Inicia esta manhã o julgamento de 18 membros do partido FDC, alegadamente implicados na tentativa de alteração da constituição e outros crimes

Publicado em 07 Out 2009
Comentários; fechado

bufalos-no-tribunal.jpgEstá manhã o juiz Manuel Silva Gomes, Cravid, vai declarar aberta a sessão para um dos julgamentos mais mediáticos de São Tomé e Príncipe. Trata-se do caso que agitou a noite são-tomense de 11 de Fevereiro de 2009. Após uma reunião no palácio do povo entre o Presidente da República e os demais representantes dos órgãos de soberania, incluindo o Procurador-geral da República, foi emitido o mandado de detenção contra os Búfalos e membros do partido FDC. A polícia nacional entrou em acção. Dezenas de pessoas foram detidas, por alegada tentativa de subversão da ordem constitucional. A residência do Presidente do FDC, Arlécio Costa, foi cercada pela polícia, até a sua rendição e consequente detenção. Em Agosto último na instrução do processo, o juiz Manuel Silva Gomes Cravid, mandou libertar 15 detidos.  4dentre eles,  foram postos em liberdade sob termo de identidade e residência, até o julgamento. 14 continuaram detidos.

Os 14 homens da FDC, que estão em prisão preventiva desde 11 de Fevereiro, juntam-se aos outros 4 que aguardaram julgamento em liberdade, mas sob termo de identidade e de residência. No total 18 homens, vão estar presentes na sessão de julgamento que começa esta quarta-feira.

Inicialmente foram acusados pelo Ministério público da prática de vários crimes, com destaque para o de tentativa de golpe de estado, e atentado contra a vida do Presidente da República e membros do governo.

O juiz que instruiu o processo anulou, as acusações de tentativa de golpe de estado e de atentado contra a vida do Presidente da República e dos membros do governo, por considerar que não existem provas.

No entanto considerou como fundamentadas as acusações de crimes, associação de mal feitores, crime de posse de armas ilegais, e crime de actos preparatórios contra a segurança do estado.

Presos a cerca de 8 meses os membros do partido FDC, também conhecidos por búfalos, começam a ser julgados. Um processo que vai permitir o esclarecimento definitivo das acções de detenção empreendidas pelo estado são-tomense na noite de 11 de Fevereiro.

Abel Veiga