Sociedade

“O primeiro-ministro está muito mal informado”

bp.jpgÉ assim que Júlio Silva, comandante do navio Príncipe, reage as declarações do Primeiro-ministro Rafael Branco, segundo as quais, a avaria do barco Príncipe tem a ver com a falta de capacidade e de profissionalismo dos são-tomenses. O Chefe do Governo fez tais declarações com base em documento da empresa que construiu o barco, tendo garantido que o problema não tem nada a ver com erro de construção. O comandante Júlio Silva desmente o Primeiro-ministro e garante que o navio actualmente não é seguro viajar no Príncipe, por causa dos inúmeros problemas de funcionamento.

O comandante do barco, garante que os vários problemas de avria que se registam no barco Príncipe são todos de natureza técnica, ou melhor, resultados de erros de construção. «Temos escapes do navio que tiveram que ser cortados porque estavam desalinhados, temos outro problema que é o cod do motor que verte muita água doce, mas como o motor tem garantia de um ano essa peça será reposta pela empresa que fabricou o motor», explicou para depois enumerar outros problemas. «Temos problema de ventilação da casa de máquinas, temos a barra estabilizadora que se partiu numa viagem entre Príncipe e São Tomé», reforçou.

Segundo a tripulação do navio, por causa da dificuldade de ventilação da casa das máquinas, os manómetros indicam uma elevada subida da temperatura. Situação que pode culminar com uma explosão tendo em conta a proximidade dos tanques de combustíveis.

Por tudo isso, o comandante Júlio Silva, não arrisca em levantar a âncora do navio Príncipe, e não aconselha qualquer viagem nas condições actuais. «Queremos fazer viagem segura. São muitas vidas humanas que transportamos e não, queremos correr o risco de um momento para outro ter avarias ou outro tipo de problemas no alto mar. Sabe-se que já se perdeu muitas vidas na ligação entre as duas ilhas. Enquanto esses problemas não estiverem resolvidos não iremos fazer nenhuma viagem», precisou o comandante.

Ciente da situação em que se encontra o navio, o comandante desabafou a mágoa que sentiu quando ouviu o Primeiro-ministro Rafael Branco, a anunciar que a empresa que construiu o navio considera que a avaria não tem nada a ver com a construção, e que vai fazer uma viagem para o Príncipe para provar que o navio está bom. «Quando vimos o documento que o Primeiro-ministro exibiu na televisão ficamos sinceramente magoados. Ele deveria mandar uma equipa técnica vir ao navio para ver o que está a passar», referiu Júlio Silva.

O comandante foi mais longe. «O primeiro-ministro está muito mal informado. Se ele fosse homem de terreno como ele próprio diz, teria feito uma visita ao navio, e não esperar pelo relatório da empresa construtora, uma vez que os homens da empresa não viram as condições do barco. Nós é que deveríamos informa-lo do problema», pontuou.

Porque o Chefe do Governo considerou que a falta de capacidade e de profissionalismo dos são-tomenses, está na base de todos os problemas do país, Júlio Silva, reafirmou que Rafael branco está não está certo. «São problemas de construção. O senhor Primeiro Ministro fala de falta de capacidade profissional. Não não e não. São erros de construção», declarou.

Pelo que o Téla Nón apurou no local, para resolver uma das avarias o navio tem que entrar num estaleiro. Processo que deverá ser feito no estrangeiro.

Abel Veiga

Recentemente

Topo