Memorando de entendimento entre o Governo e a Sonangol para modernização e ampliação do porto e do aeroporto internacional começa a dar sinal de vida

Publicado em 15 Jun 2009
Comentários; fechado

O Governo e  sonangol.jpga Sonangol reuniram-se no último fim-de-semana, para dar impulso ao memorando de entendimento assinado no início deste ano que visa a modernização e ampliação do aeroporto internacional, bem como a dinamização do porto de São Tomé. Segundo o Ministro das Obras Públicas e Infra-estruturas Benjamim Vera Cruz, acções urgentes vão ser implementadas tanto no porto como no aeroporto. O representante da Sonangol no país, Osvaldo Vaz ( na foto)confirmou o facto tendo acrescentado que a segunda fase do projecto será implementada a medio e longo prazo.

Finalmente a comissão composta por representantes do estado são-tomense e da petrolífera angolana Sonangol, já começou a trabalhar. Na altura da assinatura do memorando de entendimento em Janeiro passado o governo prometeu que num prazo de 45 dias a comissão teria que fazer o levantamento das necessidades das duas infra-estruturas. O atraso foi longo.

No último fim-de-semana, após encontro com a representação da Sonangol em São Tomé, o Ministro das Obras Públicas e Infra-estruturas, veio anunciar que acções urgentes vão ser implementadas. «Estamos a negociar com a Sonangol a possibilidade de importarmos já os equipamentos necessários para o porto nomeadamente gruas, e barcaças de alguma capacidade para o transporte das mercadorias dos barcos para o cais. Também em relação ao aeroporto há algumas acções de urgência que estão estabelecidas nomeadamente a aquisição de carros bombeiros e a iluminação da pista», referiu Benjamim Vera Cruz.

O representante da Sonangol em São Tomé, Osvaldo Vaz, confirma a urgência. «Vai-se fazer uma actuação de emergência no porto e no aeroporto. Fez-se o levantamento dos equipamentos que devem ser substituídos urgentemente», precisou.

Acções urgentes que deverão ser implementadas ainda este ano, segundo o Ministro Benjamim Vera Cruz. É a primeira fase do projecto. A segunda fase que compreende a ampliação e modernização do aeroporto internacional, só será implementada a médio e longo prazo, explicou o representante da Sonangol. «Estamos a trabalhar para elaborar um cronograma de actividades a médio e longo prazo. A comissão vai trabalhar na preparação desta fase», explicou Osvaldo Vaz.

A quando da assinatura do memorando de entendimento a porta fechada, em Janeiro passado, as duas partes deixaram entender que o objectivo do projecto aeroportuário é transformar São Tomé e Príncipe na principal placa africana para aviões, equiparada aos aeroportos de Dubai no médio oriente e de Amesterdão na Europa.

Abel Veiga