Lançada mais uma tentativa de desenvolvimento do sector da pecuária

Publicado em 01 Set 2008
Comentários; fechado

O novoboi-bombaim.JPG projecto que pretende dinamizar o sector da pecuária, foi anunciado na última semana pelo ministro da agricultura e desenvolvimento rural, Xavier Mendes. Cruzamento de aves locais com as importadas, aumento da produção do milho para assegurar a fabricação de ração, são dentre outras acções a serem implementadas. Apesar do enorme potencial comprovado no passado, a semelhança da agricultura o sector da pecuária caiu no abandono, o que acabou por transformar o arquipélago num grande importador de carne e ovos.

Ainda na década de 80, o arquipélago são-tomense, era auto-suficiente em carne e ovos. Vários aviários garantiam francos de carne e ovos, e a criação de gado bovino dava bons resultados. O centro leiteiro de pinheira é uma prova. Produzia milhares de litros de leite vendidos ao público.

Mas tudo degradou, arruinou-se. Actualmente é da importação que chega ao país a maior parte de carne e ovos. Os sucessivos projectos de recuperação do sector pecuário implementados durante a segunda república, resultaram-se em fracasso.

Gados ovino e caprino importados no quadro de um dos projectos, financiado pelo BAD, nunca chegaram a produzir carne. Aliás não se conhece o destino dos mesmos. Gado bovino que pertencia ao estado e que foi distribuído a determinadas pessoas, com base em opções políticas, até hoje não beneficiaram a nação, ou seja, não deu resultado.

Nos talhos ninguém vê carne de vaca, e quando aparece o preço praticado não é recomendável para a maioria da população. Carne de frango congelado desde a origem é que abunda no mercado nacional.

Ovos congelados desde a origem chegam ao mercado nacional a preço mais baixo que a produção de alguns criadores nacionais. Os comerciantes estrangeiros que operam no país são os que somam lucros.

É neste cenário de crise, que o ministério da agricultura, lança mais uma iniciativa com vista a dinamizar a produção do potencial sector pecuário nacional. O Ministro Xavier Mendes, anunciou que o novo projecto pretende desenvolver cruzamentos de espécies de aves. Por exemplo as galinhas locais serão cruzadas com as espécies importadas.

Produção de peru e patos também está na lista. Ao mesmo tempo os técnicos projectam envolver os agricultores e criadores no trabalho, com vista ao aumento da produção do milho. A cooperação taiwanesa que há vários anos coopera com o arquipélago no sector da pecuária, aconselha as autoridades são-tomenses a promover o aumento do cultivo do milho e a sua transformação em ração de forma a reduzir os custos da produção interna de aves.

Aliás já no passado a zona da pinheira tinha unidades de fabricação de ração, e alimentava a grande produção de galinhas nos aviários construídos em todo o país. É apenas a retoma das actividades que a má gestão e a negligência deixaram morrer no passado.

A produção de aves e de ovos acaba por ser mais caro no arquipélago por causa também do alto custo de importação da ração. «Estamos a ver as condições existentes para podermos lançar o projecto em parceria com a cooperação taiwanesa. Tem que haver uma integração entre a agricultura e a pecuária para que o agricultor possa tirar maior rendimento da sua actividade», afirmou o Ministro da Agricultura, Pescas e Desenvolvimento Rural.

Talvez para provar que desta vez o arranque da pecuária será realidade, o ministro Xavier Mendes, anunciou para esta semana a distribuição de suínos(porcos), para alguns criadores devidamente seleccionados. «São suínos de raça pura, para serem futuros multiplicadores desta raça para outros criadores. Esses criadores foram seleccionados com base em critérios bem definidos. A partir daí criou-se um grupo de 10 a 12 criadores que vão fazer este tipo de trabalho», concluiu, o ministro.

O aumento do roubo de gado sobretudo no meio rural, é outro flagelo que está a comprometer o desenvolvimento da pecuária em São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga