Sociedade

Estudantes de Cuba em busca de enquadramento

Depois da chegada dos recem formados de Cuba, o ministro da educação Jorge Bom Jesus reuniu-se com os novos quadros para discutir entre outras coisas o enquadramento dos cerca de 180 jovens. O Ministro fez saber que o estado não é o único emopregador do país. O sector privado também deve absorver os novos quadros.

Já foi criado uma comissao para trabalhar de forma organizada junto ao ministerio da educação.« uma equipa nossa e uma deles e esse trabalho vai começar já na sexta-feira a tarde. Já fizemos um levantamento ao nivel dos ministerios e a Comunicaçao Social assinalou a necessidade de alguns jornalistas, informaticos nos diferentes orgaos. O ministerio de plano e finanças, mas há outros ministerios que ainda não sinalisaram a s suas necessidade mas estamos a trabalhar. Também temos um levantamento no ministerio, precisamos de varios quadros.» disse Jorge Bom Jesus.

Bom Jesus sublinhou também que nesta lreforçou. uta a procura de emprego, os formados devem ter além da bagagem teorica muita humildade, « a experiencia ganha-se. Há toda uma aprendizagem pratica , experimental que precisam e certamente nesta primeira fase talvez não vao etr o salario que desejam mas eu acho que o importante é começar a trabalhar e ganhar experiencia. Por outros lado eu fiz-lhes entender que a solução do enquadramento não passa única e exclusivamente pela função púiblica. O estado deixou de ser detentor de todod o processo economico do país. Hoje o sector privado tem vital importancia. E de certeza que precisam também de quadros. É um trabalho que vamos fazer junto aos operadores economicos no sentido de  empregar esses novos quadros», afirmou.

Jorge Bom Jesus deixou claro tabmbém que os alunos provenientes de Cuba não são as únicas preocupaçoes do governoO proprio estado debate-se com o problema de espaço físico.  Essa comissao que foi criada deve trabalhar no sentido de ver casao a caso. Há abordagem e há soluções colectivas  de tres quatro ao mesmo tempo , mas depois há abordagens individuais que a gente vai colocar um a um. Nos vamos colocando as pessoas em função das necessidades que vao surgindo. No mais tardar até proximo mês vou enquadrar algumas pessoas outras vao aguardar um pouco mais. Eu pesso muita humildade e disciplina aos quadros,(….) é preciso que haja muita humildade.Eles de facto têm a teoria, mas falta-lhes a pçratica. E o empregador muitas vezes também não tem tegmpo para começar a ensinar, por isso o mais importante é eles começarem a trabalhar o resto vem de persi.», reforçou.

Jorge Bom Jesus deixou claro também que os estudantes de Cuba não são as únicas prioridades do governo, «os estudantes de Cuba tem que perceber que a abordagem tem que ser global. Não são só os estudantes do Cuba, nós temos estudantes de Brasil que já chagram, até o final de Dezembro chegaram cerca de 50. A abordagem tem que ser global para não cairmos na miupia de estarmos a ver só os estudantes de Cuba. E depois nos temos as nossas escolas de ensino superior aqui, que está a formar quadros. E não podemos discriminar uns e acarinhar outros.»

Segundo o minstro as perspectivas para os quadros são boas mas é necessario que tenham mais calma e sobretudo muita humildade.

Ectylsa Bastos

Recentemente

Topo