Sociedade

Partidos políticos distanciam-se da campanha de luta contra o paludismo?

A pergunta fica no ar. Certo porém é que esta quarta – feira a direcção do programa nacional de luta contra o paludismo, convidou todos os partidos políticos do país, para um encontro onde, seria concertada uma estratégia para sensibilizar a população no sentido de colaborar com o programa na quinta campanha de pulverização das residências. Segundo o Director Herodes Rompão(na foto), apenas um partido político marcou presença no encontro.

O paludismo que era responsável por cerca de 90% da mortalidade no país, que tirava capacidade de trabalho a milhares de são-tomenses, e condicionava o rendimento escolar das crianças, é hoje uma doença controlada.

No entanto o programa nacional de luta contra a doença, regista alguns focos preocupantes do paludismo, sobretudo nas regiões onde a população tem resistido a pulverização das casas. Um perigo porque com focos resistentes a doença pode ganhar força e ceifar a vida de muita gente como acontecia no passado, sobretudo crianças menores de 5 anos.

Numa altura em que as forças políticas estão activas no terreno em permanentes reuniões com os militantes, o programa nacional de luta contra o paludismo, decidiu aproveitar a oportunidade para concertar uma estratégia de actuação em parceria com os partidos políticos de forma a sensibilizar a população no combate contra a doença.

Já no dia 3 de Junho inicia a quinta ronda de pulverização das residências, e os actores políticos poderiam jogar papel determinante na sensibilização dos seus militantes sobre a necessidade de colaborar com as equipas de pulverização.

Convite feito, apenas 1 partido político, o PCD, compareceu no centro nacional de endemias para conhecer os planos do programa nacional de luta contra o paludismo.

Herodes Rompão Director do Programa Nacional de Luta Contra o Paludismo, manifestou – triste com a ausência do partidos políticos. Recordou que a luta contra o paludismo é uma das maiores conquistas de São Tomé e Príncipe nos últimos 6 anos.

Uma conquista que parece estar a ser desvalorizada, há poucas semanas do início da campanha para as eleições autárquicas, regionais e legislativas.

Abel Veiga

    14 comentários

14 comentários

  1. Mingau

    27 de Maio de 2010 as 12:33

    Claro que não iriam aparecer!? Desde de quando essa corja se preocupa com os problemas de São Tomé?
    Se fosse para entregar dinheiro ou donativos, apareceriam todos sem excepção!
    Povo de STP acorda!

    • Flavio Moniz

      31 de Maio de 2010 as 9:43

      tot à fait…
      Se fosse um donativo para distribuir, là isso sim…
      mas também o Director Rompao devia ser mais esperto…
      era so dizer que o objectivo seria de entregar donativos para serem destribuidos à populaçao…

  2. Pensador

    27 de Maio de 2010 as 13:54

    da para ver q so pcd esta preocupada com algo

  3. ESTAO SE CAGANDO

    27 de Maio de 2010 as 16:12

    SO QUEREN GANHAR AS ELEI. E IR A PROCURA DE APOIO FINANCEIRO INTERNACIONAL PARA ENCHEREM MAS AS CASAS NO CAMPO DE MILHO.
    OS PARTIDOS NAO MANDARAM UM REPRESENTANTE A CENTRO N.D.E? ISTO E PARTIDO POLITICO? VAI FAZER BOI DORMIR.

  4. lupuie

    27 de Maio de 2010 as 16:30

    Ate parece que as pessoas ja se esqueceram dos pbs que tivemos outrora. Essa luta deve ser de todos nos, ricos, pobres, politicos, nao politicos,…Se ja chegamos a esse ponto, porque nao fazermos um esforco pra acabar com esse mal?! Como se diz na terra: “labu bwe so te matxi fola”. Demos as maos uns aos outros pra erradicar o paludismo de uma vez por todas. So ficamos a ganhar.

  5. cesar jesus

    27 de Maio de 2010 as 16:58

    Bom isto nao era de estanhar…porque se trata de saude do povo… e o paludismo so atinge o povo pequeno que vive nas condicoes onde certos politicos desconhecem…pois agora so preocupam com a campanha para lhes elegerem novamente…e sem vergonha nesta altura vao bater a porta de cada cidadao a procura de voto e ate oferecerem o k nao tem!!! E lamentavel esta situacao…fazer o k estamos no STP!!!

  6. cesar jesus

    27 de Maio de 2010 as 17:02

    E mesmo assim na hora da verdade e que conhecemos os verdadeiros Partidos interessados na saude do povo STP!

  7. Zovirax

    27 de Maio de 2010 as 22:27

    Mais uma certeza de que grande maioria dos políticos não estão interessados no bem estar e saúde do povo de stp.Estes políticos só querem voto do povo para chegarem ao trono.

  8. Zovirax

    27 de Maio de 2010 as 22:30

    Na classe politica de STP habitam muitos paquidermes educados, famintos que se devoram entre si.Um dia STP estará livre destes paquidermes……………….

  9. joferly

    28 de Maio de 2010 as 1:44

    Quanto a notícia publicada, é de lamentar a surdez ou cegueira de dirigentes dos partidos ausentes.
    Será que não percebem que a debelação do paludismo constitue uma grande vitória para a nação Sãotomense? Será que não entendem que ao soar notícias no exterior de que o paludismo já não é um motivo de preocupação, faz com que a procura pelos estrangeiros será maior, será uma grande ajuda para o desenvolvimento do país? Meus senhores, assim como pretendem ocupar cargos que vos projectem “in situ” aquando das pseudo eleições, façam o mesmo para que S.Tomé e Príncipe possa ser motivo de orgulho dos sãotomenses na diáspora. É sempre bom coabitar com estrangeiros ávidos de vontade de conhecer a terra do “Jornalista que fez na roça com os tachos”, e simultâneamente recuarem pelo facto de existir (aqueles bichos) que matam com uma simples mordidela. Convícto de que tomarão uma atitude,espero que percebam que todos nós estamos expostos e quem poderá ser o próximo a ser mordido? .. .
    Nota: Os países que conseguiram debelar o insecto causador, continua a ter uma medida preventiva.

  10. fernando

    28 de Maio de 2010 as 10:36

    Meus caros,
    Há aqui uma inversão evidente de deveres e obrigações.
    A Instituição CNE pretende que os partidos politicos façam sensibilização aos seus militantes sobre à importância da pulverização intra-domiciliária. A luta anti-palúdica pode ser vista de várias maneiras. Parece-me que deveria haver visitas de advocacia por parte desta instituição,CNE, aos Partidos. Pois, CNE deve estar munido de instrumentos de sensibilização como deve ser seu dever. Acho que o Sr director que também pertence à uma formação politica deva ter isto em mente.
    Até a visita Sr director…

  11. Assunção

    28 de Maio de 2010 as 16:03

    O Governo, os Partidos Políticos, a população civil ñ pode deixar de participar nesta causa. O empenho na luta contra esse flagelo apresenta efeito visível, preciso é continuar, principalmente a população naqueles focos resistentes à pulverização tem de ser mais informada,engajada e educada, e mais do que nunca agora, ñ se percebe k os partidos ñ fazem desta causa 1 dos objectivos nos seus slogans publicitários. Paralelo a saúde, se os Governos e os candidatos à Governo percebessem da importância do turismo como estratégia de desenvolvimento para o Estado, talvez tivessem 1 atitude mais responsável, e a partir daí, todo o esforço canalizado para erradicação do paludismo, saneamento, como entrave ao nosso desenvolvimento. Só peço ao Sr.Director k ñ desista e que encontre nos “mídias” o eco necessário.

  12. Armindo Fonseca Dos Santos

    29 de Maio de 2010 as 10:50

    Caro senhor Herodes Rompão,como é certo que os partidos políticos si desmarcam desses eventos porque não estão interessados pela saúde da povo de STP .Estão sim interessados no dinheiro que o País recebe das ajudas Internacionais. Si neste encontro estivesse a dar dinheiro aos partidos políticos lá estariam todos para discutir o valor que caberia a cada um dele.

  13. Malé Poçon

    30 de Maio de 2010 as 22:00

    Apesar dos pesares, continuo acreditando na boa fé e na sinceridade de alguns filhos e filhas do nosso S.Tomé e Príncipe, por isso permitam-me chamar-vos irmãos politicos de S.Tomé e Príncipe.
    Considero-me uma gota num oceano onde milhares de saotomenses que se encontram espalhados, desnorteados e tristes por falta de condições basicas que existem no nosso pais…Toda gente de boa fé e de sã consciência, sabe que, para S.tomé e Príncipe avançar rumo ao progresso, é preciso mudar a mentalidade de topo à base, por isso constitui um grande DESAFIO a todos os níveis. Entretanto, sabe-se e se espera um maior comprimisso individual e colectivo por parte daqueles que lideram, pois para isso foram eleitos pelo povo.
    S.Tomé é comparado a um grande camião com o motor parado na auto estrada rumo ao desenvolvimento do qual, na retaguarda está o precipicio (subdesenvolvimento).
    A chave certa para o arranque deste carro ninguém sabe ao certo onde se enconcontra. Alguns poucos politicos tentam empurrar para frente, outros para trás, e outros ainda nas laterais tentam empurrar, cada um para o seu lado, mesmo sabendo que não estão a empurrar na direção certa. Para onde irá o camião (STP)?
    Alguém disse a certa altura que, para ser um politico em S. Tomé é necessario ser… MENTIROSO; SEM VERGONHA E GATUNO. Eu pessoalmente não acredito nisso. Porque sei que apesar desta corrida desenfreada rumo ao precipicio , existem ainda pessoas sinceras.
    Por isso o meu conselho é… PARE E PENSE, porque não se pode enfrentar o desafio de S.T.P. sem um COMPROMISSO SINCERO; SEM CRIATIVIDADE; SEM CORAGEM OU SEM COMPETENCIA.
    Pergunte a si mesmo com sinceridade, sou eu COMPROMETIDO com o desenvolvimento do meu pais?
    Sou eu CRIATIVO, pensando em coisas palpáveis para melhorar a face de S.T.P? Por exemplo, deixar de pensar somente nos geradores que poluem e desgraçam a economia de STP e pensar em baragens hidroelectricas e ou outras fontes alternativas de energia; Como pode um país pensar em turismo sem pensar no saneamento do meio e num hospital capaz de prestar serviços mínimos desejável aos seus e aos turistas que evetualmente precisem? Que turistas quer ir a um pais sem estradas, sem água potável, onde a fumaça dos candeiros acampanham a sua tenua luz? Como me sinto miserável, quando vestido de fato e gravata, a pé ou de carro, me tropeço constantemente nos lixos e até mesmo em dijectos nas praças! Não sentem o mesmo, irmãos politicos e população em geral? Ou estamos perdendo a noção do ridiculo e da higiene que sempre pautou o povo santomense?
    Sou eu CORAJOSO ao ponto de recusar estar envolvido na corrupção, mesmo contrariando a todos, e ajudar a sociedade a pensar e a portar-se com dignidade?
    Sou eu COMPETENTE , capaz de cumprir com honestidade as funcões que me são confiadas e também fazer com que os outros cumpram a sua parte?
    Por último quero vos dizer um segrdo. A chave certa para o arranque de STP, é a CONFIANÇA NO PODER DE DEUS E A VONTADE DOS HOMENS para fazer o bem e melhor. Uma sociedade sem Deus não terá os valores supracitados…
    Mais uma vez vos digo, … PAREM E REFLITAM, já basta tanto sofrimento para o povo de S.T.P . Todo bem material vai ficar, estamos cá só uns escassos anos … porquê tanta loucura? Porque não pensar também nos outros?
    Se nao puder fazer tudo, faça tudo o que puder com COMPROMISSO, CRIATIVIDADE, CORAGEM, COMPETENCIA E CONFIANÇA NO PODER DE DEUS juntando-lhes a INTEGRIDADE, para levar S.T.P à um bom porto..
    Um bem haja a todos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo