00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

COP22: Rei de Marrocos desafia Chefes de Estados e de Governos do mundo

País anfitrião da Cimeira do Clima, COP22, Marrocos acolhe cerca de 40 Chefes de Estados e de Governos, que na terça – feira se reuniram em Bab Ighil em Marraquexe onde acontece todas as reuniões, negociações e eventos da COP22.

Ban Ki-moon, Secretário-geral das Nações Unidas, interveio na Cimeira, onde o Rei de Marrocos Mohammed VI, lançou um desafio veemente a todos os dirigentes do mundo. «Várias promessas foram feitas nas múltiplas conferências anteriores. Mas a nossa conferência de hoje é da verdade e da clareza. Uma conferência para assumirmos as nossas responsabilidades diante de Deus e da História e diante dos nossos povos», afirmou sua Majestade o Rei Mohammed VI.

Marrocos que no ano 2001, acolheu uma das conferências das partes sobre a convenção das Nações Unidas sobre o Clima, reforçou a convicção de que a vigésima segunda conferência das partes que decorre em Marraquexe, tem o condão de levar a prática, ou seja, implementar de facto o acordo de Paris sobre o Clima.

O Rei de Marrocos, pediu envolvimento, empenho e determinação de todos os Estados do mundo, para a realização de princípios que possam garantir justiça e solidariedade no desafio pela estabilidade do clima. «Primeiro, a possibilidade dada aos países do sul, particularmente os países menos avançados e aos Estados insulares de beneficiarem de apoios financeiro e técnico que os permitam reforçar as capacidades para se adaptarem as mudanças climáticas», precisou o Rei.

Segundo alerta lançado pelo Rei Mohammed VI ao mundo, tem a ver com o respeito pelos países mais avançados dos compromissos que assumiram, nomeadamente «a mobilização até o ano 2020 de 100 biliões de dólares, que tem sido a pedra angular do Acordo de Paris», sublinhou.

Participação de todos os actores no processo de facilitação da transferência de tecnologia, e a necessidade de trabalhar para o desenvolvimento da investigação e inovação no domínio do clima, é outro ponto acordado entre as partes e realçado pelo Rei de Marrocos no seu discurso diante de chefes de estado e de governos do mundo.

A contribuição da sociedade civil, é fundamental, no processo de “ Acção Global para o Clima”, que o Monarca Marroquino considera que deve ser fortemente dinamizado.

Dos cerca de 40 chefes de Estados e de Governos presentes terça – feira na abertura da reunião dos líderes mundiais na conferência sobre o clima, quase metade são do continente africano.

Patrice Trovoada Chefe do Governo de São Tomé e Príncipe, juntou-se aos chefes de Estados do Golfo da Guiné que marcam presença na cimeira de Marraquexe, nomeadamente Teodoro Obiang Basogo da Guiné Equatorial e Ali Bongo Ondimba do Gabão.

Abel Veiga – Marraquexe

Notícias relacionadas

Deixe um comentario

*