Barco Príncipe encalhou na Praia Brasil

navio-principe-na-terra.jpgO barco Príncipe recentemente comprado pelo Governo são-tomense continua a marcar a actualidade no arquipélago. Na última noite o navio terá desprendido das âncoras e navegado ao sabor do vento em direcção a terra. Encalhou na Praia Brasil.

Na noite de quinta – feira, alguns habitantes da capital são-tomense, deram conta que algo anormal se passava na Praia Brasil. O novo Navio Príncipe recentemente reparado após grande polémica relacionada com a avaria, estava a avançar para terra.

O navio que está a ser gerido pela ENAPORT, terá desprendido da âncora e navegado ao sabor do vento. Sorte é que veio para Terra. Se o vento tivesse orientado o Príncipe para outra direcção, teria simplesmente desaparecido do porto de Ana Chaves, como aconteceu há alguns anos atrás com o barco da guarda Costeira designado Falcão, que desapareceu sem deixar nenhuma pista. Só mais tarde foi encontrado na Nigéria, completamente danificado, e por lá ficou.

principe-na-terra.jpgO navio Príncipe que foi reparado na semana passada pela empresa construtora, a espanhola Aresa, realizou de seguida uma viagem para a ilha do Príncipe. A tripulação denunciou que as avarias tinha a ver com erros de construção, que segundo a tripulação começaram a ser registados desde a partida do Príncipe de Barcelona para São Tomé. No entanto a administração da empresa Aresa, garantiu que não havia erros de construção, e que o navio tinha sofrido um acidente na baía de Ana Chaves que acabou por provocar as múltiplas avarias.

Reparação feita, e esta quinta – feira Príncipe voltou a ter acidente. O mau tempo da última noite terá estado na origem da navegação sem norte que terminou na Praia Brasil. A empresa ABC de construção civil, tomou a iniciativa esta manhã de desencalhar o navio. «Vai ser possível. Já cortamos a corrente que estava na hélice. Agora estamos a criar valas para tirar areia, criar uma camada de água e tirar o barco. Só depois do barco sair +é que vamos ver os danos», afirmou o empresário Assis Borges Castro.

Dezenas de São-tomenses estão na praia Brasil para assistir incrédulos a mais um capítulo da novela Barco Príncipe. Fernando Nascimento Martins Pereira, é um deles.  «Estou a ver a despesa desta terra. Despesa sem provas concretas. Se o barco estivesse em bom estado não poderia vir parar aqui. Acho que é sabotagem. Não pode ser mau tempo, porque se fosse as autoridades deveriam precaver-se. Viu-se claramente que ia chover. Se é um dinheiro gasto em proveito desse povo deveria-se prever o tempo», desabafou o cidadão.

A população não esconde a sua revolta por causa dos episódios desastrosos na gestão do navio Príncipe. O Téla Nón escutou no local muitas críticas contra o governo e os dirigentes do país em geral. «É o espírito de má fé que vigora nesta terra. Príncipe decidiu vir para a terra para as pessoas verem essa despesa. Os dirigentes desta terra andam a enganar o povo. Até agora não se sabe qual é o valor da compra do barco», acrescentou Fernando Nascimento Martins Pereira

Príncipe é a única embarcação comprada pelo estado são-tomense através de fundos de Taiwan e de uma empresa petrolífera a AddAX. Segundo as autoridades terá custado 1 milhão e 200 mil euros.

Construído na Espanha, chegou ao Porto de São Tomé em Setembro de 2009. Já esteve paralisado há mais de 2 meses por causa de múltiplas avarias. Subiu ao estaleiro há menos de 10 dias, desceu ao mar na semana passada, e nesta semana subiu a Praia Brasil.

Abel Veiga

Deixe um comentario

*