Fuzileiros são-tomenses e portugueses em manobras conjuntas de combate

Os fuzileiros navais da guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, da marinha de guerra de Portugal, realizaram na manhã de quinta – feira, uma operação conjunta que permitiu desmantelar um centro fictício de tráfico de droga na região da Praia de Fernão Dias, nordeste da ilha de São Tomé.

A fragata Alvares Cabral da marinha de guerra portuguesa participou na operação de desembarque anfíbio dos fuzileiros navais dos dois países.

A simulação permitiu pela primeira vez o entrosamento dos fuzileiros navais de São Tomé e Príncipe e de Portugal, em operação de combate para neutralizar uma ameaça a segurança do arquipélago.

Um fictício centro de traficantes de droga, foi alvo da operação de assalto das forças especiais dos dois países.

Os fuzileiros navais dos dois países, agiram com perícia num cenário fictício que a qualquer momento pode ser real.

fuzileiros 2Tenente Silva Precioso da Marinha de Guerra de Portugal, garantiu que o seu país, está pronto para colocar os seus meios navais ao serviço dos países africanos de língua portuguesa. Recordou que antes da operação conjunta com os fuzileiros navais de São Tomé e Príncipe, a fragata portuguesa que tem a bordo um grupo de 50 fuzileiros navais, realizou o mesmo tipo de exercício com as forças armadas de Cabo Verde.

O Primeiro-tenente Tomé Sousa, que comanda o corpo de fuzileiros navais de São Tomé e Príncipe, assegurou que os seus homens estão preparados para agirem sozinhos ou em parceria com militares de países amigos, para neutralizar ou dissuadir as ameaças a segurança nacional. Seja em caso de pirataria marítima, contrabando, ou tráfico de drogas.

A parceria entre os dois países em exercícios conjuntos, deverá prosseguir no futuro.

Abel Veiga

 

Notícias relacionadas

  1. img
    Brasileiro Responder

    E a cooperação com a Marinha do Brasil, também haverá de continuar?

  2. img
    Atento ao Dossier Responder

    Custa mais aquela Fragata que toda a ilha de S.Tomé

  3. img
    Brasileiro Responder

    Não digas isso, toda nação não tem preço, ao menos para seu povo.

Deixe um comentario

*