Rafael Branco promete pagar as indeminizações devidas aos ex-trabalhadores das antigas empresas públicas que foram liquidadas

Publicado em 07 Ago 2008
Comentários; fechado

Após erafael.jpgncontro com o Primiro Ministro Rafael Branco(na foto), o líder do sindicato da função Pública Aurélio Silva que também comanda a luta dos ex-trabalhadores das empresas públicas que foram liquidadas, anunciou que Rafael Branco, prometeu pagar as indeminizações que têm sido reclamadas há mais de 3 anos. O aumento do salário a nível da função pública também esteve na ordem do dia .

O sindicato da função pública que no meio da recente crise política tinha advertido a classe política que o governo a ser criado, seja qual fosse, tinha que em primeiro lugar resolver a questão salarial dos trabalhadores da função pública e o pagamento da indeminização aos antigos operários e agricultores de empresas estatais que foram liquidadas, veio desta vez, tecer elogios ao actual governo de Rafael Branco tendo garantido que já estão em curso negociações para actualização dos salários. «Já é o terceiro encontro entre as partes. O primeiro encontro visou algumas abordagens sobre as perspectivas com vista a melhoria das condições de vida dos trabalhadores da função pública. Existem perspectivas de melhoria das condições salariais. Isso é uma base essencial, em relação ao custo de vida que temos actualmente. Serõ accionados alguns mecanismos para sustentar essa melhoria», explicou Aurélio Silva.

No que concerne ao pagamento de indeminizações aos antigos trabalhadores das empresas do estado que foram liquidadas, tanto agrícolas como unidades de prestação de serviços, o secretário geral do sindicato da função pública, assegurou que o Primeiro Ministro Rafael Branco assumiu o compromisso de pagar a dívida. «O Senhor Primeiro Ministro permitiu efectivamente assumir o pagamento das endimizações. Vamos continuar já na próxima semana encontraremos com a ministra do plano e finanças na presença de senhor Primeiro Ministro para formalizar os procedimentos», declarou Aurélio Silva.

O número de trabalhadores licenciados das antigas empresas estatais atinge vários milhares.

Contente com a disponibilidade de Rafael Branco, em atender as reivindicações, o líder sindical que combateu ferozmente os governos de Tomé Vera Cruz e de Patrice Trovoada, com greves gerais mal sucedidas e manifestações de rua, tendo agradecido todas as forças que ajudaram o sindicato a derrubar os dois executivos, diz agora que tudo está a mudar. «Eu quero dizer que efectivamente nós os trabalhadores já temos a nossa esperança que os melhores dias estão para vir», concluiu.

Abel Veiga