Sociedade

Motoqueiros já têm identificação

Depois de muitas mortes, os motoqueiros já estão identificados. Actualmente colectes reflectores com a designação TAXI. São cerca de 100 colectes que identificam a modalidade de transporte público que apesar de muitas mortes causadas, continua a vigorar.

O sindicato dos motoqueiros, anunciou a chegada de 100 colectes reflectores para identificar os moto-taxis. «É uma forma de identificar as pessoas que fazem táxi com motorizadas», explicou o Presidente do Sindicato.

Dezenas de pessoas já morreram desde Janeiro de 2010, em acidentes de motorizadas. O fenómeno motoqueiro veio para ficar. As medidas tomadas pelo governo cessante não surtiram qualquer efeito.

O sindicato decidiu organizar os seus membros em mais de 1000 homens, com colectes reflectores para a distância os agentes policiais destrinçarem os motoqueiros de outros cidadãos que utilizam moto como meio de transporte. «Eu acho que está bom desde o momento que eu coloquei esse colecte, o meu trabalho realmente está a correr bem e as pessoas já me identificam como um motoqueiro. Não é preciso chamar as pessoas e mesmo de longe elas já me fazem sinal por causa deste colecte que estou a usar. O conselho que tenho para dar os outros é que usem o colecte e caso não têm, que arranjem, porque assim já se consegue identificar quem é quem», declarou um dos motoqueiros na praça da capital são-tomense.

Milhares de motorizadas fazem transporte de pessoas e mercadorias em São Tomé e Príncipe.

Abel Veiga

    13 comentários

13 comentários

  1. atencao!!!!!

    5 de Agosto de 2010 as 18:24

    se sao apenas 100 acabarao em poucos dias, pois há mais de 100 pessoas a dedicarem-se a tal actividade.
    independentemente de nao saber á que preco se está a comercializar os mesmos colectes identificativos dos motoqueiros ou “taxistas motorizados e ambulantes”, se se prefere a á expressao, pois creio que isso acabará em poucos dias e terao que importar mais, ou talvez pedir encarecidamente ao senhor dono da Modelo, que disponibilize os seus pra venda ou ofereca sem raiva e sem rancor, apesar do seu partido politico ter perdido e a principio o dito senhor ter utilizados alguns dos coletes de identificacao de motoqueiros para promover a campanha do seu partido, conforme se noticiara há excassos dias atrás.

  2. Marques

    5 de Agosto de 2010 as 18:49

    agora tb falta o capacete…p todos os motoqueiros e tb p os clientes

  3. rc

    5 de Agosto de 2010 as 20:37

    esse c oletes ainda precisam ser identificado com numeros para se saber realmente que e quem, capacete obrigatorio tambem para oassageiro

  4. Molange

    6 de Agosto de 2010 as 8:30

    Eu pactuo a ideia de que todos os motoqueiro tenham que usar tanto o capacetecomo o uniforme…Bem infelizmente o nosso estado nao tem a capacidade de tomar medidas duradouras….por isso vamos todos dar as maos para que um STP melhor sea possivel… apenas aceptamos os “motoqueiros” com capacêtes, o uniforme e portador da carta de onduçao…

  5. Leonel de Sousa

    6 de Agosto de 2010 as 9:20

    A questão fulcral não está no uso ou n
    ao de coletes, no uso ou não de capacetes,porque em relação a capacetes é óbvio que tem anda de moto deve ter, se as coisas funcionacem minimamente dentro de algura regra. O problema maior é a maneira como a maioria dos motoqueiros praticam esse serviço. Sempre com pressa, com uma condução perigosa desrespeitando as regras de transito e de civismo, pondo em risco a vida de todos. Deles e de todas as outras pessoas. Repito, deles e de todas as outras pessoas. O mal foi os os governos, por uma questão de conveniência terem aceitado essa pratica de táxi na nossa sociedade. Isso é uma carnificina silenciosa. Essa deveria ter ser pura e simplesmente proibida. agora já é tarde! Resta o governo legislar correctamente sobre a matéria, para legitimar uma actividade tão bisarra, que põe a vida dos que habitam em S.Tomé ( pois desconheço a realidade no Príncipe),permanentemente entre a vida e a morte, de uma forma tão estúpida nos tempos de hoje, com altas responsabilidades para o Estado santomense. É caso para dizer: Hum convetá kuá, Hum Kunzulá Kuá! Só mesmo em S. Tomé e Príncipe.

  6. A.G Brasil

    7 de Agosto de 2010 as 1:16

    pois é, acredito eu que daqui a mais algum tempo eles poderao contar com mais colete, e que mesmo tenhem k estar numerado, e tambem CAPACETES TANTO PRA MOTOQUEIRO COMO PRA O PASAGEIRO.

  7. Medeiros

    7 de Agosto de 2010 as 13:38

    JÁ é um grande passo ..

  8. helder afonso

    13 de Agosto de 2010 as 15:13

    acho que os motoqueiros deveriam pagar uma quota mensal simbolica ao governo, e tb um seguro para proteccao de todos, quem atropelam e passageiros.

  9. Helves Santola

    14 de Agosto de 2010 as 4:36

    Pois é, essa de imposto é bom! Seria mesmo bom que eles pagassem uma taxazinha para que o governo tenha como implementar alguma acção a favor deles e da sociedade civil em geral! Agora resta saber se esse imposto ia ser bem gerido…….duvido! Mas isso nunca vai acontecer…..

  10. Hugo Lima

    16 de Agosto de 2010 as 7:15

    Muito bem, deviam pagar imposto como também submeter a seguros, mas cada coisa a seu tempo já sabemos que os 100 reflectores não é suficiente contudo é sinal de começo de uma organização, pensem mais e mais longe chegaremos. Bem e seguros viva STP.

  11. liquiety lima

    19 de Março de 2012 as 10:37

    eu preciso da vossa ajuda pra resolver um trabalh d pesqs sobre os motqeirs k será apresntd n semana d sosciologia
    meu contact é-9859802-rumilde quaresma acede no facebook

  12. rumilde quaresma

    19 de Março de 2012 as 10:42

    procura-me

  13. daniel

    3 de Abril de 2012 as 11:27

    ja pensaram no colete, no capacete .algem ja pensou nas condiçoes das nossas estrads o exemplo pratico é a estrada que da acesso a casa do PR com o aumento de roubo de areia levou a isso

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Recentemente

Topo