Assaltantes não deixam defuntos descansar em paz

Publicado em 30 Set 2009
Comentários; fechado

cemiterio-alto-sao-joao.jpgO aumento de roubos na calada da noite está a atingir proporções preocupantes no país. Até os defuntos estão a ser incomodados pelos ladrões. O cemitério de Alto São João na capital do país, é prova disso. As campas ornamentadas com flores e objectos de algum valor, estão a ser assaltadas. Segundo Francisco Cabral, coveiro Chefe do Cemitério, os ladrões partem os vidros das campas e levam tudo, desde colchas e lençóis passando por objectos de decoração. Sem sossego os defuntos do cemitério assistiram na última semana o assalto da capela localizada no centro do cemitério. Os ladrões levaram boa parte do telhado da casa de oração.

O cemitério do Alto São João, na capital são-tomense deixou de ser um lugar de descanso eterno. As campas que guardam os restos mortais, são assaltadas durante a noite. Os recheios são roubados. Francisco Cabral, coveiro e responsável do cemitério, explicou ao Téla Nón que a onda de assaltos começou há alguns anos, mas tende a aumentar nos últimos tempos.

O roubo no cemitério é tanto que as famílias estão a gradear as campas dos seus enti-queridos falecidos, para ver se conseguem ter repouso tranquilo. A capela erguida desde o início do século XX no centro do cemitério também foi assaltada coveiro.jpgna última sexta-feira. Os assaltantes já levaram uma boa parte do telhado. «Agora eles concentraram as atenções no telhado da capela», declarou Francisco Cabral(na foto).

A câmara distrital de Água Grande entidade que faz a gestão do cemitério, já prometeu tomar medidas para combater o roubo no Alto São João. Segundo Francisco Cabral, só mesmo a contratação de guardas-nocturnos, ou a intervenção da polícia pode pôr cobro ao assalto ao cemitério.

Defuntos do cemitério do Alto São João, sem descanso eterno.

Abel Veiga