Parlamento não conseguiu debater OGE – 2017 na terça – feira

A Assembleia Nacional não conseguiu debater a proposta do Orçamento Geral do Estado para 2017. Tudo por causa de discrepâncias nas cifras avançadas pelo Governo na proposta submetida ao parlamento em 30 de Novembro de 2016, e os novas cifras do orçamento, expostas pelo Ministério das Finanças no seu portal on line.

O debate não aconteceu, os deputados deram conta que tinham nas mãos um projecto de orçamento com dados e cifras, que não correspondem a realidade. As duas bancadas da oposição questionaram sobre o facto, e consideraram que a proposta do OGE sobre a qual trabalharam nos últimos meses, simplesmente não existe.

O Ministro das Finanças Américo Ramos, deu explicações segundo as quais, a proposta submetida ao parlamento em Novembro de 2016, tinham apenas previsões. Segundo o ministro, nos dias subsequentes, foram compilados os dados e informações que não tinham sido disponibilizados em Novembro.

Os deputados prepararam-se para o debate com base em dados fornecidos pelo Governo na proposta orçamental submetida de 30 de Novembro de 2016. Só que a partir de Dezembro o Ministério das Finanças começou a divulgar outros dados no seu portal na internet.

Por exemplo em termos de fontes de financiamentos para determinados projectos, a proposta do OGE entregue ao parlamento em Novembro indicava Taiwan como fonte de financiamento. No entanto o documento do Ministério das Finanças exibido on-line a partir de Dezembro, apresenta outros projectos e tendo a República Popular da China como fonte de financiamento.

Os deputados não consideraram que não poderiam debater uma proposta de OGE caducada. Por solicitação da bancada parlamentar do MLSTP, maior partido da oposição, a sessão parlamentar foi suspensa para ser retomada esta quarta – feira.

Abel Veiga

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Martelo da Justiça Responder

    Isto é de uma incompetência terrível. Essa gente não conseguem fazer o trabalho de casa bem feito só porque têm maioria. A oposição tem razão de não aceitar um documento que não reflete a realidade.

  2. img
    Madiba Responder

    É uma tristeza que coisas deste género ainda acontecem nos dias de hoje. Eu sinceramente sempre pensei que dada a demora para o debate do OGE/2017, a justificação era justamente a correcção destes erros.
    E de quem é a culpa? Oposição? Os funcionários da Direcção do Orçamento? Ou aquele que tem como preocupação uma próxima viagem?

  3. img
    Guida Gostosa Responder

    Mas como é que o país pode avançar, se o Governo estando em plena funções no ano civil anterior, não conseguiu ter a proposta de orçamento pronto para ser debatido e aprovado antes final do ano transacto?
    Estamos praticamente no limiar do mês de Fevereiro de 2017 e o OGE para este mesmo ano ainda está num vaivém. Para quando a sua execução?
    Estamos a caminhar rumo à Dubai ou à Mogadíscio?

  4. img
    pedroantonio Responder

    O Patrice Trovoada é um incompetente nato. É um individuo que só passa a perseguir, a humilhar e prejudicar os outros. O américo ramos que foi meu colega na ex-união soviética foi uma aluno fraco por isso eis o resultado. O Americo Ramos chegou onde chegou graças a ajuda que a Santa Tebus lhe deu. Estes gajos do ADI não valem nada. São todos fracos.

  5. img
    EX Responder

    kkkkkk, hahahah

    Isso só veio reflectir que o rompimento das Relações com Taiwan foi em cima do joelho.

    Mas o mais grave é sermos governados com gente desse Nível e com clara intenção de enganar isso cheira a Corrupção, Tudo isso é pk o nosso Orçamento é feito ali e justifica ali mesmo, se pelo menos fosse enviado uma copia a União africana ou se pelo menos os tais doadores exigissem, um Orçamento Credível e depois um possível financiamento haveria mais rigor.

    isso ainda é uma falta de respeito para com todos os deputados e a População em Geral em enviar um Orçamento Rascunho para Debate Parlamentar.

  6. img
    Nuno De Menezes Responder

    O debate não aconteceu, os deputados deram conta que tinham nas mãos um projecto de orçamento com dados e cifras, que não correspondem a realidade.

    sinceramente… Como ‘e possivel isso acontecer.
    So apenas no parlamento que foi necessario verem essa situacao???
    escritorios do governo nao sabiam analizar e verem que o projecto de orcamento com dados e cifras nao correspondem a realidade?

    Eu o Povo com Cultura ou sem cultura, isso tudo dará a mim a entender que existe buraco Negro que se chama INFA-Restruturacao.

    INFA-Restruturacao, concerteza muitas das vezes acontece,vamos a parlamento nao levamos as papeladas necessarias, vou usar o termo; vamos la apenas ouvir o que o senhor de gente vai dizer sem trzer nada;

    O senhor de Gente = (Primeiro Ministro) ou o Responsavel;

    Concerteza o senhor de Gente pedio as papeladas das contas e outras coisas mais nao tinham no momento e tiveram voltar para tras.

    O Nosso Povo tem que ter ambição,vontade de lutar,vontade de criar,nao adormecer no LEVE LEVE, essa palavra ‘e o Passado LEVE LEVE um lema do Passado do tempo da Escravidao.

    Neste momento Sao Tome e Principe ‘e Nosso, deixamos de ser escravos desde o Ano 1975, temos que criar temos que ter ambição,Ou o Nosso Povo prefere viver do Passado do Tempo colunial?

    Se Sim; ‘e uma questao de dar de Volta Sao Tome e Principe a Portugal e eles fazem a Infra-restruturacao e vivemos la da mesma no Poder deles e na Infra-restruturacao de PORTUGAL, ja que nao somos capazes e assim temos um Sao Tome e Principe Melhor.

    E se assim acontecer no seculo em que estamos e ano 2017, concerteza nao vamos ser mais escravos como antigamente, mais apenas vamos que trabalhar igual a Portugal,igual a nosso Povo que la estao Tambem a viver em Portugal,nao no leve leve,Mas a Gaz….

    O Problema ‘e que Em Portugal Muito Frio e o Povo de Sao Tome e Principe nao Reclama e tem que aguentar, em Sao Tome e Principe temos calor seria uma maravilha.

    ‘e Uma questao do Governo Pensar, Tudo Isso dentro do Respeito e nao levar a mal, se nao somos capazes depois dos 42 anos Infra-estruturar um Pais Muito Pequeno que ‘e Sao Tome e Principe, se abre um acordo e devolve Sao Tome e Principe a Sua ORIGEM que ‘e Portugal.

    Nuno Menezes
    Reino Unido, Lincoln

  7. img
    Rato Responder

    Porquê que nos momentos iniciais do debate, é que EMAE corta energia? Eles sabem que são fracos no argumento, só posso deduzir que há conluio com o Director da EMAE,isto é muito mau, vender a honestidade à troco de tacho, num país com povo grande, aquele dito director da EMAE deveria ser demitido. No telejornal só andamos “à beber água que finguí fez chichi”, BANDOS DE INCOMPETENTES!

  8. img
    Júlio Neto Responder

    Acabo de receber uma carta do povo-pequeno que muitas vezes me dirijo e que tenho a honra de ser parte e, algumas vezes, também represento.
    Risos..!
    E, é com todo o gosto que vou partilhar convosco a missiva, ilustres cidadãos. Eis o teor:

    - “A respeito deste OGE-2017, o povo-pequeno lecciona aos patronos de peritos das nossas finanças públicas o seguinte: Para que V.Excias Senhores Deputados da Nação são-tomense dêem deferimento, ou seja, a aprovação de adopção deste Orçamento, é míster considerar dois pressupostos:
    I- que tenha havido inequívoca manifestação de vontade do adoptante, já no decurso do processo de adopção, tudo nos parece que veio de motoqueiro, e a lei diz que deve vir em Toyota Prado Deluxe,e
    II- que o AVC (doença) daquele tenha decorrido no decurso do procedimento regimental, pois faminto (verbas insuficientes)andava já demasiado cansado, são demais quilómetros percorridos desde a sede do Governo, à pé, até à Assembleia Nacional. Ora a ideia subjacente ao preceito é a de que a adopção do OGE, só não se aperfeiçoou, pela simples razão do adoptante já ser quase cadáver. Por isso é que a lei fala (no decurso do procedimento), para a quarta-feira, no Hospital Central Dr. Ayres de Menezes”.

    E o povo anda a dizer que foi grande batota. [Icé só sá cata di zugá! Ou ê bilá mocó-catá de bulaué chão-chão?]

  9. img
    Vexado Responder

    Nã sei como o governo e o partido que sustenta o governo na pessoa do Levy Nazaré não entenderam a preocupação da oposição.
    Quem irá substituir a china taiwan? Esse financiamento esta garantido? E se não verificar o financiamento?
    Levy Nazaré foi claro, o governo anda em negociações sobre o financiamento.

    Vamos aprovar um orçamento não realista e orçamento rápido, muita pressa para aprovar o orçamento

  10. img
    explicar sem complicar Responder

    Informações precisas.
    Os emiçores de TVS de S.João foram desligados apropositadamente, para nao haver cobertura no centro e norte de S.Tomé onde tem população lucida e muitos estrangeiros para nao acompanharem. .
    Sempre que a oposição falava faziam sempre cortes.
    Bandidos do ADI.

Deixe um comentario

*