00 239 - 9906263 contact@telanon.info

Get Adobe Flash player

OGE 2017 – ADI avisa que 2017 vai ser de contenção

Levy Nazaré, Secretário-geral do partido ADI, que governa São Tomé e Príncipe com o suporte de uma confortável maioria absoluta, descreveu a situação económica e financeira do país a luz da conjuntura internacional.

Não há outro caminho a percorrer em 2017 a não ser o da contenção das despesas. «Sabemos da conjuntura económica e financeira que o pais e o mundo atravessam. Se os nossos parceiros bilaterais atravessam momentos difíceis, obviamente que São Tomé e Príncipe que vive da contribuição desses países e instituições, sentirá o reflexo disso na nossa realidade orçamental», defendeu o secretário-geral da ADI.

O encontro entre o Primeiro-ministro Patrice Trovoada e o seu ADI, foi mais demorado do que com os outros 3 partidos da oposição, nomeadamente o MLSTP, o PCD e a UDD.

Levy Nazaré que é também primeiro vice-Presidente da Assembleia Nacional, percebeu após conversa com Patrice Trovoada de que o caminho de 2017 é mais apertado. «Um orçamento de contenção e acima de tudo realista. Contenção ao máximo nas despesas», precisou.

O atraso na apresentação do OGE para 2017 ao parlamento, foi justificado como sendo normal e rotineiro. Levy Nazaré deu o exemplo dos governos anteriores, que também não conseguiram entregar a proposta no prazo definido por lei. «Não dependemos só de nós. O Governo tem que fazer contactos, tem que ter garantias dos parceiros», realçou.

O Secretário-geral da ADI, acompanhado por outros dois deputados do partido, garantiu que o plano de execução do OGE 2016, vai ser analisado e debatido no parlamento, na sessão em que se discutirá também o OGE para 2017. «Vamos ter a discussão do orçamento, penso que o governo não irá fugir a este debate, quer da execução do OGE 2016, quer da proposta do Orçamento para 2017», concluiu.

Abel Veiga

 

.

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Presidente Evo Trovoada Responder

    A situação economica actual do país nao tem nada a ver com a conjuntura internacional mas sim com a má gestão e falta d credibilidade do Patrice Trovoada junto aos parceiros. Pais sem dinheiro o Primeiro Ministro viaja e fica fora do pais durante um mes com dinheiro do Estado. Que parceiro gosta d ouvir e saber dessa gestao? Nunca em 41 anos isso aconteceu…

  2. img
    Paulo Andrade Responder

    Para uma melhor gestão dos parcos recursos de que o País dispõe, começam a cortar;
    1- Número de Ministérios
    2- Número de Deputados
    3- Viagens do Primeiro Ministro e dos restantes membros do governo e da administração central
    4- Viaturas do Estado
    5- Combustível do Estado

  3. img
    Original Responder

    Contenção começa em por termo a boa vida do Sr.1º Ministro.É um grande sanguessuga que anda sugando o cofre do Estado com viagens disportistas em nome da procura para o melhor do País.Ele diz uma coisa e na prática tem um comportamento disfazado em 360º.Um líder que não tem um pingo de exemplo,não está em condições de vir ao público fazer apelo e este senhor para mim embora esteja no presente faz parte do passado porque nunca vi alguém a mentir tanto e com descarramento,já mentiu,mentiu,mentiu tanto que as suas mentiras já não faz efeito.Chega!
    Falei o que sinto.

  4. img
    Carlos Cruz Neto Responder

    Claro. Depois de estoirar os cofres do Estado, de encher bolsos e regabofe dos seus seguidores do Mecias, agora vem falar de aperto de cintos.
    É bom para os seguidores do Demónio terem Juizo

  5. img
    Fidel Castro Responder

    Gostaria de ajudar um dos comentadores que me antecedeu.
    6- Subsídio de Renda de Casa, quando têm casa própria.
    7 – Outros subsídios atribuídos aos Ministros, Deputados, Secretários de Estado, Directores, Chefes e dentre outros.
    8 – Horas Extraordinárias dos Funcionários das Finanças e outras Instituições como, EMAE,ENASA, ENAPORT, AGER, INAC e outras instituições e empresas de Estado com autonomia financeiras. E elas devem contribuir com os seus lucros ao tesouro públicos.
    9- Subsídios exorbitantes que são pagos aos altos dirigentes e funcionários do banco Central.
    10 – Todos os outros subsídios que vão além das possibilidades do Estado Santomense.
    Com as minhas desculpas, mas eu enquanto Santomense e contribuinte deste País e que tb sintiei na Pela.
    Estando ainda em elabora a Proposta do OGE para 2017, seria acertivo essas minhas contribuições, porque ainda vão em tempo.
    Com os meus melhores cumprimentos.

  6. img
    Vexado Responder

    ADI não tem moral de apelar ao sacrificio do povo santomense. Quem viu e vê levy nazaré, um autentico bufado, outrora defendia boa gestão do país, hoje defende a má gestão do país. Sinceramente.

    O Primeiro Ministro, após diversas inquirições sobre a sua localização, chegou ao país sem fazer muito alarido. Porquê será?

    O primeiro ministro, não aparece no parlamento porquê? O que se passa que não comparece.

    O senhor patrice trovoada, porque de dr não tem nada, não serve para esse país.

  7. img
    Teodorico Silva Mendes Responder

    Patrice não tem Visão. Não conhece o país, não é estratega, não entende de economia, só de politiquice e negociatas. Por isso escrevam o que estou a dizer. Isto vai-se afundar.
    Fui

  8. img
    Quilixe Furtado Responder

    A contenção é boa quando praticada com justiça e equidade.
    Contenção começa por quem a impõe: menos viagens que nada trazem ao País, menos mordomias dos políticos e seus vassalos, menos carros do Estado a circular fora do horário laboral, menos gente incompetentes na Administração como prémio das campanhas eleitorais, etc.

  9. img
    Jonys Sands Responder

    Já ouviram a história da mulher que passou todo seu tempo na vida escolhendo um homem para si e que acabou se casando com aquele que tem defeito é, o povo sabe dessa história, mas não a leu para aprender a fazer as coisas certas, só leu para se “SAFAR”. Hoje em dia quantos que não estão se safando sua vida hoje? Assim é o Santomense de hoje em dia ninguém quer acostumar com que se tem,só quer gente que SAFA sua vida ninguém quer aprender para aplicar só queremos algo que nos SAFA e assim estamos indo para SAFADÃO. Se vamos ao mercado Palaiê grita me SAFA hoje eu não vendi nada e acaba vendendo o produto o preço mais baixo possível para se SAFAR a janta dos filhos que tem em casa. A semelhança daquela mulher ela não queria um homem que lhe dava um pouco todos os dias e sim queria um homem que lhe dava muito mas que não durava nada e de quatro em quatro anos. Já escutei o povo desta maravilhosa terra dizendo “melhor ter algo e não ter dinheiro para comprar” Essas pessoas esquecem que as coisas têm que andar juntas no sentido que aja troca. Como não há dinheiro trocamos com o quê? Muitas promessas e nenhumas cumpridas as mudanças de qualidades de luz que esta sendo feita é o fruto de uma mulher gravida que foi assaltada por um homem que julgava ter muito dinheiro para continuar a satisfazer os vícios dela. Enfim, BÔ CÁ CHÊ LUA POÇOM QUÂ CU BÔ CABÊ NE UÊ POVÔ SÁ “SAFAMO” 13º NHO QUÉ… MAIS QUATRO ANOS.

  10. img
    EX Responder

    Bom dia Povo

    Tudo isso sabemos e agora o Sacrifício. o apertar dos cintos.
    Para sairmos da Situação em que o país esta deve-se torna os cargos dirigentes do país menos atractivos, incentivar os Jovens e Jovens formados a promoverem o sector Privado na busca dos seu auto empregos, para isso deverá reduzir regalias ao dirigentes, retirar carros de estado não mãos de todos, de forma que cada individuo se quer ter carro compra o seu, se compra o seu combustível, se quer comunicar compra o seu saldo.

    Quem quiser ganhar bem cria a sua própria empresa.

    Estado sairá se pegar no dinheiro que paga de subsídios e regalias aos dirigentes e investir, em credito para criação de Micro, Pequenas e Medias Empresas, o aparelho do estado terá menos funcionários e de certeza que reduzira muitas despesas tanto com pessoal e bem como de funcionamento.

    Ja pensaram a cada Governo ou Ministro ou até mesmo um simples Director que se muda, quantos funcionários novos entrar no aparelho do estado, o pior é que para cada vaga que entram já la esta alguém, quer dizer que terá funcionários a receber sem fazer nada.
    Faz um levantamento para se verificar só como exemplo mais básico que todos verificamos a olhos nu, o caso dos Condutores e Secretarias.

    Basta pensar e não partidarizar o aparelho do estado, eles pais fluiu, e até arriscamos em falar em desenvolvimento.

    Tira indivíduos nos Cargos Políticos e façam eles criar as suas empresas.

    cmpts

  11. img
    Franca Responder

    Obs: debatemos , perdemos nosso tempo dando comentário, mas isto não vai mudar nada.
    O importante é nosso Governo cumprir com suas palavras sobre nosso pais,
    Opções: porque que não mudamos de mentalidade, apostando na produção interna para exportação ( exemplo: àgua, Terra, mar e muito) estamos sempre sempre sempre,sempre a pedir constantemente estamos de braço esticado, ou pais independente ou não, desculpa meus senhores, será que stomé é muito pequenos que não produzimos nada,……… cria meio legais para investidores e,pensamos na produção p/exportação
    o povo não pode sofre por este governo ou por outro governo etc ..ou o poder de compras zero (0) só complicará o pais.

  12. img
    realista Responder

    Meus manos o Patrice Trovoada vai fazer De tudo para provocar mais uma crise politica em S.tome para dpx tírrar os pes.

Deixe um comentario

*