.P Responder

    Um fala barato! Sempre o mesmo discurso para enganar tolos.

    • img
      O Revolucionário Responder

      J.P Creio que tu mais alguns por ai que só sabem falar mal do Governo sem sequer saber o que estão dizendo, deveriam é ter vergonha e agradecerem, pois, em Governo nenhum que antes la passou, fez coisas dessas que o vosso atual Governo esta fazendo. Crie vergonha na cara, e deixem de só criticarem e façam algo para que vocês também sejam lembrados e elogiados.
      Meus Parabens ao Governo, que os seus feitos continuem trazendo prosperidade ao povo Santomense…

  2. img
    SAMPONHA Responder

    Fala-se tanto nas aquisições dos ditos novos geradores para colmatar o quadro negro de abastecimento energético as nossas populações, em suma no nosso País São bem vindos. Quem irá pagar as facturações com abastecimento de gasóleo aos mesmos geradores? Tanto quanto se, o Estado é o maior devedor para com a Empresa ENCO. Iremos continuar com o mesmo cenário de cortes sucessivos em abastecimento. O Estado através da EMAE ainda não cumpriu com as suas obrigações como devedor a Enco. Vai haver subfaturação em que o consumidor será chamado a pagar, mesmo sem consumir na totalidade a energia.
    Com tanta pressa para resolver o problema energético com o aproximar das eleições, o governo não se preocupou com o seu consumou pelas populações. Como iremos nós pagar, isto é, qual será o mantante que iremos pagar por cada hora de consumo, numa altura em que estamos preocupados com pagamento a rádio e a televisão.

  3. img
    Ilda Trovoada Responder

    Quando este senhor estava na oposição deu entrevistas a dizer que o país deveria apostar noutras fontes alternativas de nergia, blá, blá, blá blá, blá, blá. Agora está a fazer a mesma coisa. Enfim. Cada um confia naquele que ele entender. Mas a mim já não me enganam mais. A primeira vez todos caímos, a segunda caem aqueles que são parvos e na terceira cai quem quiser cair.

  4. img
    STP Responder

    Lábia esse gajo tem, mas a mim não enganas

  5. img
    Juropiga Responder

    Caros leitores, sao tantas as criticas em relacao ha energia no nosso Pais e a culpa é sempre deste Senhor, a pergunta que faco é; Ha quantos anos termos o problema energetico neste Pais? Ha quantos anos esta este Senhor a governar o Pais? Na verdade a culpa é e quem esta a criticar, que nada fez por este Pais durante todos estes anos, em que nao havia esta crise Mundial, um Pais nao se constroi em 2 anos e nao se facam de cego, mesmo com a crise ja fizeram muito coisa que nao foi feito a 40 anos, e a situacao energetica vai sim ser uma realidade, vai sim ser resolvida de uma vez por todas como nunca foi neste Pais. Deixemos de criticas e apoiemos o desemvolvimento.

    • img
      CUNDÚ MUALA VÊ Responder

      Será que esse governo fez assim tanta coisa mesmo? Eu também estou em S. Tomé e não vi tanta coisa assim que foi feita por esse governo.
      Pra mim, a coisa de maior relevância feita por este governo, é importação desses geradores de resto foram inaugurações das estradas e canonizações de água que já tinha sido feito pelo então governo do Gabriel Costa.

  6. img
    Salmarçar 2 Responder

    Caros leitores,

    Também eu não gosto e nem acredito nos nossos governantes.Incluindo o actual Primeiro Ministro, pois,foram vários anos de de fazer nada e de enganar o povo.Porém, Eu tenho que admitir que o acto de aquisição desses três Geradores constituem vitórias para o povo sofredor, e, também é um sinal que podemos fazer as coisas se queremos as fazer.

    Não é vitória para o Governo, porque,foi eleito para governar e melhorar a condição de vida deste Povo que tanto sofre.

    bem haja a boas iniciativas

Deixe um comentario

*