Baía de Ana Chaves cemitério de navios engoliu Catamaran de Economia Azul

Há vários anos que a Baía de Ana Chaves que circunda a capital São Tomé, se transformou num cemitério de navios encalhados. A maior parte das embarcações que se afundou na Baía, soltou das amarras em momentos de temporal.

Uma ameaça a segurança marítima, que se perdura no tempo, e que se reforça de tempo em tempo. Basta haver a mais pequena agitação marítima, para embarcações principalmente pertencentes ao Estado são-tomense, soltarem das amarras e começarem a vaguear pela Baía de Ana Chaves, sem direcção.

navio-principe-na-terraEm Março do ano 2010, o Jornal Téla Nón, relatou as peripécias do Navio Príncipe. Construído de raiz em Espanha, com financiamento de Taiwan, para assegurar a ligação marítima entre as duas ilhas. Alguns dias após a sua inauguração o navio soltou das amarras e veio encalhar na Praia Brasil, na marginal 12 de Julho (veja a foto).

O navio foi desencalhado, e regressou ao porto de São Tomé.

Mas, ciclicamente de ano em ano, botes e outras embarcações ancoradas no porto de São Tomé, soltam-se das amarras, uns encalham na Baía, outros naufragam. Houve até no passado um caso insólito da embarcação de Patrulha das Forças Armadas São-tomenses, “o Falcão”, que simplesmente desapareceu do porto de São Tomé, e mais tarde veio-se a saber que foi dar a costa da Nigéria.

A partir de 2014, o Governo são-tomense decidiu destacar a componente marítima como estrutura importante da sua política desenvolvimentista. Criou-se o Ministério da Defesa e do Mar. No entanto, persistiu a crise de navios que se afundam ou que encalham na Baía de Ana Chaves.

lanchaEm Março do ano 2016, em plena vigência do Ministério da Defesa e do Mar, São Tomé e Príncipe, perdeu a lancha de Patrulha nº004. Uma embarcação que custou ao Estado são-tomense mais de 2 milhões de dólares. Foi construída de raiz no estrangeiro, para garantir a fiscalização da zona económica exclusiva do arquipélago.

Chegou a São Tomé no final do segundo semestre de 2015, e em Março de 2016 soltou-se, e alegadamente embateu contra uma das muitas carcaças de navios naufragados na Baía de Ana Chaves. Tombou tendo as ondas do mar arrastado a lancha de combate, para as imediações do estaleiro Roque. (veja a foto).

O Téla Nón foi o único órgão de comunicação social nacional que deu a notícia do desastre da lancha de patrulha nº 004. 48 horas após a publicação da notícia, o Ministério da Defesa e do Mar, criou uma comissão de inquérito para apurar causas e responsabilidades pela soltura e “tombo” da lancha.

Quase 1 ano depois, não se conhece o resultado do inquérito, e muito menos o destino da lancha que custou mais de 2 milhões de dólares, e que posteriormente, mesmo em terra sofreu mais outro acidente, segundo informações recolhidas pelo Téla Nón.

No final de Dezembro de 2015, o Governo decidiu reforçar a sua política do mar. Dois catamarans e três pequenas lanchas de patrulha marítima, chegaram ao país, e colocaram na boca do Governo a mensagem de arranque pela primeira vez nos últimos 40 anos, da Economia do Mar no país.

catamaran-595x330Mas, a insegurança marítima na Baía de Ana Chaves não tinha sido resolvida. Em Abril de 2016, uma chuva serôdia se abateu sobre São Tomé e sem rajadas de vento. De repente os dois catamarans que estavam atracados ao largo do porto de São Tomé, se soltaram das amarras. Um deles seguiu viagem até o pontão da Praça da Independência, onde ficou a boiar. Outro tomou a direcção da Praia de Pantufo. Só não chegou a praia de Pantufo ou ao ilhéu Santana, porque o Rebocador “Liberdade” da ENAPOR, chegou a tempo para o arrastar de volta à Baía de Ana Chaves. (Foto)

Numa altura em que a ideia da Economia do Mar, defendida pelo Governo, fez nascer o Ministério da Economia Azul, o país assistiu debates intensos no início de Fevereiro, sobre o tema, “Economia Azul”.

No entanto bastou chover na última semana, para as ondas da Baía de Ana Chaves, soltarem um dos catamarans.

Por sinal é o catamaran que já estava a produzir economia azul. O catamaran que acabou por encalhar no cais do supermercado CKD, na Baía de Ana Chaves (foto), foi enviado para o Gabão onde, segundo informações dadas pelo Primeiro-ministro Patrice Trovoada, numa sessão da Assembleia Nacional, realizava negócios no vizinho Gabão. Os rendimentos das operações no Gabão, serviriam segundo o Chefe do Governo, para garantir a manutenção da frota marítima adquirida para galvanizar a economia azul.

catamaran no cais de CKDQuase uma semana, que o catamaran “Pixi N´dala”, está encalhado ao largo do supermercado de capital gabonês. «O barco de facto encalhou. Temos um relatório dos danos. Vão fazer a reparação no local e depois tirar o barco, para uma outra zona», explicou o Primeiro-ministro Patrice Trovoada.

Para o Chefe do Governo, incompetência pode estar na origem do acidente. «Tentamos melhorar e as coisas, mas do outro lado, as vezes, por incompetência, por erro humano, por falta de vigilância e profissionalismo essas coisas acontecem. Os danos são recuperáveis e vamos tratar disso», precisou, o Chefe do Governo, antes de deixar o país na última semana rumo a Holanda.

Mais um inquérito será aberto. «Iremos pedir um inquérito para saber o que se passou», pontuou Patrice Trovoada.

Face a situação o Chefe do Governo, deu conta que o país que deve explorar todas as valências da economia azul, por ser um arquipélago, não tem uma escola naval, e muito menos «temos docas adaptadas para reparação naval», frisou.

Informações recolhidas pelo Téla Nón, indicam não ser fácil o catamaran “Pixi N´dala” sair intacto das areias onde se encalhou.

Abel Veiga

Notícias relacionadas

  1. img
    Clemilson Brasileiro Responder

    Não estou acreditando nessa reportagem ? que vergonha , , que vergonha meu deus !

    • img
      Sacrifício em 2017 enquanto Patrice Trovoada vai enriquecendo Responder

      Afinal não estás a acreditar?

      Sabias que a economia azul já saiu de azul para vermelha pra frente e agora já está preta? Coisa está preta…

      Coisa não está nada bem. Vida tá difícil. Temos o Governo que merecemos porque povo escolheu. Mas é esse mesmo povo pequeno que está a sofrer na pele. Estamos a espera pra mandarmos na urna em 2018. Rá-ré-Ruuuuuuuua.

      Só que tempo tá andar muito devagar. Até 2018, é muita fome que vamos passar. Ninguém merece isso. Diabo leva ladrões, corruptos, egocêntricos, xulos, malabaristas e incompetente do ADI pra inferno.

      Povo está a passar mal e está agora a contar os dias no dedo para sair deste sofrimento da terra prometida DUBAI.

  2. img
    Xico Responder

    É resultado óbvio do típico modelo de gestão em São Tomé: Começar a casa pelo tecto, ou seja, má gestão das prioridades!!
    Antes do Governo adquirir as embarcações, deveria simplesmente ter construído uma doca.
    Com o valor dos barcos perdidos, já teríamos construído várias.

  3. img
    luisó Responder

    País sem futuro.
    Há 42 anos que andam a brincar aos países independentes , com a mão estendida, calções rotos e cara suja.
    Enfim, cada um tem o que merece.

  4. img
    Pedro Costa Responder

    Este é o espelho da mente dos nossos pensantes. Pessoas que pensam e fazem; fazem mal as coisas. Dão passos maior que a perna, colocam as carroças a frente dos bois e dá nisto. Não temos cais acostável e já está na altura. Temos o que se vê na praça da independência e está ao abandono. Nada se faz. Queremos ter luxo sem posse, infelizmente. Triste realidade.

  5. img
    Venâncio jorge cunha Responder

    Porquê que os outros não vieram também ao mar? Este navio não teria vindo de Libreville com problemas? Tudo pode ser?
    Ou então houve negligência?
    Espero que agora saberemos de onde veio o barco, quem o enviou e quanto ficou.

  6. img
    EX Responder

    A compra dessas embarcações é um esquema para comerem dinheiro com comissões.
    Imagina quem não tem lugar para guardar o carro vai comprar um e deixar na estrada esta sujeito a acidentes.
    Isso pode acontecer a um individuo comum, mas a um Governo de um Pais isso só pode ser truque para ajudar o Vendedor a ganhar dinheiro e receber comissões.

  7. img
    rapaz de Riboque Responder

    isto não da para acreditar chama-se isto falta de responsabilidade da pessoa que esta a frente destes serviços como é possível meu Deus tenham vergonha meus senhores

  8. img
    Peixe Andala Responder

    O pixi N’dala não encahou na areia, mas sim em pedregulhos

  9. img
    Adi-Aldrabão-Gatuno Responder

    Isto só pode ser fruto de exclusão dos melhores para dar jeito aos incompetentes, desde que sejam militantes de ADI! Quem paga pelo nepotismo é o povo!

  10. img
    derley pietro Responder

    Vergonhoso o que se passa neste país
    Como é possível um barco desamarrar com um bentinho, imaginem se passa se um tornado oque seria aptimo assim podia limpar a corja que imundou este país, acho bem possível que este caso do catmaram tenha mão humana para este acontecimento lamentavelmente o santomense é invejoso, prefere não ter nada se o vizinho não tiver também.
    Quem sabe se não tem dedo da oposição?
    Estes senhores da oposição governaram este país durante 40 anos e a governação esta a vista de todos uma favela humana uma favela habitacional social educacional.
    Se este governo tem feito melhor poderá dizer se que sim e que não
    Este governo tirou o povo do escuro e da sede se é suficiente não, mas já fez em 2 anos aquilo que não se conseguiu fazer em 40

    • img
      Tibério António Responder

      Meus Senhores, Senhoras, durante estes dois anos, O governo de Patrice Trovoada não cumpriu pelo menos os 10% do DUBAI que prometeu o Povo, após ter ganhado as Eleições de 2014 com a maioria absoluta aldrabada, com macumba dos Muçulmanos, e portanto, resumindo o seu governo praticamente não fez nada durante estes dois anos da sua governação como refere acima o senhor, talvez o pau mandado da elite de corrupção do Patrice Trovoada e dos seus comparsas. Dá o césar o que é de césar, a oposição governou muitos anos na verdade, mais nunca o Povo santomense, passou o que estão a passar dentro destes dois anos com a governação injusta, miserável e sem precedentes do ADI e do seu líder Patrice Trovoada no poder, que apenas sabe viajar, esvaziar o cofre do Estado Santomense, falando blá blá, e que nunca chega a trazer a esperada solução para este Povo sofredor. Perguntamos: Há onde se meteu os 30 milhões dólares ofertado pelo um Empresário chinês que também lhe ofertou os barcos catamarans que um deles se encontra encalhado a mais de uma semana na doca do Supermercado CKD? Apelamos ao Povo de São Tomé e Príncipe que nas próximas Eleições de 2018, não fazem o uso da camisolas, chapéus, e outros materiais de campanha do ADI, e muito mais do próprio Patrice Trovoada, porque os mesmos materiais estão preparados com feitiçaria dos muçulmanos dos Países Africanos, para que o Povo vote em massa em seu favor sem a justa vontade.
      Povo de São Tomé e Príncipe, abre os olhos, tudo está ficando cada vez mais difícil, o Patrice escondeu o dinheiro para o Povo Pequeno, mais para si, sua família, e os seus elencos governamentais, estão a viver boa vida, sem preocupar com o coitado do povo santomense. São Tomé e Príncipe, é poderoso, tarde ou cedo fará a justiça divina com os maus feitores e corruptos, aldrabões, exploradores, e pisam, arrecadam, apunham e empobrecem o Povo Santomense.

      Patrice Trovoada sempre foi negociante, e quer negociar este Povo coitado e que acha de inocente.

      VIVA STP, Abaixo o ADI…

    • img
      ADI não é partido político mas sim uma facção!!! Responder

      Senhor Derley Pinto só pode ser parvo e lambebota ou não sabe matemática.

      Conta bem os anos antes de vir cá falar 40 anos.
      Miguel Trovoada Governou quanto tempo como Primeiro Ministro?

      Miguel Trovoada governou 10 anos como Presidente da República.
      Patrice Trovoada foi assessor do seu pai durante 10 anos.
      Patrice Trovoada foi Ministro dos Negócios Estrangeiros.
      Patrice Trovoada foi e é Primeiro Ministro tripitente.
      Evaristo Carvalho foi Director de Gabinete de Pinto da Costa durante a primeira república e foi tb director do Gabinete de Miguel Trovoada e de Fradique Menezes.
      Evaristo Carvalho foi Primeiro Ministro por duas vezes e foi também Presidente da Assembleia durante 2 anos.
      Carlos Stock foi Director de Cartório e foi Ministros por duas vezes no total de 4 anos.
      Américo Ramos actual Ministro das Finanças foi Director do Orçamento e Ministro até aqui durante 4 anos.
      Agostinho Fernandes foi Director dos Impostos e Ministro durante 4 anos.
      Etc…..

      Portanto, se quer falar de 40 anos, arranja outra ou vai peguntar o Levy Nazaré o quê que seu pai foi durante a primeira república no tempo de Pinto da Costa.

      Se não sabe, então não mete porque temos o MAPA do país que diz quem é quem em São Tomé e Príncipe.

      Para teu conhecimento, diz ao Miguel Trovoada para expropriar a favor do Estado todas as casas que ele tem espalhado por aí nas antigas roças e também aqui na cidade capital e na cidade da Trindade.

      Obrigado e um bem haja à ti!!!

  11. img
    derley pietro Responder

    Este ultimo comentário da vontade de rir, com tanta ignorância junta
    Quem governa o país é o presidente da republica e o primeiro ministro
    Que eu tenha conhecimento o ADI esteve no poder 3 meses, sob comando de Dr Patricie e agora 2 anos, quer me fazer crer que este atraso desde a independência a culpa é do Dr trocada?
    Que não seja do ADi eu entendo agora mostrar as coisas só demonstra a sede de poder por os partidos da oposição
    Já que fala de expropriacão concordo em pleno, começamos por a_casa do Dr pinto da costa no pantufo comprou_a? Herdou_a? NÃO entra entrega ao dono. Propriedade de Dr Fradique na favorita e praia das conchas e outras espalhadas por STP_ comprou as? Herdou_as? Então entrega ao dono.
    As rocas que Maria das neves tem herdou_as comprou_as? Entrega ao dono
    E todos os políticos advogados juízos e a alta sociedade santomense que tem propriedades sem compra sem herança devolve ao Dono, O Dono é o ESTADO,mania de gente sem cultura sem civismo sem conhecimento de politica democrática dizer terra é nossa. A terra não é de ninguém é do estado ( por sua vez dos habitantes de STP)
    Meu. Senhor deixe se de politiqice e veja que a moeda tem duas faces
    Depois da independenca todos os que tiveram no poder levaram o nosso país a desgraça em que se encontra
    Roças inactivas, destruidas autenticas favelas sem condições de sobreviver
    As praias n existe areia devido ao roubo
    Os mercados é uma podridão
    N tem um porto alfandegario em condicões
    Não tem escolas em condições
    Não tem hospital em condições
    Não tem uma justiça eficaz sendo k os juízes são medíocres
    Em suma tem um serviço publico medíocre
    E vem dizer que os me!Bros do ADI são responsaveis!!! Faça contas e veja ha ato tempo dr Patrice é PM.

Deixe um comentario

*