Obras de reabilitação da estrada que liga cidade capital a Ribeira Peixe terminam em 2012

estrada-angolares.jpgFoi lançada terça – feira, a primeira pedra para tirar as populações do sul da ilha de São Tomé, do isolamento. A estrada número 2 que liga cidade de São Tomé a Ribeira Peixe, numa distância de 52 quilómetros, actualmente esburacada, vai se transformar num tapete a base de betão betuminoso.

A saltitar sem cessar e durante mais de duas horas, é o desafio para quem viaja da cidade de São Tomé para o sul da ilha. A chuva intensa na região sul ajudou a transformar a estrada em valas de grande profundidade. No isolamento, a população do sul, agradeceu pelo anúncio do início dos trabalhos de reabilitação.

Beatriz Azevedo, habitante da cidade de Angolares, exprimiu o sofrimento da população. «Isso já deveria ser feito há muito tempo, porque cada dia que passa a estrada está a degradar-se mais. Não imaginam o que sofremos quando vamos para cidade. Mesmo nas ambulâncias os doentes sofrem por causa da doença mas também pelos solavancos na estrada», afirmou Betriz Azevedo.

Sofrimento e isolamento que deverá ter em 2012, quando se inaugurar a estrada reabilitada. Através de uma linha de crédito concedida pelo governo português no valor de 50 milhões de euros, o estado são-tomense decidiu aplicar 24 Milhões de euros,na reabilitação da estrada que atravessa 3 distritos de São Tomé, nomeadamente, Água Grande, Cantagalo e Caué. « Num país sem acesso as populações ficam isoladas. Temos estado a sofrer com isto. Os autocarros não trabalham depois das 15 horas, porque colocam o problema da estrada. E muitas vezes somos forçados a ficar na capital, ao invés de regressar a casa para junto das nossas famílias», reforçou Beatriz Azevedo.

O primeiro-ministro que lançou a primeira pedra, para início das obras, realçou a importância económica da estrada número 2 que liga São Tomé ao sul da ilha. Segundo Rafael Branco, as obras vão dar emprego a população do sul, que terão também oportunidade de desenvolver actividades geradoras de rendimento após a inauguração da estrada.

A estrada número 2 é uma infra-estrutura com impacto directo na vida de mais de 20 mil pessoas. As obras estão a ser executadas pela empresa portuguesa Monte Adriano, que se juntou a mais duas empresas de construção civil são-tomenses.

Abel Veiga

Deixe um comentario

*