Destaques

Governo corta SINOANGOL do bloco 2

Um comunicado da Agência Nacional de Petróleo divulgado pela imprensa nacional, dá conta que o Governo rescindiu o contrato de partilha de produção do bloco 2 da Zona Económica Exclusiva com a empresa de capital maioritário chinês a Sinoangol.

Em Outubro do ano 2013, a empresa Sinoangol, com sede em Luanda – Angola, assinou o acordo de partilha de produção do bloco 2 da ZEE são-tomense e em Dezembro de 2013 depositou na conta do Estado são-tomense o valor de 5 milhões de dólares, valor respeitante ao bónus de assinatura do bloco 2.

No comunicado da Agência Nacional de Petróleo, é dito que a rescisão do contrato tem a ver com incumprimentos e violações do acordo por parte da Sinoangol.

O comunicado detalha alguns dos incumprimentos e violações do contrato, nomeadamente, o facto de a empresa Sinoangol, jamais ter prestado ao Estado são-tomense informações relativas ao montante recebido pela transferência de 30% de interesses participativos no Bloco 2. Transferência ocorrida em 31 de Março de 2014.

Mais ainda, a Sinoangol é acusada de nunca ter permitido o cálculo e o pagamento a São Tomé e Príncipe, do imposto em resultado da transferência dos 30% de interesses participativos no bloco 2.

Abel Veiga

    5 comentários

5 comentários

  1. Fernando Gué Pinto

    9 de Dezembro de 2016 as 12:20

    Favor não confundirem SinoAngol com SONANGOL

    Coisas diferentes

  2. Qulixe Furtado

    11 de Dezembro de 2016 as 13:50

    Caros santomenses,
    Quem de direito,
    Existe uma informação segundo a qual o atual Diretor executivo da ANP-STP teria recebido 13 mil dólares dessa Sinoangol para participar numa formação no exterior, mas não se sabe por que razão o dito funcionário não participou na formação e nem sequer devolveu o valor que recebera. Isto não é de natureza a dar credibilidade a um responsavel duma instituição de tamanhaimportancia.

    • Anacleto Tondela

      12 de Dezembro de 2016 as 8:48

      Este Director executivo da ANP-STP é um dos mais incompetentes dos directores do ADI. Não se entende o porquê do Governo ainda ter este individuo a frente de uma instituição como ANP-STP. Está é uma das razões que faz com que os operadores já não respeitam a ANP-STP pois já sabem que o Director é um alto incompetente tanto na gestão do dossier petrolífero como na gestão de recursos humanos e financeiros.
      Veremos até onde a ANP-STP chegará com este tipo de incompetente.
      Força meus irmão da ANP-STP!

  3. Joao Cupertinon Gonçalves

    12 de Dezembro de 2016 as 7:57

    Pora Pora. Eles são assim.

    É com eles se se quer fazer STP melhor. Dubai ou Dufica

    • Mina de Célivi

      12 de Dezembro de 2016 as 11:09

      Dufica!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo